« novembro 2002 | Main | janeiro 2003 »

dezembro 31, 2002

"Como todo dia nasce novo em cada amanhecer"

Estamos preparados para comemorar com muito carinho o final de um grande ano que foi 2002 e também celebrar a chegada de um 2003 novinho em folha, único nas nossas vidas. Muitas páginas em branco para escrever e cabe a nós escolher as melhores palavras para formar os melhores capítulos de mais este volume da Vida Escrita à Mão.

UM FELIZ ANO DE 2003 PARA TODO MUNDO

Escrito a mão pela Marcia às 5:52 PM

dezembro 30, 2002

O Telefone de Camaleão

Antes de viajarmos, Mr.M desligou algumas tomadas de casa e acabou desligando a tomada que liga o nosso telefone sem fio.

Quando voltamos, a bateria do telefone já não funcionava mais, nem para recarregar. Estamos então sem telefone em casa. E eu não pude ligar para o Brasil para desejar feliz aniversário para o Seu Jorge, porque nossos dois celulares também estavam com a bateria descarregada, afinal, em Leicester nenhum sinal pegava. *Snif*. Hoje vamos procurar outra bateria para comprar e talvez um telefone com fio também, para evitar esses problemas.

Existe um telefone com fio à venda aqui na Inglaterra, muito famoso porque fez parte de um comercial da companhia telefônica BT. Tem o lindo formato de um camaleão deitado num tronco. Quando toca, o camaleão mexe os olhinhos, levanta, move os bracinhos e depois canta a música Karma Chameleon, do Culture Club. E tem uma joaninha que acompanha a música com uma gaita. Quando o Boy George canta o trecho "red, gold and green", o peito do camaleão acende nas respectivas cores. É o máximo! Mas Mr.M já disse no way, que é brega e barulhento e caro. Humpf... :-(

Mr.M não é um ser insensível, sem graça e pão-duro??? Alguém poderia me ajudar a fazer este moço entender que um Telefone de Camaleão é extremamente necessário para a sanidade mental de uma pessoa que vive nesta terra nublada, plis?

Escrito a mão pela Marcia às 12:45 PM | Comente este capítulo (1)

dezembro 29, 2002

Pé na Lama, Barriga na Gordura e Cabeça no Vento

Leicestershire -- pronuncia-se Lestershérrr -- não é lá uma região pequena. Existe uma área central de comércio excelente, muitas fábricas e desenvolvimento. Existe também áreas amplas e extensas de agricultura e agropecuária, de ricos -- muito ricos -- fazendeiros, criadores de ovelhas e carneiros, em sua maioria. No meio deste mar de fazendas, existe um vilarejo de trabalhadores bem humildes e simples, casinhas de pedra, telhados de palha, lareira à lenha. É neste vilarejo que vivem os pais do Martin e onde passamos nosso Natal.

Assim que chegamos, a mãe do Martin havia saído para fazer compras de Natal. O pai dele nos recebeu, acendeu a lareira para mim (que morro de frio toda vez que os visito!!) e serviu nosso almoço: sanduíche de língua de boi defumada, picles de cebola e chutney de tomates verdes. Aaaah, agora sim, alcançamos o lado rural da Inglaterra...!! Para quem pensa que eu torci o nariz para isso muito se engana. Foi muito bom estar longe da grande cidade, sentir o cheiro da madeira queimando, do cocô do cavalo lá fora, do chá servido a toda hora, do forno assando o jantar.

Nosso Natal foi comemorado na casa da irmã do Martin, que mora na região central. Uma indulgência, onde tivemos direito a um peru de oito quilos, servido com batatas assadas, purê de cenoura e suede, a verdura red russian kale refogada (eu quim fiz), repolho roxo, croquetes de batata e bacon, couve de bruxelas, além do indispensável gravy, que é o molho feito do suco que sobra na forma em que o peru foi assado. Nada que engorde muito, como podem notar. Sem contar que antes do almoço teve uma sessão de snacks, com palitos de cenouras, salsão e pepinos para serem mergulhados em molho tártaro, molho de queijo e molho de iogurte. Logo depois veio a entrada, com lâminas de salmão defumado sobre a salada de folhas. Aí sim veio o
almoço, servido às três da tarde. A comilança só terminou com a sobremesa: Christmas Pudding, um bolo escuro feito com frutas secas, servido com o maravilhoso molho Custard. Isso tudo sem contar com as bebidas. Foram mais de seis garrafas de vinho e uma de vinho do Porto. Ah, sim, notem: ninguém ficou embriagado, todos estão acostumadíssimos de beber até mais que uma garrafa de vinho cada um. Menos eu, claro, que se enchi minha taça mais que uma vez foi muito.

O ponto mais alto foi a ligação para o Brasil, onde pude conversar um pouquinho com todos da minha família: meus pais, meus irmãos e meus dois cunhados que estavam lá. Adorei ouvir a voz de cada um deles, simplesmente adorei. Foi o melhor da festa!!

No dia 26, é celebrado aqui o Boxing Day e é feriado nacional também. Fomos caminhar num parque, vimos alguns esquilos e deixei de presente uma noz que havia surrupiado antes de sair. Estava inacreditavelmente frio, um ar geladíssimo que queimava meu rosto. Um vento congelante que me paralisava, mas continuei firme e forte na caminhada. Voltamos para a casa dos pais do Martin para comer o tradicional presunto, cozido por dois dias e assado por mais outro dia (aaahhh, o lado rural da Inglaterra...!). E lá naquela casinha que passamos os gelados dias até hoje de manhã.

Foi um bom Natal, devo dizer. Muito melhor que do ano passado. Controlei mais a minha saudade, apesar de ter sentido muita falta de todos e ter chorado numa das noites. Mas resolvi também aproveitar a festa com todo mundo, afinal, meu marido-querido estava muito feliz de estar com a família dele e ele fez de TUDO para me ver feliz também. E eu não poderia faltar com isso, não poderia deixar de me sentir feliz. Por mim, mas também por ele. E assim nos divertimos bastante durante as festas, na medida do meu possível. E foi bom, muito bom. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:48 PM

Carta aos Leitores


Pessoas amigas, queridas, todos vocês, muito obrigada. Pelos recadinhos deixados aqui nos desejando Feliz Natal, pelos
recadinhos durante todo este ano, pelas dicas, pelo apoio, pelo carinho constante. Muito mais importante do que escrever aqui é receber o retorno, ter a opinião de quem lê, de quem acompanha, de quem torce sinceramente, sem inveja, sem cinismo. Só com a simples empatia, com a vontade de ver o outro bem. Muito obrigada a todos vocês que correm os olhos rapidamente pelas minhas palavras, que riem, que refletem, que identificam, que silenciam, que comentam, que enfim, convivem com minha história. Muito obrigada. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:11 PM

FELIZ ANIVERSÁRIO, PAI!!!

Hoje é dia de Seu Jorge, meu pai tão amado por todos nós! FELIZ ANIVERSÁRIO, PAI! Meu pai é aquele homem muito trabalhador, todo cheio de simpatia, que adora uma boa conversa, que adora um café preto à tarde, que adora ler livros de mistério, que ama filmes de qualquer tipo. Mas é principalmente aquele que nos ensinou acima de tudo sermos honestos, caridosos, humildes e muito mais humanos. Aquele que nos ensinou o quanto as pequenas simplicidades da vida têm valor e como somos felizes quando temos no coração a pura bondade. Que Deus dê ao meu pai muita saúde, muitas alegrias e muito mais de tudo que ele têm nos dado por toda nossa vida! Beijos, Pai! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 4:59 PM

De Volta ao Ninho

Chegamos à pouco de Leicester, da casa dos pais do Martin. Ficamos um dia a mais que o planejado e tivemos uma estadia muito boa por lá. Estamos muito cansados, todas as malas e pacotes pelo chão, um sanduíche no estômago e muito sono no corpo. Tenho uma tonelada de e-mails para responder, cartõezinhos eletrônicos para ler e muita coisa para escrever. Mas não vai dar para ser agora. Primeiras coisas primeiro.

Escrito a mão pela Marcia às 4:52 PM

dezembro 22, 2002

FELIZ NATAL FELIZ


Amanhã de manhã partiremos para Leicester e só voltaremos de lá perto do Ano Novo. Desejo a todos vocês um Natal com todas as alegrias que a vida sabe ter e um Ano de 2003 de muita paz, muitos aprendizados, muitas conquistas e principalmente muito amor universal e incondicional, que é o que o mundo precisa.

Escrito a mão pela Marcia às 12:43 PM

"And so This is Christmas"

Meus amigos quase todos já me desejaram Boas Festas e se despediram por este ano. Então acho que o ano já acabou mesmo, só eu é que estou achando que ainda estamos no dia 22 de Dezembro! Vou preparar um post de fim de ano daqui a pouquim.

Escrito a mão pela Marcia às 11:18 AM

dezembro 21, 2002

Planejando nosso Studio

Não temos espaço aqui em casa para o que chamam de Home Office, com mesas em formato de S, gabinetes de pasta suspensa, biblioteca, sofás e tudo mais. Esse aliás, é meu sonho de consumo, mas não temos condições -- físicas ou financeiras -- de montarmos um. De qualquer forma, um quarto dedicado para o trabalho e leitura é chamado aqui de studio. Adorei o nome! Então estou superempolgada de planejar nosso Studio.

Por dias estamos pesquisando mesas para o computador. E é incrível como a maioria das fotos de catálogo mostram mesas lindas,
arrumadíssimas, mas só com um simples iMac ou com um laptop ou com um monitor de tela plana sobre ela. Assim é fácil, né? Tem umas fotos com um iMac e um vaso (!!!). Vou digitar com o vaso?? E onde é que nós enfiamos a parafernália toda de impressora, scanner, caixas de som, teclado, mouse, telefone, cabos, cabinhos e cabões??? Ãhn?? Pois então. Temos que ser muito cuidadosos para escolher o móvel certo, que caiba tudo e ainda sobre espaço na mesa para escrever ou apoiar um livro, por exemplo, além das xícaras de chá, não nos esqueçamos!! Mas nosso espaço é limitadíssimo, porque além de tudo ainda temos que
guardar duas bicicletas no mesmo quarto, ops, studio. Fizemos uma lista das prioridades dos nossos móveis, que precisam ser nesta ordem de importância:

• ergonômicos
• adaptáveis à nossa falta de espaço
• capaz de armazenar nossos periféricos
• não muito caro
• durável
• bonito

É um verdadeiro quebra-cabeças. Mas Mr.M é um marido porreta e está desenhando todo nosso planejamento no AutoCad, com as medidas milimetricamente precisas, para que nada saia maior do que a encomenda. Ele até faz os testes de abrir e fechar a porta, circula a cadeira, uma graça esse moço.

A mesa é de canto. O gaveteiro que compramos/ganhamos da empresa dele vai ser o apoio da nossa impressora. O scanner vai ficar guardado até comprarmos o outro gaveteiro para o lado esquerdo. A mesa é funda e larga o suficiente para o mouse, teclado, monitor, caixas de som e xícaras de chá. A CPU vai ficar no chão. O painel da mesa esconde os fios todos. Uma estante estreita e alta vai guardar nossos livros, pastas de arquivo e papelaria, mas não compraremos agora, só mais tarde. Assim como a cadeira. E é só. Eu estou bastante satisfeita com nosso plano! Não sei quando vamos efetivamente montar o studio, mas nas nossas cabeças ele já está prontinho e vai ficar exatamente assim. Tomara que dê certo! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:22 PM

Conto de Natal

No Natal de 1897, uma garotinha americana chamada Virginia O'Hanlon, enviou uma carta para o jornal The Sun perguntando se Papai Noel existia. A resposta foi dada pela editoralista Francis Church. A repercussão foi tão grande que o The Sun reproduziu o editorial em todos os Natais, até o último número, em 1949. Eu recebi a reprodução desse editorial por um acaso, num encarte dentro de uma revista e guardei comigo por muito tempo. Hoje divido com vocês:

Editorial do The Sun, 1897

"É com enorme prazer que respondemos à carta abaixo, aproveitando para expressar nossa enorme gratidão em reconhecer sua autora como leal amiga do The Sun.

Prezado editor
Tenho oito anos. Alguns dos meus amigos dizem que não existe Papai Noel. Meu pai costuma falar:
"Se estiver no The Sun, então será verdade". Por favor, me diga a verdade. Papai Noel existe?

Virgínia, seus amiguinhos estão errados. Provavelmente foram afetados pela descrença de uma época em que as pessoas acreditam em poucas coisas. Só acreditam naquilo que vêem. Nesse nosso grande universo, o homem é um mero inseto, uma formiguinha, quando seu intelecto é comparado com o infinito que o cerca ou quando medido pela inteligência capaz de entender toda a verdade e conhecimento.

Sim, Virginia, Papai Noel existe. Isso é tão certo quanto a existência do amor, da generosidade e da devoção, e você sabe que tudo isso existe em abundância trazendo mais beleza e alegria à nossa vida. Ah! como seria triste o mundo sem Papai Noel! Não haveria então a fé das crianças, a poesia e a fantasia para fazer a nossa existência suportável. Não teríamos alegria nem prazer a não ser com os nossos sentidos: seria preciso ver e tocar para poder sonhar. A transparente luz das crianças, com a qual inundam o mundo, seria apagada.

Você poderia pedir ao seu pai para contratar muitos homens para vigiar todas as chaminés na véspera de Natal e assim pegar Papai Noel; mas, mesmo que você não o visse descendo por elas, o que isso provaria? Ninguém vê Papai Noel, mas não há sinais de que ele não existe.

Ninguém pode conceber ou imaginar todas as maravilhas do mundo que nunca foram vistas e que nunca poderão ser admiradas. As coisas mais reais no mundo são aquelas que nem as crianças nem os adultos podem ver.

Existe um véu cobrindo o mundo invisível que nem o homem mais forte do mundo poderia rasgar. Somente a fé, a poesia, o amor e a fantasia podem abrir essa cortina e desvendar a beleza e a glória celestiais que existem por trás dela. Será que tudo isso é real? Ah, Virginia, em todo este mundo não existe nada mais real e duradouro.

Se existe Papai Noel? Graças a Deus ele vive e viverá para sempre.

Daqui a mil anos, Virginia, e ainda daqui a dez mil anos ou dez vezes esse número, ele continuará a fazer feliz o coração das crianças. "

Escrito a mão pela Marcia às 5:23 PM

Boa Notícia!

E o bom Papai Noel anda entregando meus presentes às prestações. Ontem recebi a notícia de que meu apartamento em São Paulo foi finalmente alugado, para nossa completa felicidade e tranqüilidade! Isso vai nos ajudar imensamente no orçamento porque além de nos livrar do valor do condomínio também vai nos ajudar a pagar o financiamento. Espero de todo coração que o novo inquilino viva momentos bem felizes naquele lugarzinho tão especial. **UFAAA**

Escrito a mão pela Marcia às 4:57 PM

dezembro 20, 2002

Arquivos: Procuram-se


*snif* Onde meus arquivos de 2001 foram parar? Toda vez que acesso qualquer link dos arquivos de 2001, recebo a informação de
"página não-encontrada".

Já republiquei-os, já troquei por No Archives, salvei e depois mudei para Monthly novamente e salvei de novo e republiquei
tudo de novo. Mas não funciona.

Alguém poderia me dizer o que devo fazer numa situação dessas, plis?

UPDATE: os arquivos voltaram a funcionar, sem que eu mexesse um mouse. Acho que foi uma queda temporária do Blogspot
onde este blog está armazenado.

UPDATE 2: Mary, Giorgia, Fal e Beta, ainda bem que os arquivos voltaram. Eu também havia feito um backup
na unha, como a Fal, mas o Edney, sempre tão atencioso, me contou que existe um software chamado Teleport que copia o conteúdo de todo um site para o disco. Ele diz que é mais fácil porque você pode gravar imagens e outras cositas mais. Ainda não testei, mas achei muito bom, afinal, como pode uma canceriana viver sem seus arquivos passados???

Escrito a mão pela Marcia às 2:18 PM

Por uma coluna menos ordinária


Minhas costas doem. Bem perto da bacia. E a culpa é do computador sem mesa. Passo muitas horas sentada, digitando, estudando e lendo uma porção de coisas na frente do computador, que fica no chão, num lugar improvisado e absolutamente nada ergonômico. Nós vamos tentar comprar nossa mesa para o computador logo depois do Natal, que é quando as todas as lojas na Inglaterra fazem o grande Saldão dos Encalhes, ou seja, dão descontos que chegam a 50% até 70% de tudo que não foi vendido no Natal! No ano passado aproveitamos essa época para comprarmos muita coisa para nossa casa, que estava vazia e
pelada. Este ano queremos nossa tão esperada mesa. No escritório do Martin, fizeram uma queima dos móveis dos pobres funcionários que foram mandados embora. Compramos um gaveteiro por £5! Não vejo a hora de ter nosso lugarzinho certo de estudar, não vejo a hora!

Escrito a mão pela Marcia às 2:00 PM

Tempo Sem Graça

Apesar do frio, me forcei a sair de casa. Fui até o correio, depois fui comprar ovos, pães, essas coisas. O comércio continua enlouquecido. Fiz minhas compras e a chuva resolveu despencar. E não pára. Tive que voltar mais cedo pra casa, humpf.

Escrito a mão pela Marcia às 1:52 PM

Dúvida Cruel

Agora eu não sei o que faço com o dinheiro. Não sei se compro um livro, se gasto em chocolate, se vou ao cinema. Não vou comprar outra caixa de Finish, não. Não quero ser monótona, hehe.

Escrito a mão pela Marcia às 9:20 AM

Primeiro Cheque

Haha! Quem disse que eu não trago dinheiro para esta casa? Trago sim, veja só. Este é o primeiro cheque inglês emitido para o meu nome. De £8,80. Meu primeiro cheque! E de uma empresa respeitável, a Reckitt
Benckiser, poderosona que produz toda linha Finish, para lava-louças. Hehehehehehehehe

Agora vou me explicar. Comprei uma caixa de 66 tabletes da Finish para a lava-louças e quatro deles vieram danificados, uns faltando pedaços, outros muito pequenos, outros quebrados, outros com duas bolinhas. Tirei a foto de dois deles:

Escrevi para o Serviço de Atendimento ao Consumidor da Reckitt Benckiser reclamando sobre isso e enviei as fotos. Me enviaram um e-mail pedindo para que eu retornasse a caixa vazia do produto e me deram um código para não pagar a postagem. Enviei a embalagem e em poucos dias eles me mandaram este cheque no valor total do produto, junto com uma cartinha pedindo desculpas. Chegou ontem e fiquei bem contente!

Atendimento ao consumidor eficiente faz exatamente isso. Faz o consumidor se sentir muito satisfeito e contar para todo mundo, aumentando a boa imagem da empresa. Afinal, eles não precisavam pagar o total já que ainda estou usando os outros 62 tabletes restantes em perfeito estado. Mas eles fizeram questão de fazer o reembolso total (até um pouco mais, na verdade, pois sempre pago cerca de £6,90 a caixa) e não correr o risco de queimar a imagem deles. Eu gostei da atitude. E principalmente do cheque! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:12 AM

dezembro 19, 2002

Comemorando


Ontem Martin voltou para casa às quatro e meia da tarde para passar mais tempo comigo. Depois à noite fomos jantar. Fizemos a reserva por telefone num bistrô e quando chegamos ao lugar, surprise!! O bistrô havia fechado e no lugar abriram um restaurante grego!! Então mudamos de idéia e fomos a um restaurante italiano bem bacana. A comida estava ótima e o vinho também. Mas a temperatura estava despencando lá fora e logo voltamos para casa. E hoje pela manhã os carros estavam cobertos por uma grossa camada de gelo, o povo todo carregando panelas de água quente para degelar o párabrisas.

Escrito a mão pela Marcia às 8:45 AM

Agradecimentos

Puxa, puxa! Quantos comentários bacanas que vocês me enviaram!! Adorei cada um deles e, é claro, amei o que minha mãe e meu pai escreveram também! Sei que para eles a minha saída de casa significou muitas mudanças, mas eles também foram fortes e nunca faltaram com o apoio e o amor de sempre. Muito obrigada Dona Walkíria e Seu Jorge do meu coração, também amo vocês!

Obrigada à Mary, sempre tão presente e sempre tão amiga no meu dia-a-dia; à Giorgia, que tantos momentos parecidos já enfrentamos; à Priscila e à Priscilla, que estão acompanhando meus dias com toda atenção; à Ana, fã de Olivier Anquier então só pode ser boa gente; à Marcia, que muito tem de experiência no exterior para nos contar; à Dr. Beta, um ser humano lindo que tem sempre algo doce para me falar; à Marie, uma das minhas primeiras leitoras que acompanha a saga desde quando eu ainda estava no Brasil; à Cris-amiga-querida, mãe dedicada de Carolina e a inventora do apelido "Dona Wal" para minha mãe; à Luciana, que sempre me contagia com a alegria e o entusiasmo pela vida e à minha irmã Débora, por todo o apoio e incentivo.

Muito obrigada, é ótimo receber este carinho imenso de vocês!

Escrito a mão pela Marcia às 8:28 AM

dezembro 18, 2002

UM ANO DE VIDA NA INGLATERRA


Um ano desde que pisei em solo britânico para ficar. Já contei
como tudo começou na época do nosso casamento, então não vou me repetir. Mas posso fazer uma pequena reflexão sobre estes 365 dias mais felizes e ao mesmo tempo mais difíceis da minha vida. Um ano desde que trouxe mala e cuia para o sul da Inglaterra. Por mais que a gente pense estar pronta para enfrentar o que vem pela frente, nunca estamos verdadeiramente preparados para mudanças. A saudade é muito
maior do que jamais imaginamos. O clima, o povo, os costumes e a língua, tudo é muito pouco familiar, pouco acolhedor neste começo. Imigrar não termina no desembarque. Imigrar é um processo. Às vezes lento, complexo e difícil. Mas muitas vezes gratificante. Ainda é cedo demais para me sentir adaptada à nova vida e me pergunto se um dia ainda vou me sentir completamente adaptada, porque afinal, nunca serei uma inglesa e fundamentalmente nunca vou deixar de ter minha essência brasileira.

Faz um ano também que Martin e eu dividimos o mesmo teto, o mesmo chão e o mesmo pão. Um ano que seguimos de mãos dadas por todas as dificuldades, um ano que fazemos da conversa nossa aliada para a paz, um ano que nos respeitamos como seres humanos, sobretudo. Temos nossas diferenças, nossas individualidades, nossas particularidades, muitas delas, mas também temos um sentimento comum que faz a vida compartilhada valer a pena em cada um dos seus instantes. Enfim, foi um ano que valeram por dez. Aprendi muito mais do que esperava, encontrei em mim muito mais do que imaginava, ganhei muito mais do que precisava, vivi muito mais do que acreditava.

Escrito a mão pela Marcia às 10:39 AM

dezembro 17, 2002

Um Ano Fora de Casa

Exatamente hoje faz um ano que saí da casa dos meus pais, me despedi deles e da Bianca, deixei um ninho tão seguro e cheio de amor. Há um ano atrás eu estava deixando meu País para vir viver feliz com o Martin, onde quer que ele estivesse. Uma mochila e uma mala de viagem. E muita coragem. E muitas esperanças. E tudo deu muito certo. Mas é só amanhã que comemoro um ano de vida na Inglaterra. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:15 PM

Ajuda para o Charlie

Minha amiga Luciana está tentando arranjar um lar para o belezinha do Charlie, que é um cãozinho que foi encontrado ferido, mas que agora passa superbem, tem adestramento básico e precisa de uma boa família para adotá-lo. Ele tem uma carinha bem simpática e se fosse por mim ele já estaria morando aqui em casa. *chuinf*

Boa Sorte, Charlie!!

Escrito a mão pela Marcia às 8:42 AM

Nuvens Esparsas


Estou melhorando. Ontem saí de casa depois do almoço e fiquei o dia todo no centro da cidade. Precisava respirar ar puro (e gelado) e ver pessoas, além de ir ao correio. Não resisti à tentação e acabei entrando na Borders -- que tenho certeza, é gerenciada pelo demo -- e acabei comprando o CD da Norah Jones para o Martin, de Natal. E comprei também um bloquinho de papéis de origami para mim. Fiquei por lá até as cinco e meia da tarde, porque -- já contei?? -- tudo aqui fecha às cinco da tarde, não importa se é Natal, Dia das Mães, Valentines Day, nadinha. Ninguém quer lucrar, pelo jeito. Mas foi bom ter saído de casa e ter me distraído. Hoje o céu continua nublado, mas não está completamente coberto, consigo ver, de forma bem vaga que talvez seja alucinação, um certo cinza-azulado e espero de todo coração que pelo menos uns cinco minutos de sol surjam no horizonte. Porque, sinceramente, está ficando complicado.

Escrito a mão pela Marcia às 8:22 AM

dezembro 16, 2002

Tudo Nublado

Frio + tempo nublado + depressão natalina + tpm + mau-humor = falta do que escrever.

Escrito a mão pela Marcia às 11:32 AM

dezembro 14, 2002

Ficus Girassolis em Terapia Intensiva

Nossa árvore Ficus estava sofrendo não apenas com a falta de luz, mas também com o excesso de água. A reação mais comum de qualquer leigo como eu é dar mais água para a planta assim que percebe que as folhas estão caindo. Ledo engano. Eu não havia reparado, mas o cachepot que é de cor preta estava cheio de água! Esvaziei, lavei e sequei o cachepot. Deixei a árvore secando o solo o dia todo. Aproveitei para limpar todas as folhas, que estavam empoeiradas e o livro diz que isso bloqueia a respiração. Agora Ficus Girasolis está bem brilhante, mais verde e, em breve, vai estar mais feliz!

Escrito a mão pela Marcia às 8:59 PM

Na Contra-Mão

Enquanto a grande parte da população da nossa cidade está se descabelando com compras de Natal, entrando em lojas entupidas
de gente, enfrentando filas quilométricas e equilibrando caixas e sacolas, nós fomos pela contra-mão. Acordamos tarde, ficamos conversando de pijamas até a chuva passar, demos um pulinho em Poole, sentamos em um restaurante bem pequeno, que é um dos nossos favoritos, comemos bruschetta, bebemos chopp. Depois fomos ao cinema assistir Harry Potter e a Câmara Secreta, nos divertimos bastante. Voltamos para casa, comemos noodles e estamos relaxando. Dia feliz! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:53 PM

dezembro 13, 2002

O Sonâmbulo


Ontem a noite eu estava morrendo de cansaço. Na noite anterior tive insônia, dormi pouco e acordei bem cedo, com o sono perdido. Quando deitei na cama ontem, estava pregada, morrendo de sono, ainda bem. Apagamos a luz e dormimos. Lá pelas tantas, ouço Martin falando alguma coisa em voz alta. Perguntei o que era, porque não havia entendido, afinal estava dormindo pesado. Ele falou novamente, mas não entendi de novo. Em seguida ele levanta da cama e corre para a suíte que fica bem do lado da nossa cama e acende a luz. Pensei que ele estivesse enjoado, com piriri ou sei lá o quê. Mas não ouço barulho nenhum e logo ele volta para cama e deita. Eu já estava preocupada, sentada na cama e pergunto se ele está se sentindo bem. Ele vira pro outro lado e responde: "sim, sim, estou bem, tudo ok, boa noite", se cobre e em poucos segundo está dormindo. E eu
fico com cara de interrogação, mau-humorada por ter acordado por nada e perco meu sagrado sono de novo. Peguei no sono um pouco mais tarde. Pela manhã pergunto para ele por quê raios ele me acordou só para ir no banheiro?!? E ele me olha espantado e pergunta: "Eeeuuuuu fui no banheeeeeiro??? Quaaaando???" Não lembra de nada, o infeliz. Nadinha, nem da luz na cara, nem de ter levantado da cama, nada.

Escrito a mão pela Marcia às 10:38 PM

Redundancies Day

Hoje de manhã foram anunciadas as demissões na empresa em que Mr.M trabalha. Muitos funcionários foram cortados, bônus de Natal suspenso, cancelamento de revisão salarial. Este ano foi realmente de crise para as empresas do mundo inteiro. Martin está a salvo, graças a deus, mas triste pelos colegas que vão ter um Natal bem complicado.

Escrito a mão pela Marcia às 1:50 PM

dezembro 12, 2002

Para quem já aprendeu a gostar de ler

Foi inaugurado o site Portal Literal, com a participação de feras como L.F.Veríssimo, Lygia Fagundes Telles e Rubem Fonseca. Amém.

Escrito a mão pela Marcia às 6:23 PM

Telefonema da Lu!!!


Mais uma ligação!! Vou me achar! Tô me achando, pronto, tô me a-chan-do!!! Minha amiga Luciana me ligou agorinha, agorinha mesmo. Me ligou lá de Pittsburgh e me contou que lá choveu granizo por horas! Fofocamos e fofocamos pelos cotovelos, joelhos e calcanhares. É tão bom falar com a Lu, ela é sempre alto astral, sempre uma alegria imensa na voz dela! Estávamos superfelizes, e eu mais ainda porque foi muito bom compartilhar com a idéia dela, junto com outros amigos, para a Campanha Natal sem Fome. Assim, sem muito esforço, mas com muita vontade de ajudar, conseguimos a façanha de juntar 220kg de alimentos para serem doado! Legal-legal-legal. E isso não é nem a unha do mindinho do pé de como é a Luciana. Beijos, amiga, adorei
falar contigo! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 5:49 PM

Papeando

E hoje fofoquei mais um pouquinho com a Mary. Foi muito divertido, falamos pelos cotovelos todos. O pobre do Stefan teve que ter paciência com a gente. Hehehe.

Escrito a mão pela Marcia às 1:16 PM

C-a-n-s-a-d-a

Luvas e Mr.Muscle ("ama o trabalho que você odeia"). Por aí já se vê que a limpeza hoje foi pesada. Fogão, forno e exaustor. Gaah, estou um caco. O forno, minha gente, estava muito sujo. Muito. Tive que desparafusar o vidro da porta e tudo mais. E o exaustor? Muitas grades, muita gordura e muito complicado de limpar por dentro. Fora que a escada escorregou e eu quase fui pro chão. Muito cansada. Meu almoço está sendo pitta bread com houmus. Sem energia para pensar em cozinhar. Ufa.

Escrito a mão pela Marcia às 1:15 PM

dezembro 11, 2002

Ficus Girassolis

Nossa arvorezinha Ficus parece também estar sofrendo de Seasonal Affective Disorder. Muitas folhinhas caindo, mesmo as novinhas. Li no livro que pode ser frio, falta de adubação ou pouca luz. Como adubei a pobrezinha recentemente, só restou o frio e a falta de luz. Hoje o sol apareceu timidamente e se escondia diversas vezes. E eu fiquei atrás de seus fracos raios o dia todo, carregando a planta de lá pra cá, para a coitada receber mais luz.

Escrito a mão pela Marcia às 3:30 PM

Programas na TV

Ontem foi o último programa da série Jamie's Kitchen, o projeto que teve como objetivo tornar 15 adolescentes desempregados em cozinheiros. O programa se encerrou com a inauguração do restaurante Fifteen, com Jamie Oliver completamente afundado em dívidas e stress e 11 trainess bem passados, porém crus por dentro.

E esta semana encerra o Fame Academy. Eu sinceramente me impressionei com alguns alunos realmente talentosos deste programa. Estamos torcendo para uma garota chamada Sinead, já ligamos uma vez para votar. Nesta sexta-feira é a grande final. Eu não gosto muito dos outros dois finalistas, mas eles são bons também. Gostava de um chamado Ainsley, que tinha uma personalidade bem despojada e rebelde e eu gostava da voz dele. Mas ele foi banido na semana passada. Agora estamos torcendo pela Sinead.

Escrito a mão pela Marcia às 3:24 PM

dezembro 10, 2002

Nem Tudo são Flores

Nem tudo o que eu cozinho aqui em casa fica delicioso e digno de foto. Muitas vezes sai mesmo uma gororoba sem tamanho. Ontem
preparei uma sobremesa, assim, sem receita nenhuma. Bati a poupa de maracujá (comprei a preço de ouro), coei, misturei com creme de leite e leite condensado. Gelei, arrumei as taças com pedacinhos de suspiro e o creme de maracujá. O diabo é que o leite condensado daqui é mais doce do que o do Brasil, mesmo sendo da Nestlé. E com os suspiros, então, ficou dulcíssimo! Mesmo assim servi.

Eu, comendo, pergunto para Mr.M: ficou muito doce?
Mr.M, empurrando a taça para longe: Se eu comer mais um pouco fico enjoado!
Eu:...

Escrito a mão pela Marcia às 3:14 PM

Notícias da Holly

A pequena Holly passa bem. Falamos com o Rob ontem e ele nos informou que os exames de sangue dela mostraram resultados normais, que ela não teve mais problemas respiratórios e que agora só falta o resultado do ecocardiograma ser entregue. Estamos de dedos cruzados para que tudo não tenha passado de um grande susto.

Escrito a mão pela Marcia às 12:17 PM

Queridoca Mary

Como é bom conhecer pessoas tão especiais neste vasto mundo. Hoje a Mary me ligou diretamente da Suécia! Batemos um papinho rápido mas foi uma delícia poder ouvir a voz dela, conversar sobre nossas
experiências tão parecidas, me senti como se ela estivesse aqui na sala, tomando um chazinho comigo. Fiquei tão feliz com a
ligação!! Mary, precisamos fazer isso mais vezes e você precisa vir aqui tomar um chazinho de verdade com a gente aqui (vou pra Suécia só no verão, tá? hihihi)! Enfim, eu reclamo o tempo todo, mas a grande
verdade é que muitas coisas boas aconteceram na minha vida desde que me mudei para cá e desde que comecei este blog. Conhecer a Mary foi sem dúvida nenhuma um dos presentes mais valiosos! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:14 PM

dezembro 9, 2002

"É tão mineiro, uai, é bom demais..."

Para celebrar o sol que nos visitou hoje, preparei um jantar mineiro: arroz branco refogadin, couve picada miudin, feijão preto, farinha de mandioca e bisteca! Nhaaaam! E para a alegria geral da minha amiga Cristina, Mr.M já sabe cantar o trecho "não tem como duvidar" da canção (se é que pode se chamar de tal) Mineirinho. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:09 PM

Wish List

Resolvi fazer uma lista de presentes para pedir à Santa Claus. Sei que ele já está velhinho e não vai lembrar de me trazer todos ou quando muito, vai lembrar onde por deus, onde foi mesmo que ele guardou a minha listinha? Mas tudo bem, a amizade é a mesma. Ah, não esperem uma lista cheia de clássicos intelectuais indispensáveis, porque não, não sou assim. Minha lista é tão simples quanto eu.

Livros em Português
Pequenas Epifanias, Caio Fernando Abreu
200 Crônicas Escolhidas, Rubem Braga
O Clube dos Anjos: Gula, Luís Fernando Veríssimo
O Ano da Morte de Ricardo Reis, José Saramago

Livros em Inglês
Blackberry Wine, Joanne Harris
Portrait in Sepia, Isabel Allende
Beatrix Potter Complete Tales, Beatrix Potter
Alice's Adventures in Wonderland, Lewis Carroll
Like Water for Chocolate, Laura Esquivel

DVD
Back to the Future Trilogy Box Set
Babette's Feast
Chocolat
About a Boy
A Beautiful Mind
Notting Hill

Games

The Sims On Holidays
The Sims Unleashed

Escrito a mão pela Marcia às 11:51 AM

dezembro 8, 2002

Planejando o Natal

Este final de semana fez muito frio, com temperaturas de 3ºC a -1ºC, com umidade de 93%, o que deixa o ar bem semelhante a um freezer. Mesmo assim conseguimos sair de casa para fazer algumas compras que precisávamos. Compramos umas roupinhas rosinhas bem lindas para a Holly, alguns babadores em formato de bichos e meias rosas e brancas para combinar, além do cartãozinho. Compramos chocolates da Lindt para o Rob e a Louise, para eles lembrarem que a vida é feita de coisas doces também.

Ainda falta comprar os alimentos para fazer o almoço de Natal, mas pelo menos o peru já foi reservado numa das fazendas em Leicester. Resolvemos que vamos tentar passar um Natal sem presentes. Nem pros pais do Martin, nem pra irmã dele, nem para o cunhado e nada para nós também. E provavelmente não vou conseguir mandar nada para minha família no Brasil também.

Concordamos com a família dele de fazer um almoço caprichado, com boa comida, bons vinhos, boas sobremesas e mais nada. Sem presentes. Todo mundo achou ótimo e eu também, já que esse consumismo exacerbado na época do Natal me deixa um pouco estressada, além de estarmos praticamente sem dinheiro nenhum nestas festas. Ah! Aqui não tem essa de décimo terceiro salário, não. Mas Martin conhece a família que tem e acha que mesmo que eles tenham sugerido isso, sabendo da nossa situação, eles vão nos dar ao menos uma caixa de bombons ou outra coisa pequena. Então nós também precisamos comprar algo como uma
garrafa de vinho, um livro ou umas compotas. Então não vai ter presentes, mas vai ter presentes, ficou claro?

Quanto aos nossos presentes particulares, ainda não decidimos também. Mr.M não tira da cabeça a idéia do CD Player para o carro, já comprou diversas revistas para saber qual é o melhor modelo e vive pesquisando preços na Internet. Obviamente não acho que é uma prioridade, mas ele também tem trabalhado muito nesses últimos meses, sem sair para almoçar nem nada. E grande parte da nossa receita vai toda para nossa casa. Ele merece um agradinho. Talvez não compraremos até o Natal, mas no mês que vem, quem sabe? Da minha parte, muitos livros, muitos muitos livros fazem parte dos meus sonhos natalinos e espero que Santa Claus traga alguns muitos deles, mesmo atrasado.

Decoração aqui em casa não há nenhuma, por enquanto. Bem ou mal, árvore de Natal + coisinhas para pendurar na árvore + luzinhas piscantes, acabam saindo quase £30,00!! Quem sabe uma guirlanda na porta, né? Ou uma meia daquelas grandonas pendurada na janela? Temos uma árvore Ficus na sala, pensei em decorá-la, mas a pobrezinha está em período de recuperação, já que perdeu muitas folhas esses dias.

Mas enfim, encontraremos uma saída para tudo. Afinal, o mais importante, que é estarmos bem juntos e recém-casados, nós já
temos como forma de presente! O resto, bem, o resto pode esperar. Muitos Natais virão, se Deus quiser. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:15 PM

dezembro 7, 2002

SAD

Acho que estou sendo atingida em cheio pela tal S.A.D - Seasonal Affective Disorder, que é uma patologia associada à falta de luz solar. Diga-se de passagem que não sou fã de calor-Rio-40-Graus nem sou odiadora de frio. Gosto de cada estação com suas características próprias. Mas céu nublado dia após dia não é fácil. A temperatura aqui já está gritando alto aos quatro ventos que o outono acabou e que o inverno é quem manda agora. A sensação de frio úmido no ar agora é intensa e ainda nem mudamos de estação. Mas isso não me incomoda. Os dias em que o sol aparece são congelantes e mesmo assim me empolgo para dar uma volta, respirar ar puro e gelado, volto pra casa bem disposta e tal. Nos dias de densa névoa e céu nublado e escuro, quero apenas meu livro, minha coberta e nem fome eu sinto.

Às três da tarde você sente uma certa obscuridade na luz e pensa "vai chover". Daí você olha pro céu e lembra que não vai chover nada, porque na verdade já está mesmo anoitecendo. Três da tarde, notem. Quatro e meia da tarde já é noite escura e fechada. Então tá.

Ligo a televisão e vejo a previsão do tempo para a semana toda. O moço falando todo inteligente mostra um mapa do arquipélago
britânico com um monte de setas indo pro norte, fazendo curva no sul, setas vindas da escandinávia, da suécia, do deus-dará. Depois o mapa muda para ficar cheio de áreas brancas (neve), azuis (frio insuportável) e amarelas pálidas (muito frio). Mas minha atenção fica toda naqueles desenhos, aqueles pequenos desenhos, aqueles que no Brasil geralmente eram sol-com-nuvem (parcialmente encoberto), sol (ensolarado), sol-com-chuva (chuvas esparsas). O mapa que vejo na BBC tem nuvens pretas, nuvens cinzas, nuvens brancas e nuvens-com-chuva.

Desligo a TV e fecho as cortinas.

Escrito a mão pela Marcia às 5:28 PM

dezembro 6, 2002

Sol no Horizonte

Mas não há humor talhado que estrague a minha felicidade pela querida Mary! Que ela é ótima, ninguém tem dúvida. Acontece que ela escreveu um artigo em sueco para o jornal da cidade dela falando do preconceito sofrido pelos imigrantes na Suécia, no que diz respeito ao mercado de trabalho. O artigo repercutiu e agora um dos principais jornais do país quer publicar o mesmo. Não contentes, convidaram a Mary a dar uma entrevista na TV!!! Não é o máximo? Estou super orgulhosa por ela, por estar mostrando a sua força e lutando pelos seus direitos. Não duvido nada que isso gere uma ampla discussão e uma revisão das atitudes dos empregadores. E estou muito feliz principalmente por ela estar mostrando que o talento dela estará
sempre com ela, não importa se ela mora no Rio ou em Boden. Se agora ela não tem um emprego formal, não quer dizer absolutamente nada, porque o talento vai para sempre existir nas mãos, na cabeça e no coração. Parabéns, Mary!

Escrito a mão pela Marcia às 2:40 PM

Tempo Nublado


O tempo por aqui está muito esquisito. Estava fazendo sol até poucos minutos, agora tudo ficou encoberto, escuro e mais frio ainda. Parece que vai chover, mas não chove. E eu também estou neste mesmo humor, meio estranha. Não sei bem o que escrever hoje aqui. Então não digo nada, já que bem dizia o sábio: "quando abrires a boca cuida para que tuas palavras sejam melhores que o teu silêncio".

Escrito a mão pela Marcia às 2:31 PM

Curly Kale

Ontem recebemos nossa tão famosa cesta e desta vez veio um maço de Curly Kale. Há quinze dias atrás nós havíamos recebido o Red Russian Kale, que até então eu não sabia do que se tratava. Muita gente me mandou a informação de que se tratava de um tipo de repolho. Mas kale, que é traduzido como repolho para o português, na verdade é um tipo de couve. O mesmo cheiro, a mesma textura e principalmente o mesmíssimo gosto. Só não é tão macia quanto a couve-manteiga brasileira, mas é igualmente deliciosa refogadinha com alho. Outra surpresa foi ter recebido cenouras e parsnips enormes! Até o suede, que é uma espécie de nabo redondo do tamanho de um coco, ficou pequeno perto das cenouras.

De resto, recebemos brócolis, couve-flor, pimentões, cogumelos e batatas. Dá para reparar na foto como os legumes vêm sujos, cheios de terra, né? Pois a fazenda pede para que sejam guardados na geladeira assim, sem lavar, porque essa camada de terra preserva o alimento e mantém os nutrientes por mais tempo. Apesar de colocar os legumes em sacos plásticos, as gavetas da nossa geladeira ficam todas sujas. Mas vale a pena. Os legumes orgânicos são tão macios que cozinham em poucos minutos, mesmo no vapor. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:57 AM

dezembro 5, 2002

Torcendo por Holly

Recebemos agora a pouco uma notícia desconcertante do Rob, amigo do Martin. A pequena Holly, que nasceu há duas semanas atrás, já teve diversas paradas respiratórias e numa delas, dentro da ambulância, teve uma queda acentuada no nível de oxigênio. Isso causou uma severa arritimia cardíaca, entre outras complicações sangüineas. No momento, após a internação, ela aparentemente passa bem, fez diversos exames, incluindo punção lombar, a pobrezinha. Agora Rob e Louise estão esperando os resultados do eletrocardiograma e do ecocardiograma para saber qual é a real situação dela, vivendo um verdadeiro pesadelo. E nós estamos aqui torcendo pela pequena Holly. Até agora ela tem se mostrado muito muito forte.

Escrito a mão pela Marcia às 2:24 PM

dezembro 4, 2002

Bebês Pipocando

Outro colega do Martin, o Trevor que é casado com minha amiga brasileira Ariete, vai ser papai. Recebemos o e-mail deles, que
estão no Brasil, dizendo que estão esperando o primeiro filho para julho de 2003. Estão superfelizes, como não deveria deixar de ser! E nós também ficamos felizes por eles. Como disse o Martin, parece que o cerco está se fechando ao nosso redor, hehehehehe.

Escrito a mão pela Marcia às 10:05 AM

Menu sem Preconceitos

Ontem fizemos uma iguaria no jantar. Marinamos fígados frescos de galinha em limão, sal, pimenta e uma porção de cheiro verde, coentro e garlic chives. Fritamos em frigideira de grelhar bem quente. Ficou muito bom! :o) Só conheço uma pessoa que come e gosta de fígado, além de nós: minha amiga Luciana.

Escrito a mão pela Marcia às 9:15 AM

Em Acordo

Estamos tentando entrar num acordo, Mr.M e eu. Ainda não fechamos as negociações. Temos duas idéias: comprar presentes de Natal baratinhos um para cada um ou comprar um único bom presente para nós dois. Eu quero a nossa mesa para o computador e Mr.M quer um CD Player novo para o carro, já que o nosso não funciona mais. Mas eu também quero uma porção de livros e Mr.M quer uma porção de CDs, DVDs e robozinhos da Lego. Até agora não chegamos a um denominador comum.

Escrito a mão pela Marcia às 8:57 AM

dezembro 3, 2002

Para todos os dias

Comprei uma agenda 2003 na Borders ontem. Irresistível. É uma em cores pasteis, com ilustrações da Beatrix Potter, a autora do Peter Rabbit, personagem idolatrado pelos ingleses. Tem pouco espaço para escrever a cada dia, quero apenas anotar os aniversários e datas comemorativas brasileiras para não esquecer. Durante todo o ano que vem vou poder me divertir com os traços delicados e detalhados da autora! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 2:12 PM

dezembro 2, 2002

Cartões e Intenções

Fui até o centro pela manhã para comprar cartões de Natal e enviar uma caixona pelo correio. A postagem ficou duas vezes mais cara que o presente, mas a amizade é a mesma. Quem vai receber a caixona merece muito mais. Comprei uns cartõezinhos de Natal. Aqui essa história de cartões de Natal é muito séria, muito muito séria. Martin precisa mandar para os amigos, colegas de trabalho, chefes e todos os seres que se relacionam com ele. É de uma indelicadeza imperdoável deixar de enviar cartões de Natal para quem você conversa e trabalha durante todo o ano. Eu não gosto muito disso, dessa obrigação ser maior que a
intenção.

Escrito a mão pela Marcia às 2:43 PM

Papas na Língua

E Mr.M continua com muita dor no local onde antes existia um dente do juízo. Reclama o tempo todo, faz cara de choro, não consegue mastigar, nem abrir a boca, nem dormir sem analgésico. Desde quarta-feira passada ele está à base de sopa, mingau de Farinha Láctea (grrrrrrrr) e chá. E eu por tabela, solidária que sou, evito comer torresmo, bife de coxão duro, quebra-queixo e similares, na frente dele (e por trás também já que aqui não tem nada disso). Estou na mesma barca furada me afogando em sopa de galinha, sopa de alho poró, creme de aspargos, creme de champignon e creme de bróbolis. Os alimentos mais sólido que comemos no final de semana foram ovos pochê e baked beans.

Escrito a mão pela Marcia às 1:54 PM

Nham!

Hummm, nem conto o que estou comendo agorinha mesmo no almoço. Aliás, conto sim: sanduíche de salame com queijo esburacado. Nham! Vocês não têm idéia de como eu adoro salame! Muito, muito mesmo. Só não gosto daquele tipo hamburguês. Gosto de todos os italianos. Compramos uma bandeja com 12 fatias a preço de ouro, mas valeu a pena, está divino! E o queijo é o Maasdan. Na verdade você compra uma porção de buracos com alguns queijos intercalados. Nham!

Escrito a mão pela Marcia às 1:38 PM

dezembro 1, 2002

É Dezembro

E o último mês do ano começou. Já começamos nossa contagem regressiva para o Natal com os nossos Advent Calendars. Eu queria muito montar uma árvore de Natal, mas ainda não $ei se teremos uma. Preciso fazer um balanço anual de todas as minhas emoções, promessas e conquistas que tive este ano e publicar para um grupo de amigos muito queridos que vão fazer o mesmo. Talvez publique aqui também. No Natal é provavel que a gente passe em Leicester mais uma vez. Mas eu gostaria de passar o Ano Novo tranqüilamente aqui em casa, só nós dois e talvez ir até a praia jogar umas rosas no mar em agradecimento. Minha família aqui na Inglaterra é o Martin e mais ninguém. Mais do que nunca sinto falta dos meus pais e dos meus irmãos nestas
comemorações. Não vejo sentido (ainda) de ficar super-empolgada com fogos de artifício, champagne, peru e tudo mais sem ter eles por perto. Fico, porém, feliz e alegre e celebro as festas por estar ao lado do Martin. E talvez quando a gente tenha nossas crianças, todo o colorido do Natal volte com força total. Por enquanto, o que mais sinto nessas festas é saudades...

Escrito a mão pela Marcia às 8:52 PM

Dente por Dente

Jackie, a irmã do Martin, estava com uma escova de dentes elétrica nas mãos, pronta para ir ao banheiro. Martin perguntou para ela se a escova elétrica era mesmo boa ou se ela era fresca e preguiçosa. Ela olhou para nós espantada e disse: "O quêêêê?? Vocês nunca testaram uma escova elétrica???" E então ela nos contou que a tal escova limpa muito melhor, que você sente na hora como seu dente fica realmente limpinho, que remove placas, que massageia a gengiva e que é difícil conseguir o mesmo com a escova comum. Ficamos todos empolgados para testar! No dia seguinte, passamos na Boots e
surprise! As escovas elétricas da Oral B estavam pela metade do preço! Era o destino, como disse o Martin. Compramos duas bem coloridas, a minha é azul e rosa e a do Martin é azul e verde. Testamos e adoramos a sensação que fica, de dentes e gengivas bem limpos. Não sei como vivi 29 anos sem uma dessas, meu God. Mas a boa e velha escovinha comum continua tendo seu lugar de honra, já que a pilha um dia acaba. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:21 PM

Presentes da Minha Mãe e da Minha Irmã

Minha mãe e minha irmã fizeram uma caixa cheia de tudo um pouco do que eu adoro! Bolo de fubá, pão de queijo, pão de batata,
biscoito de torta de limão, biscoito floresta negra (??), alguns utensílios da Tupperware, minha pomada para alergia e a tão
esperada Farinha Láctea Nestlé!!! Não é uma maravilha?? É sim, nem tenho palavras para contar como cada um desses itens me
deixa feliz e acolhida nesta terra fria e cinzenta. É muito bom receber este carinho que vem "de casa". Muito obrigada Mãe,
muito obrigada Dé. ADOREI tudinho!!!

Escrito a mão pela Marcia às 12:02 PM

Presentes da Giorgia

Estes são os maravilhosos presentes que ganhei da Giorgia! Ela fez com suas
próprias habilidosas e talentosas mãos este móbile lindíssimo de tsurus, com uma delicadeza indescritível! Adorei demais, amo origami e ganhar tsurus é sempre sinal de muita harmonia e energia positiva.

Ganhei também uma coleção de sachês com um perfume bem suave, todos envoltos em tule e com lacinhos! Os sachês também foram
feitos pela própria Giorgia! E esta cesta trançada maravilhosa e brasileiríssima não foi feita por ela, mas sim pelos índios da Tribo Ticuna, do alto Solimões. Não é demais?? Martin ficou encantado ao saber que a cesta veio de uma tribo indígena da Amazônia! A Giorgia passou umas férias incríveis por lá e não esqueceu da gente, que delícia!

Giorgia, muito obrigada por todos os presentinhos feitos com carinho, nós adoramos cada um deles! Muito mesmo! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:39 AM

« novembro 2002 | Main | janeiro 2003 »