« abril 2002 | Main | junho 2002 »

maio 31, 2002

Agradáveis Surpresas

Pifffffiu... acabei de voltar. Deitei na areia da praia, li um pouquinho do livro, fiquei um tempão ouvindo as ondas e olhando pro céu azuuuuul-azul-azul.

Depois cansei e fui dar uma volta no jardim central. Num dos jardins cheios de árvores grandes, vi um esquilinho. Parei para olhar ele fuçando as folhas do chão. Depois sentei no banco bem pertinho dessas árvores. E fui agradavelmente cercada por vários esquilinhos, coisinhas mais lindas! Eles pensaram que eu tinha amendoim para dar para eles e ficaram todos em volta esperando. Alguns ficavam de pezinho, pedindo. Um deles, ousadão, pulou no banco que eu estava e bem devagarzinho cheirou minha mão com aquele focinhozinho geladinho, que coisa doce!!

E como toda boa Lei de Smurf, só porque eu estava sem câmera, os bonitinhos tavam até sapateando na minha frente...

Escrito a mão pela Marcia às 12:38 PM

Sol

Hoje é um dos raros dias de sol sem vento por aqui.
Daqui a pouco estou saindo. Vou passar a manhã tomando sol e lendo Dom Casmurro em algum lugar.
Na minha bolsa tem uma canga, o livro, óculos escuros e celulá.

"I'm not getting down, I'm going to the town!"

Escrito a mão pela Marcia às 8:47 AM

maio 30, 2002

Queijos

Qual o equivalente no Brasil do queijo cottage e do creme fraîche?

Minhas considerações sobre esses queijos:
queijo cottage = uma ricota metida a besta
creme fraîche = um requeijão metido a besta

e todos eles tem um cheiro acentuado de iogurte.

Escrito a mão pela Marcia às 5:30 PM

Prato do Dia - Quinta

Torta de carne. Numa base pronta, coloquei um recheio feito de um bom refogado de carne, brócolis, salsão, cebola e cenoura, tudo em cubinho. Cobri com creme fraîche, polvilhei parmesão e botei no forno para gratinar.

Escrito a mão pela Marcia às 5:28 PM

Contabilidade Final

E não é que conseguimos?!?!

Comemos:
• todas as batatas
• todos os brócolis (3 pés!)
• todo espinafre
• toda rúcula
• toda alface
• todo salsão (e nem sentimos, hehehe)
• toda cebolinha verde
• todos os cogumelos

Sobraram:
• 5 cenouras
• 6 cebolas

Jogamos fora:
• 3 talos de salsão murchos
• 6 flores de brócolis amareladas

A próxima cesta chega na quinta-feira que vem. Mas como estaremos em Leicester até a segunda-feira, teremos apenas dois dias para esperar pelas novas verduras e novos legumes. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:14 PM

Momento Post-It

Lista de coisas que preciso lembrar de trazer do Brasil, quando for visitar meus pais:

• escova de madeira anti-estática
• pente de madeira anti-estática
• exame de audiometria (acho que joguei fora, mas procura-lo-ei)
• pantufa rosa de coelho anti-mau-humor
• Tiger, o tigrão
• Pepe Le Pew, o gambá
• Dolce & Gabbana, o perfume
• Livros, todos os que couberem na mala
• CDs, todos os poucos que tenho
• pasta Osmar de portfólio
• webcam
• secador de cabelos
• fotos de pessoas queridas
• porta-jóias indiano em formato de livro
• 2 quadros p&b comprados em Monte Verde
• 2 Calvin & Hobbes em inglês
• Snorkel, máscara e nadadeiras

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 3:32 PM

Templo em Mim

Que coisa agradável! Agora em minha musicoterapia estou tocando Zélia Duncan.

"...No silêncio uma catedral
Um templo em mim
Onde eu possa ser imortal
Mas vai existir
Eu sei, vai ter que existir
Vai resistir nosso lugar.."

Meus sentidos auditivos mostram apreço.

Doações dos CDs dela estão sendo amplamente aceitas aqui! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:50 PM

Tratamento

Estou tentando pôr em prática algumas ações para minimizar meu tinnitus, que li no fórum.

A principal é tentar relaxar ao invés de brigar com o zumbido. Meditação ajuda bastante, mas a longo prazo. Estou procurando uma academia de Yôga por aqui para me ajudar a relaxar e meditar.

É importante também não ficar exposta a barulhos excessivos. Agora uso o aspirador Dyson com protetores auditivos da
3M, que diminuem o ruído em até 29dB. E também desligamos o exaustor da suíte, porque ele fica bem em cima da ducha e quando fechamos a porta de vidro do box aquilo faz um barulho ressoando no vidro que é insuportável para mim. O banho hoje de manhã foi um alívio sem aquela barulheira. Martin vai trocar o exaustor. A saída vai continuar no mesmo lugar, mas o motor vai mudar lááá para longe, por dentro do sótão.

E outra medida é nunca deixar a casa em completo silêncio, sempre ter um som de fundo, para distrair meu pobre cérebro. O mais aconselhável é tocar CDs com som de natureza como cascatas, passarinhos, ondas do mar ou então um CD de música de sua preferência, mas tocando baixo. Como não tenho nenhum CD de natureza, estou tocando "Bob Dylan Tribute - 30th Anniversary Celebration". Um verdadeiro bálsamo! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:30 AM

Eletroestática

Como estamos na onda orgânica, comprei um condicionador da Herbal com óleo de gérmem de trigo, tomilho e vitamina E.
Uma coisa que me irrita aqui é essa estática no cabelo, me irrita! Não posso nem passar a mão no cabelo, que todos eles ficam em 90º e assim permanecem. Um incômodo. E se estou usando blusa de lã então, todos os fios resolvem grudar no meu rosto, daí eu tento tirar com a mão e 500 deles ficam em pé. AAAAARRGGGHH!!!

Márcia enfesada com seus bad hair days

Escrito a mão pela Marcia às 8:39 AM

Marcas

Ontem fomos ao supermercado ASDA e fiquei reparando em um monte de marcas que tem nomes diferentes das do Brasil.

Sorvete Kibon = Walls Ice Cream
Desodorante Rexona = Sure Deodorant
Cera Depilatória Veet = Immac Wax
Cereal Sucrilhos (É Demais!) = Frosties Cereal (It's Grrr-reat!)
Shampoo Elseve = Elvive Shampoo
Pato Purific = Duck Active

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:32 AM

maio 29, 2002

Distúrbio

Há mais ou menos dois anos, convivo com um distúrbio conhecido como zumbido no ouvido ou tinnitus.

É como se tivesse uma cigarra em cada ouvido, aquele apito agudo, intermitente, 24 horas por dia. Há tempos não sei o que é silêncio total, o zumbido é alto.

Meu primeiro e único diagnóstico foi feito no Hospital Edmundo Vasconcelos, ex-Gastroclínica. O médico otorrino que me atendeu fez os exames de Audiometria e Bera. Foi constatada uma perda auditiva de 20% no ouvido direito, mas meu nervo auditivo não apresenta problemas. Nenhum tratamento foi prescrito. Quanto ao ruído, o conselho que recebi do médico foi: "Você deve aprender a viver com isso. Não há cura".

Nunca mais fiz qualquer exame. Nunca gostei, na realidade, de tocar neste assunto. Por muito tempo tentei pesquisar o assunto no Brasil, mas existem pouquíssimas informações. Mas desde que cheguei à Inglaterra, me incomodo com o fato de não entender as pessoas falando comigo em inglês. É claro que inglês britânico não é lá muito simples de entender, mas sinto que grande parte é porque não consigo ouvir direito, o ruído é sempre mais alto que qualquer voz.

E então comecei a pesquisar sobre o assunto novamente, em sites britânicos e americanos.

Descobri que na verdade, o problema não tem cura mesmo, os médicos sequer têm idéia de onde se encontra o ruído-fantasma. É quase certo que o zumbido no ouvido não é uma doença e sim um sintoma. Pode ter começado por inúmeras razões. O principal fato é que houve uma perda na minha audição e os neurônios cerebrais tiveram que fazer uma reorganização. Algo na sinapse de alguns neurônios está incorreta e por isso o cérebro "ouve" o zumbido. Não há como corrigir isso.

Porém há tratamentos e terapias para minimizar o distúrbio. Formas de fazer o cérebro desviar a atenção do ruído. E não basta boa vontade, é preciso fazer exercícios de relaxamento e audição de outros ruídos até conseguir fazer o cérebro desviar. Não é fácil, mas é possível. O mais complicado é encontrar um profissional que entenda muito bem desse distúrbio, principalmente quando acomete jovens, cujo tratamento deve ser completamente diferente já que as células respondem mais rápido. E estou a procura de um médico desses.

O que mais me assustou enquanto fazia as pesquisas foi ter encontrado diversas vezes, em diversos lugares diferentes, a frase: "Se o seu médico otorrino lhe disse alguma vez 'você deve aprender a viver com isso, não há o que fazer', não acredite. Há muito o que ser feito, há diversas formas de minimizar seu sofrimento antes de se conformar". Fiquei pensando se em algum livro de medicina deve estar escrito: "se seu paciente apresentar tinnitus, diga a ele: ''você deve aprender a viver com isso, não há o que fazer' e mande-o para casa". Porque é muita coincidência. É tão errado dar falsas esperanças tanto quanto é errado erradicar qualquer esperança.

O que aquele médico otorrino não entendeu é que quero ao menos tentar melhorar, não conviver a contra-gosto com o distúrbio.

Enfim, estou apenas no começo desse caminho agora.

Apesar da minha repugnância aos aparelhos auditivos, Martin procurou e encontrou no website da Siemens que existe um aparelho que trata da perda auditiva ao mesmo tempo que controla o zumbido. Mas não temos idéia de como adquiri-lo pelo preço altíssimo. Há outras opções, continuo pesquisando até encontrar o médico que possa realmente prescrever um que me ajude.

Não é facil escrever aqui sobre isso. Mas sinto que precisava admitir para mim mesma que preciso cuidar deste distúrbio.

Agora faço parte de um fórum, com pessoas com o mesmo problema e isso também está ajudando bastante. São os primeiros passos de um longo caminho, que pode chegar a lugar nenhum. Mas já vale pela intenção dos passos.

Escrito a mão pela Marcia às 11:26 AM

maio 28, 2002

Feriadão à Vista

Teremos sábado, domingo, segunda e terça de feriadão.
O motivo? Jubilei de Ouro da Sua Majestade, a Queen.
Todo o país tem programação de espetáculos, Londres vai estar intransitável. Acho que vamos fugir mesmo para Leicester e ficaremos por lá os quatro dias. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 3:47 PM

Televisão

Quando falo de DVD aqui parece a coisa mais chique e metida do mundo, nénão? Pfff... A verdade é que ainda não temos TV. Pode uma coisa dessas? Sem TV? Mas é assim mesmo. O cabo da antena da TV está no micro e um software amigo faz o resto do serviço. A gente assiste TV pelo monitor. A imagem é ótima, não reclamo. Sinto falta de uma TV de verdade, daquelas com controle remoto e tudo. Vídeocassete nós temos, mas a imagem fica terrível no computador. Por isso o DVD. Mas o que mais incomoda é quando um quer assistir algo na TV e o outro quer acessar a Internet. Par-ou-ímpar.

Escrito a mão pela Marcia às 9:39 AM

Chuva e mais chuva

Como chove nesta terra.
Todos os dias. E hoje tem vento forte também.
Não vou sair nem para pôr o lixo pra fora nem para checar a caixa do correio. Quero sair não.
Ah, fomos na Blockbuster ontem devolver os filmes.
Ficarei ilhada aqui hoje, enquanto a tempestade se descabela lá fora.

Escrito a mão pela Marcia às 9:32 AM

maio 27, 2002

Meu Orgulho

Martin está aprendendo português comigo. Este é um e-mail que ele me mandou hoje à tarde, em resposta ao meu e-mail perguntando se os DVDs devem ser devolvidos hoje ou amanhã, porque está chovendo sem parar aqui:

"muito chuva aqui tambem, porcaria!!!
sim meu amor, voce pode vai blockbuster amanha.
ate logo,
te amo,
seu marido."

Não é uma graça? Não sou uma ótima professora? :o)

Escrito a mão pela Marcia às 4:09 PM

Livros

Terminei de ler Quincas Borbas. Mesmo em inglês, o estilo do Machado é imutável. Adorei voltar a ler autores brasileiros!

Hoje começo a ler pela segunda vez Dom Casmurro, também em inglês. A primeira vez que li foi há dez anos atrás.
Cabalístico, não? :o)

Escrito a mão pela Marcia às 3:07 PM

Aniversário!

Martin e eu completamos hoje um mês de casados! Como o tempo passa rápido! :o)

Márcia comemorando com Martin um mês do dia do "I Do"

Escrito a mão pela Marcia às 2:01 PM

Filmes

Assistimos a dois muito bons filmes:

Memento e Snatch

E um mais ou menos:

Capitão Corelli's Mandolin

...

Memento é maravilhoso e foi uma idéia genial mostrar o filme de trás para frente porque é a melhor forma de se sentir como o personagem, que tem falha na memória para acontecimentos recentes. Assim que o filme acaba você sente vontade de ver de novo.

Snatch é uma comédia deliciosa, apesar de um pouco violenta. Mas você acaba entrando na dança hilária dos personagens e acaba rindo quando eles matam alguém. Muito divertido, Brad Pitt está excelente! E Mr.M me esclareceu que a linguagem quase indecifrável que ele fala no filme é dos irlandeses. :o)


Capitão Corelli's Mandolin fala de guerra e amor, tudo meio exagerado e impossível até. Só vale a pena por causa do Nicholas Cage com sotaque italiano, valha-me-God!!

Escrito a mão pela Marcia às 1:53 PM

maio 26, 2002

Compton Acres 2

Entre os belíssimos jardins há uma agradável surpresa: um santuário de cervos, que abriga alguns filhotes. É possível ver eles bem pertinho, sem grade de proteção, nem nada, eles estão soltos pelo parque. Às 15h30 é o horário de alimentação deles. O funcionário traz um balde cheio de verduras e legumes e alguns visitantes podem oferecer ao animais. Alguns cervos vêm comer na mão, outros ficam distantes, amedrontados. Foi a primeira vez que vi um cervo ao vivo, solto. Tiramos as fotos sem flash e usando o zoom digital, para não assustá-los. Por isso as imagens não estão tão boas. Mas valeu a pena! Os filhotes são uns doces!

DSCN1114.JPGDSCN1121.JPG
Escrito a mão pela Marcia às 10:54 AM

Compton Acres

Compton Acres fica em Poole. É a realização de um excêntrico sonho de um inglês
que quis reproduzir os mais belos jardins do mundo. São várias seções com características romanas, escocesas, indianas,
egípcias, espanholas, italianas, canadenses, japonesas e inglesas.

DSCN1089.JPG

DSCN1090.JPG

DSCN1125.JPG
Escrito a mão pela Marcia às 10:41 AM | mais em On the Road Again

maio 25, 2002

Compton Acres

Fizemos um passeio lindíssimo hoje à tarde. Assim que meu corpo cansado deixar, vou publicar as fotos.

Escrito a mão pela Marcia às 6:40 PM | mais em On the Road Again

Contabilizando

Usamos a totalidade do espinafre (viva!), metade dos brócolis (mas só sobraram os não-orgânicos) e metade dos tomatinhos. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:38 PM

Português-Inglês

Fiquei passada com essa do almond! Como pude esquecer?

Eu me recuso a perder meu português.

Mas não sei o que acontece com meu pobre neurônio filho único. Estou confundindo e misturando muita coisa.

Dia desses tive que ligar para a MasterCard para cancelar um cartão e tive que falar em português. E duas vezes dei uma bela escorregada. A primeira foi quando eu não tinha entendido o que a moça estava falando e ao invés de perguntar tão facilmente "como?" ou então "o que?" ou até mesmo "oi?", eu perguntei "Sorry, pode repetir?". E para confirmar uns dados, ao invés de falar "acho que sim" falei "I think sim". GAAAAAAHHH! "I think sim"??? Alguém me interne urgente!

E se meu inglês melhorasse na mesma proporção tava bom. Mas não. Ultimamente não consiiiiiiiigo falar kitchen (cozinha). Só sai chicken (galinha)! Eu vivo dizendo que preciso arrumar a galinha, que vou comprar coisas para limpar a galinha, que vou na galinha pegar um copo d'água. Assim não dá. Não dá. Preciso pagar hora extra pro neurônio. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:25 PM | mais em An ordinary life

Prato do Dia - Sábado

Hoje começa nossos dias de weekend food. Mas no almoço teve repeteco da sexta-feira, porque havia sobrado meia torta. Cozinhei mais brócolis e juntei-os com uma saladinha de tomates-cereja. :o)

Para o jantar, porém, Mr.M está agorinha mesmo na cozinha pilotando um prato indiano que eu adoro: Madras com amêndoas -- socorro! tive que procurar no dicionário a tradução para o português de almonds (amêndoas), porque na minha cabeça só vinha almôndegas, aaargh! -- que é um prato feito com frango ao molho de várias especiarias como gengibre, massala, cumin, cravos, pimenta caiene e outras sementinhas, além do creme de leite fresco. Uma delícia!

Escrito a mão pela Marcia às 6:17 PM

Prato do Dia - Sexta-feira

Comprei uma base para tortas no supermercado e preparei uma quiche com frango desfiado refogado com espinafre e salsão. Adicionei um pote de queijo cottage, cobri com parmesão ralado e deixei no forno até dourar. À parte, cozinhei os brócolis orgânicos. Tããão tenros, tão macios, realmente percebi a diferença.

Escrito a mão pela Marcia às 6:09 PM

maio 24, 2002

Welcome

Ontem durante minha longa caminhada, encontrei uma loja de artesanatos com coisinhas bem lindas. Não resiti à uma plaquinha
de espetar no vaso, que diz: "Home is where the Heart is". Agora ela enfeita nosso Ficus, que fica na sala de estar. Amei. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 2:22 PM

maio 23, 2002

Andança

À tarde, como eu estava toda xororô, resolvi dar uma volta a pé por aqui. Acabei andando pra frente, pra frente, pra frente por mais de uma hora! Creeeeeeeeedo, ai minhas pernas. A perdição foi que dei de cara com um supermercado Waitrose e comprei um monte de sobremesas, já que estamos podendo agora. E resolvi voltar tudo a pé. Mais uma hora andando. Ufa...

Pelo menos comemos pudim de leite com caramelo de sobremesa. Viva! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:22 PM

Contabilizando

Já usamos 1/3 das cenouras, metade das batatas, um talo de salsão, um bocado de cebolinhas verdes, um punhado de espinafre e todos os cogumelos. Estamos indo bem! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:14 PM

Reciclando

Pobre que é pobre num dia come picadinho e no dia seguinte faz sopa. Foi o que fizemos. Coloquei umas folhinhas de espinafre, tava ótima!

Melhor do que falar que aproveitamos as sobras, preferimos dizer que reciclamos os alimentos. Chiquérrimo.

Ah sim, como a sopa era bem pouca, fiz também um risoto de cogumelos que ficou divino. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:09 PM

Muitas lágrimas

E besta do jeito que sou, chorei lendo os e-mails que meus amigos mandaram dizendo que me adoram e também da surpresa da Natalia me ligando aqui, que até perdi a voz quando atendi!

Adoro todos vocês também. :o)

O que eu quis dizer anteriormente sobre o distanciamento é que na verdade, na real das situações, estamos mesmo separados fisicamente. E eu sinto muita falta de conversar, olhar nos olhos, ouvir a voz, gargalhar juntos. Esses momentos insubstituíveis com vocês me traz saudades. E eu também sei que a vida é difícil e que precisamos trabalhar, cuidar dos assuntos do dia-a-dia e nem sempre é possível manter tanto contato quanto antes, compreendo isso tudo. E acho tudo normal, natural até. Assim é a vida.

Mas saibam que nem por isso nossa amizade é menor ou mais fraca. Muito pelo contrário. A cada dia percebo a imensidão sem limites dessa nossa amizade.

Assim é a vida. E por isso gosto dela. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 7:53 PM

Companhia

Mas na verdade, o que eu realmente acho que sinto falta nem é de um animal de estimação. Mas de companhia. Meus amigos da escola de inglês já voltaram todos para seus respectivos países. É uma amizade válida, claro, mas eles foram todos embora. Ari e Trevor estão para mudar de país no mês que vem. Amigos do Brasil estão sempre dentro do meu coração mas o dia-a-dia acaba nos distanciando mesmo, é a realidade. Os e-mails ficam escassos e telefonemas quase inexistentes.

Curiosamente, meus amigos que estão morando fora do Brasil estão sempre em contato, talvez por sentir na pele a falta que os amigos fazem em um país onde somos estrangeiros. E os amigos blogueiros também têm sido essenciais, pessoas que me conhecem através das minhas palavras e mostram-se extremamente abertos para esta nova amizade crescer.

De qualquer forma, preciso aumentar minhas amizades aqui...

Escrito a mão pela Marcia às 10:11 AM

Um Gato

Há muito tempo estávamos pensando em nos colocar em adoção para felinos que estejam interessados. Na verdade, a vontade de ter um animalzinho aqui em casa é mais minha do que do Martin. E por meses ficamos pensando em todas as hipóteses prós e contras. Um gato seria mais apropriado já que moramos em apartamento e os gatos são mais fáceis de ensinar a fazer cocô na caixinha.

Na vizinhança há muitos gatos e todos os dias eu assisto eles se espreguiçando ou tomando sol na grama. Mas ao contrário do Brasil, aqui ninguém gosta que estranhos mexam com seus animais ou crianças. Algo muito particular, da cultura deles, então respeito.

E infelizmente decidimos por não termos um gato por enquanto. Principalmente por causa das viagens que seremos submetidos, que podem durar mais de seis meses. E muitos países não permitem a entrada de animais, para evitar a proliferação de doenças. Então, não seria justo adotar um animalzinho e deixá-lo logo em seguida. É melhor não termos de uma vez.

É uma pena, mas é mais racional e responsável assim.

Escrito a mão pela Marcia às 9:58 AM

Para alegrar minha vida

Ontem recebi uma caixona enviada por minha mãe. Que delícia, um monte de coisinhas.

Entre elas meus novíssimos Tupperwares, que havia comprado para usar no apartamento de São Paulo, MUITOS bombons Sonhos de Valsa, muitos BIS, um Salame Italiano Sadia -- que eu amo de paixão --, dois pacotes de paninhos Perfex e um pano de prato todo decoradinho e pintado à mão. Amei tudo!

Que coisa boa, nada melhor para me deixar de ótimo astral!

Escrito a mão pela Marcia às 9:11 AM

maio 22, 2002

A Sopa da Giorgia

A Giorgia postou no blog dela uma receitinha de Sopa de Cenoura e
Batata
, especialmente para mim. Não é uma coisa doce essa moça? Adorei, superfácil e parece uma delícia! Eis o modo de fazer:

"Refogar 3 cebolas (pedaços grandes) e 4 dentes de alho.
Juntar 3 batatas e 3 cenouras (também em pedaços grandes).
Água até quase cobrir.
Fechar a panela de pressão.
Quando der pressão, cozinhar por mais 8-10 minutinhos.
Colocar sal.
Passar no liqüidificador (ou varinha mágica, mixer, qualquer coisa).
Depois, juntar o agrião e cozinhar mais um pouco."

Obrigada Giorgia! Foi supergentil, amei demais!! :o)

** E agorinha mesmo a Marie deixou umas dicas valiosas de como disfarçar os legumes, obrigada também, Marie, achei super engraçado! Hehehehe **

Escrito a mão pela Marcia às 5:36 PM

Ainda no Verde

Já mostrei as minhas ervinhas? Acho que não, né? Plantei-as desde a sementinha. E já colhi várias folhas muitas vezes e elas continuam crescendo e ficando mais cheias. A erva da esquerda é cheiro-verde (parsley) e a da direita é o manjericão (basil). :o)

Herbs.JPG
Escrito a mão pela Marcia às 3:46 PM

Muita Calma Nesta Hora

Muita calma. Preciso ter muita calma. Apesar da tentação de querer preparar todos os legumes de uma só vez, preciso ir devagar. Se hoje no jantar tiver três tipos de salada e seis de legumes no vapor, o Mr.M vai ter faniquitos e choramingar que não gosta. Calma. Hoje é picadinho com carne (aleluia!), cenoura e batata e uma saladinha. Só. Amanhã faço mais alguma coisinha com os legumes restantes. E assim por diante. Temos 15 dias até a próxima entrega. God do céu, tenho três brócolis aqui e 2.345 cenouras! Mas tudo bem, vamos devagar e sempre. Aos poucos. Muita calma. :o)

Quem tiver receitas, dicas de conservação e métodos para secar folhas sem perder a paciência me manda, plis! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:50 AM

Cesta de Delícias!

Antes de sair do trabalho ontem, o Martin me ligou perguntando se os legumes já haviam chegado. Como ele viu que eu estava jururu porque não havia nenhum sinal das leguminosas, ele passou no Sainsbury's e comprou cenoura, cebola, brócolis, alho, tomates-cereja, salada em pacote, além de vinho, chocolate e flores! Um lindo, amo-o. Super sensível da parte dele. :o)

Porém... lá pelas nove e meia da noite o telefone toca. Era o distribuidor da fazenda que estava na porta do apartamento. Oh
God! Corri lá pra fora, recebi nossa cesta, paguei e ainda bati um papinho com o moço, de nome Mark, que já morou no Japão e estava perguntando se eu era de lá, hehehehe. Falei que era brasileira e rimos, porque ele sabe falar japonês e eu não.

Depois ele me explicou o que aconteceu. Meu pedido não havia sido processado no domingo, só na segunda. E a entrega ficou marcada para a outra semana. Mas como eu havia recebido um e-mail confirmando a entrega para ontem, a fazenda entrou em contato com ele, que foi buscar outra caixa e só conseguiu entregar naquele horário. Fiquei muito satisfeita com esse cuidado, com a atenção e o esforço deles.

Levei a cesta andares acima e ficamos abrindo os pacotes como se fossem presentes de Natal. Uma delícia. Vieram cenouras (oh no!), batatas, espinafre, rúcula, brócolis (oh no!), alface, cebolinha verde, cogumelos e o temido salsão. Martin foi dormir e eu fiquei na cozinha brincando. Seguindo as instruções da Fer, despetalei todas
as verduras, lavei folha por folha, botei de molho na água com vinagre, depois sequei todas elas e coloquei em sacos plásticos com fecho hermético -- freezer bag --, tirei todo o ar possível e guardei na geladeira. Já eram mais de onze da noite.

Fui pra cama e ainda li todos os folhetinhos que vieram na caixa, contando a história da fazenda, o método de cultivo, os prêmios e tals. Depois dormi. :o)

** Fiquei impressionada com o tamanho do espinafre! Enorme, parece uma couve! Nada como deixar os alimentos crescerem sem agrotóxicos... **

Escrito a mão pela Marcia às 8:09 AM

maio 21, 2002

Frustrada

Aqui já são mais de seis da tarde e a nossa cesta de legumes ainda não chegou. Nem culpo eles, afinal fiz o pedido bem em cima da hora, no domingo. Talvez só na semana que vem mesmo... *sigh*

Escrito a mão pela Marcia às 6:07 PM

Previsão do tempo

Para esta semana a previsão do tempo aqui é:

Terça: chuva
Quarta: chuva
Quinta: chuva
Sexta: chuva e vento
Sábado: chuva

Escrito a mão pela Marcia às 2:08 PM

Tá Vivo!?!

E num é que meus amigos Cristina e Walter, cinéfilos que são, pesquisaram e me informaram que o moço do Profissão Perigo, o MacGyver -- é esse o nome correto do personagem, o ator chama-se Richard Dean Anderson -- está vivinho da Silva?!?!? Que coisa! Descupaí, viu? Não sei de onde minha cabeça tira tais conclusões, devo sonhar, não é possível. Vivo matando o povo tsc, tsc...

Estou muito abalada com a não-morte desses artistas.

Escrito a mão pela Marcia às 8:29 AM

maio 20, 2002

Boas Notícias!

Acabamos de receber um e-mail do Rob -- nosso amigo e padrinho de casamento -- contando ao uncle Martin e à auntie Márcia que um bebê está a caminho! Louise está grávida de 3 meses, que notícia boa! Ela já estava grávida quando veio ao nosso casamento! Ficamos muito felizes por eles. Eles agora vão poder curtir um(a) ompanheirinho(a), que vai ser lindo, certamente. Todas as coisas boas acontecendo para eles ao mesmo tempo, que delícia!

Seja bem-vindo, bebê! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 4:51 PM

Num Morreu?!?

Sei lá porquê, na minha cabeça o cantor Paul Young tinha morrido. E já faz tempo que eu pensava isso. O moço que cantava "...Everytime you go away, you take a piece of me with you". Até que eu gostava dele na minha adolescência. Ganhamos um CD de brinde do jornal e tinha uma música dele. E eu falei pro Martin: "Ele morreu, num morreu? Pena". E o Martin: "Não, não morreu não". E eu, "Morreu sim, ele morreu, tenho certeza". E o Martin me mostrou no encarte do CD. "Olha aqui: gravado em Feb/2000, ele não morreu". E eu não me conformei e também estava com preguiça de procurar nas intirnetis.

E para o meu estarrecimento, lá no centro de eventos vimos um cartaz enorme dizendo: PAUL YOUNG - ÚNICA APRESENTAÇÃO EM JUNHO - INGRESSOS À VENDA. E rimos até dar dor de barriga. Eu jurava que ele tinha morrido, agora o moço vai fazer um show na nossa cidade! É coisa do demo, vou ver não. Hehehehehehe

Voltamos para casa e assistimos um dos nossos programas favoritos, Ray Mears, sobre sobrevivência em lugares inóspitos. E comentando um dos truques do expert em sobrevivência, falei: "Nossa, mas esse cara é um McGiver!!". E o Martin: "Eu adorava assistir McGiver". Depois de pensar por uns dois minutos, tomei coragem e perguntei: "Ele morreu, num morreu?" Pelo menos esse eu tenho mais certeza!!! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 2:47 PM

Mudanças Nutricionais em Nossa Casa

Precisamos nos desintoxicar de tantas besteiras que sempre comemos no final de semana. Durante a semana até que tentamos fazer algo um pouco mais saudável, nutritivo. Mas no final de semana é uma perdição. Só porcaria, ou o que o Martin chama de weekend food. Pratos fáceis de fazer, cheios de caloria e sabor. Eita.

Há tempos já queria mudar isso. Comer carne vermelha aqui é uma raridade, já que é caríssimo, um escândalo. Um mísero bife de
80g por £4 -- cerca de R$ 13 -- é para riscar do cardápio mesmo. Tenho muita pena dos carneiros -- das ovelhas nem tanto --,
então quase nunca compro. Comemos muito frango, peru e peixe, apesar de eu só gostar de peixe em forma de sashimi, mas faço um esforço.

Martin é uma peste para comer salada. Então compramos sempre aqueles pacotes de salada já esterelizada, com folhas bem novinhas -- de espinafre, de alface roxa, de folha de beterraba, de rúcula italiana -- que são mais macias e pouco amargas. Assim, comemos tudinho, sem jogar nenhuma folhinha fora. O problema, como sempre, é o preço salgado dessa conveniência toda. Não dá para comprar toda hora, geralmente compramos uma vez a cada duas semanas.

E legumes são resumidos em batata, pimentões e remotamente algumas cenouras ou um brócoli. Quando muito. E não dá para ser assim, não é? Eu estou sentindo muita falta de comer legumes e saladas em fartura. Na casa dos meus pais, nunca vi faltar salada nas refeições e frutas na sobremesa. E sinto muita falta dos vegetais mais do que da carne vermelha, apesar de nunca imaginar que isso seria possível um dia.

Dia desses, recebemos a revista dos comércios da região e descobri uma fazenda que faz entrega a domicílio de produtos orgânicos. É a Riverford Farm. Acessei o website deles e me informei sobre o esquema das caixas de produtos orgânicos. Esse esquema é muito comum na Inglaterra: você escolhe o tamanho da caixa (pequena, média ou grande) e a periodicidade que você quer recebê-las (semanal ou quinzenal). E então, eles passam a entregar produtos fresquinhos na sua casa. Troquei alguns e-mails com Joanne, uma das proprietárias da
fazenda, me informei sobre as quantidades e as variedades de legumes e vegetais. Toda a semana as caixas mudam de conteúdo, aproveitando o melhor da colheita da fazenda. Caso eu ainda tenha legumes, posso pedir para interromper a entrega.

Achei uma ótima idéia consumir produtos orgânicos da fazenda, por um preço bem inferior aos supermercados. Mas foi um custo convencer o Martin. Ele acha que vai vir legumes demais e que vamos desperdiçar muito alimento. E a pergunta preocupante dele: "E se vier salsão?!?" Tudo bem, ponderei, realmente a quantidade pode ser grande. A caixa pequena vem oito variedades, incluindo legumes e verduras. Mas para durar quinze dias, talvez não seja tanto. E a gente sempre pode dividir com alguém, se realmente for muito. A Joanne sugeriu que a gente tentasse a primeira caixa, sem o
compromisso de receber periodicamente. Se acharmos que é muito, não continuamos. Assim ficamos mais tranqüilos e decidimos tentar. Amanhã deverá chegar a nossa caixa. Não tenho certeza, porque estava no prazo limite para fazer o pedido desta semana.

E nesta semana o conteúdo da caixa é: cebolas, cenouras, batatas, brócolis, alface, espinafre, cebolinha verde e... salsão! Hehehehehehe

No decorrer da semana conto como está sendo a nossa nova dieta. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:54 PM

Prato do dia - Segunda

Almoço e Jantar: Jejum e água :-(

Escrito a mão pela Marcia às 12:22 PM

Prato do dia- Domingo

Almoço: Hot-dog com mostarda, cat-chup e relish de cebola
Jantar: Noodles (sugeri ao Martin adicionar uma gema de ovo no Miojo e o avestruz disse que eu mudei a vida dele)

Somos basicamente amantes de junk-food. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:16 PM

Prato do dia - Sábado

Almoço: Arroz, feijão, salada e polenta assada
Jantar: Pizza de Muzzarella e Cogumelos

Somos praticamente vegetarianos.:o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:13 PM

Passeios pela Cidade II

Depois da visita ao Oceanarium, fomos andar na areia da praia. Às vezes me esqueço que moramos perto da praia. É tão relaxante ver o mar. Logo chegam as férias e esta praia fica pior do que Copacabana de tão lotada, mesmo com vento frio e céu nublado. Mas ontem estava vazia, com conchinhas na areia, pequenas ondas quebrando. Andamos um bom tempo e depois subimos a encosta através desta sinuosa passagem. É muito bonita a vista lá de cima da encosta, uma imensidão!

Visitamos o centro de eventos e catamos vários folhetos com idéias para novos passeios. Estamos fazendo uma lista de lugares
que podemos visitar e peças de teatro para assistir. Assim podemos conhecer melhor o lugar que habitamos. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:42 AM

Passeios pela Cidade

A gente mora aqui já faz cinco meses e ainda parecemos turistas. Não conhecemos quase nada da região. Finais de semana sempre são um desafio, nunca sabemos onde ir, o que fazer. Como melhorei da gripe, aproveitamos para caminhar ao ar livre, respirar ar puro. Andamos na orla e entramos no Oceanarium, que foi muito bom, muito interessante. Tinha amostras da Amazônia, com piranhas, peixes-gato, entre outros muito grandes e lindos. Vimos também espécies do Rio Nilo, da Índia, do Havaí e corais maravilhosos da Austrália.

Numa grande janela de vidro convexo não havia ninguém. Aparentemente, só havia algas. Ficamos observando por uns minutos e eis que nossos olhos conseguiram distinguir os mais impressionantes cavalos-marinhos camuflados entre as algas e corais, lindo lindos! Nos impressionamos também com uma espécie de peixe que vive em profundidades absurdas e em temperaturas congelantes e que só é visto com aquela luz roxa. Só dá pra ver essa faixa branca debaixo do olho dele, mais nada. Muito exótico.

Vimos também moréias enormes, tubarões, raias e tartarugas marinhas. Todos eles vivendo num tanque enorme que dá para ser visto por cima, onde tem uma pequena praia para as tartarugas repousarem, ou então, por baixo através do túnel de vidro. Uma sensasão deliciosa estar entre eles, assistir a dança sem pressa das raias, o elegante nado dos tubarões e a desengonçada manobra das tartarugas.

Como ontem estava chuviscando, vesti meu casaco vermelho. Não sei porque razão -- talvez o mergulhador que alimenta os animais usa uma roupa vermelha -- mas a grande maioria dos peixes vinha em minha direção! Estava até engraçado, quando não constrangedor, hehehehehe. Foi bom porque vimos em detalhe todos mais lindos animais! Adorei as tartarugas marinhas, fiquei morrendo de vontade de ir para a Praia do Forte, na Bahia, visitar o Projeto Tamar.

Apesar de já termos visitado o London Aquarium, gostamos muito do Oceanarium daqui de Bournemouth. É diferente, apesar de menor, muito diversificado e interessante. Adoramos.

Escrito a mão pela Marcia às 8:20 AM

maio 19, 2002

Enfim

Finalmente a febre me deixou.
Este apartamento está um caos.
Lá vou eu.

Escrito a mão pela Marcia às 11:06 AM

maio 16, 2002

"...and they lived happly ever after"

21 Haven Kiss2.jpg
"Love is the answer and you know that, for sure" - John Lennon

As fotos oficiais do nosso casamento. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:08 PM

Por Amor


"Gosto de ver você dormir
Que nem criança com a boca aberta
O telefone chega sexta-feira
Aperta o passo, por causa da garoa

Me empresta um par de meias
A gente chega na sessão das dez
Hoje eu acordo ao meio-dia
Amanhã é sua vez

Vem cá meu bem, que é bom lhe ver
O mundo anda tão complicado
Que hoje eu quero fazer tudo por você

Temos que consertar o despertador
E separar todas as ferramentas
Porque a mudança grande chegou
Com o fogão e a geladeira e a televisão

Não precisamos dormir no chão
Até que é bom, mas a cama chegou na terça
E na quinta chegou o som.

Sempre faço mil coisas ao mesmo tempo
E até que é fácil acostumar-se com meu jeito
Agora que temos nossa casa
É a chave o que sempre esqueço.

Vamos chamar nossos amigos
A gente faz uma feijoada
Esquece um pouco do trabalho
E fica de bate-papo.
Temos a semana inteira pela frente
Você me conta como foi seu dia
E a gente diz um pro outro:
" - Estou com sono, vamos dormir..."

Vem cá meu bem, que é bom lhe ver
O mundo anda tão complicado
Que hoje eu quero fazer tudo por você.

Quero ouvir uma canção de amor
Que fale da minha situação
De quem deixou a segurança do seu mundo
Por amor

Por amor..."

Márcia cantando bem alto o hino dos recém-casados

Escrito a mão pela Marcia às 5:07 PM

Sacolas pela Vida

Algo em comum nesses supermercados -- que achei uma excelente idéia -- são as sacolas pela vida. São sacolas de plástico bem fortes, com alças largas, que você paga apenas uma vez. Usa para carregar suas compras dentro delas toda vez que for ao supermercado. Quando elas ficarem velhinhas, você pede para o caixa dar outra nova, sem custo nenhum. Isso evita o desperdício de sacolas comuns e protege o meio-ambiente contra a poluição desenfreada de lixo plástico, que demora centenas de anos para ser degradado.

Escrito a mão pela Marcia às 4:31 PM

Supermercados

Só vou até o supermercado, porque a situação aqui está pela hora da morte. Ontem tínhamos os seguintes ingredientes para fazer um jantar: meio pacote de macarrão, uma cebola, um pimentão e manjericão. Mais nada. Martin refogou a cebola e o pimentão, juntou o manjericão e jogou a mistura no macarrão cozido. E comemos. Hoje nem isso temos. Não temos arroz, nem vegetais, nem legumes, nem carnes, nem pasta, nem pão, nem nadinha. Na geladeira tem um catchup, uma mostarda, um chutney de manga e um de tomates verdes. Na dispensa tem guardanapos e papel-toalha, o que prova que apesar de pobres, nós somos limpinhos! :o)

Fazemos sempre nossas compras no Asda, que é um supermercado bem grande, porém com preços mais em conta. Lá podemos encontrar tudo o que precisamos para o dia-a-dia, mas se quisermos algo mais sofisticado, nem adianta procurar lá. É equivalente ao Extra, em São Paulo. O supermercado mais popular é o Tesco, grandes lojas, marcas próprias e barato também. É como o Carrefour, mas não tem nenhum aqui perto.

Nosso preferido é o Sainsbury's, é o supermercado mais bonito, limpo e organizado que já vi. As gôndolas têm opções infinitas, lá encontro feijão brasileiro, molho de soja japonês, azeite grego, uma beleza. Equivale ao Pão de Açúcar, mas um pouco melhor.

E o top é o Waitrose, chiquérrimo com variedades infinitas de vinhos. As melhores carnes estão neste lugar, as melhores comidas prontas também, mas é muito mais caro.

Escrito a mão pela Marcia às 4:29 PM

Febre

E hoje estou com febre desde manhazinha. Não passa e eu tô tonta e sem ânimo. E é claro que lá fora tá um sol de rachar coconut, 24ºC. Praticamente alto-verão. Queria passear, mas não consigo nem fazer o caminho de volta da cozinha. Por aqui ficarei.

Escrito a mão pela Marcia às 4:05 PM

Diálogo na Farmácia

Martin: - Estes medicamentos aqui, por favor.
Mulher da Farmácia: - Só um minuto, senhor.

minutos depois...

Mulher da Farmácia: - Aqui estão. Seis caixas de Femodene, da Schering. Confere?
Martin: - Sim. Quanto que é?
Mulher da Farmácia: - Não é nada.
Martin: - Ãhn?
Mulher da Farmácia: - Anticoncepcionais são pagos pelo governo.
Martin: - Ah, tá.

:o !!!

Escrito a mão pela Marcia às 3:58 PM

maio 15, 2002

Gripe

Aquele que mora comigo estava com gripe esses dias e parecia que estava padecendo de algo muito mais grave, tamanho o exagero de suas lamentações -- aliás como todos os seres de sexo masculino quando acometido pelo vírus da gripe -- e lamúrias. Valha-me God. O problema é que ele acabou com todo nosso escasso estoque de remédios para gripe -- e está melhorzinho hoje -- mas agora eu que estou com garganta inflamada, febre e daliz tubido não tenho nada para tomar aqui, ô hell viu.
Humpf...

Não sobrou nenhum chazinho Vick pra mim, buaaaaaa

Einstein morreu, Freud morreu e Márcia não está se
sentindo muito bem

Escrito a mão pela Marcia às 11:35 AM

Cãimbra

Ai, ui. Tô com cãimbra na mão direita de tanto recortar os PrintSrcreen das fotos do casamento. São 52 fotos.

Ai minha mão, ai minhas costas... ai..

Escrito a mão pela Marcia às 9:53 AM

maio 14, 2002

Hipocondria

E eu sei que umas amigas minhas devem estar rindo. Sim vocês mesmo, suas loucas.

Houve um tempo em que minha alergia estava num estado tão crítico, mas tão crítico, que a médica que cuidou de mim teve que tentar dezenas de remédios para que eu pudesse melhorar.

Foram 4 ampolas de vacina que eu injetei-me durante 16 meses, além de 7 pomadas diferentes, mais de 10 tipos de comprimidos, 1 caixa de adesivos-curativos e tantos outros remédios que já nem me lembro mais. Claro que não foi tudo de uma vez. Mas a cada mês ou a cada quinzena lá estava eu comprando um remédio diferente.

E este fato fez minhas amigas deduzirem que eu colecionava remédios por cor, cheiro, formato e ungüentância. Diziam que meu supermercado favorito era a Drogaria São Paulo 24 Horas. E que meu cartão de fidelidade já dava para ser trocado por uma viagem a Volta ao Mundo. E também que eu brigava na fila dos aposentados para ter atendimento preferencial.

Tudo calúnia. :-p

Já expliquei pra elas e explico de novo: Não sou hipocondríaca, sou doente. :o)

Hehehehehehehehe

Escrito a mão pela Marcia às 8:17 PM

Remédios

Agora a grande vantagem vai ser poder usar o sistema de saúde daqui, que na minha opinião é muito bom. Nós pagaremos os devidos impostos -- que são salgados -- e poderemos utilizar todos os serviços (consulta, cirurgia, internação) gratuitamente. E uma novidade para mim são os remédios.

Se o remédio custar menos de £6, eu pago o preço que ele for. Se o remédio custar £7, eu pago £6 e o governo paga o resto. Se o remédio custar £150, eu continuo pagando £6 e o governo paga todo o resto. Muito bom, né? Porém, todo e qualquer remédio é rigidamente controlado. Só é vendido com receita médica, que é retida na hora da compra.

Ontem o dotô trocou a minha pílula e me deu uma receita para comprar seis caixas, para seis meses. Antes de acabarem, preciso voltar ao médico, fazer exame cervical, para então ele receitar mais seis caixas.

Toda a festa que eu fazia na Drogaria São Paulo 24 Horas acabou. :-p

Escrito a mão pela Marcia às 8:07 PM

Seu Doutor

E ontem, pela terceira vez, fomos tentar fazer o meu registro no posto médico do nosso bairro. Uma vez eu já havia comentado
-- num post bem mau-educado -- que as mulheres da recepção não queriam me registrar porque eu não sou inlgesa. Tentamos duas
vezes, uma antes de casar e outra depois e a resposta diplomática foi sempre a mesma: que é a política do posto médico registrar apenas cidadãos britânicos. E como eu fico? Morro na porta? (Parênteses: não tem nada errado com a minha saúde, só quero me registrar) E toda sorridente a mulher disse que se um dia eu precisar posso consultar o médico como consulta privada, pagando £30. Martin respondeu: "então queremos marcar uma consulta privada com o médico agora".

E a consulta foi ontem. Pagamos a cafetina-da-recepção e conversamos com o médico. Antes de mais nada ele me examinou,
mediu minha pressão, perguntou minha idade, de onde eu vinha, onde morava aqui na Inglaterra. Foi muito simpático, realmente
gostamos dele. Depois o Martin explicou o problema que estávamos enfrentando com meu registro. Ele simplesmente respondeu olhando para mim: "Você é cidadã, tem todo o direito de ser atendida e é óbvio que o seu registro deve ser feito. Imediatamente". E foi pessoalmente na recepção, pegou os formulários, entregou nas minhas mãos e avisou a mulher que ela deveria fazer meu registro sim. Ha-ha-ha. E ele ainda pediu desculpas porque desta vez tivemos que pagar.

Tão vendo? Por isso recepcionista é recepcionista e médico é médico.

Escrito a mão pela Marcia às 7:49 PM

Cinco Quartos da Laranja

Ontem terminei de ler o livro Five Quarters of the Orange, de Joanne Harris e gostei muito mesmo. Delicado e violento ao mesmo tempo, entremeado por receitas e lembranças. Quero ler os outros livros da autora, mas por enquanto, tenho que terminar os do Machado de Assis.

Escrito a mão pela Marcia às 12:31 PM

Coisa Doce

AHH! Lembrei de contar uma coisa!

Aqui estamos na primavera, quase entrando no verão. E já começaram a circular pelos bairros aquelas caminhonetes que vendem sorvetes, coisa mais linda! Antes eu só tinha visto uma igual nos gibis e nos desenhos animados. É uma graça aquela caminhonete branquinha! O motorista estaciona e abre a janela lateral, estende o toldo e vende sorvetes de casquinha com uma barrinha de chocolate espetada. E a caminhote toca uma musiquinha, que todo mundo já reconhece, as crianças saem correndo com as moedinhas na mão. Deliciosamente doce imagem. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:35 AM

maio 13, 2002

Fotos Impublicáveis

Nossas fotos oficiais ficaram prontas! No sábado fomos pagar o fotógrafo e trouxemos o CD com as fotos para escolhermos quais
iremos imprimir. Estão bem bonitas, adoramos todas! Mas o esperto gravou tudo em arquivo fechado de um jeito que não consigo gravar, copiar, nada! Só dando Print-Screen. Então tenham paciência, novas fotos do casamento só mais tarde.

Escrito a mão pela Marcia às 1:50 PM

Atacama

Este apartamento parece um deserto: ar seco e cheio de pó.

Escrito a mão pela Marcia às 1:47 PM

Teste de QI

Teve um programa muito legal na BBC, no sábado! Chamava-se Test The Nation, para medir o Quociente de Inteligência dos britânicos. Um programa que reuniu diversos grupos de 100 pessoas cada um. Os grupos eram: professores, estudantes, funcionários públicos, gêmeos idênticos, pedreiros, celebridades e loiras. E o público podia participar também, via Internet ou simplesmente anotando as respostas no papel, para depois conferir e ligar para a produção. Foram 70 perguntas de múltipla escolha, sobre lógica, percepção, memória, matemática e linguagem. Mais de 90.000 pessoas participaram via Internet, o que permitiu fazer uma média aproximada do QI nacional. E a média inglesa é um QI alto, cerca de 110 pontos! O grupo dos professores foi o vitorioso, seguido pelos estudantes e funcionários públicos. No
auditório um estudante obteve o maior índice: 129 pontos. Pela Internet, houve um participante que alcançou 170 pontos!! Se
você quiser, pode fazer o teste também, clique aqui. Meu QI e o do Martin é
o mesmo: 106.

Escrito a mão pela Marcia às 10:29 AM

Para onde ir?

Concordo que Rubinho poderia ter trocado de equipe para tentar ter um pouco mais de respeito e dignidade, ao invés de renovar por mais 2 anos. Mas para que equipe correr? A grande verdade é que atualmente não há páreo para a Ferrari. A Willians passou a corrida toda de ontem com uma diferença grande atrás das Ferraris. Mesmo os feras Montoya e Ralf mal enxergaram os vermelhinos na frente deles. A McLaren de David Couthard terminou em sexto lugar. As outras equipes há muito tempo não sentem o gosto da champagne do pódium.

Então, acredito também que não é fácil decidir sair da Ferrari e ir para uma equipe com um carro que não alcança os líderes. E ser eternamente considerado um pé-de-chinelo. Entre chegar em segundo lugar e não chegar, eu preferiria chegar em segundo. Aliás, mercenariamente falando, com um salário US$ 5,5 milhões por ano, eu deixaria o Schumacher passar mesmo, até dava tchauzinho. :o)

Aqui na Inglaterra e em toda a Europa, Rubens -- como o Rubinho é chamado -- é muito respeitado. Lendo os jornais e
assistindo ao noticiários, é fácil perceber a admiração da imprensa pelo trabalho dele. Nunca vi isso no Brasil, muito pelo contrário. Assim que acabou a corrida, acessei os sites de notícias do Brasil para saber como estava sendo a repercussão. A maioria das manchetes era "Barrichello cede primeiro lugar a Schumacher". Sendo que aqui na Europa, as manchetes
acusavam a Ferrari pela postura injusta, defendendo a boa atuação do Rubinho. Uma das manchetes era "Ferrari rouba a vitória de Barrichello" ou "Barrichello: o vencedor moral".

Seria bom se um dia o povo brasileiro começasse a dar mais valor ao que é da própria terra. Rubens Barrichello não é Ayrton Senna, nem nunca vai ser, nem mesmo quer ser. É preciso entender isso.

Escrito a mão pela Marcia às 9:40 AM

maio 12, 2002

Que não vença o melhor

Não basta mais torcer para o Rubinho Barrichello. Agora é preciso torcer para que o carro não quebre, que ele não saia da prova, que ele ultrapasse todo mundo e que finalmente a Ferrari deixe-o cruzar a linha de chegada sem dar passagem para o Schummy.

Me senti ofendida e desrespeitada por ter assistido -- e torcido -- todas as 71 voltas, para depois a Ferrari decidir que quem deve vencer não é o melhor. Sim, nesta prova Rubinho foi o melhor, ninguém -- nem Schumacher -- chegou a ameaça-lo, desde a largada.

Não é a primeira vez que isso aconteceu. Já não é mais esporte, se é que um dia foi.

Na entrevista coletiva -- não sei se no Brasil apareceu esta coletiva -- Rubinho carregava uma toalha, porque obviamente estava chorando, mas também uma decepção claramente estampada em seu rosto, apesar de falar as palavras que a Ferrari mandou. Schummy, ao seu lado, visivelmente desconfortável, completamente envergonhado por vencer desta forma, recusou responder algumas das perguntas. No fim da prova, as câmeras mostraram Ralf Schumacher encarando feio, balançando a cabeça negativamente para o irmão, como quem diz: "que palhaçada!" e a TV inglesa reprisou mais de dez vezes a cena, como se fosse a imagem da própria opinião. Os comentaristas ingleses também lamentaram profundamente que a Ferrari tenha tirado o direito do
Rubinho vencer, disseram que foi uma atitude anti-esportiva para se dizer o mínimo. E olha que inglês não gosta de criticar diretamente.

Foi vergonhoso.

Escrito a mão pela Marcia às 6:46 PM

FELIZ DIAS DAS MÃES

E hoje é dia das mães!! Dia da Dona Wal, da Tia Elza, da Dona Neuza. Puxa vida, dia dessas mulheres batalhadoras, corajosas e absolutamente amáveis! Feliz Dia das Mães para elas, feliz Dia das Mães a todas as mães, porque o simples fato de serem o que são já é um grande motivo para comemorar!

FELIZ DIA DAS MÃES, MÃE!!!

Escrito a mão pela Marcia às 11:13 AM

Doces Comentários

Que maravilha! Muito obrigada a todas que mandaram comentários sobre o modo de preparar o arroz! Quem ainda tiver mais dicas, por favor, continuem escrevendo nos comentários! Que delícia é ver que num mesmo país temos tantas ricas nuances.

Para minha família, o arroz do restaurante era um e o arroz de casa era outro. Ou seja, como meus pais sempre tiveram restaurantes de comida paulistana, o arroz era sempre o refogado. Mas em casa, como descendemos de orientais, sempre comíamos o arroz japonês, de grão menor e gordinho, sem sal ou qualquer outro tempero. Só arroz e água. Não importa o que a gente tivesse para jantar, o arroz branco -- como chamamos -- estava sempre presente.

Toda a cultura oriental -- seja japonesa, chinesa, indiana ou tailandesa -- venera o arroz, porque é de onde se tira o alimento, o teto, as vestimentas, tudo. Seu preparo é tradicional, o respeito por ele é sagrado.

Para mim, ter arroz numa refeição é sempre um aconchego, um carinho, um sentimento de estar em casa.

Márcia faminta por arroz

Escrito a mão pela Marcia às 11:06 AM

maio 11, 2002

Arroz: quem é esse desconhecido?

Como está muito engraçada a nossa discussão sobre a forma de preparar o arroz -- vide comentários no post lá embaixo, "Arroz" --, resolvi falar mais dele, porque estou começando a perder toda a minha noção de quem sou, para onde vou e de onde eu vim. Vamlá.

Por Tutatis, como vocês todos preparam o arroz no Brasil?

Clarice e Cristiane relataram que fazem o arroz do mesmo jeitinho inglês: arroz lavado cru + água fervente = arroz escorrido na peneira + água fria.

É assim mesmo? Todo mundo no Brasil faz arroz assim? Será então que eu não morava no Brasil e sim no Zimbabwe, como minhas amigas sempre insistiram?!?!?!

Eu faço arroz do mesmo jeito que sempre vi minha mãe preparando em todos os restaurantes que tivemos, por mais de 25 anos de minha existência.

Passo-a-passo do arroz que eu conheço:

1. Lave bem o arroz. Reserve-o.
2. Numa panela, adicione óleo e cebolas picadinhas, frite até elas murcharem.
3. Adicione alho picadinho e frite até ficar levemente dourado.
4. Junta-se todo o arroz lavado neste refogado.
5. Frite o arroz até ele ficar bem seco.
6. Adicione água fervendo até cobrir o arroz.
7. Ferva até que quase toda a água se evapore.
8. Quando restar água apenas borbulhando pela metade do arroz, tampe a panela e diminua o fogo ao mínimo.
9. Quando toda água se evaporar, afofe o arroz com um garfo, apague o fogo e deixe descansar por 5 minutos, com a tampa
fechada.
10. Sirva o arroz

Né assim que faz não? Pelamordedeus, alguém concorde comigo, meu God. Serei eu uma estranha? Serão Clarice e Cristiane inglesas? Estou eu no Brasil e não percebi?

Plis, escreva seu comentário, faizfavô.

É só clicar neste link "Comente este Capítulo" aqui embaixo. Isso, esse mesmo, em rosinha. Clica e escreve o que tu pensa dessa discussão extremamente indispensável para a cultura sócio-gastronômica de cunho internacional levantada por nossos
colaboradores. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:15 AM | Comente este capítulo (1)

maio 10, 2002

Cinema nesta Terra de Deus

ICE AGE nem é um filme novo, mas explicarei-me.

Não moro em Londres, não. Não, não. Londres fica há três horas daqui indo de trem. Moro numa cidade onde podemos espiar a França, bem na pontinha da Inglaterra. A cidade chama-se Bournemouth. Cidade pequena, nova, com 160.000 habitantes. Pois bem. Aqui não é nem de longe um centro cultural. Todas as estréias acontecem em Londres, todos os bons filmes, aqueles de arte, os estrangeiros, todos os mais-mais estão lá. Aqui estreiam beeeeeeeeem depois e só os mais famosos, os que dão bilheteria, senão nem pensar.

Então se fizermos uma seqüência das estréias cinematográficas, primeiro eles estreiam em Hollywood, depois em Londres, depois Rio-São Paulo, depois em Jundiaí, depois em Pirapora do Bom Jesus, depois em Biritiba-mirim e daí sim estréia aqui em Bournemouth. :o)

E eu aqui doida para assistir a Abril Despedaçado, O Closet, I am Sam e tantos outros... *sigh*

Escrito a mão pela Marcia às 8:21 PM

ADOREEEEEEEEEI

E divinha a qual filme assistimos ontem, hum? hum? Isso mesmo, ICE AGE!! Fantástica animação, amei tudinho. Os personagens são adoravelmente doidos, a história é previsível -- afinal é um filme infantil, dê um desconto -- mas nem por isso insulta a inteligência de quem assiste. E amei a sonoplastia: aquele tchic-tchic-tchic das patinhas andando no gelo e o rrritch-rrritch-rrritch cavando a neve, tudo muito detalhista, um delírio! E Sid, o bicho preguiça, é de uma doçura sem tamanho, quase chorei no final do filme com ele. E o
maníaco descontrolado roedor Scrat é hilário do começo ao fim! Adorável!

Escrito a mão pela Marcia às 7:40 PM

Bom Humor

Hoje acordei rindo. Estava sonhando e rindo. Só quando o Martin me perguntou "What?", com cara de travesseiro, que percebi que estava sonhando. Sonhei que estava convesando com minhas amigas Adri, Clara, Miram e Cris e a gente estava lembrando do programa Barros de Alencar, da Record, hahahahahaha...

Escrito a mão pela Marcia às 9:54 AM

maio 9, 2002

Ocupando a Cabeça

E ainda estou estudando e trabalhando muito com o Photoshop, já aprendi bastante coisas básicas. Escrevi muito pouco esses dias, não estou gostando muito do enredo, está muito complicado. Talvez eu mude tudo.

Meus livros estão pela metade já, estou adorando o Five Quarters of the Orange! E o Quincas Borba também está divertidísimo, uma delícia!

Hoje a tarde vou dar uma volta em Poole, se não estiver muito frio vou até o parque para ler e tomar vento. Depois me encontro com o Martin e iremos ao cinema. O mais recente filme que vimos foi Harry Potter, só para se ter uma idéia. Ainda não escolhemos o filme, estou com vontade de ver Ice Age, dizem que é muito engraçado.

Semana que vem preciso convidar minhas colegas da escola de inglês para virem aqui em casa almoçar. Estou com saudades delas.

Ariete anda superocupada e atarefada, quase não nos encontramos mais ultimamente.

Gosto muito de ter amigos ao redor, conversar, trocar experiências. Mas quando não é possível, descobri que sou uma boa companhia para mim mesma, hehehehehe...

Escrito a mão pela Marcia às 1:14 PM

Faxina no Banheiro

Odeio lavar banheiro. Mas ainda bem que não sou a única. Talvez por isso existam tantos produtos direfentes para limpar. Como já contei uma vez, aqui a maioria dos banheiros não têm janelas, alguns são cobertos de carpete até nas paredes .E também não têm ralo no chão, o que significa nada de lavar com água nos pés. Nossos banheiros não têm carpete -- graças! -- mas não têm janela também, nem o maldito ralo. Então tenho que limpar com uns sprays antigermes-antibactérias-antisujeiras, esfregar com uma esponja e enxugar com um pano. Alguns produtos não precisam de enxagüe, é só tacar e deixar, como é o limpador de chuveiro e torneiras.

Mas o que mais me irrita é limpar o espelho. Como assim? Como assim? Explico: a água aqui é rica em minerais, rica demais, milionária de minerais. Assim que acabo de limpar o espelho, uma fina camada branca aparece, deixando um aspecto pior do que antes. E pra tirar isso? É pior que polir carro velho! O ideal seria comprar -- ai, ai -- outro produto para o espelho e para as janelas, que é um mousse de odor detestável.

Hoje dei uma boa limpada no banheiro, lavei as toalhas e tudo mais. Ontem chegou o gabinete que vai ser pendurado na parede, foi difícil encontrar um que a gente gostasse. Estamos bastante satisfeitos com ele! Assim que o moço-marido instalar, vamos poder guardar tudo o que está nas caixas de papelão, no chão do banheiro, argh! Não vejo a hora! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 1:04 PM

maio 7, 2002

Arroz

E sabe como os ingleses fazem arroz?

Primeiro lavam o arroz normalmente, até a água sair transparente. Até aqui tudo bem.

Depois colocam o arroz cru numa panela com água fervendo.

Cozinham por uns 15 minutos e escorrem o pobre do arroz num escorredor de macarão ou numa peneira e dão um banho de água fria no coitado!

Quando a mãe e a irmã do Martin me viram refogando cebola e alho para fazer o arroz, também acharam a coisa mais esquisita do mundo, hehehe.

Escrito a mão pela Marcia às 7:48 PM

Comilança

Acabamos de jantar strogonof, feito por eu aqui, nesta terra que não tem filé mignon, nem alcatra, mas fiz. Tava com uma saudade de comer strogonof, ôxi. :o)

Martin, que é a forma humana de um avestruz, também adorou.

Preparei também 18 coxinhas e congelei-as todas para um dia de preguiça. Finalmente acertei na massa. E agora, mais precavida, anotei todas as medidas que usei. Foram cerca de 400g de farinha de trigo para 1 litro de caldo de galinha, com 1 colher de sobremesa de sal. A receita é da minha mãe, Dona Wal, que desde que me conheço por gente faz coxinhas maravilhosas. Sempre assisti a ela fazendo coxinhas, mas ela nunca teve uma medida específica, fazia tudo por intuição. E é o melhor método. Sentir a massa, fazer, errar e aprender. E melhorar da próxima vez. Assim é. :o)

Eu até tento me acostumar e fazer um pouco da culinária bretã, mas nem sempre consigo, tenho outro paladar, acho. Mas já acrescentei muitas novidades em minhas modestas papilas gustativas. Gostei de muitas coisas que aprendi a comer aqui, entre elas as novas especiarias, as novas ervas, as novas carnes.

Um dia antes do nosso casamento, a família do Martin estava sem dinheiro para jantar, já que eles estavam hospedados em um hotel e todos os hotéis aqui são caros, pois esta é uma cidade praiana, de turismo. Então, mais do que na hora, convidamos todos para jantarem aqui em casa. Martin foi correndo até o B&Q comprar duas cadeiras dobráveis de varanda com almofadinhas já que só temos um sofá e estávamos em seis pessoas. E eu preparei um bom bacalhau com pimentões, cebolas, batatas, azeitonas, azeite e leite de coco. E para acompanhar, um arroz branquinho, fofinho. Todos se espalharam pela sala, se acomodaram e esperaram pelo bacalhau. A surpresa de sabor foi tanta que eles elogiaram o prato por semanas, incrédulos do que haviam comido. E bacalhau é tão simples, né? Mas para quem nunca provou, deve ter sido realmente diferente. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 7:27 PM

Pedalando

Visitamos uma área florestal aqui perto chamada Ringwood. Levamos nossas bicicletas e fizemos um percurso de 8km. Não é muito, mas era a primeira vez que eu saía para uma pedalada assim, com pedras, areia, grama e vento frio. Foi muito divertido, comecei a entender melhor como funcionam as marchas (um neurônio só aqui, tenha paciência). Paramos num laguinho bem pequeno e lá sentamos na canga que eu havia levado e fizemos nosso pic-nic. Um cachorro apareceu, fez tchibum na água, nos molhou e foi embora (!!). Percorremos uma parte com areia bem fina, em subida, ufa, haja pernas!

E para minha satisfação, no dia seguinte não tive dor nenhuma nas pernas, talvez porque aqui eu vivo indo para todo canto a pé. Mas o mesmo não posso dizer dos braços, que agüentaram todos os trancos e também dos meus ossos que ficaram sentadinhos naquele selim, ui, ui...

Mas foi um programa bem agradável, vento no rosto, o corpo todo ficando pesado e a cabeça leve, leve... :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:35 AM

maio 6, 2002

Primeira página

Nunca tive o hábito de escrever meu nome em meus livros. Uma vez minha querida amiga Cristina -- que trocava muitos livros do Stephen King comigo -- disse que eu deveria escrever meu nome na primeira página, assim ficaria lá o registro que um dia o livro me pertenceu. Acabei gostando da idéia. Hoje não só escrevo meu nome, como a data que o adquiri e um brevíssimo resumo de como estava minha vida no momento. Está ficando interessante! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:03 AM

maio 4, 2002

A Boa e Velha Literatura da Minha Terra

Mas o que eu mais sinto falta, talvez agravada pela distância, é
da boa e consagrada Literatura Brasileira. Sim, os bons clássicos, os irmortais, os obrigatórios para prestar vestibular. Sim, amo-os todos. E pesquisei, ralei, fucei e finalmente descobri que na livraria tinham dois dos meus grandes favoritos: Dom Casmurro e Quincas Borba, do eternamente ídolo-mor Machado de Assis. Hoje fomos buscá-los na livraria para minha completa alegria.


São em inglês. Porque eu quero tê-los sempre na estante -- que
ainda não existe -- sempre disponível para que o Martin possa ler também, se quiser.

Ou futuramente, para que nossos filhos descubram por eles mesmos quem foi Machado de Assis, que eles se percam na leitura viciosa, que me perguntem sobre o Brasil do século XIX, que me perguntem sobre Capitu. Ou então, que fiquem sempre lá na boa estante aqueles livros queridos, para que eu sempre possa folheá-los e assim sempre me orgulhar dos autores da minha terra, mesmo estando na terra de Shakespeare. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:28 PM

Prazeres e Deleites Literários

Depois de muitos textos melados-de-ressaca-pós-casamento, voltemos à vida como ela é.

Estou às voltas com duas das atividades das quais mais me dão prazer: leitura e escrita.

Depois de ter lido o delicioso e despretencioso Artemis Fowl pela segunda vez e ter finalmente dado fim no sem-graça-metido-a-Bridget-Jones Pants on Fire, estava há meses sem um bom livro ao meu redor. Não trouxe nenhum dos meus livros para cá e eles estão me fazendo uma falta absurda. Passada toda a agitação do casamento, pudemos finalmente visitar a livraria novamente.

Adquiri o Five Quarters of the Orange, de Joanne Harris, a mesma autora de Chocolat. Estou nos primeiros capítulos e a leitura é um deleite de sensações. A história mistura família, culinária, segredos e dramas pessoais. Uma mulher viúva, de nome Framboise, tem uma casa de crepes numa província francesa, onde ela relembra fatos intrigantes de seu passado, principalmente de sua mãe, que lhe dera esse nome em homenagem ao licor de raspberry que ela produzia na fazenda onde moravam. Até agora estou adorando passear pelas descrições da personagem, dá até pra sentir o cheiro das cerejas, das massas de crepes e do açúcar.

Escrito a mão pela Marcia às 8:14 PM

O Buquê


Wed02.JPG

Acabei não jogando meu buquê na festa de casamento. Não havia nenhuma mulher solteira, livre e desimpedida no dia. Trouxe o pobrezinho para casa. Na verdade adorei, tava morrendo de dó de jogar a belezinha. :o) Mas jogaria ou entregaria em mãos -- com o maior prazer -- para várias amigas do coração que estão no Brasil, para todas aquelas que merecem ter ao lado uma pessoa que as façam muito felizes, em
qualquer circunstância. :o) Então é para elas que jogo virtualmente meu buquê e que ele caia direitinho nas mãos de cada uma delas!

Escrito a mão pela Marcia às 7:47 PM

maio 3, 2002

Imagens de um Dia Feliz


Wed01.JPG

As primeiras fotos do casamento que recebemos foram tiradas pelo John, amigo do Martin. As fotos oficiais ainda vão demorar um pouco, mas logo chegarão. John nos enviou essas fotos ontem e nós adoramos, já que não tínhamos nenhuma ainda. Para acessar o álbum, basta clicar nesta fotinho do lado, que é a minha preferida até agora.

O fotógrafo oficial disse que as condições de iluminação naquele dia estavam ótimas, melhor do que um dia ensolarado, que carrega muito as sombras. Estava nublado e bastante claro, com partículas de umidade suspensas, disse o profissional. Assim acredito e espero que as nossas fotos tenham ficado bem bonitas, já que é um dia que queremos guardar para sempre, com a imagem de um dia muito muito feliz!

Escrito a mão pela Marcia às 9:25 AM

maio 2, 2002

Mensagens

Minha amiga querida Luciana passou por aqui e deixou de presente muitos recadinhos lindos, mensagens que deixaram meu
coração todo feliz! Adorei! Lu é letrada e pós-graduada no quesito
como-viver-com-o-marido-sem-arrancar-seus-cabelos-ou-os-dele! Tenho muito a aprender com essa mulher porreta, que tem um maridão maravilhoso, que ainda por cima sabe fazer pão. Praticamente, um Olivier Anquier!

E também minha irmã deixou recadinho, dizendo que chuva no dia do casório é benção dos Céus. Que bom, assim seja! :o)

E não posso deixar de dizer que a amiga-Lagarta também deixou seu recadinho carinhoso, falando de amorRRR que nos torna mais fortes!

E também da maravilhosa Marie, que escreveu uma mensagem linda no blog dela para nós no dia do casamento. Obrigada, Marie!

A todas vocês, um beijo bem grande! Adoro quando alguém envia um comentário, é a prova de que não estou escrevendo só para mim, que tenho leitores, veja só!! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:20 AM

maio 1, 2002

A Lua

Lembrei que casamos no pimeiro dia de lua cheia. Isso é bom sinal?

Escrito a mão pela Marcia às 8:39 AM

Presentes

Gifts.JPG

Estes foram alguns dos presentes que ganhamos. Eles ainda estão expostos na sala, como é a tradição inglesa, mas também porque a gente não tem como ou onde guardar ainda! :o)

Aqui não aparecem, mas estão muito evidentes os melhores presentes que ganhamos: os presentes-amor. Os votos de felicidades, as congratulações, os pensamentos "Ah, hoje é o dia do casamento da Márcia e do Martin!", os sorrisos sinceros, todos os sentimentos que nos envolveram magicamente e que sentimos tão fortes, tão presentes.

Os presentes materiais são importantes sim, principalmente para nós que estamos mobiliando e decorando nossa casa a partir do zero. Mas nada disso teria valor se não ganhássemos nenhum presente-amor sincero, do coração. Panelas perdem o cabo, louças se quebram e tudo um dia tem seu fim. Mas não o sentimento puro, a emoção e a comoção de compartilhar nossa felicidade. Esses presentes valiosíssimos, guardaremos para sempre! :o)

Obrigada por todos os presentes e pelas memórias do futuro que nos deram!

Escrito a mão pela Marcia às 8:32 AM

De volta ao Dia-a-Dia

Nossa vida voltou ao normal, Martin voltou a trabalhar hoje e eu estou super animada com um monte de coisas que tenho para resolver.

Se algo mudou depois do casamento? Eu sinto que sim, estamos mais relaxados, mais aliviados, muito mais felizes em relação aos nossos sentimentos um pelo outro e também em relação a nós mesmos. Tudo tem um sentido mais amplo agora, a sensação de estarmos realmente construindo nossa família, nossas memórias juntos.

Estou feliz casada. Estou feliz com a nossa vida em comum. Estou feliz com a minha vida individual também. Estou feliz, enfim. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:01 AM

« abril 2002 | Main | junho 2002 »