« Ano Novo, Cesta Nova | Main | O começo das resoluções »

Fluência, where art thou?

Para quem acha que eu já deveria estar completamente fluente na língua inglesa por morar aqui por mais de dois anos e estar casada com um espécime britânico, sinto muito decepcionar, mas ainda não cheguei lá (seja "lá" onde quer que seja).

Devo confessar que tenho completa pânica-pavora-horrora de falar no telefone em inglês. Não, na verdade não é de falar, mas sim de ouvir em inglês. Por telefone não há expressão corporal, não há lábios para ler, não há nenhuma dica para facilitar as coisas. Alguns telefonemas eu entendo bem, outros são completos e totais fiascos. Quando eu posso, passo o telefone para Mr.M decifrar, mas geralmente tento decodificar por mim mesma.

Hoje precisei ligar para o hospital para confirmar meu exame de ressonância magnética. Ensaiei mil vezes, pedi para Mr.M me explicar exaustivamente tudo o que poderia ser perguntado para mim. Já havia ligado antes mas não consegui ter certeza de ter confirmado. Fiascão. Então desta vez não queria errar, precisava confirmar o exame, principalmente porque o dia do exame já está se aproximando, depois de ter esperado desde junho o hospital marcar a data. Talk about pressure? Daí hoje de manhã liguei. A atendente perguntou meu nome, número de referência do exame, tipo do exame, hora e data marcada. Respondi tudo certinho e ela agradeceu. Mas antes que ela desligasse ainda perguntei se estava tudo mesmo confirmado. Ela disse que sim, que estava. Pheeeeeew. Passou. Consegui.

Obs: A ressonância magnética é parte dos exames de audiologia que estou fazendo. Finalmente vou poder saber o que há dentro da minha cabeça além do vento.


19 Comentários

Puxa Marcia, agora vc. me deixou melhor, pois eu tambem nao me dou bem com telefones e falar em Ingles, pois algumas pessoas ainda falam grego pra mim.

Um dia a mulher do hospital me ligou e eu passei o telefone pro meu noivo pois nao conseguia entender.

Acho que ainda daremos gargalhadas destas situacoes no futuro.

Bom fim de semana

bjs.

Oi Marcia,
Desculpa perguntar, mas quais exames de audiologia sao estes q vc ta fazendo? 'E q eu sou Fonoaudiologa, mas nao atuo aqui na Inglaterra, porem sou vidrada em tudo que se refere a minha profissao, principalmente aqui na Inglaterra, tenho muita vontade de saber como 'e o trabalho da fono aqui.
Bjos

Marcia,

Gostaria de saber dos exames e tratamentos. Lembro que vc escreveu algo sobre tinnitus (é assim q se escreve?). Well, tb tenho e sempre estou a procura de novos tratamentos. Tenho ido numa especialista aqui no Brasil, mas novidades serão bem vindas. Boa sorte! E bom fim de semana!

Maria Ines, espero um dia poder rir dessa situação, mas por enquanto num tô vendo graça, hehe. :p

Rachel e Aline, não estou em tratamento ainda. Fiz uma consulta com o Otorrino e até agora fui submetida a uma audiometria e estava na fila de espera para a ressonância. Esses exames são para tratar da minha perda auditiva no ouvido direito. O médico não quer iniciar nenhum tratamento até que a ressonância mostre que está tudo bem nos nervos, cérebro, ossos, etc.

Oi Marcia!

Acompanho teu blog ha bastante tempo e adoro tudo que vc escreve. Nunca tinha comentado, mas o que vc escreveu hoje nao deu pra nao comentar! Eu moro na Florida, e tambem sofro o mesmo problema. Voce nao imagina o alivio que senti ao ler o que vc escreveu, pois todos (meus sogros e meu marido) ficam cobrando que eu tenho que saber falar perfeitamente e entender tudo, com 4 meses morando aqui. Obrigada por compartilhar isso no teu blog!

Um beijao bem grande boa sorte nos teus exames!

Amoreco, sei muito bem como é difícil conseguir falar qualquer lingua estrangeira no telefone, ainda mais porque cada vez mais o ser humano é desleixado com a maneira que fala e isso dificulta muito as conversas telefônicas.

Tomara que esteja tudo bem com sua cabecinha, que nos encanta todos os dias. :c) Beijão!

O teu blog eh (esteticamente) um dos mais bonitos que eu ja visitei. Parabens !
Alem de ser muito gostoso de ler.....
Quanto ao post, eu particularmente nao gosto muito do ingles britanico. Acho o sotaque muito formal.
Ah ! Mr M eh otimo !
bjs

Márcia, infelizmente não tenho uma boa notícia para você... Acontece que eu estudo inglês desde os meus 12 anos de idade; leia-se: estou nessa por quase metade da minha vida. Escrevo, falo e compreendo tudo completamente 100%, fui professora de inglês, sou tradutora (inglês, espanhol, italiano) e sou casada com um norte-americano (por isso vivo na Califórnia). Mas ainda tenho um certo probleminha com telefones e pessoas novas. No telefone, quando não é amigo, parente ou telemarketing, eu tenho que desligar rádio, televisão, parar de cozinhar ou sair de perto do computador para me dedicar à conversa telefônica. Na academia, tenho que olhar diretamente para pessoa e manter-me perto dela para não perder nenhum detalhe.

Não tenho a mínima falta de confiança no meu conhecimento, pois se eu a tivera eu seria uma "loser" total. Afinal, 12 e nenhum domínio da língua? Para uma nerd como eu isso seria inadmissível!!! ahahaahah

O que acontece (comigo, pelo menos) é que eu tenho que me acostumar com a voz da pessoa para não ter que me concentrar tanto no que ela está dizendo. Com o meu marido e a família dele, por exemplo, eu já tô craque nesses 15 meses em que moro aqui. Até já espero pelas expressões chaves de cada um, como "pretty fast" que o meu marido fala sem querer colocar pressa em nada e o "everything and stuff like that" que a minha sogra diz só para encher lingüiça.

Acho que, no fundo no fundo, nem se trata da língua estrangeira. O meu problema é de comunicação mesmo... Por isso fiz faculdade de Jornalismo. Mas, mesmo assim, continuo na escrita e não sonho (nem em pesadelo) em trabalhar em rádio ou tevê. O meu negócio é com as palavras mesmo, colocadas no papel ou na tela de um computador.

Bem, esse comentário já está grande demais. Boa sorte e, se precisar de algum conselho, é só chamar!

P.S.: Adorei o seu blog e já o coloquei no topo da minha lista de favoritos! ;o)

Falo fluentemente inglês britânico.
Saca só: "INGLÊS BRITÂNICO!"

Não vou ser humorista, eu sei...

Meu problema com telefone é até em português mesmo. Detesto telefone :) Que dizer de mim que estou estudando inglês morando na Bélgica? Ha ha ha ha Mas tem um monte de gente aqui ou na França, de onde meu marido é nativo, que se diz bi ou tri lingue contando com o inglês, sem nunca ter morado num país de língua inglesa. Agora descobri a mentira deles... :)

Oi Marcia!
Quando more na Inglaterra, hace ja muitos anos, fiz um curso de fonetica mais não lembro onde (esso foi em 1992!), mais usavam as tenicas que invento Alexander Graham Bell para ensenhar os surdos a falar. Eu falaba muito bem ingles, com ese divino acento e tudo, mais depois fui morar na Polonia, Israel e por só falta de pratica que agora não é tão bom. Faz um curso de fonetica, te vai a ajudar muito!

Em quanto ao medo de falar em inglês, eu tenho o mesmo medo com português, mais meu problema es inverso, o sea, eu entendo tudo, mais quando falo (e penso que falo muito bem!) muitas veces não me entendem, especialmente por telefone. E muito frustrante!

Marcinha, posso linkar tu blog ao meu?

Beijo

Myriam

PS. Si viou! Me esforçe em escreber em português!! Dio para entender?

O problema da Inglaterra é a variedade de sotaques regionais, alguns complicados até para eles mesmos. Quem já teve algum escocês, Geordie (pessoas da região de Newcastle, nordeste da Inglaterra, para os não-iniciados), Scouse (Liverpool)ou Cockney no telefone sabe do que estou falando! E não para aí, tem os indianos que falam inglês com sotaque, os neozelandeses e sul-africanos que moram aí, irlandeses de Belfast (que quase não abrem a boca), e eu tive que aprender a entender todinhos pois trabalhei com atendimento ao cliente e suporte técnico...uma loucura.

comecei a ler seu blog e naum consegui parar...
Moro nos EUA e sou casada com um americano...passei pela mesma situação que a sua na imigração, senti vontade de fugir, chorar, xingar...
Mas tudo isso foi superado, hj estudo inglês e a minha lista de saudades do Brasil é exatamente igual a sua...esses dias acordei com vontade de comer pastel...descobri que tinha uma pastelaria brasileira há umas 60 milhas daqui...nunca pensei que faria isso por um pastel...rs
Um beijo grande

Espero que os resultados de seus exames sejam os melhores possíveis.

Se cuida!!!!

Oi Ma and Mr.M
Happy New Year para vcs.....
Quanto ao inglês, acho que nunca dominaremos uma língua tão bem quanto a nossa língua materna. É
a que nos dá segurança e reconhecimento imediato.
Não se preocupe....e boa sorte nos exames...Nos mantenha informados. Beijos

Jo ablo mui bien castelliano, mas non domino la lingueta de los ianques. Estudiei Portañol en Buenas Aires, capitail del Brazil. Priecizando de unas aulas, soi mucho competiente.

Adios, MUTCHATCHA!!!!!

Vera, quatro meses não são nada para absorver todas as nuances que uma língua estrangeira tem. Não se sucumba às pressões, take your time para aprender.

Mary queridoca, obrigada! Espero que esteja tudo bem na minha cabeça também! :)

Andrea, muito obrigada pelos elogios! Quanto ao inglês britânico, eu na verdade gosto dele apesar das minhas dificuldades. :)

Rafaela, obrigada!

Marcitho que bom pra você. :p

Tereza, exatamente, fluência é um conceito muito subjetivo...

Myriam, meu problema não é medo de falar em inglês, mas sim de ouvir em inglês. Pode linkar meu blog sim, vou ficar muito honrada! :o)

Marcia, esse é um grande problema mesmo...

Raquel, obrigada e seja bem-vinda.

Sammy, pode deixar, mais informações nos próximos boletins médicos. :o)

Por falar em fluência, não seria "Where arT thou", em vez de "where arE thou"?

Oi amiga...
Acho que tudo que eu precisava para clarear as coisas na minha cabeca vc escreveu, neste blog. Bom eu moro a 2 anos na Australia, qdo vim pra ca nao entendia nada de Ingles, nem se quer quando perguntavam What's your name???? Pois bem melhorei muito muito ja estou ate tentando ir pra faculdade este ano. Mas este muito nao e suficiente pra mim, entendo bem, mas na hora de falar seja no tel ou seja face to face eu amarelo feio. e ai fico puta da vida comigo mesmo pque se sei como falar certo pque e que falo errado, e ai vem todo aquele baixo astral que vc ja sabe como e. Mas enfim nao desistirei jamais. Foi bom ler o que vc escreveu pque vejo que o problema nao so comigo, e que alem do mais eu falo portugues o tempo todo aqui em casa, afinal somos uma familia brasileira e quero que meus filhos continuem falando portugues. No mais adorei teu blog vc estar sempre por aqui de agora em diante. beijos e boa sorte

Alex, obrigada pela correção!

Luciana, bem-vinda ao blog. É bom saber que passamos pelas mesmas dificuldades. É mais fácil de encarar esses pequenos entraves quando repartimos experiências. Boa sorte para você aí em Oz!