« junho 2003 | Main | agosto 2003 »

julho 31, 2003

Presentes para Lucas

Lucas é o filho da Ariete e do Trevor que nasceu há duas semanas. Já vimos as fotos dele, por e-mail, uma gracinha, tão pitititico! No domingo iremos lá na casa deles conhecê-lo pessoalmente.

Então ontem fui comprar o presentinho dele, umas roupinhas bem fofinhas. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:30 AM | Comente este capítulo (5)

julho 29, 2003

Eternas Obras

Finalmente estamos nas fases finais das obras aqui em casa. Nada muito grande, entenda. Uma coisinha aqui, outra ali, mas enquanto isso não termina, não dá para sossegar.

A iluminação da sala foi um capítulo a parte. Porque não, minha gente, não, Mr.M não se contenta com dois bulbos de luz no teto, não. É preciso ter jogo de luzes, efeitos, sombras, opções. Muito bem. Compramos as luzes recessivas no B&Q bem baratinhas, daquelas que ficam embutidas no teto. E embutí-las no teto é que é a questã, sabe? Porque embutir significa abrir buracos no teto, que significa entrar pelo sótão, cortar a manta de fiberglass, comprar serra giratória para a furadeira, cortar o teto e fazer as instalações elétricas necessárias. Encurtando a história, agora temos nada menos que 10 lâmpadas na sala, três sensores (interruptores sensíveis ao toque) com dimmer (controle gradativo de luz) e um controle remoto (ãhn? isso mesmo).

E como foi preciso entrar no sótão, Mr.M aproveitou e colocou piso de madeira daqueles próprios para sótão, de madeira bem vagabunda e barata. Ficou excelente! Daí ganhamos uma imensidão de espaço para guardar uma porção de coisas: malas de viagem, ferramentas, equipamentos de pintura, cabos e uma porção de outras coisas, praticamente uma garági.

No final de semana dei uma boa ajeitada no sótão, organizando as ferramentas, jogando fora um monte de restos de madeira, carpete, caixas e outras tranqueiras que precisavam ir embora. Uma canseira.

Penduramos alguns quadros, entre eles um quebra-cabeças de uma pintura de Tom Everhart, que minha irmã nos deu, e também uma composição de uma foto nossa com fotos de Ted e Toffee.

Enfim, muitas pequenas obras que estão valendo a pena. A sala está uma delícia, as luzes deram um outro ar no ambiente. Agora podemos acender quantas lâmpadas quisérmos, na intensidade que desejármos, dependendo da situação: ler, assistir TV, jantar, ouvir música etc, sem sair do sofá (molezinha!).

Com o espaço a mais no sótão, muita coisa que está no apartamento vai subir para lá. E assim, em breve, poderemos arrumar melhor nosso studio. Temos ainda muitas outras pequenas obras para fazer. Fazer o acabamento do piso de madeira, por exemplo. Além de repintar o studio, tapar os buracos da parede e tirar as marcas de bicicletas, caixas e ferramentas. E também fazer prateleiras num dos armários embutidos do corredor.

Não sei quando vamos terminar de fazer tudo isso definitivamente.

Esta semana vou pintar a moldura do espelhão da sala porque a cor que está (preta) não está combinando com a parede vermelha e me irrita o fato de toda vez que olho, lembro das cores do Manchester United para não falar do Flamengo. Urgh. Nada contra nenhum dos times, mas a moldura vai mudar para cinza-alumínio-fosco. E se há pelo menos um DIY (como a gente chama o faça-você-mesmo) que eu consigo fazer, deve ser pintar.

Então, lá vou eu pôr as mãos na obra.

Escrito a mão pela Marcia às 9:01 AM | Comente este capítulo (12)

julho 27, 2003

Dois Anos!

BlogCake.JPG

Hoje é aniversário deste blog!

Dois anos que escrevo aqui um pouco dos capítulos que vivi.
Dois anos em que releio minha própria vida e reflito sobre meu próprio crescimento.
Dois anos que conto com a maravilhosa, saudável e enriquecedora participação dos meus leitores.
Dois anos em que tive a honra de conhecer pessoas formidáveis, que hoje tenho a satisfação de chamar de amigos.

Dois anos em que minha vida mudou intensamente. Dois anos em que o blog me acompanha em cada um desses passos.

Escrito a mão pela Marcia às 11:18 AM | mais em M&M Family | Comente este capítulo (12)

julho 24, 2003

Os Chillies de Mr.M

Algumas semanas atrás, Martin comprou quatro vasinhos de pimenta, para ajudar um colega que cultiva as plantinhas para arrecadar fundos para caridade.

As plantinhas vieram em vasos do tamanho de um potinho de iogurte. Em pouco tempo tivemos que replantá-las em vasos maiores. Mr. M cuidou do replantio, das regas diárias, da adubação e das conversas. E agora as "plantinhas" estão virando árvores! Enormes, ocupam todo o parapeito da janela, não é possível nem fechar mais a persiana.

Mas o que é mais delicioso é ver as plantas darem frutos. Com um cotonete, Martin foi o responsável dela disseminação do pólen entre as flores e logo as primeiras pimentas começaram a nascer.

Em breve os chillies já poderão ser usados nos nossos jantares indianos e mexicanos. Eu estarei de perto controlando para que Mr.M não exagere na quantidade, já que ele adora pratos apimentados e alguns chillies são realmente, mas realmente muito fortes.

Eis as fotas das plantinhas:

Super Habanero, um dos chillies mais potentes do mundo
Chillies1.JPG
Christmas Bell, começando a crescer
Chillies2.JPG
Hot Mexican (Red Hot Chili Pepper), cheirinho de Tabasco
Chillies3.JPG
Scotch Bonnet Big Sun, que ainda está começando dar flores
Chillies4.JPG

Como vocês podem ver, as pimentas ainda estão bem verdinhas. Algumas vão se tornar amarelas e vermelhas, outras vão permanecer verdes mesmo. El Mexico és aquí!

Escrito a mão pela Marcia às 3:50 PM | mais em Food Talk | Comente este capítulo (8)

Nasceu!

Ontem recebi o telefonema da minha amiga Ariete me contando que o bebê deles nasceu no sábado passado! Que alegria, fiquei muito feliz por eles! O bebê -- um meninininho -- e a mãe estão bem, cheios de saúde. Eles nos convidaram para ir conhecer o novo membro da família deles. Ainda precisamos comprar um presentinho, depois iremos fazer uma visita super rápida, já que para quem tem um recém-nascido em casa a melhor visita é aquela que vai embora. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 7:38 AM | Comente este capítulo (2)

julho 21, 2003

My Goodness Gracious Me!!!

Ontem, domingo, Mr.M e eu sentimos nossos pobres corações se partirem em milhares de pedaços e nossas mentes vegetais murcharem quando assistimos ao último episódio da segunda temporada de SV.

<--spoiler-->
Deu tudo errado nos planos de Cl@rk Kent, a família dele está desmantelada, a casa explodiu e ele resolveu partir. Sem a Lana. E foi. E acabou a série. abuaaaaaaaaaa....
<--/spoiler-->

No meio de nosso desespero sem SV nos próximos meses, hoje não pude acreditar quando recebi um pacotinho pelo correio de ninguém menos que a querida Márcia Aguiar!

E o que tinha dentro da caixa (além de sequilhinhos maravilhosos, nham!!), my God do sky?? O que? O que? A trilha sonora de SV! Oh yeah! Não, gente. Vocês não estão entendendo! A trilha sonora da série SV! Blimey!

"Somebody saaaaave me..."

AMEI-AMEI-AMEI, Márcia! Obrigada mais um bilhão de vezes!

Mr.M também adorou está todo empolgado para chegar em casa e poder ouvir o CD. Que delícia de presente!!! UAU!!

Agora a gente pode se acalmar um pouco até chegarem os DVDs em Outubro.

SmallvilleCD.JPG

Belezinha, né não?? :o)

Escrito a mão pela Marcia às 2:29 PM | Comente este capítulo (4)

BBC e Dr. David Kelly

Foi um almoço informal.

Dr. David Kelly era um cientista renomado, consultor do Ministério da Defesa Britânico. Passou várias semanas no Iraque na época em que o dossiê sobre as armas de destruição em massa foi elaborado.

Um jornalista da BBC, Andrew Gilligan, o procurou e pediu a Kelly que o encontrasse para um almoço informal porque precisava da ajuda dele para se preparar antes de partir para uma reportagem em Bagdá.

Dr. Kelly já conhecia Gilligan e concordou em recebê-lo e dar instruções sobre o Iraque. No almoço, conversa vai, conversa vem, Gilligan tocou no assunto do dossiê. E Dr. Kelly acabou vazando a informação que o dossiê foi "transformado" de maneira exagerada, tornando possível levar a invasão ao Iraque a diante.

Com esse dossiê "transformado", Tony Blair fez seu discurso inflamado no Parlamento, onde explicou que Saddam Hussein poderia mobilizar armas de extermínio em massa 'em apenas 45 minutos'.

De volta à BBC, Gilligan detona a bomba. No dia seguinte, a manchete nos telejornais explode: "Funcionário de alto escalão da inteligência britânica reconhece que dossiê das armas de destruição em massa foi manipulado".

Começa então a investigação no Parlamento para saber quem é o tal funcionário. Jornalistas se transformam em detetives. Toda a mídia investiga todos os passos dos principais membros da defesa.

Gilligan informa o dia, o horário e o local do encontro com o "funcionário da inteligência britânica", mas não o nome. Não muito tarde, cruzando os dados com as agendas dos membros da defesa, o provável nome do Dr. Kelly está em todos os jornais.

O parlamento interroga Dr. Kelly duramente, exigindo explicações pela entrevista não-autorizada, colocando-o como alvo de todas as acusações. Dr. Kelly entrou em choque quando os parlamentares o colocaram à frente de oficiais de alto escalão para eximi-los de culpa. Dr. Kelly era um cientista, afinal. Não era o Primeiro Ministro (Blair), nem chefe de comunicações (Campbell), nem o responsável por escrever o dossiê. Mas a implacável mídia britânica acendeu seus holofotes intensamente no cientista, a polícia lacrou sua casa, o Parlamento o escolheu como Cristo.

Dois dias depois de seu depoimento no inquérito do Parlamento, Dr. Kelly foi encontrado morto, em um bosque perto de sua casa em Oxfordshire, com o pulso cortado e pílulas analgésicas no bolso.

A investigação sobre o dossiê continua, assim como o da morte do cientista. Mas a repercussão agora está na ética da mídia britânica e o seu preço. O que mais se ouve aqui é que jornalismo precisa ser revisto. Porque uma coisa é investigação jornalística, a outra é exterminar uma vida. O público tem direito a informação, mas quem em sua sã consciente ainda achava que o Iraque tinha mesmo armas de destruição em massa, quando nada foi provado? A declaração de Dr. Kelly não trouxe nenhuma surpresa.

Um chefe de estado e um Primeiro Ministro continuaram suas rotinas livres, leves e soltos. Enquanto isso, um cientista foi acusado. Forçado a lembrar das mortes, dos ataques, das famílias destruídas, das criancinhas retalhadas.

E outra vida se foi. Era um almoço informal, a princípio. Uma declaração, um 'furo de reportagem', um suicídio, talvez um homicídio.

No final de seu depoimento, os parlamentares perguntaram a Dr. David Kelly o que ele havia aprendido como lição neste caso. E Dr. Kelly respondeu: "nunca confie num jornalista". Mais uma mancha para marcar as páginas não tão limpas da mídia britância.

Escrito a mão pela Marcia às 10:04 AM | mais em Little Britain | Comente este capítulo (4)

julho 20, 2003

Brasil vence na Inglaterra

Silverstone2003a.JPG

Para falar a verdade, é mais fácil torcer pelo Rubinho aqui na Inglaterra do que no Brasil. Longe das piadinhas imperdoáveis, longe da eterna comparação com Senna, longe das críticas inflexíveis. Barrichello aqui é mais respeitado que Schumacher, que aliás os britânicos odeiam pela forma suja de pilotar e subir na carreira. Barrichello aqui é até mais querido que o próprio britânico David Couthard.

Rubinho não é um desconhecido por aqui. Grande parte de sua carreira foi construída na Inglaterra, quando morava em Cambridge. Silverstone é o circuito que o consagrou como campeão da Fórmula 3, é quase sua segunda casa.

Durante a ultrapassagem que fez hoje no então líder da prova, Kimi Raikkonen, as arquibancadas de Silverstone sacudiram, o público inglês aplaudiu de pé, com direito às cornetas e todo barulho incomum a esse povo.

E os comentaristas da ITV não pouparam nenhum elogio. Disseram que Rubens Barrichello vencera com todos os méritos depois de fazer sucessivas ultrapassagens que, até agora, foram as melhores da temporada. Lembraram das outras vitórias dele em Silverstone e traduziram as lágrimas de Rubinho no pódium como de alguém que finalmente se deu conta do que tem conquistado.

Alguns sinais corporais que Barrichello faz não são fáceis de decifrar para quem não é brasileiro. A sambadinha, que lembra o Brasil e o embalo com as mãos, que homenageia o filho, por exemplo. Mas o braço erguido com o dedo indicador apontando para o céu foi bem claro. "Rubens aponta sua vitória a Deus e a Ayrton Senna. Deve ser difícil para um piloto ter a sombra de Ayrton Senna ao seu lado. Mas aí está a consagração deste brilhante piloto", disseram os comentaristas. E creio, não estavam errados.

Escrito a mão pela Marcia às 8:41 PM | mais em What's on Telly | Comente este capítulo (7)

julho 17, 2003

Assassinato do Bicho-Preguiça

A BBC One está passando um programa semanal tão bom! Chama-se WildLife on One, comandado pelo brilhante David Attenborough, que tem em seu currículo os programas Life of Mammals e The Blue Planet.

Ontem o título do programa foi "Whodunnit?" (tradução: "quem foi qui fez esta porra?").

Local do Crime: Floresta Amazônica

A Cena do Crime: foi encontrado parte do esqueleto de um Bicho-Preguiça no solo da floresta amazônica. A Perícia Médica do programa foi ao local, recortou o solo de toda a área que envolvia o esqueleto e levou a amostra para os laboratórios britânicos.

A Vítima: um jovem e saudável Bicho-Preguiça de três dedos que, apesar da lentião, consegue se livrar dos predadores através da camuflagem.

Os Suspeitos: queda acidental, águias, exército de formigas e onças pintadas.

Evidências: o esqueleto foi encontrado no solo.

A análise mostra que não há ossos fraturados, portanto, a hipótese de queda acidental está descartada.

As águias geralmente levam a presa para o ninho, onde é devorada e onde os restos mortais permanecem. Portanto, águia também descartada.

Os bichos-preguiça precisam, de tempos em tempos, se arrastar pelo chão em busca de comida. Apesar da ameaça, pequenos insetos não conseguem ultrapassar a barreira grossa dos seus pêlos. Portanto, exército de formigas.

Restou a onça pintada. Parte das costelas da vítima estão lascadas. Em duas das costelas há lascas grandes, que indicam uma mordida grande e potente. Porém, há outras pequenas e centenas de mordidinhas nas outras costelas. Uma onça geralmente causa maiores danos aos ossos da vítima no momento da caça e posteriormente durante a refeição. No entanto, o esqueleto se encontrava praticamente inteiro.

Dúvida: de quem seriam as centenas de mordidinhas nos ossos?

A Investigação: os peritos precisaram voltar um passo e recomeçar a análise. Investigando o crescimento das plantas que cresciam ao redor do esqueleto pode-se constatar quando o assassinato ocorreu. Com essa informação, o crime mudou de figura: a época do crime coincide com a época das cheias da Floresta Amazônica. O solo fica cerca de 1m submerso nas águas do segundo maior rio do mundo. Teria o bicho-preguiça sido assassinado na água?

Novos Suspeitos: peixe-elétrico (capaz de gerar um choque de 500v), botos, jacarés, piranhas e tubarões.

Novas Evidências: Bichos-Preguiça são exímios nadadores e podem prender a respiração debaixo d'água por mais de 40 minutos. São capazes de evitar e se defender de pequenos predadores como piranhas e peixe-elétricos. Botos, jacarés e tubarões também são descartados por estraçalharem os ossos da vítima durante a refeição. Caso a nossa vítima tenha sido morta na água, seus ossos mostrariam evidências de afogamento. Porém, os ossos não mostram nenhum sinal de afogamento, a vítima não se encontrava na água no momento de sua morte.

So, whatahell??: Os peritos então partiram do princípio que o Bicho-Preguiça estava em seu habit natural, pendurado em uma árvore, quando foi violentamente assassinado, para então cair nas águas.

Conclusão do Caso: As lascas grandes nas costelas monstram que provavelmente a vítima foi atacada por um animal de grande porte. Os dentes e as presas da Onça Pintada se encaixam perfeitamente às lascas grandes. Por viver em galhos e por seu um animal pesado, o equilíbrio do Bicho-Preguiça e de seu predador provavelmente ficou bastante comprometido. Apesar de ter assassinado a sua vítima com sucesso no momento do ataque, a Onça Pintada deixou o corpo do Bicho-Preguiça escapar entre suas garras e cair nas águas. A Onça poderia perfeitamente se jogar na água e recolher sua presa, mas antes disso, um cardume de piranhas já fazia a festa no moribundo Bicho-Preguiça, deixando pequenas e centenas de mordidas em seus ossos. Passada a época das cheias, o esqueleto da vítima jazia no solo, no mesmo estado em que os cientistas o encontraram.

FIM.

(Triste fim do Bicho-Preguiça brasileiro, que mal sabe que um bando de peritos bretões gastaram mundos e fundos para solucionar sua morte...)

Escrito a mão pela Marcia às 11:44 AM | mais em What's on Telly | Comente este capítulo (7)

julho 15, 2003

Bloggers no Parlamento Inglês

O André Sá me mandou um e-mail informando que cerca de 120 blogueiros se reunirão para um seminário em Westminster, onde estarão explicando ao Parlamento como os blogs podem ser usados como meio de comunicação entre os políticos e o público.

O evento não pretende evangelizar o uso do blog, mas sim esclarecer quais as vantagens desse meio e o que não funcionaria tão bem utilizando essa ferramenta.

Para ilustrar a abrangência dos blogs, o Ministro do Parlamento Tom Watson, que aderiu à idéia há seis meses e criou seu próprio blog, vai ser um dos palestrantes.

Segundo os organizadores, há seis meses atrás ninguém sabia quem era Tom Watson. Hoje, quando você faz uma busca no Google por "Labour MP", você recebe como resultado Tom Watson e não Tony Blair.

Para ler mais sobre o assunto: The Guardian

André, muito obrigada pela informação! Vou ficar de olho nas notícias!

Escrito a mão pela Marcia às 3:15 PM | Comente este capítulo (3)

julho 14, 2003

Baby Shower

Acabei de voltar de um chá de bebê da minha amiga Ariete. O bebê dela e do Trevor está previsto para nascer em duas semanas. Foi bem divertido, ela advinhou o presente que eu dei -- humpft! -- e conheci algumas amigas dela, várias brasileiras.

Voltei para casa a pé e cheguei derretendo, hoje deve ser o dia mais quente jamais visto na Inglaterra. Alcançamos a marca dos 30ºC! Que calor, my Lord Jesus Christ, que calor, que calor!!

Foi bom falar em português e conhecer outras pessoas!

Escrito a mão pela Marcia às 5:45 PM | Comente este capítulo (5)

julho 13, 2003

Domingo no Parque

Hoje fomos a um parque que fica bem perto de onde moramos, chamado Moors Valley. É uma área cheia de atividades para se fazer em família, além de ter um ótimo espaço para fazer pic-nic. Nós fizemos uma trilha por dentro da floresta de pinheiros que durou duas horas. Foi bem agradável. Descobrimos que há uma trilha chamada Go Ape, onde você faz todo o percurso pendurado em cordas, feito macaco. Achei bem interessante e fiquei morrendo de vontade de fazer, mas não fizemos hoje. Fica para a próxima aventura. Comemos sanduíches preparado por Mr.M, que os apelidou de "Miracle Sandwiches", porque não havia absolutamente nada na geladeira para rechear os pães. Com muito esforço ele conseguiu dividir os restos de maionese, tomate, pepino, alface e traços de queijos. Mas estava muito bom! Depois fomos ao Sainsbury's e fizemos uma comprinha básica e desta vez com muitas e muitas frutas tropicais: abacaxi, melão, mexericas! Huummm! Já assistimos a dois episódios de SV e agora estamos só relaxando para um novo começo de semana. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 8:16 PM | Comente este capítulo (3)

julho 11, 2003

Seu Sílvio?

Alguém me explique direito essa história do seu Sílvio Santos, por favor? Entendi que ele deu a entrevista em tom irônico para a Contigo. Pelo que os jornais constataram, o SBT não foi vendido, mas falta saber se é falsa também a afirmação dele de estar doente.

Outra coisa que me chamou a atenção é que os meios de comunicação estão falando que estão tentando entrar em contato com ele em Celebration/USA, onde ele mora. Como assim, onde ele mora? Ele não faz mais os programas de domingo? Faz tempo isso?

Independente da qualidade dos programas, Sílvio Santos é um comunicador de muito respeito, de uma mente acurada e de visão lá pra frente, raros de se encontrar. Acho que todo o trauma do duplo sequestro mudou muita coisa dentro dele. Sinceramente acho que ele agora quer um pouco de anonimato, quer que esqueçam um pouco dele como apresentador e dono da rede de TV.

Não o culpo.

Escrito a mão pela Marcia às 12:00 PM | Comente este capítulo (9)

Alto Verão

Está um calor inacreditável aqui. Um sol tão forte! Pela manhã já temos 25ºC e daí pra frente só esquenta. Nossa cidade, que é praiana, está abarrotada de gente, não dá nem para por os pés na areia.

Ontem passei a tarde nos jardins, que é um lugar bem próximo da praia, onde o resto dos bretões que não podem farofar esticam seus esqueletos. No verão sempre carrego uma canga na bolsa e um protetor solar, então, sempre que der vontade, estou pronta para lagartixar na sombra (não gosto de torrar no sol, não).

A cesta de legumes veio ótima esta semana e ontem preparei espaguete ao pesto com o maço de manjericão que recebemos. Uma delícia! A receita está aí do lado.

Hoje amanheceu outro dia de sol intenso. Havaianas nos pés e off we go!

Escrito a mão pela Marcia às 7:58 AM | Comente este capítulo (6)

julho 9, 2003

Multitask

Eu estava aqui no computador. Lembrei que ainda não tinha tomado meu complexo vitamínico. Fui pra cozinha, peguei um comprimido. Não tinha copo limpo no armário. Abri a lava-louças e constatei que os copos estavam sujos dentro dela. Coloquei o tablete de sabão, mais um pouco de sal e liguei a lava-louças. Lembrei que esqueci de tirar um copo para lavar à mão e tomar o comprimido. A lava-louças já começou o ciclo. Peguei uma xícara. Coloquei suco de laranja nela. Vi que o cesto de roupa para passar estava no chão da cozinha. Tirei as roupas que estavam secando, coloquei-as no cesto e levei-as para o quarto. Escovei o dente. Lembrei que o banheiro social não vê uma faxina há séculos. Levei os produtos para lá, lavei a privada, a banheira (ufa!), a pia e o chão. Tocou o telefone. Mr. M perguntando se eu quero ir para a academia hoje. Minha mão está ensopada dentro da luva esburacada. Decidimos ir ao B&Q ao invés de malhar porque estamos precisando de um monte de coisas para ajeitar a casa. Desliguei o telefone. Passei pela cozinha e vi meu comprimido ainda em cima da bancada. Mas minhas mãos estão molhadas. Maldita luva. Terminei de limpar o chão, joguei a luva e o frasco de desinfetante vazio no lixo. Anotei: "comprar luvas e bleach". Lavei as mãos. As calças jeans estão quase secas, melhor virar do outro lado. O que era mesmo que eu ia fazer? Ah! A vitamina. Sem desviar a atenção (??), tomei o comprimido. Agora vim aqui para o computador de novo. E esqueci o suco de laranja lá na cozinha!!

:(

Escrito a mão pela Marcia às 4:33 PM | Comente este capítulo (10)

julho 6, 2003

Harry está entre nós

Comprei meu exemplar do quinto livro da série Harry Potter. Estava esperando o preço baixar e acabei encontrando no supermercado Asda por 8 libras, o que já está bom demais por ser um livro daquela grossura e de capa dura (contra o preço de £16.99 sugerido na contracapa!).

Comecei a ler ontem e até agora estou gostando muito. Gosto da forma como a autora J.K. Rowling escreve, como ela envolve o leitor na história. Gosto. E leio. Independente de todo o merchandising que vem atrás.

Harry está, até onde li, insuportável, como todo adolescente consegue ser. E estou gostando dessa nova característica dele, não é mais o menininho bonzinho, o coitadinho, o gasparzinho sem amigos. Muito melhor! :o)

Vou ali ler mais um bocadin.

Escrito a mão pela Marcia às 8:29 PM | Comente este capítulo (7)

julho 4, 2003

It's Bathtime!!

Bathtime.JPG

Hoje foi dia de dar banho em alguns dos nossos bichos de pelúcia. Da esquerda para direita: Ted, Urs e Toffee. Lavei com cuidado, usando esponja úmida em água e espuma de banho da Johnson's. Depois eles deram uma voltinha na secadora e o resto ficou por conta do secador e da escova de cabelos. Agora eles estão fofinhos, limpinhos e cheirosos!

Crianças, não tentem fazer isso em casa. Uma vez eu e minha sobrinha Juliana inventamos de brincar com a Barbie e o Ken numa "piscina" improvisada (era uma bacia grande, na verdade). Depois de alguns refrescantes mergulhos numa tarde de verão, Ken ganhou um novíssimo visual blackpower. Portanto não sou uma das melhores pessoas para dar conselhos de banhos em qualquer bicho ou boneco com cabelos e/ou pêlos.

Mas enfim, hoje não houve nenhum contratempo e os três passam bem! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:47 PM | Comente este capítulo (8)

julho 2, 2003

Finalmente um pouco de senso

Os ministros da House of Commons votaram ontem em maioria esmagadora pelo total fim da caça à raposa.

É o primeiro passo conquistado contra esse "esporte" elitista, desumano e cruel. A decisão ainda está nas mãos da House of Lords.

Há muita gente reclamando, claro, principalmente os vendedores de cães de caça, donos de estábulos e pequenos burgueses que não vão ter mais a ocasião para exibir seus fraques vermelhos de veludo e suas botas de couro lustradas.

Quem se importa? Procurem outra coisa mais útil e desenvolvida para fazer. Já viramos alguns séculos e muita gente ainda não percebeu. Centenas de raposas estão sendo massacradas por dia. Quando não são atropeladas, são caçadas pelo prazer de matar, com a desculpa de que é preciso "manter a população das raposas em baixos níveis". Que tal manter a população humana em baixos níveis também, huh?

Matar não é justificativa ou solução para nada nesta vida. O uso da violência é o recurso para quando a inteligência não existe mais.

Escrito a mão pela Marcia às 8:17 AM | Comente este capítulo (10)

« junho 2003 | Main | agosto 2003 »