« julho 2002 | Main | setembro 2002 »

agosto 28, 2002

Talita

Hoje os veterinários nos convidaram para ir na clínica conhecer um filhotinho vira-latas que está disponível para adoção. Ela se chama Talita e tem por volta de 4 meses. De pelo branco, com manchinhas amarelas e pintinhas brancas no focinho. Dócil, alegre, subiu no nosso colo, mostrou que sabe sentar, um amor. Queria adotar ela. Mas minha mãe não está disposta a ter outro cão e eu também não posso levá-la para morar conosco.

Se alguém estiver interessado em dar um lar cheio de amor e carinho para a Talita, por favor entre em contato.

Escrito a mão pela Marcia às 9:39 PM

Vazio

Os dias aqui têm sido de altos e baixos. Apesar da felicidade de estar entre minha família e meus amigos, ainda não consegui me encontrar com o Martin e também estou sentindo uma falta absurda da Bianca. Uma série de desencontros e ironias andam acontecendo e eu já não estou mais com paciência para achar o lado bom de tudo. Em poucos dias Martin embarca de volta para a Inglaterra e minha passagem aérea não permite que eu voe antes de dez dias. O que significa que estaremos e/ou continuaremos separados. Me sinto uma mala perdida sem etiqueta.

Escrito a mão pela Marcia às 9:33 PM

agosto 26, 2002

Chegada num Dia Frio

Cheguei hoje em São Paulo num dia nublado e frio. Na casa dos meus pais, Bianca estava deitada na caminha nova que minha mãe havia feito, olhos fechadinhos, aparência tranqüila, coberta por uma manta de piquê branca. Ela foi para o céu ontem de manhã... Não deu tempo de vê-la viva mais uma vez. Os tios-veterinários dela acabaram de levá-la na ambulância para ela ser cremada e descansar em paz.

Vá, minha Bianca, corre e brinca com a Sasha que está lá no céu te esperando. Seja feliz, meu amor, ao lado do seu novo Dono que vai cuidar de você com o maior amor do mundo.

Adeus, Bi.

Escrito a mão pela Marcia às 2:58 PM

agosto 25, 2002

Heathrow Terminal 3

Estou escrevendo do aeroporto. Ja peguei meus bilhetes, estou aguardando o check in abrir. Fui ate o Terminal 4 com o Heathrow express, um trem super moderno e de graca. Ja voltei para o terminal 3, daqui a pouco entro na fila da Varig. Meu tempo ta acabando. Beijos e ate o Brasil!

Escrito a mão pela Marcia às 5:05 PM

agosto 24, 2002

Ao Encontro

Não estava em nossos planos, decidimos durante a semana. Amanhã embarco para o Brasil. Vou passar dois dias em São Paulo e depois vou me encontrar com o Martin. Deveria estar animada, mas não estou. Principalmente pelo estado delicado em que a Bianca se encontra. Quero levar para ela todo meu amor, dar a ela todo meu carinho, tudo o que puder confortá-la neste momento. Quero estar com o Martin também, claro. A saudade já deu duas voltas. Mas desta vez não é uma viagem de turismo, não estou indo para passear. Vou para estar ao lado de quem amo, porque às vezes não vale a pena ficar distante só para economizar dinheiro. Achei precioso este tempo que passei aqui sozinha. Mas hoje as prioridades são outras. Hoje eu preciso
estar lá. Até a volta.

Escrito a mão pela Marcia às 3:52 PM

agosto 23, 2002

Fome

Como a gente tem preguiça de cozinhar quando estamos sozinhos, né? Impressionante. Refeições para mim são atos de confraternização, aquele momento que a gente conversa, saboreia a comida, tem o contato com as pessoas. Tenho paixão pela culinária, adoro cozinhar, tentar novas receitas, inventar outras. Mas aqui sozinha tenho tido uma preguiiiiiiça de fazer até um sanduíche. Aliás isso é tudo o que eu tenho comido ultimamente. Mas hoje me senti bem fraca, com fome mesmo. Também, além de ter reduzido minhas refeições, agora estou fazendo os exercícios da academia dia sim, dia não e preciso que a energia venha de algum lugar. Nem leite não tem mais nesta casa, porque o que tinha venceu e eu não tô a fim de comprar outro. Mas
hoje fui ao ASDA comprar um pouco de comida decente. Comprei um ravioli com recheio de frango e aspargos (fina, eu) e um molho à carbonara. Tinha uma quiche lorraine no congelador e botei no forno para comer uma fatia também. Bom, acho que agora tá bem, né? Carboidratos, proteínas, fibras e gordura. Ah, sim. Comprei uma garrafinha de Nesquick, que deve dar para dois dias, e também um pacote de donuts de custard (creme de baunilha) para meus cafés da manhã cheios de açúcar.

Contei que perdi 2kg nestas duas semanas? Deve ter sido perda de líquidos apenas, por causa dos exercícios. Mas não quero perder mais quilo nenhum, senão ninguém vai saber se estou de frente ou de lado. E hoje não fui malhar. Muitas coisas para resolver, já andei pra lá e pra cá a manhã toda. E o meu plano na academia é off peak, ou seja, só posso ir em horários em que a academia é mais vazia. Agora estou morrendo de fome, só estou esperando a comida esfriar (minha mãe, Dona Wal, nunca se conformou com o fato que gosto de comida fria, chega a ser um sacrilégio para ela).

Vou lá ver.

Escrito a mão pela Marcia às 2:34 PM

Aprendizes

Ontem, pelo telefone, eu e Martin estávamos fazendo um balanço das coisas que aprendemos neste período em que estamos separados um do outro. E até que a nossa lista de coisas apreendidas é grande. Da minha parte, aprendi sobre meu valor, sobre minha capacidade de resolver qualquer assunto, de ser sincera com meus sentimentos, de enfrentar o que antes era impensável, de tentar mesmo sabendo dos meus limites, de continuar indo em frente, sempre. Aprendi também que ninguém me coloca pra baixo sem que tenha a minha devida autorização, que devo me respeitar acima de tudo e de qualquer um. Da parte do Martin, ele aprendeu a importância que é revelar seus sentimentos, aprendeu a ver na distância como cada detalhe de sua vida aqui tem seu valor, aprendeu a ser mais crítico profissionalmente, aprendeu a superar seus medos, aprendeu a se amar mais e deixar de ser tão rígido cosigo mesmo.

Ainda temos muito a aprender. Mas este tempo foi importante para poder enxergar tudo isso. Aprendemos mais do que esperávamos. Aprendemos juntos, enfim, que "a vida devia ser bem melhor e será". :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:31 AM

agosto 22, 2002

Flog It

As vezes me espanto de gostar de alguns programas de TV tão nonsense por aqui. Flog It é um programa onde as pessoas levam seus artigos de antigüidades e especialistas avaliam quanto a peça vale. Mas antes os proprietários contam uma breve história de como aquela antigüidade foi parar nas mãos deles. Histórias comoventes como: "ah, esta peça minha bisavó ganhou do marido que lutou na batalha de Waterloo e morreu ao comer Spam estragado..." Então os avaristas estimam o preço e levam a peça par o leilão. Muita gente não tem idéia que guardam verdadeiros tesouros em casa. Houve um casal que levou uma peça de porcelana com desenhos de golfistas, que eles tinham comprado numa feira por £1. A peça foi avaliada em £800 e no leilão alcançou o valor de £1,000!! Eu e todos os residentes de casas de repouso nos divertimos. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 4:07 PM

Superpopulação de sofás

Depois de dez (10!!) meses de espera, finalmente nosso sofá chegou nesta tarde. E o sofá provisório (que é idêntico) continua aqui, o que significa que temos mais sofás do que bundas para sentar neles, neste presente momento.

Escrito a mão pela Marcia às 3:19 PM

agosto 21, 2002

O mais difícil

Nessas horas, o mais difícil de estar longe é não poder ver, não poder tocar. Tenho que transmitir todo meu amor, toda minha fé sem poder ver, sem estar presente. Meus pensamentos estão todos lá, meu coração está lá e meu corpo não quer ficar aqui.

Escrito a mão pela Marcia às 8:56 AM

Minha Prece

Deus, cuide do que for melhor para minha pequena Bianca.
São Francisco olhe por minha Bianquinha.
Peço que ela tenha paz, serenidade e a certeza de que todos nós a amamos muito.
Muito obrigada.

Escrito a mão pela Marcia às 8:53 AM

agosto 20, 2002

Síndrome de Giorgia

Já que Giorgia comentou no blog dela, também aderi. Este blog anda carente de
comentários. E curiosamente nunca tive tantos acessos como agora. Pessoas vem, lêem, sei-lá-que-pensam e se vão. Assim sem dizer "oi", nem nada. *chuinfs* Tá certo que não tem muito conteúdo comentável aqui, mas eu adoro quando alguém diz alguma coisa! Amo, na verdade. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:50 PM

Mente Estreita

Tá certo que está todo mundo comovido com o seqüestro e assassinato das duas meninas. Mas agora um bando de pessoas cuja mente é tão esclarecida quanto um black pudding está querendo a volta da pena de morte neste país. Tony Blair já mandou seu recado: sem chance.

Escrito a mão pela Marcia às 7:06 PM

Houmus

Huummm. Meu jantar hoje vai ser dois mini pitta breads (pão sírio) com houmus, que é uma pasta feita de grão de bico e alho, uma delícia israelita! Huummm, adoro!

Escrito a mão pela Marcia às 5:45 PM

Busy Day

Já acordei estressada. Imagine. Mr.M me liga do Brasil já pela manhã dizendo que está tudo complicado por lá e me pede para fazer uma lista de coisas aqui, com banco, correio, vizinho. Dei mais de 500 telefonemas pra cidade toda, acho. Uma correria que só. Algumas coisas consegui resolver, outras não por não ter nenhum comprovante de residência em meu nome. Mas tentei. Juro. Tem roupas na máquina esperando o milagre da penduração acontecer de novo. E antes que eu sofresse uma boa inanição, tomei vergonha na cara e fui ao supermercado comprar um pouco de comida. Estava a dois dias comendo arroz e ovo frito (adoro!). Fiz algumas pesquisas tranqüilas de uns birinaites para meu irmão. E tive que fazer mais umas 73 ligações restantes. Ninguém mais agüenta ouvir minha voz. Nem eu. :p

Escrito a mão pela Marcia às 5:12 PM

agosto 19, 2002

Rubinho

Nem assisti à corrida, mas fiquei muito feliz com a vitória do Rubinho! Foi uma pena eu não ter visto ele no pódium ontem, mas eu estava muito feliz e ocupada passeando com os primos dele! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:26 PM

Fluência

Ontem, Luciana e eu estávamos conversando sobre "ser fluente" em inglês. É muito fácil ouvir as pessoas dizendo no Brasil: "aaah, se você passar uns três meses estudando fora, volta super fluente". E eis que você mora três, quatro, seis, oito meses e ainda não consegue se comunicar tão bem quanto imaginava que fosse. "Meu Deus, sou uma estúpida". É o primeiro pensamento que vem. Afinal, não eram em três meses que as pessoas todas diziam que você ficaria fluente? Pois bem. Mas depende muito do referencial dessa tal fluência esperada.

Fluente o suficiente para se falar no Brasil? Oh sim, isso é fácil. Essa fluência que você precisa para fazer entrevista em multinacionais, para enviar e-mails profissionais, para escrever relatórios. Sim, isso é fácil. Fluente o suficiente para viver num país estrangeiro? Não é tão fácil assim. Pense num estrangeiro morando no Brasil. Não é em poucos meses de estudo que ele vai conseguir se comunicar como um brasileiro. Pense num estrangeiro ouvindo sotaques nordestino, gaúcho, carioca, mineiro, com todas as gírias, expressões e jargões peculiares. É fácil?

Tempo, certamente é a resposta. Ontem fez exatamente oito meses que estou aqui. Minha pronúncia já não é a mesma que aprendi na escola, no Brasil. Antes eu só via as imagens dos telejornais, sem entender quase nada por causa da rapidez da fala, do sotaque londrino e dos jargões jornalísticos. Hoje consigo acompanhar, entender o assunto ao menos. Peço informação quando preciso, relamo quando acho que devo, faço pesquisas, questiono, converso e até dou informações para ingleses (já fiz isso duas vezes). Já é o suficiente para se considerar fluente? Eu não acho. Existe tanta coisa para se aprender ainda e não é de uma hora para outra que vou assimilar tudo. E eu também não estou mais com aquela pressa dos "três meses". Não. Roma não foi feita em um dia. E além disso, "o caminho do sucesso está sempre em construção".

E eu também não quero a perfeição. Não sou britânica, sou brasileira. E vou ter sempre aquele sotaque deliciosamente brasileiro quando falo em inglês. Porque essa é minha origem. Italianos se orgulham de falar inglês com um leve acento italiano. Franceses adoram colocar um quê francês na pronúncia deles. E eu vou sempre me orgulhar de carregar meu acento brasileiro. Tem britânico que não gosta. Paciência, problema deles. Tem britânico que torce o nariz para pronúncia americana, tem horror. Pronúncia latina então, pifff. Pobre deles. Nenhuma língua é mais certa que outra, isso é absurdo. Ninguém é
obrigado a falar exatamente como um nativo. Porque não somos, meu Deus.

Comunicar é preciso. Isso é tudo que importa. Numa época de globalização, não importa se você fala uótta ou uórerr (water), o importante é não morrer de sede.

Escrito a mão pela Marcia às 10:24 PM

Pequenas conquistas

Desde que o Martin viajou para o Brasil, tive que resolver muita coisa por aqui por conta própria. Resolver problemas com o pagamento do condomínio, reclamar da entrega do sofá que está atrasada, controlar a conta bancária, fazer pagamentos, fazer reservas em trem, ir para Londres, conversar com os instrutores da academia, um monte de pequenas coisas aos olhos dos outros. Mas que para mim foram essenciais. Foram grandes passos. É muito fácil ter o Martin resolvendo assuntos mais complicados, é bem cômodo e tranqüilo. Ter que perder o medo de errar, ter que perder a verdonha de se comunicar, ter que se virar por pura necessidade faz a gente descobrir o potencial para muita coisa dentro de nós.

Escrito a mão pela Marcia às 10:14 PM

Procura-se - Parte 3

O servente da escola e a professora primária continuam sendo interrogados pela polícia. Dois corpos foram encontrados próximos à casa das meninas, mas mesmo depois de 2 dias, ainda não foram identificados. Segundo href="http://canterburytales.blogspot.com/">Letícia -- que está estudando para ser forensic scientist (da perícia
médica) -- os corpos devem estar bem mutilados, difíceis de serem identificados. É quase certo, porém, que são das meninas, uma vez que se fossem corpos de adultos a polícia já teria divulgado. Mas enfim, o que mais abala e comove é o desespero dos pais, que estão há mais de quinze dias sem dormir, comer ou viver. Seguraram com as duas mãos todas as esperanças de que elas estivessem vivas e então o pior dos medos aconteceu a eles. Triste e revoltante ao mesmo tempo. Seja aqui na Inglaterra, no Brasil ou em qualquer canto do planeta, isso nunca vai deixar de ser um crime hediondo, desumano e cruel.

Escrito a mão pela Marcia às 5:55 PM

O Encontro com meus Amigos em Londres

Foi uma emoção tão incrível encontrar com meus amigos Luciana e Fernando Barrichello ontem, que todas as palavras ficam infiéis à tanta felicidade que senti. Conversamos tanto, tanto, tanto, contamos nossas novidades, nossas dificuldades, nossas conquistas. É tão bom estar com pessoas alto astral, positivas, alegres e extremamente simpáticas como eles!

Fomos ao Big Ben, ao Palácio de Buckinham, à London Bridge, andamos pelas ruas bem típicas londrinas, vimos o Tâmisa sem pressa. Mas o que mais me comoveu é que nenhum de nós estávamos mesmo muito interessados em Londres e sim no encontro. Estávamos mais interessados em "estar juntos", conversar, matar a saudades. E foi tão bom. Fui tudo tao agradável.

Queria muito ter isso sempre, nem que fosse uma vez por mês. Mas é difícil ter os velhos amigos aqui por perto, ainda mais com o dólar nessas condições. E vocês, velhos amigos, façam o favor de se encontrar entre vocês aí no Brasil com certa regularidade. Por vocês e por mim. Porque isso faz tanta falta que vocês precisam estar aqui para imaginar.

Lu e Fernando, obrigada pelo maravilhoso encontro de ontem! Obrigada por terem me feito tão mais feliz, muito obrigada. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:24 AM

agosto 18, 2002

Em Casa

Voltei de Londres! Deu tudo certinho, não errei nenhuma conexão, nenhum metrô, nadinha! Amanhã conto mais sobre o encontro
maravilhoso que tivemos. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:11 PM

agosto 17, 2002

London, London

Amanhã vou encontrar com minha amiga Luciana e seu marido Fernando em Londres! Vou pegar o trem bem cedinho e vou me encontrar com eles no hotel onde eles estão hospedados. Já comprei minhas passagens de ida-e-volta. Chego de volta a Bournemouth à noite, vou pegar um taxi na estação de trem. Estou bem animada, espero que consiga fazer a viagem certinho, tenho certeza que consigo sim. E vai ser ótimo encontrar com eles, papear em português, curtir as riquezas históricas de
Londres. Estou bem contente! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:41 PM

Procura-se - Parte 2

As duas "testemunhas voluntárias" que se apresentaram ontem estão presas por suspeita de assassinato das meninas desaparecidas. É a primeira vez que a polícia fala em assassinato. Os suspeitos são: uma professora primária de 25 anos e o seu namorado de 28 anos, que é servente do colégio das meninas. Os corpos das meninas, porém, não foram encontrados ainda.

Escrito a mão pela Marcia às 3:00 PM

agosto 16, 2002

Diga ao povo que fico

Martin me ligou do Brasil hoje e disse que teve uma conversa com o Big Boss perguntando quanto tempo eles esperam que ele ainda trabalhe para aquele projeto. E o Big Boss disse que quer o Martin de volta a Bournemouth o quanto antes, porque o projeto dele aqui está parado, porém ainda há muito o que fazer no Brasil. Isso quer dizer que ele tem que ficar lá mais umas duas ou três semanas.

Ele me perguntou o que deveríamos fazer, se eu deveria ir ou ficar. E eu respondi que... fico. Assim, serenamente, sem dramas. É claro que gostaria de estar lá com ele e visitar minha família e amigos também. Mas não temos dinheiro para pagar a passagem (£500) e ainda estamos com muitas contas para pagar por aqui. Tenho que ficar aqui na semana que vem porque temos algumas entregas chegando. Vou encontrar meus amigos Lu e Nando. E estou adorando a academia. Por isso decidi que vai ser melhor eu ficar mesmo, assim a gente não gasta dinheiro e quem sabe consegue voltar ao Brasil para o Natal, vai ser melhor
assim. :o)

Agora estou pensando em fazer milhares de coisinhas para quando ele chegar. Estou pensando em flores pela casa, latas de cider na geladeira (que ele ama e não tem no Brasil), um prato indiano caprichado, tudo mais que vier na minha cabeça! :o) Estou gravando alguns programas que ele gosta, estou anotando o que está acontecendo de importante em Eastenders (quase nada, na verdade). Estou também preparando meu melhor sorriso! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 7:38 PM

Procura-se

Duas crianças de 10 anos, Jessica e Holly, estão desaparecidas há mais de 10 dias. As duas eram amigas, estavam vestindo camisetas do Manchester United e saíram para dar uma volta no bairro, num domingo de sol. Não voltaram mais. Buscas minuciosas foram feitas por todos os cantos possíveis. De início, a polícia descobriu que ambas estiveram conectadas à Internet e que possivelmente poderiam ter caído numa emboscada. Mas não houve registro de entrada em chats, nem e-mails, nada. A suspeita foi descartada. A polícia agora acredita em seqüestro. Porém, nenhum contato foi feito. Os pais já fizeram apelo público, o chefe de polícia também. Nada. Há uns dois dias encontraram algo supeito perto de uma área florestal onde poderiam estar enterrados os corpos. A busca demorou uma noite inteira, o país todo estava na expectativa. Nada foi encontrado, eram apenas covas de lixo. Os pais ficaram um pouco mais aliviados, porém não menos preensivos.

Recados e voicemails foram enviados ao celular de uma das garotas pedindo que os seqüestradores entrassem em contato até a meia-noite de ontem. Só silêncio, nada de contato. Apelos foram feitos para todos os moradores da área, para denunciarem qualquer comportamento suspeito. Hoje um casal foi chamado para prestar depoimento na delegacia e a casa deles está sendo revistada, mas eles são testemunhas voluntárias. O colégio delas também está sendo revistado. Mas até agora, nada das garotas aparecerem...

Deve estar sendo terrível para os pais, mais terrível que a própria constatação da morte em si. Porque eles vivem da esperança, sem saber o que podem esperar.

Sei que no Brasil isso acontece de forma muito mais freqüente, sem que seja manchete em telejornais. Não há como não se revoltar com isso, não? Que espécie mais bárbara é essa para fazer isso com crianças...

Escrito a mão pela Marcia às 6:56 PM

Estiagem

Como estou alone por aqui, cancelei a entrega das cestas de legumes por tempo indeterminado. E os legumes que eu tinha aqui já acabaram. As folhas para salada acabaram hoje também. E meus potinhos de mousse de chocolate também. E ontem eu gastei o dinheiro comprando o Kermit-Caco-amigo. Vou ter que jejuar.

E apesar da aguaceira toda na Europa que vocês devem estar acompanhando pelas notícias, Bournemouth está quente, com sol, sem
vento e muito quente. A alegria dos turistas. Parece que o tempo vai mudar no final de semana e eu sinceramente espero que chova um pouco, está muito seco aqui, seco e quente.

Escrito a mão pela Marcia às 3:26 PM

Encontro

Minha amiga Luciana Barrichello e seu marido Fernando vão chegar em Londres amanhã. Acho que logo a gente se encontra! Não sei ainda se eles vêm para Bournemouth ou se eu vou para Londres. De qualquer forma, vai ser maravilhoso encontrar com eles depois de tanto tempo! Não vejo a hora. Ter amigos brasileiros aqui é um presente muito precioso mesmo. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:48 AM

agosto 15, 2002

Um dia por vez

Ao contrário de ontem, hoje meu dia foi muito bom. Acordei quando o sono acabou e logo fui pra academia. Fiz todas as séries aeróbicas e as de musculação também. Foi fácil. De lá fui direto para o centro (perdi ER e Ally McBeal), que estava realmente lotado de turistas. Turistas, tsc... hehe

Dei uma volta e acabei em frente daquela BoConcept, a loja chiquérrima que ainda não entregou nosso sofá. Hesitei antes de entrar, afinal estava ainda vestindo meu vestuário de ginástica, além de não ter certeza se conseguiria me fazer explicar. Respirei fundo e entrei, falei educadamente com o gerente, expliquei o caso, soletrei meu sobrenome. Ele ligou para a central de atendimentos e conseguiu agendar a entrega! Fiquei tão feliz com isso! Realmente feliz, satisfeita comigo mesma! :o)

Depois entrei na Mark & Spencer, comprei minha farofa: um BLT (sanduíche de bacon, alface e tomate) e uma limonada. Fui até os jardins, sentei na grama e comi meu almoço na sombra, vendo o vai-e-vem dos turistas, o céu azulão, as crianças correndo.

Para minha perdição, estava bem perto da livraria Borders. Fui só dar uma checada nos lançamentos. Estava procurando Asterix ou Calvin perto da seção de livros infantis quando de repente... :O gaaaaahhhh!!! Meus olhos batem numa cesta cheia de bichos de pelúcia e sobre eles estava ninguém menos verde que Kermit the Frog!!! O original! Olhando sorrindo pra mim! Tive que levar. Vocês não estão entendeeendo. Kermit é o Caco, dos Muppets! Segurei ele com carinho, vi o preço (claro) e depois percebi que tinha uma menininha de uns três anos olhando pra mim e depois pro Kermit na mão. Rá. Rárá. Não-não, menina. Cai fora do meu país, ops, da minha frente. :p Este aqui é meu, ninguém tasca, eu vi primeiro. Mesmo porque
ainda tinha mais uns cinco lá. Paguei e trouxe Caco-Kermit para nossa casa, feliz da vida! Que dia bom!! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:56 PM

Já Passou

"já passou, já passou
quem sabe outro dia..."

Dia de sol. Céu Azul. Sem vento. Acordei e estou aqui comendo meu Kellogg's Red (não vem com açúcar, damn!). Vou para a academia daqui 10 minutos e pela primeira vez vou fazer todas as séries sozinha. Já programei o vídeo para gravar Will & Grace. Acho que chego a tempo para assistir ER. E Ally McBeal. Êba. Não tenho nada para almoçar, preciso pensar em alguma coisa. Depois talvez vá ao centro e dê um pulo na praia, apesar de estar abarrotada de turistas. Talvez jogue amendoins para os esquilos na praça. Talvez almoce por lá. McDonalds! Huuummm. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:21 AM

agosto 14, 2002

Hard Days

Saí para ir ao correio e fui cercada por mais de dez crianças de uns sete, oito anos. Eles perguntaram para que time eu torcia e eu respondi sorrindo que não tinha time nenhum. Dois deles ficaram me olhando de cara fechada. Obviamente não tenho cara de inglesa e tenho um sotaque diferente. E então um deles falou: "Get out of my country". E outros repetiram.

Eu sei que são crianças. Mas um dia eles vão crescer com essa mesma mentalidade.

E tudo o que eu quero agora é fazer exatamente o que eles querem que eu faça... Ir embora. :(

Escrito a mão pela Marcia às 4:10 PM

Somatizando

A amiga Marie me explicou que a diarréia que tive não foi causada por alimento nenhum e sim pela negatividade dos meus sentimentos, que meu intestino acabou tendo que digerir e eliminar nessa forma sofrida. E acho que ela tem mesmo razão. Aliás, do outro lado, Martin anda com febre, nariz congestionado e dor de cabeça, sem que tivesse sido exposto à qualquer gripe. O organismo da gente é realmente impressionante, tem que dar a descarga de alguma forma daquilo que a gente não consegue dar conta.

Escrito a mão pela Marcia às 11:12 AM

Recaída

Sei que é um período de amadurecimento. Sei que é uma chance de aprender muita coisa. Sei que é meu caminho. Sei que devo aceitar com amor e seguir em frente. Mas ontem sentei e chorei. Não aguentei. Por mais que eu vá na academia, que me sinta animada, que me sinto alegre fazendo as coisas que faço, tem horas que é difícil esconder o que na verdade está preso aqui dentro. Talvez eu seja forte, mas talvez não. E ontem a noite eu não fui. Deixer vir todos os pensamentos, todos os
sentimentos de solidão, de medo, de angústia. E chorei. Tanto que nem me lembro quando parei e dormi.

Os dias não estão passando, por mais que eu ocupe meus dias. Hoje ainda é quarta-feira da primeira semana. E temos três ou quatro semanas pela frente. Estar sozinha num país desconhecido é bem diferente. Mesmo que esta seja a minha casa. É assustador.

Vai passar, sei que logo vou ficar bem de novo. Mas por enquanto... é isso.

Escrito a mão pela Marcia às 11:03 AM

agosto 13, 2002

Feliz Aniversário, Bianquinha!

Hoje é aniversário da minha querida cãzinha Bianca! Desejo tudo de melhor para ela, que Deus lhe dê muita saúde e uma vida cheia de tranqüilidade, tardes ensolaradas, caminha quentinha e todos os motivos para abanar o rabinho! Feliz Aniversário, Bianca! Você faz minha vida muito MUITO mais feliz! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:48 PM

Em contato

Hoje de manhã falei com Martin pelo telefone. Que saudades dele. Ele disse que está muito calor por lá, que está trabalhado das 7h30 da manhã às 7h30 da noite, seis dias e meio por semana. Tadinho. E disse que ontem comeu farofa, só para me deixar com inveja, buaaaaaaaaa. Disse também que no flat tem uma academia de ginástica e que vai começar a frequentar. Que bom! Fez mil perguntas sobre como andam as coisas por aqui, contou da saudades, da falta que sente de mim, de como espera que os dias voem. Que bonitinho. Que Deus o proteja por lá. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 3:42 PM

Pegando leve no pesado

Ufa. Hoje até que a aula não foi muito cansativa. O instrutor era mais bonzinho, disse que não quer me ver com traumas. Me ensinou como usar os equipamentos de peso. E sabe que até gostei? Gostei sim. Tá certo que minhas séries são mínimas e com pesos que variam de 14 à 20 quilos. Mas pude sentir mais meus pobres músculos sendo trabalhados. E este instrutor disse que é melhor eu não ir todos os dias, para evitar distensões musculares. Disse que é melhor ir no máximo três vezes por semana fazer os exercícios e nos outros dois dias restantes usar os demais recursos da academia, como a piscina, aulas de
alongamento, Tai Chi, Yôga etc. E decidi que vou pra piscina, ôba! Adoro piscina! Gostei de passar meu tempo lá na academia, é um lugar bem agradável, de frente para o parque Queens Park, um lugar bem arbotizado. Fora isso, posso ler o jornal do dia na sala de descanso, revistas de boa forma, tenho direito a um suco e uma água grátis todos os dias, além de poder pegar fitas de vídeo emprestadas. Os atendentes são simpáticos, os instrutores são engraçados. Estou contente com o lugar,
estou sim! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 3:31 PM

No Trono

Não que eu tivesse feito uma mistura maluca no jantar. Não. Fiz um sanduíche de alface, queijo e peito de peru no pão sírio. E tomei suco e comi uma pêra. Só isso. Mas eis que na madrugada meu estômago começa a doer, doer, doer e depois comecei a suar, suar, suar. E corri para o banheiro e lá fiquei sentadinha por muito tempo. Com desinteria. Isso mesmo. Passei tão mal, mal conseguia erguer a cabeça. Mas depois de tudo isso, o mal-estar passou. E dormi.

update: ainda bem que comprei o papel higiênico ontem, gaaahahahahaha :p

Escrito a mão pela Marcia às 9:54 AM

agosto 12, 2002

Largada

Estou em estado lesma-com-câimbra no sofá, nesta tarde. Ah, sim! Depois da academia -- não sei se estava consciente ou não -- peguei um ônibus e de repente: OOOH! Estava dentro do supermercado Waitrose! Precisava comprar papel higiênico Andrex (urgente! urgente!) e cereal Kellogg's Red para o café da manhã. Comprei os dois. E também um brioche, pão sírio (pitta bread), queijo cremoso, peras, peito de peru fatiado, salada, iogurte diet, suco de maçã & blackberries e mousse de chocolate (porque a vida tem que ser doce também). A mistura desses componentes -- sem ordem definida até o momento -- será o meu jantar. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:22 PM

Músculos nada musculosos

Gaaaaahhh... A aula de hoje quase acaba comigo. Creda! O instrutor já quer me colocar direto no nível 5, o que significa pedalar na bicicleta, correr na esteira e fazer step como se estivesse em uma ladeira. Tem noção? Pois é, mas o instrutor não tem noção não. Ele disse que tenho força para isso e que logo acostumo. E lá fui eu fazer um teste desta série nível 5. Fiquei o tempo todo tropeçando na minha língua, que se arrastava pelos pés. Meus músculos mais flácidos são do coração e do pulmão, pelo que percebi. Teve uma hora que pensei que ia ouvir meu coração explodindo e meu pulmão entrando em
combustão espontânea. Nem força para responder eu tinha. Sorte do instrutor, que ficava sorrindo e dizendo "keep going, keep going", enquanto eu transpirava, ofegava, virava meus olhos, morrendo de vontade de responder: "shut up!". Meus batimentos cardíacos chegaram a incríveis 186bpm, até doeu. Na hora de ir embora eu nem sabia mais quem eu era ou para onde deveria ir. Pufff, pufff... Só depois de um tempo que me recuperei, afe... Amanhã tenho a última aula da "iniciação". Mêda. Pânica. Pavora.

Escrito a mão pela Marcia às 2:47 PM

Iniciação

Daqui a pouco vou sair para minha segunda aula de "iniciação aos equipamentos de ginástica". Ainda tenho que ter a terceira aula disso antes de começar a me exercitar propriamente. Tenho também que fazer minha programação de exercícios com o instrutores. Só depois é que começo. Humpf...

Escrito a mão pela Marcia às 10:18 AM

Humpf...

"Prezado Contribuinte,
Sua declaração está na base de dados da SRF.
Consulte o próximo lote para saber se a restituição estará disponível."

Porcaria.... :(

Escrito a mão pela Marcia às 10:07 AM

agosto 11, 2002

Dia de Sessão da Tarde

Hoje está um dia frio, com chuvisco, nublado. Já peguei meu travesseiro, meu cobertor de estegossauro, o guia de TV e vou ficar vegetando o resto da tarde e da noite.

Já assisti o filme Big, com Tom Hanks. Agora vai passar Monkey Business, que trata de um projeto inglês de resgate e proteção de primatas. Mais tarde tem o programa Ray Mears' Extremal Survival, que adoro! Vou gravar para o Martin ver depois. Ele é um grande expert em sobrevivência, mas também é muito humilde, consegue fazer amizade até com as tribos mais intransigentes, fala umas 40 línguas diferentes, incluindo a linguagem dos esquimós Inuit, de tribos africanas, entre outras. Ele ensina como fazer fogo em qualquer situação como se estivesse num programa de culinária ao ar livre. E, claro, ele prova todo e qualquer tipo de alimento, incluindo larvas gordas e brancas. O programa dele é um verdadeiro exemplo do quanto temos a aprender com diferentes culturas, em diversas situações inóspitas. E do quanto tudo que sabemos é que nada
sabemos.

Então, tá. Eu, controle remoto e telefone dividimos o mesmo sofá. Alguém pode me trazer uma pizza? :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:05 PM

Feliz Dia dos Pais, PAI !!!

Hoje é dia do Seu Jorge, do meu pai que tanto admiro e orgulho! É ele que me ensinou -- com ajuda de minha mãe --
muitas coisas a mim e aos meus irmãos que até hoje nos enche de respeito, de gratidão e de amor. Nenhuma homenagem seria
suficientemente justa. Sei que ele lê este humilde blog (meus pais são up-to-date, sabe?) e quero que ele saiba o quanto o AMO e quanto sinto saudades dele! FELIZ DIA DOS PAIS, PAI. Um abração bem forte da sua filha caçula!! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:52 PM

agosto 10, 2002

Contando os dias, as horas, os minutos

O motorista da empresa passou aqui e levou o Martin para o aeroporto de Londres. E eu que havia passado o dia todo abraçando e beijando ele, abracei e beijei mais um pouco e pedi a Deus que o protegesse. Acenamos, sorrimos, jogamos beijos um para o outro e acenamos mais até o carro virar a esquina. E eu subi as escadas de volta ao apartamento já chorando, já sentindo falta dele e já sentindo saudades. Ele me ligou do aeroporto e depois mandamos doces recadinhos pelo celular. Agora a próxima ligação dele vai ser do Brasil. E o próximo abraço vai ser em breve, se Deus quiser, muito em breve.

E esta noite me dou o direito de chorar e de me sentir sozinha, tudo o que eu tenho direito. Passei meu pijama de algodão preferido, fiz um chá Doces Sonhos, li e reli dúzias de vezes todos os recadinhos e e-mails de apoio. Muito obrigada a todos, amanhã respondo com calma. Amanhã. Amanhã já será um dia a menos para o nosso encontro.

Escrito a mão pela Marcia às 10:26 PM

agosto 8, 2002

Para Você

"...para você o que você gosta.
Diariamente..."

- Marisa Monte

Escrito a mão pela Marcia às 10:03 AM

Contribuições amigas

Enfim, tudo isso que se passou ontem me fez perceber que afinal, como disse a Nathilda, Deus sempre sabe o que faz. O universo têm sempre consiprado para o meu bem, assim como já disse a Laly. E, apesar da saudades imensas que sentirei do Martin, assim como Anelise sente do Alfredo, sei que vou ser forte se confiar em mim. E André tem razão ao dizer que é preciso realmente ver o lado bom de tudo, mesmo que a princípio não pareça existir nenhum. Afinal das contas, acho que Letícia está mesmo bem certa: tiraram minhas queridas rodinhas, devo cair algumas vezes, mas para o resto da minha vida vou aprender a ter equilíbrio. :o)

Obrigada a todos vocês, meus amigos!

Escrito a mão pela Marcia às 9:51 AM

Na Prática

Ontem estava sentindo que iria ficar em casa chorando ininterruptamente todos os dias em que o Martin estivesse no Brasil,
até a gente se encontrar novamente. Mas uma defesa do meu organismo, temendo a desidratação iminente, resolveu se voluntariar. Liguei para o Martin e disse que estava indo me matricular na academia, na esperança que a estamina me faça algum bem. Ele quis ir também para conhecer o lugar. Fica a uns 15 minutos de casa, a pé. Fomos e encontramos uma academia enorme, linda, chamada Fitness First. Equipamentos bem modernos, 8 TVs de 32" na frente das esteiras, bicicletas, steps e tudo mais. Piscina aquecida, salas de aeróbica, Yôga (eba!!), pub (sim!), restaurante, tudo limpinho, bonito, novinho. Fiz minha inscrição e agora preciso voltar na sexta-feira para fazer a aula
inicial e aprender a mexer em todos os equipamentos. Estou super entusiasmada, o lugar estava cheio por causa do horário e ver um monte de gente se mexendo dá mais vontade de começar a se exercitar. Então estamos combinados. Vou pra cadimia super malhar a nível de aeróbica! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:37 AM

Amor sem Apego

Ontem assisti a um programa muito bom na BBC, sobre comportamentos obsessivos-compulsivos. Tudo no mais alto grau. Não me identifiquei com nada, claro. Mas recebi uns bons estalos na cabeça quando mostraram o comportamento de uma mãe desesperada por não deixar seu filho de um ano ser contaminado. A criança não podia andar na calçada, não podia ser tocada por ninguém, não podia brincar fora de casa, não podia ser enfim, uma criança. A mãe-obsessiva esfregava o chão da casa com lenços desinfetantes quatro vezes por dia, lavava as mãos com água fervente até sentir a pele ficar esticada, não abria
correspondências por causa da saliva dos outros no envelope, abria sempre um pacote de biscoitos novo, mesmo que o outro pacote aberto estivesse inteiro, tudo para evitar a contaminação de seu filho de um ano.

E então comecei a pensar bastante sobre a relação amor e apego. Apego em exagero que sufoca, que tira a liberdade do
outro. E aquele que se apega exageradamente acaba confundindo esse apego com amor. Quanto mais cuidado, mais proteção, maior a sensação de amor. Quando o apego em exagero é na verdade uma demonstração de insegurança, medo de perder, medo de se perder.

Em alguma escala, era isso o que eu vinha fazendo em relação ao Martin. A sensação de que ele é a única coisa que tenho em minha vida me fez sentir na obrigação de zelar por ele mais do que o necessário. Não estou falando de cozinhar, lavar e passar. Mas sim de sentir medo toda vez que ele tem que se distanciar de mim, um medo sem sentido de que alguma coisa pode acontecer com ele e eu posso não estar por perto. É torturante, é cansativo ter que pensar em tudo o que pode acontecer de errado com ele e direcionar meus esforços para impedir que todas essas possibilidade realmente aconteçam. O
medo é constante. Como se ele fosse alguém que precisasse de vigília constante, como se fosse a criança de um ano que pode ser contaminada a qualquer instante.

E na verdade não preciso agir assim. Porque ele não precisa disso. Além de ser um homem de quase trinta, ele sempre teve uma vida bem independente, sempre viajou o mundo a trabalho. Aliás não posso esquecer que foi por conta de uma dessas viagens que nos encontramos. E depois que ele é uma parte bem grande da minha felicidade, mas não é a única parte, não é e nem deve ser toda a minha vida. Tenho outras partes bem importantes na minha vida. Tenho uma família maravilhosa, tenho amigos preciosíssimos, tenho meu dom para a escrita, tenho meu talento criativo, tenho meu caráter, tenho meu carisma, tenho minha coragem, tenho minha fé. E minha modéstia. :p

Deixar que Martin viva sua vida, deixar que ele se esforce na sua carreira, deixar ele em paz com sua individualidade, deixar ele ter sua liberdade, deixar que o que quer que aconteça acontecer não vai fazer de mim uma má parceira, uma má companheira, uma má esposa. ...vai? Não vai, mas nem sempre eu deixo. Eu sei. Quero agora me concentrar nisso, deixar de me apegar erroneamente, de modo obsessivo, de modo medroso, que impede o crescimento dele. Quero mudar de caminho, voltar na bifurcação e escolher o caminho certo desta vez. Porque sempre é tempo de voltar e de reconhecer o erro. Porque sempre é tempo de mudar. Porque sempre é tempo de amar. Da forma certa. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:16 AM

agosto 7, 2002

Bolas Trocadas

Já está quase tudo certo. Martin vai para o Brasil e eu fico na Inglaterra. Até segunda ordem. Ele foi escalado para um projeto por lá e -- apesar de incluir acomodação para mim também -- a minha passagem aérea não pôde ser subsidiada. Pelo menos por enquanto. E como acabamos de voltar do Brasil, dinheiro para custear outra viagem é praticamente inexistente. Então ele vai e eu fico. Se o projeto se estender por mais tempo, devo partir e me encontrar com ele. Mas isso é assunto para daqui algumas semanas. Desde já sinto a falta dele e não é por menos, já que minha vida anda orbitando em volta dele nos últimos tempos. Agora essas semanas a seguir serão momentos em que precisarei me descobrir aqui, sozinha. Preciso fazer atividades
que me agradem, cozinhar só para mim, passear em minha companhia. Nessas horas os amigos fazem muita falta... Sem falar que ele não está indo para qualquer país. Ele está indo para o país onde estão pessoas preciosas para mim. Enfim, é a vida. Já passamos períodos de cinco meses separados, mas era uma outra situação. Eu estava em meu país, com minha família, meus amigos. E agora, na verdade, acho que tudo isso vai ser um grande treinamento para mim, para aprender a me virar sozinha por aqui, olhar mais para mim mesma. Enfim, como já disse, é a vida.

Escrito a mão pela Marcia às 3:02 PM

Os dias pela frente

Ainda está tudo incerto. Dentro e fora. Minha pessoa ainda está sem destino definido. Provavelmente não sairei daqui, o que vai me deixar muito triste, mas enfim, é a vida.

Escrito a mão pela Marcia às 8:48 AM

agosto 6, 2002

Snif...

*sigh*....
Semana de surpresas. Dias de decisões. E eu não sei para onde vou ou onde fico.
*sigh*...

Escrito a mão pela Marcia às 3:15 PM

agosto 5, 2002

Uma Besta³

Devo ser a única criatura deste universo infinito que fica magoada com o sonho que teve a noite.

Escrito a mão pela Marcia às 11:29 AM

Outras Formas de Felicidade

Outras guloseimas que trouxemos do Brasil:

• mistura para pão de queijo Yoki
• mistura para pão de batata Yoki
• mistura para bolo de fubá Sol
• doce de banana
• café expresso Seggafredo
• chá Doces Sonhos
• pinga Ypioca
• geléia de goiaba

Queríamos ter trazido muitas outras coisas, mas não é permitido trazer alimentos perecíveis, derivados de leite ou que contenham qualquer tipo de carne para a Inglaterra. Mas não tem problema, com isso já podemos fazer uma boa festa! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:36 AM

agosto 4, 2002

Felicidade é...

...ter trazido do Brasil o achocolatado Toddy. :o)))

Escrito a mão pela Marcia às 11:04 AM

agosto 3, 2002

XP

Instalamos por aqui o Windows XP que meu irmão nos deu. Ainda não sei se gostei. O computador está com um pouco de amnésia e o wallpaper parece a Terra dos Teletubbies. Não sei, não. Hoje Mr.M vai tentar pôr mais memória no coitado para ver se melhora. PC World, lá vamos nós! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:24 PM

Molho de Manjericão Fresco

Huuuummm! Acabamos de almoçar uma pasta lingüine ao molho pesto.
Sempre tive receio de fazer esse molho porque achava que o cheiro e o gosto do manjericão ficaria muito acentuados, intragáveis. Hoje -- como está quente -- tentei fazer o tal pesto e o resultado foi surpreendente de tão bom! Quando você acrescenta o queijo ralado, o aroma e o sabor do manjericão ficam muito mais suaves, delicados, uma delícia. Quer tentar também? Eis a receita:


Pesto Di Basilico Alla Genovese

60g de folhas de manjericão fresco
120ml de azeite de oliva extra-virgem
2 colheres (sopa) de pinhõezinhos (como eu não tinha, usei amêndoas daquelas que vêm em pacote, já sem pele e torradas, mas sem sal)
2 dentes de alhos descascados
1 colher (chá) de sal
60 de queijo parmigiano ralado na hora
2 colheres (sopa) de queijo pecorino-romano ralado (eu não tinha e não usei)
2 colheres (sopa) de água quente
45g de manteiga amolecida à temperatura ambiente

1. Coloque as folhas de manjericão, o azeite, os dentes de alhos,
os pinhõezinhos (ou amêndoas) e o sal num processador, pilãozinho ou liqüidificador e bata até ficar quase cremoso.
2. Transfira para uma tigela grande e junte os dois queijos
3. Ferva o macarrão de sua preferência (fica bom com espaguete, lingüine e talharim) em água com 1 colher (sopa) de sal.
Escorra-a e misture-a com o molho, adicione as duas colheres de água quente e a manteiga.
4. Sirva com um galhinho de mangericão enfeitando, porque frescura é fundamental, ui! :o)

Dicas: use o melhor azeite de oliva e o melhor queijo parmesão que puder, faz toda a diferença do mundo.

Escrito a mão pela Marcia às 2:06 PM

Livros Lidos

Terminei de ler o livro A Mesa Voadora, de Luis Fernando Veríssimo, presente da minha amiga Adriana! Adorei, claro! Junta duas coisas que eu adoro: boas crônicas e comida. Uma delícia de ler. E teve uma passagem numa das crônicas que dei muita risada: "A ausência de olhos nas têmporas, por exemplo, está na origem de toda a nossa literatura de terror. Se o homem tivesse olho na nuca, 50% de sua angústia existencial desaparecia e Stephen King hoje seria um homem pobre". *Hahahahahaha*

Li também o fofíssimo Sentido da Vida, de Bradley Trevor Greive com tradução do Veríssimo, presente do meu primo-amigo Maurício. Gostei muito mesmo. Diversos insights, muita coisa para pensar e refletir. Como por exemplo: "(...) é remotamente possível que um dia o sangue corra para o seu cérebro e lhe permita chegar a uma conclusão sem muito esforço. Mas o melhor é passar um bom tempo sozinho se fazendo perguntas difíceis. (...) Se você fizer perguntas importantes e ouvir atentamente seu coração, cedo ou tarde ouvirá o destino lhe chamar."

Dois livros que vou reler sempre!

Escrito a mão pela Marcia às 11:46 AM

agosto 2, 2002

A olhos vistos

Meus olhos estão OK, disse o oftalmo. Aliás, só vou me considerar fluente quando eu entender perfeitamente o que aquele médico fala. Como ele fala complicado aos meus ouvidos, creda! Não entendo uma só palavra. Martin tem que ficar traduzindo tudo, de inglês para inglês. E eu tive que me segurar para não gargalhar quando o médico estava examinando meus olhos na máquina e dizia para mim: "pisca, olha pra cima, pra baixo, pra frente" e o Martin ficava atrás dele fazendo mímicas com as mãos de pisca, pra cima, pra baixo *hahahahahahaha*...

Escrito a mão pela Marcia às 8:20 PM

Bagatela

Encontrei na Woolworth dois livros bem legais de culinária. Um só de massas italianas e outro de baixas calorias. Os dois por £5. Todo ilustrado por dentro, com fotos passo-a-passo. Fiquei bem contente!

Escrito a mão pela Marcia às 8:16 PM

Indo para Poole

Hoje o dia vai ser bem bacana. Vou para Poole, a cidade vizinha. Tenho exame oftalmológico para ver como meus olhos estão reagindo às lentes de contato. Mas vou para lá bem antes do horário e dar uma olhada no artesanato, na baía, nas ruazinhas floridas. Martin vai cortar o cabelo e depois vai me encontrar antes da consulta. Antes de voltarmos para casa precisamos passar no supermercado para comprar pão, leite, cebolas, arroz para risoto e macarrão. E frutas, porque acabaram-se todas.
:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:02 AM

agosto 1, 2002

A Dieta

Estamos indo em frente com nossa dieta. Muitas frutas, iogurtes e sucos entre refeições leves. Hoje preparei um espaguete ao sugo com bastante manjericão fresco picado e uma salada de alface, rúcula e tomate. E de sobremesa tem sorvete de morango, nham! Como não precisamos de uma dieta radical, dá para continuar a ser feliz. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:08 PM

BlogChalking

Atrasada, mas enfim cadastrei o blog no mapeamento Blogchalk.
Eis: This is my new blogchalk:
United Kingdom, Bournemouth, Dorset, Portuguese, English, Marcia, Female,
26-30.
:)
Aliás, não precisa ler este post não, ele foi escrito é só para incluir as palavras-chaves. Já leu? Ah, tá bom então.

Escrito a mão pela Marcia às 5:39 PM

Ela Chegou!

Estava sentindo falta! Hoje finalmente a nossa cesta de legumes e verduras orgânicas chegou. Desta vez veio rúcula, alfaces-bebês, tomates, uma abobrinha gigante, cenouras, batatas, cebolinha verde, cogumelos, favas e manjericão fresco. Nenhum ser estranho desta vez. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:26 PM

Saudades

Saudades de ficar hooooras conversando com minha família.
...ou de simplesmente conversar. *chuinf*

Escrito a mão pela Marcia às 9:43 AM

« julho 2002 | Main | setembro 2002 »