« fevereiro 2004 | Main | abril 2004 »

março 31, 2004

Esquilinho Enxaqueca

Esquilo1.JPG
Hum? O que? Cê disse que tem nozes?

Esquilo2.JPG
Mas não tem nada aqui!!

Esquilo3.JPG
Tá me achando com cara de mané, é?

Esquilo4.JPG
Cê tem ou não tem nozes?
Fala logo que eu tô ficando nervoso!!

Esquilo5.JPG
Num quer falar, vou procurar então!

Esquilo6.JPG
Ah, finalmente. O quê?? Só tem casca aqui!!Grrr...

Esquilo7.JPG
Ah, achei! Mas vou é dar uma mordida bem forte
neste dedo aqui, ah se vou!

Esquilo8.JPG
Tsc... cada um, viu... tô podendo não...

Esquilo9.JPG
Toma essa aqui de volta que tá podre!
Porcaria.

EsquiloFinal.JPG
Tsc. Sinceramente, viu.
Qualquer dia desses perco a paciência com essa menina...
Tsc. Tsc.


Escrito a mão pela Marcia às 9:43 AM | Comente este capítulo (19)

A Voz de Mr.M

Momento histórico. Em quase 3 anos de blog, Mr.M postou um comentário pela primeira vez, cês viram?

That was nice, my love. Thanks! :D

Escrito a mão pela Marcia às 8:42 AM | Comente este capítulo (3)

março 29, 2004

HAPPY BIRTHDAY TO MR.M

bluestar.gif Hoje é aniversário do meu amado, maravilhoso, vitaminado, ultra-bem-humorado, fofíssimo, inteligente, companheiro, lindo e querido, ah queridíssimo Martin.

Ballons.jpg

HAPPY BIRTHDAY MY LOVE!!!

Escrito a mão pela Marcia às 10:31 AM | Comente este capítulo (24)

março 26, 2004

Esfomeados!

Vejam bem. Eu aqui falando desse fato inédito, anormal e incomum que é ter visita em minha casinha. Uma visita de conversar hoooooooras, de brincar com bebezinho novo, de ter alguém para falar português. Uma visita da maior importância para minha alma solitária.

E o que é que eu recebo de comentário? O que, meu God??? "Receita, queremos receita. Receita! Receita! Fome. Comida. Receita. ET. Phone. Receita." !!!!!!! Bando de gulosos, mortos de fome, esfomeados.

Cêis num sabem fazer torta de liquidificador não, é? Essa torta é daquelas que não cresce, a massa é pesada e densa. Muita gente não gosta, outros, mais desavidados, comentam "aahh, pena que não cresceu, né? " ou então "ihh, não deu certo, foi?". Ela é assim. Deixa a torta. Eu adoro ela pesada e densa (mas não com gosto de farinha, plis), pra comer fria a qualquer hora, cortada em cubinhos.

Vamos então à receita, que é de Dona Wal, aliás. Anotem aí:

TORTA DE LIQUIDIFICADOR

Massa:
3 ovos
1 xícara (chá) de óleo
2 xícaras (chá) de leite
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) rasas de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) fermento em pó
1 colher (chá) de sal

Preparo: Bata tudo no liquidificador até formar um creme homogêneo.

Recheio: Pode ser qualquer um: atum, frango, legumes em cubinhos. Eu prefiro de frango e faço da seguinte forma. Desfio (quando tenho paciência) ou pico dois pedaços de peito de frango cozido. Numa panela refogo cebola com azeite, junto o frango, uma lata pequena (ou meia lata grande) de milho verde ou ervilhas (ou meia lata dos dois). Junto um pouco de molho de tomate (se tiver, se não coloco extrato de tomate mesmo ou até mesmo catchup). Tempero com sal, salsinha e pimenta. Deixo esfriar.

Montagem: numa forma untada e polvinhada com farinha de trigo, despeje metade da massa líquida. Coloque por cima todo o recheio e espalhe bem uniforme. Despeje o restante da massa líquida por cima do recheio e alise a superfície com uma colher. Polvilhe com queijo parmesão ralado. Asse em forno pré-aquecido a 180 graus, por mais ou menos 30 minutos, até ficar dourada e começar a rachar. Desenforme a torta quando estiver morna.

Pronto. Pode comer, seus gulosos.

ChickenPie.JPG

Ah, a tarde com minhas visitas foi deliciosa, by the way. :p

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 6:17 PM | mais em Food Talk | Comente este capítulo (15)

Visitas!

Hoje estou desde cedo limpando a casa, tirando o pó, ventilando os quartos com ar fresco. Ontem fiz uma torta de frango daquelas de liquidificador e daqui a pouco vou assar um bolinho de laranja.

E tudo isso porque vou receber a visita da minha amiga Ariete e do filhinho de oito meses Lucas, que acabaram de voltar de longas férias no Brasil. Não vejo a hora de reencontrá-los! Eles vão passar a tarde toda aqui em casa.

EBA!

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:00 AM | Comente este capítulo (9)

março 25, 2004

Cãozinho Lindo

Minha amiguinha Márcia Aguiar adotou um cãozinho na Suipa - Sociedade Protetora dos Animais, que se chama Rafael. Dêem uma olhada e me digam se não é a coisinha mais doce e querida desse mundo? Eu AMO, sou apaixonada por cãezinhos vira-latas-focinhudos-orelhudos-cara-de-pidão. AMO.

Rafael.jpg

Parabéns pelo novo amigo, companheiro de todas horas, Márcia! Rafael é lindo! E parabéns também por ter dado um lar tão aconchegante a um cãozinho da Suipa que precisava tanto, muito legal da sua parte.

Escrito a mão pela Marcia às 10:12 AM | Comente este capítulo (9)

março 22, 2004

Um dia na Idade Média

Visitamos mais uma vez as lindíssimas ruínas Corfe Castle.

A gente não se cansa de ir lá. A paisagem é tão linda, o vilarejo é tão aconchegante e as casas de chá são tão deliciosas...

Click & Amplie
Corfe1.JPG
Mr.M tirou esta foto dizendo: "depois você coloca no blog e mostra para as pessoas como é um típico vilarejo inglês".


Corfe2.JPG
Tenha medo, tenha muito medo: a Bruxa do Cabelo Mogno, huahuahua...


Corfe3.JPG
Vista do alto da torre do castelo. Esta é a região que moramos, Dorset. Excelente para fazer amizades com ovelhas e vacas.


Corfe4.JPG
Doh!


Corfe5.JPG
Spoooooooky! spooky.gif


Corfe6.JPG
Spooooooooooooooooooky! spooky.gif


Corfe6.JPG
Hogwarts Express


Lá no vilarejo, almoçamos sem pressa num café colonial delicioso, compramos pão assado na hora, tortinhas de maçã e de custard. E voltamos pra casa conversando e rindo o tempo todo. Foi um excelente domingo!

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 3:00 PM | mais em On the Road Again | Comente este capítulo (23)

março 20, 2004

American Girl in Paris

Ontem assistimos ao episódio final de Sex and the City. Não acompanhei a série desde o começo, mesmo porque a TV aqui só começou a passar da série 4 em diante.

Mas os dois últimos episódios foram, de todos, os mais tocantes para mim. Os demais episódios foram fabulosos, divertidíssimos e geniais porém como qualquer outro excelente programa. Enquanto que os dois últimos, falaram diretamente a mim, do que eu entendo, do que eu vivo.

--- se você não quer saber detalhes dos últimos episódios não continue a leitura ---

Com os olhos bem abertos e o coração apertado, vi Carrie andando sozinha pelas ruas de Paris, tendo dificuldades de entender a língua, passando frio, sendo mal-tratada pelas crianças, vendo que o mundo gira em torno do namorado, do trabalho e dos amigos dele, enquanto que no peito a imensa saudade da sua vida anterior é quase sufocante. Assistindo a tudo isso foi quase que natural sentir as lágrimas pingando ao constatar que minha vida aqui não tem sido diferente nesses dois anos.

Quando Carrie se vê perdida nesse novo mundo, não é do colar perdido que ela sente falta, mas da própria identidade, de como ela era reconhecida. Não importa quantos diamantes o novo colar tenha, a essência do antigo sempre vai fazer falta.

Muitas vezes sinto vontade de fazer o mesmo, de pôr pra fora que antes eu tinha minha carreira, meus amigos, minha família, meu apartamento e minha vida e que não posso em hipótese alguma ser infeliz aqui. E sair correndo, com a saia de tule esvoaçando pelo caminho e encontrar minhas amigas no Café Journal em São Paulo e abraçá-las bem forte, sorrir e voltar a escrever, sorrir e me sentir em casa, sorrir e ser feliz com a volta. Como a Carrie.

Porque nem sempre eu sou forte ou sou coerente. Nem sempre tenho certeza de que tudo é certo e seguro. Nem sempre.

O único porém é que, ao contrário de Sex and The City, minha vida não é ficção. Ao contrário da Carrie, voltar não é opção para mim. Porque, ao contrário de Aleksandr Petrovsky, Martin é the one.

Mas nem sempre é o suficiente.

Escrito a mão pela Marcia às 12:11 PM | Comente este capítulo (14)

março 19, 2004

Tea

--- pequena aula de inglês ---

TeaCrumpets.jpg

Havia um tempo na velha Inglaterra em que se fazia muitas refeições por dia. Comer pouco e sempre era a regra. O dia começava com uma ou duas canecas de chá, de preferência algo de sabor agradável sem ser muito forte, como o English Breakfast. Para acompanhar, muffins era uma boa pedida. Mas muffin para os ingleses não é aquele bolinho de chocolate e sim uma espécie de pãozinho macio para se comer com manteiga. Ou então a crumpets, que utiliza na sua produção uma massa bem igual à panqueca com o acréscimo do fermento, que faz o bolinho crescer e ficar cheio de buracos na superfície (foto acima).

Esta era a primeira refeição, nas primeiras horas da manhã. E para quem estava no trabalho pesado desde cedo, logo mais as 10 horas da manhã era preciso parar por um breve período pra recarregar as energias. E então vinha o breakfast propriamente dito. Agora o chá já poderia ser um pouco mais forte e se você vinha do norte, o Yorkshire Tea era a melhor escolha. E a refeição tinha que ser cheia de proteína, mas não tão grande que estragasse seu apetite no almoço. Então tínhamos: ovos, bacon, feijão (baked beans), linguiça, torradas, tomates assados e cogumelos. E mais uma xícara de chá, if you please.

De volta a labuta até a hora do almoço, que poderia ser de qualquer tipo, desde que no final fosse servido o digestivo chá Earl Grey.

Cinco da tarde era (e é até hoje) o horário que de largar o trabalho e ir finalmente para casa. O chá das cinco era mesmo uma instituição inglesa, a hora de relaxar e apreciar uma boa xícara da infusão. Afternoon Tea, como era conhecido, constituía-se na verdade de uma refeição farta com sanduíches, tortas de queijo, torradas com Marmite, bolo, geléias, compotas, cremes e, óbvio, uns dois bules de chá. E não é incomum de se ouvir nos dias de hoje alguém perguntar "what's for tea tonight?" e não, esta pessoa não está perguntando o que há para o chá esta noite e sim, o que há para o jantar já neste horário hoje em dia é quando fazemos nosso última refeição do dia.

Mas não na Inglaterra antiga. Não. Porque depois do Afternoon Tea, que eu me esqueci de mencionar, era servido com o chá de mesmo nome, vinha o Dinner, o jantar mesmo, com direito a puddings de sobremesa, que na verdade não tem nada a ver com pudim, mas sim com a forma que a sobremesa era feita: se era assada, então era um pudding. E uma xícara de chá para encerrar o tea, opa, o dinner, antes de ir ao pub encontrar os amigos e tomar litros de cerveja à temperatura ambiente.

E para quem já está estufado com tantas refeições, trate de arrumar mais um espacinho porque na volta do pub e antes de ir para a cama havia finalmente a última refeição do dia, menor que o jantar, mas igualmente importante. E esta última refeição era então chamada carinhosamente de Supper ou Suppa, que poderia ser qualquer coisa que você tivesse na dispensa. E daí você conclui o porquê do supermarket ter este nome.

:o)

--- fim da pequena aula de inglês ---

Obviamente, esses eram os tempos em que a maioria das pessoas trabalhavam pesadamente nas fazendas ou nas fábricas advindas da Revolução Industrial. Hoje a maioria das pessoas trabalham na frente do computador e estão cada vez mais cientes dos riscos de uma alimentação altamente calórica. Mas alguns costumes continuam muito vivos, como o full english breakfast uma vez ou outra e o tea a toda hora, a todo instante.

Se você prestar uma visita à um inglês, esteja preparado para aceitar pelo menos uma xícara de chá na sua chegada. Uma das primeiras frases que seu anfitrião vai dizer após chacoalhar sua mão é "I will put a kettle on, shall I?" ("Vou colocar a água pra ferver, tá bom?") com todo o entusiasmo. Seja um simpático convidado e aceite o chá. Com um pingo de leite, se lhe agrada. Cheers. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:53 AM | mais em Food Talk | Comente este capítulo (14)

março 18, 2004

Ovos de Páscoa da Débora

Minha irmã Débora é confeiteira. E daquelas de mão cheia, tá sempre às voltas com massa de bolo, docinhos, açúcar por todos os cantos. Ela estuda confeitaria com professores renomados (como a Marcela Sanchez, da equipe da Marta Balina, cês lembram dela na Ofélia??), faz cursos, viaja para partipar de feiras e congressos, faz coisas lindas, bolos, bonequinhos, bichinhos, todos comestíveis e deliciosos.

E nesta Páscoa ela está produzindo Ovos de Páscoa bem bacanas, brilhantes, no ponto certo (cês sabem que eu sou chata quanto a chocolate) e com o toque final dos bichinhos lindos que ela faz. Sem contar que este ano ela está fazendo também um mini-bolo com recheio de trufas, que é dos deuses! Nhaaaam!!

Então, para quem quiser encomendar os Ovos de Páscoa e o mini-bolo que ela faz, basta acessar o website dela: http://geocities.yahoo.com.br/deborasatie/pascoa_2004.htm
e entrar em contato por telefone ou e-mail.

Se você disser a ela que conhece meu blog, ganha um bombom a mais, hahahahaha (ela não sabe disso, mas pode cobrar).

EasterEgg.jpg

Espero que ela receba muitos pedidos porque as coisas que ela faz são mesmo bem delicadas e deliciosas!

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:02 AM | Comente este capítulo (14)

março 17, 2004

Miséria

Aaagh! Tô com fome. A gente precisa ir urgente pro supermercado hoje para compar mantimentos. Num tem nadinha pra comer aqui pro almoço e eu tô seeeem nenhuuuum trocado pra tomar ônibus e também num tô a fim de sair em pleno fog denso (sim, a primavera já acabou, estamos no inverno de novo). E eu acabei de descobrir que tem um "rato" comendo meus iogurtes! E comeu justo o de morango, que o rato não é silly nem nada. Humpf. Ontem fiz um sanduíche de pão com salada. Hoje não tem salada. Daqui a pouco faço como minha sobrinha (oi Juliana, cê tá boa?) e como arroz com Cheetos. Se, obviamente, eu tivesse Cheetos aqui. Aaaaaargh, fome, fome. Aaaaa, morri.

:p

Escrito a mão pela Marcia às 12:17 PM | Comente este capítulo (8)

Falhas de Entrega

Ontem quando fui abrir a porta de entrada do nosso apartamento, vi que havia um bilhetinho amarelo na fresta. Puxei e li que a empresa de entregas CityLink havia passado por aqui quando não havia ninguém. O procedimento normal nesse caso é ir retirar o pacote no depósito da empresa. Porém, no recadinho estava escrito que o pacote estava no número 25.

What?!? O que o nosso pacote estaria fazendo no vizinho do número 25?? E por que?? Fui lá, bati na porta e ninguém atendeu. Entrei em contato com a CityLink soltando os pitbulls. Eles pediram desculpas e disseram que não é a política da empresa entregar no vizinho, blablabla... E me pediram o número de referência do pacote, que deveria estar no cartão amarelo. Repeti que no cartão só constava "Parcel at Number 25", mais nada. NADA, got it? Daí a mulher do atendimento ao consumidor começou a entrar em pânico e perguntou se eu não tinha como pedir à pessoa que enviou a encomenda para encontrar esse tal número. Mas how in the earth, como eu poderia advinhar quem é que estava mandando aquela encomenda??? Estamos esperando duas encomendas chegarem, mas essa que foi entregue no vizinho poderia ser qualquer coisa. Um presente, quem sabe??

E para completar, o número 25 estava vago por um tempo e os novos moradores acabaram de se mudar. Ou seja, completos desconhecidos para nós.

Enfim, após momentos de stress e milhares de pedidos de desculpas pela CityLink, tudo se resolveu bem. O vizinho chegou, fomos lá bater na porta e eles nos entregaram a nossa encomenda. Agradecemos e voltamos para o nosso apartamento espantados com o que era: a nossa impressora! Ela estava na assistência técnica trocando o cabeçote. A impressora é novinha, vale £250, que pode não ser muito para muita gente, mas para nós ela vale bastante. A Canon havia enviado como encomenda urgente e com restrição de entrega via assinatura do destinatário. E mesmo assim ela foi parar na casa de alguém que nunca havíamos visto antes.

A história terminou bem, mas estivemos bem próximo de um grande prejuízo.

Escrito a mão pela Marcia às 9:44 AM | Comente este capítulo (7)

março 16, 2004

Cá Estou

Aqui estou eu de volta. Não fui a lugar nenhum, mas estou de volta. Lá fora tem céu azul e um solão lindo. E para completar, incríveis 13ºC!! É incrível como o ambiente muda, a atmosfera muda, o humor muda com a certeza de que o inverno ficou para trás. Não tem volta não. É a primavera que vem chegando sacodindo o mofo e iluminando os dias por mais tempo. Ufa. UFA! Depois de seis meses de frio, o inverno terminou, ufa! Nem acredito. :o)

Hoje abri as janelas e deixei o ar fresco entrar no apartamento. Céus, como é bom abrir a janela sem ficar confusa achando que abri o freezer. Oh jolly good!

Escrito a mão pela Marcia às 1:26 PM

março 12, 2004

Presentes da Áustria

Apesar da correria e dos contratempos na viagem de volta, Mr.M não esqueceu de comprar presentinhos para mim. E não poderia ser melhor: chocolates da Lindt, a marca suíça que na minha opinião faz o melhor chocolate do mundo.

Lindt1.JPG

Lindt2.JPG

Thanks, my love! You are a dear.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:27 AM | mais em Food Talk | Comente este capítulo (18)

março 11, 2004

Pubs e Farofa

Outro dia Mr.M e eu estávamos conversando e tal, daí ele se lembra de contar algo. Disse que o colega dele e a esposa tiveram uma idéia ótima e que todo final de semana eles pegavam um trem para ir a um pub na cidade vizinha.

E eu fiquei com minha cara de folha verde, sem saber onde é que estava a boa idéia nisso.

Eu: ....so? (e...? que que tem isso?)

Mr.M: So, isn't it nice?! (num é legal??)

Eu: .... (cara de folha verde)

Mr.M emburrado: Ah, you don't like pubs... (Ah, cê não gosta de pubs...)

Eu: it's not that i don't like it i just can't see a point (não que eu não goste, só não sei qualé a graça...)

Mr.M: it's nice to go out and have a pint in a pub!!! (é legal sair e tomar 500ml de cerveja num pub)

Eu irônica, ainda com cara de folha verde: ...w-o-w! (u-a-u!)

Mr.M sem paciência: Ah, you don't like pubs...

Eu: and you don't like farofa (e tu não gosta de farofa)

Mr.M: ...so? (e...?)

Eu: so i don't like pubs, you don't like farofa, it's a cultural matter (então cê não gosta de farofa nem eu de pubs, é um problema cultural)

Mr.M: but you always put farofa on my plate... (mas você sempre põe farofa no meu prato...)

Eu: ...true, hahahahaha (...verdade, quaquaquaqua...)

Por que que eu tô falando disso, meu deus...? Ah, deve ser porque tô cozinhando feijão e com a menor vontade de fazer nada além disso. Preguiça de fazer arroz e outra mistura. Hoje a noite deve ser pizza e feijão. E farofa. Sem pub.

Escrito a mão pela Marcia às 4:43 PM | mais em M&M Family | Comente este capítulo (11)

Cabelos Mogno

Tralalalalala... Colori meu cabelo pela primeiríssima vez, na terça-feira passada, tralalalala... Usei aquela L'Oreal Excellence, na cor mahogany brown ou castanho mogno. Não tenho mais fios albinos, mas também a cor ficou a mesmíssima que já era. Queria que tivesse ficado um pouquinho mais avermelhado. Mr.M acha que já está avermelhado. Devo estar (mais) míope, então. Adorei a experiência! Tem uns outros produtos em duas tonalidades, que parecem maravilhosos, mas só para quando eu tiver mais experiença no assunto. Por hora, tá bom demais.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:10 AM | mais em An ordinary life | Comente este capítulo (12)

Passando a Régua

Dias de sol nesta semana: 1 (vey bad)
Dias de calor desde outubro: 0 (awful)
Livros comprados este ano até agora: 3 (good)
Livros lidos este ano até agora: 0 (bad)
Big Macs consumidos este ano: 1 (hooray)
Banho de banheira com sais, espumas, velas e frescuras esta semana, conforme o planejado: 0 (damn)
Número de CPFs regularizados: 1 (hooray)
Chocolates consumidos nesta semana: 1 (cor blimey!)
Marido de volta ao lar, depois de trabalhar na Áustria: 1 (HOORAY!!)

Escrito a mão pela Marcia às 9:22 AM

março 10, 2004

Jamie's Blog

Você sabia que Jamie Oliver também é um blogueiro?
Oh yeah, confira: www.jamieoliver.com/diary/
Pukka!

Escrito a mão pela Marcia às 8:59 AM | mais em Food Talk | Comente este capítulo (9)

março 9, 2004

Happy Birthday, Bro!

Hoje é aniversário do meu irmão mais velho, Júlio.

Feliz aniversário pra você, Ju! Abraços e beijos cheios de saudades!!

happy.gif

Escrito a mão pela Marcia às 7:03 PM | Comente este capítulo (3)

Certidões, cartões, senhas, declarações

Eu tô cansada. Cansei, quero brincar mais não.

Hoje estive às voltas com a burocracia novamente. Desta vez, a estrela é o tão amado CPF. Sim, aqueles números todos naquele cartão bege. Aquele cuja ausência lhe impede de usar a conta bancária, a tirar passaporte, a fazer crediário, praticamente tirar os tubos que lhe mantém vivo.

Pois então, meu CPF tá em situação "pendente de regularização". E com isso não posso mais uma vez fazer nenhuma transferência bancária para pagar minhas contas no Brasil. Outra vez. Eu sinceramente não mereço.

Passei o dia todo tentando resolver essa situação de pendência. Odeio pender. Não sou de pender, odeio pendências, não pendo, nunca quis pender, não pender-lo-ei jamais. Argh. Daí nessa confusão toda, fiz e desfiz uma porção de declarações e acho que deu tudo errado, confundi tudo e fiz uma zona nos dados da Receita. Entrei em contato com a Receita Federal, expliquei minha situação e minhas patéticas formas de tentar resolver e estou aguardando a resposta e/ou bronca (mais provável) deles.

Enquanto isso, money que é bom a gente num have. Daí saí de casa para arejar o neurônio, aquele. E fiquei pensando nessa coisa toda, na minha burrice, nos meus ataques precipitados de resolver pendências e tal. E me veio na cabeça o seguinte. Mr.M não tem sequer nada equivalente a uma carteira de identidade. Ele tem a certidão de nascimento e o passaporte, mais nada. Mr.M não tem RG, não tem CPF. Nem tem título de leitor, vem um cartão pelo correio na época da eleição e o voto é facultativo. Mr.M não tem carteira de trabalho, nem cartão do PIS, nem cartão do FGTS. Não tem que ficar tirando nada, nem prastificando nada. Paga todos os impostos e não precisa ficar colhendo provas aqui e ali. E tudo funciona tão bem! Mas tão bem...

Daí eu fico pensando como nossa vida de brasileiro é complicada mesmo. A gente pega fila para fazer essa porção de cartões, temos inúmeros números para decorar, temos que provar tudo a todo instante que nós somos nós mesmos. Deve ser o preço a pagar por sermos tão espertinhos, querendo levar tudo na malandragem, ter vantagem por conta dos outros, não pagar quando podemos enganar. Daí esse mundo todo de números para certificar que você não é um corrupto-sonegador-desviador-de-verbas-funcionário-fantasma-maldito. Daí esse monte de cartões para se ter o direito de viver "livremente". Você é mesmo bem culpado até provar -- com declarações, confirmações, renovações, números infinitos -- o contrário.

Pegamos o caminho errado em algum lugar.

Cansei.

Escrito a mão pela Marcia às 6:37 PM | Comente este capítulo (10)

março 8, 2004

Sweet Weekend

Nosso final de semana foi bem calmo, doce e feliz.

No sábado Mr. M trabalhou, mas a tarde fomos andar nos parques da cidade, almoçamos num restaurante espanhol delicioso. Eu comi Arroz ao Marinero, cheios de frutos do mar (apesar de ser alérgica) e decorado com um lagostim em cima. Estava bom, um pouco apimentado demais pro meu gosto.

Em seguida caminhamos até o topo da costa, onde dava para ver a imensidão do mar, que estava bem calmo, sem nenhuma onda. Foi lá que tomei pela primeira vez este ano, um sorvete de casquinha ao ar livre! Não era o Mr.Wippy que eu gosto, mas quebrou o galho.

IceCream.JPG

Depois fomos alimentar os esquilinhos com algumas nozes. Fico sempre bem contente de ter esse pequeno contato com animais. Posso passar horas assistindo aos esquilos no parque. Mr.M tirou fotos maravilhosas desse bonitinho que fez poses, caras e bocas para a câmera.

CuteSquirrel.JPG

De lá fomos direto à Poole. Já era finalzinho da tarde e, a caminho do cinema, o sol estava se pondo atrás de nós. Pelo retrovisor, pude prestigiar o espetáculo no céu colorido, que sempre me encanta.

SunsetMirror.JPG

Peter Jackson deve ter comemorado muito no sábado quando os dois únicos seres humanos da Terra que ainda não tinham assistido ao Return of The King foram ao cinema finalmente prestigiar ao final da trilogia! Havíamos reservado os assentos pela Internet e chegamos lá sem pressa, com Coca-cola, salgadinhos e docinhos comprados previamente (tô ficando velha ou o quê, mas não consigo pagar 3 Libras por um saquinho pequeno de pipocas no cinema!!). Cinema quase vazio, lugares ótimos, silêncio na sala, tudo ótimo. Não preciso dizer que amamos o filme, que chorei com Aragon, Frodo e Sam, nessa ordem. Absolutamente genial. E o legal é que eu não tinha lido o livro antes de ver o filme, então assisti sem nenhum julgamento prévio, sem ter a menor idéia do que iria acontecer no final. Fiquei bem contente por isso e agora vou começar a ler o livro. Queria muito que Tolkien pudesse ter tido a chance de ver o filme...

No domingo fomos à Southampton de trem. Almoçamos Chilli con Carne no nosso pub favorito e andamos por todos os cantos, desta vez sem câmera, só para curtir o passeio e namorar. Voltamos pra casa a pé, embaixo de forte chuva de granizo! Menor graça. Jantamos um quiche vegetariano com salada e fomos dormir, exaustos mas com a certeza de que aproveitamos bem o nosso fim de semana juntos.

Hoje Mr.M está embarcando para a Áustria, onde vai dar treinamento na matriz da empresa. E eu já estou morrendo de saudades dele, torcendo para que a quarta-feira chegue bem depressa para a gente se reencontrar. Estou cheia de orgulho dele por ser esse profissional excelente e torcendo para que tudo dê muito certo lá nos alpes, mas não posso esconder que também sinto um pouquinho de tristeza de estar aqui sozinha. Sei que são por poucos dias, mas meu coração tem seus traumas das nossas separações overseas. Esses dias vão ser de muitas atividades voltadas só para mim, enquanto ele estiver fora. Na lista estão banheira cheia de sais, espumas e frescuras, visita à Borders sem pressa de sair, asssistir a DVDs de comédias românticas, eventuais Big Macs (que Mr.M abomina), entre outras coisinhas que me deixam animada. E claro, resistir à tentação de comprar vários filhotes de cachorros e gatos durante esse tempo.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:01 AM | mais em On the Road Again | Comente este capítulo (14)

março 5, 2004

De tudo que já foi escrito

Então, o que eu queria comentar há algum tempo é o seguinte. Senta que lá vem história. Desde que criei este blog, em 2001, a minha intenção era de escrever mesmo um diário, daqueles que se colam fotos, ingressos, papel de bala e informação inútil. Principalmente porque eu estava vindo para a Inglaterra pela primeira vez e queria registrar tudo em papel passado.

Os anos se passaram, as mudanças vieram e muita coisa hoje está diferente. Eu não sou mais a mesma, minha vida não é mais a mesma. E nem o endereço do blog não é mais o mesmo. Mas enfim, passei a amar escrever aqui. É aonde coloco um pouco do que estou vivendo a cada dia e é um privilégio poder clicar em tempos passados e ver o que mudou, o que superei, o que fiz ou o que ainda continua igual. É onde escrevo e releio minha vida.

Porém, este blog é umbigalista. E qual diário não é? Falo de mim, da minha vida, das minhas sensações, minhas emoções. Colo fotos minhas e de tudo ao meu redor. Não escrevo para chamar atenção, não escrevo para fazer regras de "como viver fora do seu país", não escrevo para provar nada, absolutamente nada a ninguém.

Apenas vivo e escrevo. E escrevo muito, às vezes. Mas todo essa escrita se enriquece e toma forma quando recebo comentários. É tão gratificante saber que existe um outro lado que está lendo e que, de certa forma, está participando um pouco da minha própria vida. É um retorno sensasional.

E é sobre este retorno que este post se destina. Há algum tempo venho recebendo recados aqui e também muitos e-mails maravilhosos de pessoas me contando que acharam meu blog por acaso e que começaram a ler e gostaram. Daí passaram a ler meus arquivos desde o início até os dias atuais.

Saber disso é para mim extremamente louco e ao mesmo tempo fantástico, vocês não fazem idéia. É incrível perceber que o que eu escrevo aqui causa um certo estímulo positivo que faz essas pessoas lerem tanto do muito que já foi escrito, e são mais de mil posts. Meu ego se infla e minha auto-estima pega carona e vai à estratosfera.

E eu me emociono quando alguém me manda um e-mail dizendo que choraram ao ler sobre a morte da Bianca e de quando tive que me despedir dos meus pais no aeroporto, no dia da minha mudança para cá. Isso é tão doce, tão gentil, saber que minhas próprias emoções tocaram alguém é simplesmente encantador.

Muitas vezes eu não tenho idéia do quanto o que eu escrevo aqui pode afetar ou influenciar quem lê. E é sempre com muito espanto que recebo recadinhos contando o quanto inspirei e fiz refletir sobre determinados assuntos, principalmente quanto a decisão de morar fora para viver um amor (violinos, por favor). Faço uma cara de interrogação enorme, jamais tive qualquer intenção de chegar a ser uma inspiração. Talvez a forma como coloco os acontecimentos aqui pareça tudo cor-de-rosa, mas a grande verdade é que deixar seu país para trás é algo extremamente complexo, muitas vezes dolorido, difícil e frustrante.

Não me arrependo em nenhum instante em ter tomado essa decisão de vir morar aqui. Estou mais feliz do que jamais fui em qualquer outra época da minha vida adulta. Mas foi uma decisão tomada com ajuda de terapia, apoio, coragem e claro, comprometimento com o sentimento mútuo entre nós dois.

Eu jamais poderia incentivar ou desestimular que alguém faça o mesmo. Porque só você é capaz de saber o que é o melhor para a sua vida e o que você é capaz de suportar para ter isso. Por isso este blog jamais vai passar a ser um site de sobrevivência fora do país, com dicas, esquemas, planejamentos e afins. Não. Este blog vai continuar sendo o mesmo diarinho de sempre, com minhas crises, receitas, fotas e reclamações sobre o céu nublado.

No entanto, jamais vou deixar de ficar extremamente feliz -- e surpresa -- ao receber comentários e e-mails como esses que venho recebendo ultimamente. Muito obrigada por terem reservado um tempinho para me contar tudo isso, por terem uma paciência enorme de ler meus arquivos com fotos e links quebrados, por terem feito meus dias muito mais ensolarados (volta dos violinos, por favor).

É isso, só queria dizer obrigada!

Aos meus velhos leitores, fiés de guerra, eu não preciso dizer, mas eles sabem que sou também muito grata a eles todos, muitos dos quais hoje são meus queridos amigos.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:24 AM | mais em An ordinary life | Comente este capítulo (28)

março 4, 2004

Em resposta vos digo

Sei que não ando escrevendo muito aqui. Me falta inspiração. Ou paciência. Ou os dois. Mas amanhã tentarei postar aqui algo que já estou há um tempo para escrever. (Em propaganda isso se chama teaser, mas não foi a intenção, hohoho).

Outra coisa é que eu queria ser tão pontual e precisa como muitos blogueiros amigos que respondem todos os comentários um por um, praticamente em tempo real. Eu até tento, mas nem sempre consigo. Hoje respondi a alguns, mas não todos, sorry. Será que o seu recadinho foi respondido? Tirou a sorte grande? Hohohoho, a pretensão, hohoho.

Enfim, não se ofendam se um dia eu não responder pessoalmente a um comentário, sou um pouco relapsa quanto a isso. Mas tenham a certeza que eu leio cada um dos comentários diariamente, com o maior carinho (menos os spams, que continuo recebendo *sigh*). E também um dia vou ser rica, vou contratar e pagar fortunas para a Fal para ela responder todos os comentários do meu blog. Me aguardem.

Escrito a mão pela Marcia às 9:35 PM | Comente este capítulo (4)

Mamão

Dificilmente compro mamão aqui. É até relativamente fácil de encontrar, mas geralmente encontro uns bem verdes e não dá vontade de comprar. Mas no domingo passado encontrei uns mamões papaya no Sainsbury's que estavam mais amarelinhos. Quando vi a procedência -- product from Brazil -- decidi comprar. Agora a pouco fiz uma vitamina de mamão, banana e maçã, com leite. Huuuummmm, o sabor dos trópicos!

Escrito a mão pela Marcia às 11:06 AM | mais em Food Talk | Comente este capítulo (7)

março 2, 2004

Brrrrrrr...

Tá fazendo -4ºC nesta manhã.
Céu sem nuvens e sol. Mas muito frio.
Tectectectectectec... (som de dentes batendo).

Escrito a mão pela Marcia às 8:57 AM | Comente este capítulo (12)

março 1, 2004

É Março

Março começou aqui com um sol lindo e um céu azul maravilhoso! E Março é o mês em que três pessoas lindas da minha família fazem aniversário: meu irmão Júlio, meu sobrinho Kauan e meu hubby Martin! :o)

Tivemos um domingo de muita preguiça, fomos ao supermercado e acabamos comprando o DVD do Diário de Bridget Jones pela metade do preço. Eu adoro esse filme, amo como o livro foi escrito, gosto muito da Renee Zellweger.

Aliás, fiquei surpresa com a premiação dela no Oscar! Não assistimos à premiação porque aqui a transmissão começa a uma da manhã. Queria muito que o Cidade de Deus ganhasse uma estatuazinha. No preview que assisti antes, os críticos ingleses todos reclamaram da falha em não colocar o Cidade de Deus na categoria Melhor Filme Estrangeiro e o quanto isso era injusto para um filme tão bem produzido como aquele.

Na quinta-feira passada, quando recebi nossa cesta de legumes, o moço que entrega me perguntou se eu havia assistido ao filme. Ele disse que achou bem violento, mas que adorou!

Gosto de Março, a atmosfera muda, as águas deixam o inverno (hopefully!), os dias já estão bem mais longos. E no final de semana que vem começa a Fórmula Um, logo começa a terceira série de S m a ll v i ll e também. No final do mês começa o horário de verão também. Parece que o ano começa em Março.

Escrito a mão pela Marcia às 11:20 AM | Comente este capítulo (10)

« fevereiro 2004 | Main | abril 2004 »