« agosto 2001 | Main | outubro 2001 »

setembro 28, 2001

(...) When it's dark baby,

(...) When it's dark baby,
there's a light I'll shine,
and if you're lost, I'm right behind,
cause we walk the same line (...)

Entre a felicidade que estávamos ontem, comemorando a assinatura do contrato do nosso apartamento, brindamos online \~/ \~/, fizemos festa, vivas e tudo o mais que podíamos ter feito à distância.

Muito muito pouco tempo depois, quando os ânimos se acalmaram, uma impertinente ficha caiu. Ao mesmo tempo. Lá e cá. Silêncio se instalou. De cá, lágrimas rolaram. De lá, aperto no coração. E um comentário dele que resumiu todo o sentimento mútuo: "Há tempos estamos fingindo que está tudo bem, que podemos suportar essa distância. Mas a verdade é que estamos sofrendo. Muito."

Escrito a mão pela Marcia às 5:15 PM

setembro 27, 2001

Hoje, em Casa

Hoje não fui trabalhar. Acordei cedo, mais cedo do que de costume.

Olhei em volta... Minha mãe ontem passou mal, com labirintite e fraqueza, foi pro hospital e tudo... Minha cachorrinha está com um pequeno sopro no coração...

Manhã de chuva... Pensei: "será que o mundo vai acabar se eu dedicar um dia para a minha mãe?". Desmarquei a carona, avisei no trabalho que não iria. Saí na chuva pra comprar pão, rocambole Pullman de goiaba, jornal Agora (argh, fazer o que, ela gosta), patezinho da Sadia... Preparei um chazinho, Breakfast Tea da Twining que eu trouxe de lá. Coloquei tudo na mesa, um enorme café da manhã, jogo americano na mesa, xícaras, pratinhos e tudo mais. Muito diferente do café preto no copo americano que ela toma todos os dias. Ela acordou, viu tudo aquilo ficou entusiasmada, leu o jornal, comeu, tomou chá que ela ama e ficou bem mais corada, animada. Conversamos um tempo, depois ela foi pra cozinha preparar uma canja de galinha com ravioli
deliciosa! Dei uma saidinha rápida para ir na farmácia comprar os remédios e na volta trouxe umas revistas pra ela, Caras, Bons Fluidos, Viagem... Almoçamos e ficamos lendo e comentando as fococas de Caras. Minha cachorrinha ficava andando atrás de mim por todos os lados, pedia carinho, me lambia, abanava o rabo, tão linda...

O mundo não acabou por causa disso. O resultado dos exames indica que está tudo bem, apesar da forte labirintite de ontem, mas não é nada mais grave. Ainda restam outros exames para a semana que vem. Eu poderia ter ido trabalhar, eu sei. Mas ver ela assim animada, contente com a Caras nas mãos, comendo bem, não... Não há trabalho nenhum que vai me privar dessa alegria. Eu, que estou de mudança da casa deles, que não tenho idéia de quando vou poder fazer esse mimo novamente, jamais colocaria o trabalho em primeiro lugar. Foi-se o tempo em que eu queria status profissional. Quero qualidade de vida. Nas coisas simples. Isso é importante, isso é prioritário para mim. Mais nada.

Escrito a mão pela Marcia às 6:44 PM

setembro 26, 2001

Presente muito real

No meio da distância, têm dessas coisas. Ontem era dia de comemorar, mas ao invés disso passamos o dia discutindo e refazendo os planos da minha mudança, revendo dinheiro, fazendo projeções de perda, lucro e o diabo a quatro. Nada fácil, não não, nada fácil... Como está difícil vender meu apartamento, meu deus... Tô quase dando de graça pro primeiro que aparecer.

Mas também teve um momento bom no dia de ontem: comprei um presente para nós dois, que há muito tempo mesmo estavámos querendo. E eis que ontem o tal livro Le Cordon Bleu Complete Cooking Techniques entrou em promoção na Amazon.com, de U$40 por U$28, e finalmente adquirimos o básico-do-básico-do-básico das técnicas culinárias! Não vejo a hora de receber e ler o livro! Existe a versão em português também à venda na Livraria Cultura, onde todo santo sábado, religiosamente, eu passava lá para dar uma folheada no livro. Os vendedores estão certos de que eu estou tentando decorar o livro todo. Mas agora não mais! Teremos nosso livrinho, na nossa casinha, para ler e reler e fazer e testar e provar juntos! Presente em compra virtual, do nosso aniversário comemorado via chat, do nosso romance muito real.

E trocava tudo por um abraço...

Escrito a mão pela Marcia às 12:57 PM

setembro 25, 2001

HaPpY AnNiVeRsArY

Hooray! Viva! Hoje completamos, eu e Martin, seis maravilhosos-vitaminados-necessários-absolutos meses juntos! Êêêê, clap, clap, clap!!! Juntos mesmo com a distância entre a gente. Juntos mesmo com tanta coisa impedindo nossa troca de olhares. Juntos, apesar do medo de arriscar. Juntos fazendo nossa história, construindo nosso caminho, felizes, em frente. Sempre.

Escrito a mão pela Marcia às 2:06 PM

setembro 24, 2001

"...Minha laranjeira verde por que estás tão prateada? Foi da lua dessa noite, no sereno da madrugada?"

É, hoje já estou melhor... De volta ao trabalho, com computador mais eficiente, assim é melhor. Algumas coisas mudam numa noite, meu humor principalmente. E logo se renova outra esperança, agora tudo vai dar certo!

Escrito a mão pela Marcia às 2:47 PM

E quer saber, também não

E quer saber, também não me interessa o que essa gente pensa. Que cozinhem no molho azedo da própria inveja ignorante. Pronto, falei.

Argh, por onde anda meu incenso de eucalipto...? Vamos ao mantra...

Escrito a mão pela Marcia às 1:30 AM

...E ainda tenho que ouvir

...E ainda tenho que ouvir de muita gente "aí, se deu bem, hein? agarrou um gringo e tá com a vida feita agora"... Pode até ser brincadeira, mas levo muito a sério. Que vida feita? Largar um dos melhores empregos que já tive, vender o apartamento que foi meu sonho, que lutei e economizei cada trocado para comprar, deixar meus pais, meus irmãos, meus amigos, minha cã Bianca. Ir morar num lugar onde conheço muito mal meia dúzia de pessoas além dele, viver com o preconceito contra estrangeiros (que tem SIM lá), trabalhar em subempregos, conviver com a saudade, acostumar com o frio, se fazer entender em outra língua... Que vida feita, diz?

Escrito a mão pela Marcia às 1:21 AM

Tecnologia que cansa

Sempre fui e serei por muito tempo defensora dessa tecnologia contemporânea. É dela que tiro o meu trabalho, é através dela
que me aproximo de quem está longe. Mas têm dias que depender disso é um pesadelo terrível. No sábado comprei dois cartuchos de tinta HP remanufaturados, paguei uma nota (embora menos que os originais) e a minha impressora não está reconhecendo-os. Argh, me sinto tão estúpida por ter pensado em economizar dessa forma... Provavelmente perdi o dinheiro, porque o moço coreano do Promocenter não estava com cara de muitos amigos e sei lá se vai trocar. E trocar por o quê também? Outro cartucho desconhecido pela fresca da minha impressora? Droga...... *sigh*

Para completar, hoje domingo, a conexão da UOL estava num estado crítico de falta de equilíbrio, quase chegando a uma labirintite aguda. E o Internet Explorer, bicha que é, parou de ler qualquer página. Mesmo conectada, eu não conseguia acessar absolutamente nenhum site, nada. Aaahh, mas não acaba por aí não. Yahoo! Messenger, o vilão-traidor-cruel, hoje também resolveu entrar em greve e pegava todas as minhas mensagens pra ele e não transmitia para pessoa que eu estava enviando. E também não me entrega nenhuma mensagem.

Muito bem... o que me sobrou então? MSN Messenger, aquela porqueira monótona foi que me salvou. Pude conversar por alguns poucos minutos, muito menos do que essa tecnologia toda poderia ter me proporcionado...

Do outro lado, o Martin me esperava, pacientemente, apesar dos meus palavrões contra todos esses defeitos de hoje. Esperava cheio de dor nas pernas por causa do jogo de rugby, que aliás perderam tadinhos, gripado demais, morrendo de saudades porque a semana toda trabalhou muito e quase não nos falamos direito... Já a noite, me ligou, com a voz de quem está com o nariz totalmente entupido e fiquei com uma vontade enorme de estar lá cuidando dele... E nem sequer escrever para ele eu pude direito hoje...

Escrito a mão pela Marcia às 1:06 AM

setembro 21, 2001

Pastéis de Belém

Descobri que aqui perto do meu trabalho existe o restaurante português A Casota, que
vende, entre outras tentações, o famosíssimo Pastel de Belém! E eu achava que só ia provar essa iguaria lusitana quando lá em Portugal fosse, exclusivamente para isso. Mas não! Agora posso antecipar minha curiosidade e meu prazer! Dizem que eles fazem a receita autêntica, vou conferir em breve. Se vou. Três de uma vez. Hehe!

E eis aqui um trecho de uma reportagem que saiu na Revista Viagem e Turismo, sobre os famosos pastéis:

"A nata dos pastéis

- Três pastéis de nata, se faz favor.
- Desculpe, mas não há pastéis de nata.
- Como, não há pastéis de nata, se estamos cá na fábrica de pastéis de Belém?
- Pois então: aqui não há pastéis de nata; há pastéis de Belém!

O diálogo, ouvido na mesa de trás, resume a diferença entre um simples pastel de nata de Lisboa e o inigualável pastel da
antiga confeitaria de Belém. A espera por uma mesa é longa e requer marcação sob pressão: ao ver alguém pedindo a conta,
trate de se posicionar. O serviço é caótico, mas a recompensa vem na forma de doces de uma finíssima massa folhada, recheados
pelo mais sublime creme de baunilha, tudo saído quentinho do forno. Peça logo três. E não se espante se, até o final da
viagem, uma força maior fizer você voltar várias vezes ali para comer um pastel de nata. Ou melhor, de Belém."

Escrito a mão pela Marcia às 2:53 PM

Coisas pelas quais a vida vale a pena

"[...] Ontem, recebi um e-mail que me deu muita energia. Que me deu força e vontade de ficar por perto da minha Princesa até eu sentir que não bate mais nada por mim dentro dela. É uma cumplicidade e um entendimento que ultrapassa muita coisa. Menina Márcia, baixei seu email de casa e não o tenho pra lhe responder aqui. Mas queria que soubesse que é muito bom. Muito bom mesmo saber que há pessoas que torcem por você. Por mais que o caminho que escolhemos seja certo ou errado, é bom saber que as pessoas estão ao seu lado. Torcendo pela sua felicidade, se for com um pouco de tristeza no meio, ou completa felicidade....O caminho nem sempre é fácil mas receber noticias dos amigos distantes ou a presença do amigo que está próximo, faz com que a caminhada seja menos árdua. O amigo que te deixa chorar um pouco e depois enxuga as lágrimas, que ouve, que dá
colinho, torcendo ou fazendo entender que algumas coisas hão de mudar, com paciência e carinho...é uma coisa que, andei recebendo de muitos. E agradeço a presença de cada um. É gostoso saber-se cuidada por alguém que você já cuidou um dia. E por aquelas que você nunca viu mas que se importam com a felicidade do próximo. [...]"

Não custa nada fazer o bem, um pouquinho a cada dia, uma palavra de apoio aqui, um estímulo alí e você pode estar ajudando muito... A recompensa? Ver que você levou um pouco, nem que seja mínimo, de aconchego no coração de quem precisa. Um beijo para você Artie!

Escrito a mão pela Marcia às 11:40 AM

setembro 20, 2001

Buscando Forças para Erguer

Ahh... hoje um interessado em comprar o meu apartamento me mandou um e-mail dizendo que ainda quer ver outros, pesquisar, antes de decidir... Tudo bem... Voltamos à estaca zero pela 4 vez...
E haja bom-humor para colocar mais anúncios na web, nos jornais... E haja esperança e haja fé e haja mais um pouquinho de paciência... Ninguém disse que ia ser fácil... mas não precisava ser tão difícil assim...

Escrito a mão pela Marcia às 4:06 PM

Dentro do Carrinho

Ontem no supermercado não encontrei o tal Delícias de Frango da Maggi, por mais que eu vasculhasse todas as gôndolas. E então
fiquei emburrada. Mas não por muito tempo. Encontrei o Chandelle Sensação, ainda bem. Como boa carnívora, comprei muita carne, mas também comprei 1Kg de Tilápia, um peixinho simpático de carne branquinha, que eu gosto muito, apesar de não ser nenhum pouco fã de comer peixe, que não seja no sashimi. Que mais... ah, lasanha verde congelada, para os dias de preguiça... Molho para salada Ranch e Italiano, mmmmm... Mistura pra bolo formigueiro Sol, muito barato. E o básico de sempre... Nem gastei muito e teremos comida para uns bons dias.

Escrito a mão pela Marcia às 4:02 PM

setembro 19, 2001

Meu dia de Améliapontocom

E nem adianta dizer que é besteira, porque eu gosto muito de ir no supermercado. Assim, de semana, a noite, sem fila e sem crianças correndo com carrinhos que param sempre na sua canela. Supermercado de sábado à tarde é para quem quer ficar paranóico.

Nãão, eu gosto de fazer compra sossegada. Hoje vou no Carrefour que está em promoção de aniversário até amanhã. E na minha listinha, além das coisas básicas (Omo, papel higiênico, etc), tem também molho pra salada, Delícias de Frango da Maggi (que já falaram tão bem que quero experimentar), Chandelle
Sensação (chocolate e morango), Molho Inglês (indispensável), só...

Ah, outro dia li numa revista feminina uma dica de como economizar em supermercado: sempre pegue uma cesta, ao invés do carrinho, porque a cestá vai ficando pesada e você não coloca muito supérfulos. Hehehe. Às vezes faço isso, mas quando pego o carrinho procuro não ltrapassar da metade. E sou extreeeeeemamente organizada, produto de limpeza num canto, cuidados pessoais no outro, lataria, alimentos secos e congelados, tudo separado e em ordem. Fica mais fácil de empacotar tudo depois, afinal geralmente vou sozinha e não é fácil dar conta de tudo.

O chato é guardar tudo depois que chego em casa, mas é bom ver a dispensa cheia, tomar café da manhã no dia seguinte com alguns itens metidos-a-besta que comprei no supermercado... êê, as vezes fico feliz com tão pouquinho...

Escrito a mão pela Marcia às 8:33 PM

setembro 18, 2001

Dia de uma boa sopa

E hoje é dia de sopa porque está um frio muito frio em São Paulo e vou com um punhadinho de amigas, das boas, tomar sopa cremosa dentro de um pão italiano quentinho e tomando um vinhozinho tinto barato.

Porque o gosto nem vem da sopa, nem do vinho. Vem da conversa, da risada alegre e sincera e vermelha (oposto do amarelo).

É dia de lembrar que ainda há vida enquanto a vida existe. E que enquanto existir vida, haverá alegria para rir, amar, VIVER.

how i wish you were here...

Escrito a mão pela Marcia às 9:37 PM

Tá frio...

Hoje fez um dia frio em São Paulo, um arzinho gelado lá fora, brrrrrr. Ai, tenho que me acostumar com o frio, com os dias mais curtos, com garoa fria, céu nublado, ai... E quem liga pra como está o tempo lá fora se eu posso ver o sol brilhando no olhar mais doce desse mundo? Espero que não demore muito, não é fácil manter a postura positiva e confiante todos os dias. Mas vamulá.

"Não existe atalho para um caminho que vale a pena".

Escrito a mão pela Marcia às 12:26 AM

setembro 17, 2001

Momento futilidade básica

De aniversário, ganhei uma série de mini produtinhos de limpeza de pele da Body Shop. Hummm, um cheirinho delicioso, um tal de "tea tree". Hoje usei todos eles! Gel de limpeza, tônico de limpeza, depois passei uma máscara facial e meu rosto ficou azulzinho! Enxagüei com água morna, passei outro tônico energizante e por fim o hidratante. Hummmmm, pele do rosto limpinha.

Escrito a mão pela Marcia às 12:22 AM

Por dentro e por fora do subconsciente

Já faz um ano e meio que faço terapia com a mesma psicóloga. Já ouvi diversas vezes comentários do tipo "pra que??" ou "ah, psicólogos inventam problemas para você continuar pagando a eles" ou essa "é melhor parar para não se tornar dependente". Já cheguei a cogitar a idéia de encerrar a terapia por duas vezes. Sempre com muito tato, a psicóloga me mostrava o caminho que eu ainda tinha que percorrer e se realmente valia a pena interromper. Foi muito bom eu nunca ter dado ouvidos aos tais comentários de pessoas que nem têm idéia do quanto uma terapia pode melhorar a sua vida. Uma vez essa psicóloga me falou que quem faz terapia são pessoas corajosas, porque não é qualquer um que consegue ouvir o que um terapeuta tem a dizer. Não é qualquer um que tem coragem de assumir suas fraquezas. Não é qualquer um que vasculha os mais escondidos assuntos de sua vida e traz a tona para poder resolver de forma clara e limpa. É preciso ter muita coragem, muita força de vontade, apesar da dor, do sofrimento, que geralmente atinge quem procura uma psicoterapia. Já percorri vários caminhos do labirinto da minha mente e já consigo fazer o caminho de volta certinho, em alguns deles. Não sou mais aquela que tentava ser perfeita o tempo todo, sem falhas. Não sou mais aquela que vivia para agradar os outros, suprimindo meus desejos. Não sou mais aquele vazio, sou cheia, tenho vida, tenho meu orgulho daquilo que me preenche. E se não fosse a psicoterapia, jamais conseguiria fazer o mesmo sozinha.

Escrito a mão pela Marcia às 12:17 AM

"...Estou com medo, tive um pesadelo. Posso dormir aqui com vocês?"

Medo, medo, medo. Nunca sofri tanto por causa de um conflito internacional. É a declaração do Bush, é a declaração de Tony
Blair, tudo isso me desespera, me tira a fome, a alegria. Acontece que eram umas três da manhã e acordei tremendo de um pesadelo terrível, terrível. Logo em seguida tive mais dois muito piores. E então fiquei com medo de dormir de novo e ter mais pesadelos. Tem idéia de como meus nervos estão? Eu queria ligar, queria pedir ajuda a quem eu sei que estaria do meu lado se pudesse. E nem isso dava. E assim, de olhos arregalados fiquei até o sol nascer. Era só um pesadelo eu sei. Mas tenho medo de dormir outra vez. Tenho medo ainda.

Escrito a mão pela Marcia às 12:04 AM

setembro 14, 2001

Em paz

Nesses dois dias anteriores estavámos em briga conjugal também para ficarmos coerentes com os acontecimentos globais. Mas o fato é que hoje, em conversa muito franca, percebemos o quanto esse tipo de discussão pode fazer bem para nós. Só assim a gente percebe que somos diferentes sim, graças a deus, mas que podemos aprender a gerenciar essas diferenças de modo que o jeito de viver de um não atrapalhe o do outro. E se a gente consegue superar essas dificuldades com respeito pelo sentimento do outro, aí sim vale a pena estar juntos, aí sim podemos viver pacificamente. Estamos mais fortalecidos, mais realistas e muito mais unidos. A vida real começa a entrar no lugar das idealizações. Não é fácil. Mas está sendo muito bom, gostamos
muito dessa honesta realidade.

Escrito a mão pela Marcia às 1:12 AM

Enough

E chega desse assunto. Não sou de olhar só para o meu umbigo, mas é preciso continuar andando pra frente. Tenho que ir trabalhar todos os dias para ter o que comer, vestir e ler (hehe) por enquanto. E minhas contas no banco não estão nem aí pro fato do Bush retaliar ou não. Acredito em soluções, não em lamentos. Nota importante: e-mails SPAMs não são soluções, hehehe.

Escrito a mão pela Marcia às 1:02 AM

Tsc, tsc, tsc...

Num falei? Já tem boato por aí dizendo que aquelas imagens dos palestinos comemorando são na realidade a comemoração do
aniversário da morte de Mr. Mohammed Ali Jinnah, o fundador do Paquistão, um grande líder para eles. A data confere, resta
saber se realmente houve a manipulação por parte imprensa.

Escrito a mão pela Marcia às 12:55 AM

setembro 12, 2001

Dia Insano

Nada, absolutamente nada justifica um ato terrorista contra civis. É verdade que os EUA patrocinam a violência em prol de seus interesses econômicos, isso é sim verdade. Mas isso jamais pode justificar tamanha violência contra seres humanos cujo único erro foi ter acordado cedo para ir ao trabalho. E o que mais me preocupa: se aquelas imagens de palestinos comemorando não foi forjada por jornalistas ávidos por um "furo de reportagem" ("muito bem, vocês aí... quando eu falar já, pulem de alegria, ok? já!"), enfim se aquelas imagens são reais, muito me preocupa ver crianças felizes, alegres e efusivas com o ato violento que viram. Isso significa que essa guerra não acaba tão cedo quanto a gente espera.

Para os meus amigos que conhecem a Cristiane, que mora em NY, quero informar que ela me enviou um e-mail e passa bem, apesar do terror e desespero de não saber se "amanhã tem mais"...

"...just give peace a chance..." disse uma vez um moço, morto violentamente.

Escrito a mão pela Marcia às 12:48 PM

setembro 11, 2001

Dia de Garoa

Dia frio, com garoa e céu cinzento em São Paulo... Minha vista há semanas está ardendo de tanto que trabalho em frente ao monitor, sem proteção nenhuma. Parece ressecado, dói, incomoda...

Ontem para minha surpresa recebi muitos e muitos e-mails bacanas, de pessoas que gosto muito, de pessoas novas que estou aprendendo a gostar muito também, de gente muito muito gentil.

Escrito a mão pela Marcia às 1:40 PM

"...Enquanto a vida vai e vem, você procura achar alguém que um dia possa lhe dizer 'quero ficar só com você'..."

Hoje foi um dia maravilhoso, apesar de ser segunda-feira. Resolvi uma série enooooorme de pendências para resolver com o Martin e foi muito gostoso discutir dezenas de prós e contras com ele. Muita coisa já está decidida e encaminhada, o que nos alivia bastante. Por outro lado, novos planos quanto ao meu apartamento aqui, caso eu não consiga vender logo. Expectativas, esperanças, trabalho e trabalho para ficarmos juntos. E tudinho vale a pena.

Escrito a mão pela Marcia às 2:05 AM

setembro 10, 2001

Bonitinho...

Hum, gosto do jeito que ele resolve as coisas... Foi lá e encerrou o assunto que eu tinha criado com meu erro. Depois me procurou dizendo que tudo já era passado. Bonitinho...

Marcia emocionada com os acontecimentos

Escrito a mão pela Marcia às 5:18 PM

*Sigh...*

Ah, estou começando a desgostar de domingos... Sempre fico triste nos domingos... Fiz uma besteira grande ontem e só me dei conta hoje, conversando com o Martin. Ele ficou muito triste, mas não tem como voltar o tempo e apagar o que eu fiz. Foi sem a intenção de magoar, ele sabe disso. Pedi desculpas, mas leva-se um tempo até a desculpa ser processada e o perdão vir de forma leve e sincera. Eu sei. E o erro foi meu mesmo, não percebi o que estava fazendo. Droga... *sigh*
Sou apenas humana...

Escrito a mão pela Marcia às 1:27 AM

setembro 9, 2001

"Cartas já não adiantam mais..."

Hoje li no jornal que vai ter mais um show da Marisa Monte em São Paulo, no parque do Ibirapuera, de graça, no dia 16 de setembro. Memórias, Crônicas e Declarações de Amor. Assisti a esse show duas
vezes: uma no DirecTV Hall e outra no Credicard Hall. Ambos foram maravilhosos, de aplaudir com lágrimas nos olhos, juro.

E então me lembrei de uma música do Roberto Carlos que ela canta maravilhosamente bem, jogando rosas na platéia. Música essa que não poderia descrever melhor o que eu sinto agora. Vamucantá bem alto:

Eu te amo, te amo, te amo
Roberto Carlos - Erasmo Carlos

Tanto tempo longe de você
Quero ao menos lhe falar
A distância não vai impedir
Meu amor de lhe encontrar
Cartas já não adiantam mais
Quero ouvir a sua voz
Vou telefonar dizendo
Que eu estou quase morrendo
De saudade de você
Eu te amo, eu te amo, eu te amo

Eu não sei por quanto tempo eu
Tenho ainda que esperar
Quantas vezes eu até chorei
Pois não pude suportar

Para mim não adianta
Tanta coisa sem você
E então me desespero
Por favor meu bem eu quero
Sem demora lhe falar
Eu te amo, eu te amo, eu te amo

Mas o dia que eu puder lhe encontrar
Eu quero contar o quanto sofri
Por todo esse tempo
Que eu quis lhe falar
Eu te amo, eu te amo, eu te amo

Cartas já não adiantam mais
Quero ouvir a sua voz
Vou telefonar dizendo
Que eu estou quase morrendo
De saudade de você
Eu te amo, eu te amo, eu te amo

Mas o dia que eu puder lhe encontrar
Eu quero contar o quanto sofri
Por todo esse tempo
Que eu quis lhe falar
Eu te amo, eu te amo, eu te amo
Eu te amo, eu te amo, eu te amo

Wowowowowooooow....

Márcia cantando Roberto Carlos em momento brega total

Escrito a mão pela Marcia às 12:05 AM

setembro 8, 2001

Nada como um dia após

Nada como um dia após o outro seguido de um amanhã. É sim. Nenhum homem se banha duas vezes no mesmo rio. O homem será outro, o rio será outro. O que quero dizer com isso? Realmente não sei. Mas é assim mesmo. Se fiquei com raiva, passou. Se tudo parecia nebuloso, o sol voltou. "Cantaaaaar e cantaaaaaar e cantar a alegria de ser um eterno aprendiz, ai meu deus. Eu seeeeei que a vida..." Chega, Márcia. Ô god.

Hoje comprei um tigrinho de tecido para a filha da minha amiga Cristina, que nasceu na terça-feira passada (a filha, não a
Cristina) e o tigrinho éééé a "coisa mais linda, mas cheia de graça, é a..." Pára! Então, o tigrinho tem uma cara supersimpática e não tem nadanadanada que possa ser arrancado, ou seja, os olhos e o nariz são bordados e tudo o resto é de pano. E é a coisa mais fofa! Espero que a Carolina goste! Se ela não gostar eu fico com ele, hehehe. Credo, lógico que ela vai gostar.

Só preciso agora marcar um horário na agenda cheia da menina para visitá-la!

Escrito a mão pela Marcia às 11:15 PM

setembro 7, 2001

Incenso de Eucalipto

Nem com todos os pézinhos de arruda e todos os alhos que plantei aqui... Hoje não foi um dia de paz não... Nem todos os dias são.
Ainda bem que encontrei meus velhos incensos de eucalipto esquecidos no fundo da gaveta do criado-mudo... Acendi e deixei a fraca fumacinha levar embora os pensamentos ruins...

Escrito a mão pela Marcia às 9:46 PM

setembro 6, 2001

Doces lembranças, reais esperanças

É difícil ficar longe do Martin, é sim, pode acreditar. Já passamos por isso antes, já nos desgastamos demais, já sofremos mais do que o necessário até. Mas aprendemos que temos que parar de brigar contra a correnteza e começar a deixar o rio nos levar pelo seu curso... Cada coisa no seu tempo, nada vai se resolver antes do tempo certo.

E o que a gente tem feito para banir a saudade...? A gente tem planejado o próximo definitivo encontro, a cada dia um detalhe
novo, a cada semana um novo plano. E no mais, temos relembrado os bons momentos que passamos lá na casa dele.

Hehehehehe, hoje mesmo a gente tava rindo, lembrando do dia em que eu tentei puxar o edredon para me cobrir e minha mão soltou e *tuuff* acertei em cheio um soco na cabeça dele, hehehehe.... ficamos rindo sem parar por horas, hahahaha... desde então ele dorme de capacete quando estou por perto, hehehehehe....

Mas teve o dia da revanche também. Eu sei que eu costumo me enrolar com todo o cobertor a noite. Teve um dia que ele morreu de frio porque euzinha aqui fiz um casulo com o edredon. Pois bem. Tive a brilhante idéia de falar pra ele "puxar" o edredon de volta caso eu tenha me enrolado a noite, para não ficar com frio. Super gentil da minha parte. Eis que vem a noite e eu fiz meu casulo novamente, ficando quentinha e o pobre do Martin congelando. Daí ele lembrou do que eu havia dito e puxou a ponta do edredon a que havia direito. Mmmfff... nada. Tentou de novo. Mmmmmffff.. nada de novo. E então *puush* ele deu um puxão tão forte que euzinha aqui saí rolando, nem sabia o que estava acontecendo, meus sonhos capotando na cabeça, teto e travesseiro passando pelos meus olhos assustados até encontrar a cara dele rindo... *pow* ganhou outro soco. agora por
querer. humpf... hehehehe.

É bobeira, eu sei... Só a gente acha graça nisso mesmo... hihihihi

Escrito a mão pela Marcia às 11:07 PM

setembro 5, 2001

E um pouquinho de alho também

E ontem fui até o meu apartamento, que está a venda ainda, para dar uma faxina geral, já que fiquei um mês inteiro sem passar por lá nem pra dar uma varridinha. E estava muito empoeirado... Varri, esfreguei, joguei baldes e baldes de água, esfreguei mais, lavei com Veja Limão até tudo ficar limpinho e cheirando limpeza. E junto com a sujeira foi embora também meu apego, minhas inseguranças, meus falsos apoios. Gosto quando estou sozinha limpando e pensamentos paralelos percorrem a mente. Esvaziei o apartamento completamente e esvaziei minha vida de velharias que não prestavam.

Ufff, aaaaaaahhh como é bom ver tudo assim limpinho....

Mas é bom plantar uns alhos aqui também, né..?

Escrito a mão pela Marcia às 4:57 PM

Um pouco de arruda aqui

Ai, ai... Sabe que às vezes fico até com medo de dizer que estou feliz? Agora, com o passar dos meus poucos anos, aprendi e hoje eu conto que estou feliz para poucas, poucas pessoas. Ah não, chega de mau-olhado e inveja pra cima de mim. Posso estar pulando num pé só de tanta alegria, mas se chega uma pessoa do Mal e me pergunta como estou, respondo: "ah, vou indo né? levando a vida.. tá difícil, viu?" e pronto. A pessoa fica satisfeitíssima porque se a minha vida está pior que a dela então está tudo OK.

No mais, tenho amigos que realmente se importam em fazer o Bem. De enviar pensamentos positivos, torcer, aquela coisa boa de ver o sorriso sincero no rosto quando você conta o que aconteceu de bom naquele dia! Tão bom ver esse outro lado!

Em todo caso, vou plantar uns pézinhos de arruda aqui....

Escrito a mão pela Marcia às 4:03 PM

setembro 4, 2001

Um pouco mais pertinho

Uebaa!! A promoção da Intelig 23 foi prorrogada até o dia 09 de Setembro!!! R$ 0,06 o minuto para o EUA, Japão e Inglaterra. Mas antes de saírem correndo para ligar, não esqueçam de que esse valor é sem impostos e as ligações só valem de telefone fixo para outro telefone fixo. Existe um simulador de preços no site da Intelig 23.

Escrevi uma cartinha a eles, agradecendo por essa promoção, hehehe. Ficou mais ou menos assim:

Prezada Intelig,

Essa Promoção DDI por R$0,06 para vocês talvez tenha sido uma estratégia mercadológica ou um planejamento financeiro.

Mas será que vocês têm idéia do que essa promoção causou em nós consumidores? Será que vocês conseguem imaginar quantos corações saudosos vocês aproximaram, quantos pais e filhos, quantos amigos, quantos amantes, quantas pessoas puderam sentir seus corações mais acolhidos?

A saudade, mesmo que implacável, diminui, nem que seja um pouquinho, quando ouvimos a voz do outro lado do telefone. E quem vive essa situação sabe o quanto é doloroso ter que falar apenas por cinco minutos para a ligação não ficar muito cara. E vocês tornaram esse ato num momento onde a conversa pode ser mais comprida, justa para com quem convive com a distância.

Não tenham dúvida de que vocês fizera o BEM, espalharam carinho, amor e muita paz pelas linhas e ondas que geram uma ligação internacional.

Agradeço em nome de todos aqueles que se emocionaram, que sorriram, que amaram, que foram felizes utilizando a Intelig nessa promoção.

A estratégia de marketing de vocês acabou se transformando em algo muito maior e nobre: união.

Muito obrigada

Escrito a mão pela Marcia às 10:33 AM

setembro 3, 2001

Primavera chegando

Pois então. O fim de semana passou inteirinho e eu não scaneei nem uma fotinho sequer para por na web. Ah, preguiça muito grande e aquele computador devagar da minha casa não colabora para que a tarefa seja assim simpática... Mas eu vou fazer isso uma hora ou outra.

Hoje é aniversário do meu irmão Claudinei, que acho que nunca entra aqui. Mas mesmo assim PARABÉNS meu irmão!!!!

E setembro é um mês simpático, eu acho. É quando agosto já passou e quando a primavera está quase encerrando o inverno, mas não sem antes aproveitar o feriado de 7 de Setembro! Muito bom, eu gosto.

A farra da promoção da Intelig acabou mas eu aproveitei bastante! Falei com o Martin sempre que pude (o que não é muito não) e ficamos batendo papo por minutos e minutos... Como seria bom ter isso sempre...

Ontem tivemos conversas muito muito difíceis, mas por fim ele me fez uma surpresa que estou até agora sem entender o que aconteceu. Por enquanto, só seu Jorge e dona Wal é que sabem, hehe.

Escrito a mão pela Marcia às 2:49 PM

setembro 1, 2001

Como é bom o sol do Brasil

Ah, meu primeiro final de semana no Brasil desde que voltei pra cá. E que solão que fez hoje, meu deuso do céu! Aqui em São Paulo fez 32ºC!!! Pelo menos foi o que eu vi no termometro da Av. Paulista enquanto estava indo pra psico. E acho que tava certo porque eu quase derreti!

Mas que coisa boa é o sol do Brasil, viu? Sei que no sertão do Nordeste ele não é tão lindo assim, mas isso é outra longa história. O fato é que temos um país tropical que tem toda uma vida diferente quando o sol aparece. Esse céu azul, esse sol brilhante, essa alegria toda pre-verão só existe aqui mesmo. Muita gente curte mais o frio mas não dá para não sorrir quando o dia amanhece assim tão lindo...

Eu estou muito diferente desde que voltei... Estava sentindo isso mas hoje minha psico comentou também e ela me abraçou muito contente. Deve ser uma coisa boa então, hehehe.

Ah, finalmente terminei o meu livro "Os Delírios de Becky Bloom" e realmente adorei. Olha, fiquei até emocionada com uns trechos, olhos cheios d'água mesmo, sabe? Muita gente pode achar que não tem nada de mais, mas teve um trecho (não é o final, juro) em que ela diz: "(...) e agora? Para onde eu vou? Não tenho para onde ir... Espere. Eu tenho sim para onde ir, um lugar onde sei que sempre posso voltar: a casa dos meus pais." Buaaaaaaaaaaa...

Agora vou começar "Bridget Jones. No Limite da Razão", que é a seqüência do livro "O Diário de Bridget Jones" que eu devorei
em 5 dias e cujo filme ainda não vi mas vou, ah se vou ver. Hehehe...

Escrito a mão pela Marcia às 11:21 PM

« agosto 2001 | Main | outubro 2001 »