« fevereiro 2005 | Main | abril 2005 »

março 29, 2005

Happy Birthday, Meu Amor!!

Hoje é aniversário do Martin!

Estamos comemorando os novíssimos trinta e dois anos dele desde o início do feriado. Ele já abriu e usou os presentes, teve bolo recheado com direito a velinhas para apagar, fomos pedalar em Ringwood Forest, almoçamos num restaurante que gostamos.

E hoje ainda temos mais jantarzinho especial aqui em casa, mais abraços, mais beijos e mais desejos de muita felicidade no coração maior que o mundo que ele tem.


Bolinho, velas e muitos parabéns para Mr.M, com Ted, Pickles e Picleszinho
Buffday.jpg


Esta foto era pra mostrar que o bolo era pão-de-ló com recheio de ganache de chocolate, mas Ted colocou seu cabeção na frente, tsc.

Buffday2.jpg


Eu em Ringwood, de lente, cansada, com a magrela que é muito grande pra mim

Buffday3.jpg


The Birthday Boy em sua querida e inseparável Cannondale azul

Buffday4.jpg


Happy Birthday, my love. I wish you all the love, joy and happiness in the whole world because that's what I feel when you're around.

"For he's a jolly good fellow
For he's a jolly good fellow
For he's a jolly good fellow
And so say all of us
And so say all of us
And so say all of us!"

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 1:58 PM | mais em M&M Family | Comente este capítulo (17)

março 27, 2005

Happy Easter


Feliz Páscoa pra todo mundo!

Segunda Páscoa consecutiva que passamos sem um ovo de chocolate sequer, como pode?? A mãe do Martin nos mandou umas mini ovelhinhas de chocolate da Lindt, salvando nosso feriado, mas ovo mesmo, embrulhado com celofane e fita grandona, nadica. Acho que vamos dar uma olhada amanhã no supermercado pra ver se conseguimos algum pela metade do preço, hohoho. Ser chocoholic e pobre ao mesmo tempo é realmente triste, hoho.

Amanhã ainda é feriadão aqui, segunda-feira de Páscoa. Temos caminhado muito esses dias, já que a primavera definitivamente chegou com suas temperaturas deliciosas, sol, céu azul, brisa, daffodils florescendo, esquilos correndo, passarinhos cantando. Uma delícia andar e perceber todas essas mudanças depois da quietude do longo inverno.

Hoje estamos planejando sair com as bikes. O céu fechou e a previsão é de chuva, mas tudo bem. Talvez a gente vá assim mesmo e volte como dois muddy puppies ( = cachorrinhos filhotes cheios de lama - tradução é uma coisa horrenda de vez em quando...).

Vou ali fazer nossos sanduíches de Páscoa e nosso suco de Páscoa, para o nosso passeio e picnic de Páscoa sobre duas rodas.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:54 AM | Comente este capítulo (7)

março 23, 2005

Are we ever?

Boat.jpg

"(...) I can see the pain in you
I can see the love in you
but fighting all the demons will take time
it will take time
the angels they burn inside for us
are we ever
are we ever gonna learn to fly?
the devils they burn inside of us
are we ever gonna come back down?
come around?
I'm always gonna worry about the things that could make us cold (...)"

Angels and Devils - Dishwalla

Escrito a mão pela Marcia às 8:56 AM | Comente este capítulo (3)

março 19, 2005

Saturday Morning

Acordei cedinho, liguei o forno, tirei a massa da geladeira e voltei pra cama. Depois de uma hora, coloquei a massa no forno. Ficamos de preguiça no quarto, depois quando a fome ficou maior fomos pra cozinha, onde o perfume do pão fresco sendo assado já tinha se espalhado por toda redondeza. Martin fez um cappuccino bem espumante e caprichado na maquininha expressa, tirei as baguetes do forno e tivemos um café da manhão delicioso.

French Baguette, ladies and gentlemen:

FrenchBaguette.jpg

Na semana passada tentei fazer meu primeiro pão sourdough, mas não fermentou, depois falo mais sobre isso. E para não perder o entusiasmo fiz essas baguettes francesas. Deu muito certo e minha auto-estima padeirística voltou. Minhas fatias forma cobertas com requeijão Puck, que compro nas lojas indianas do meu bairro. Martin comeu as dele com manteiga e geléia de morangos.

Lá fora um fog espesso cobre toda a cidade. Aqui dentro, duas barrigas sorrindo felizes.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:10 AM | Comente este capítulo (12)

março 18, 2005

É Páscoa. Hooray, chocolate!!!

Good Lord, a Páscoa já é semana que vem?!
O tempo tem mesmo corrido com pressa esses dias.

Mas enfim, tô aqui em cima da hora para dizer que minha irmã Débora está fazendo os Ovos de Páscoa decorados dela. Entregas só em Sampa e pedidos só até 22 de Março.

O endereço é este aqui: www.deborayamashita.locaweb.com.br

Boas vendas, Dé!

Escrito a mão pela Marcia às 12:35 PM | Comente este capítulo (10)

março 16, 2005

Curtas

flower2.gif Você sabe que já faz uma semana que escreveu seu post mais recente quando hoje já vai passar o novo episódio de Jamie's School Dinner.

flower2.gif Outro dia lá no centro Mr.M quis dar uma paradinha para ver a vitrine de uma imobiliária. Paramos e na hora ouvi um plaft! Já fiz uma cara de ódio, mas o pássaro tinha acertado seu alvo intestinal no capuz do meu casaco, não na minha cabeça. Daí lembrei do filme que ganhei da minha amiga Mary, Under Toscana's Sol, quando a protagonista tenta comprar uma casa e a proprietária não quer vender. Até que um passaro voa por dentro da casa e aterrisa um cocô na testa da moça. A proprietária entende isso como um sinal e vende a casa. Devo comprar uma casa em Tuscany???

flower2.gif Você sabe que a primavera is just around the corner quando você vai num garden center num domingo de manhã e o lugar está completamente abarrotado de gente.

flower2.gif Plantei manjericão, coentro e pimenta cayenne, em vasinhos na janela da cozinha, como faço todo ano.

flower2.gif Tenho feito suco de laranja batido com uma cenoura e bem coadinho, todos os dias. Hummm.

flower2.gif Sustância: Eu ontem tava sossegada preparando o jantar, quando marido bretão chega do trabalho, dá um beijo, dá uma espiada na panela e pergunta: "será que você pode fazer o caldo do feijão mais grosso hoje? Igual da sua mãe?" Tudo culpa, obviamente, de Dona Wal, que faz o melhor feijão do mundo.

flower2.gif Preciso cortar meu cabelo, mas a situação crítica financeira atual não me permite. Porém é um grande conforto ter um marido que diz: "all you need is a big bowl and a pair of scissors".

flower2.gif Um post cheio de florzinhas e smileys é realmente ridículo...

Escrito a mão pela Marcia às 10:49 AM | Comente este capítulo (17)

março 10, 2005

Comida da Cantina

O Channel 4 está exibindo a nova série de programas do chef Jamie Oliver, que tem se dedicado inteiramente a melhorar drasticamente as refeições servidas nas escolas de todo Reino Unido, através da campanha Feed Me Better.

Os estudantes aqui entram na escola às nove da manhã e saem às três ou quatro da tarde. Durante esse período, eles têm cerca de uma hora de almoço e geralmente comem gratuitamente na cantina da escola.

E o que o programa têm mostrado é absolutamente horripilante. Em quase todo país o menu é o mesmo: hambúrgeres arroxeados, batatas fritas oleosas, pizzas, linguiças esbranquiçadas, nuggets feitos de sabe deus o quê e também -- o mais falado ultimamente -- turkey twizzlers, que parece ser uma salsicha sem pele processada em forma de mola, feita de peles, pés, e outras partes menos nobres do peru, servido frito.

O primeiro dia do programa causou um furor na mídia, todo mundo escandalizado ao ver o que as crianças comem dia após dia, após dia. Nutricionistas e pediatras também engrossaram o angú dizendo que se essa alimentação diária continuar, esta geração de crianças vai ser a primeira a morrer bem antes de seus pais. Assustador ou o quê?

Image148.jpg
Foto tirada do celular de Jamie Oliver, durante o evento Feed me Better, em Londres

Bem, então Jamie Oliver entrou em cena decidido mudar para sempre esse cenário nojento. Com a vergonhosa verba de 34p por criança (quase a metade da verba comparando com o gasto para alimentar presidiários), Jamie pegou uma escola para seu experimento, a Kidbrooke School, e começou a trabalhar com as dinner ladies, as serventes da cantina. Com muito esforço para convencer as mulheres que é preciso cortar legumes e cozinhar uma boa refeição ao invés de simplesmente jogar uns troços congelados no forno ou no óleo quente, Jamie conseguiu oferecer no seu primeiro dia foccacia, frango assado com ervas e espaguete com molho de cinco vegetais.

Porém, o grande problema, ele logo percebeu, é que as crianças já estão mais do que acostumadas com o junk food. Ninguém quis nem provar o que o moço da tv tinha feito. A maioria pedia o mesmo: pizza e chips, hamburguer e chips, nuggets e chips, turkey twizzlers e chips.

Durante o segundo programa, Jamie tentou fazer uma re-educação alimentar com as crianças, mostrando vegetais e perguntando se eles conheciam o que era. Nas mãos dele, um maço de aspargos. Na cabeça de uma das alunas aquilo era uma cebola (?!?). Envolveu as crianças no processo de preparar uma refeição, ensinou a misturar sabores, a provarem novas texturas. A maioria cuspiu a comida no chão.

De saco cheio, no terceiro programa, que foi ontem, Jamie institui que: ou as crianças comem o que ele faz, ou passam fome. E baniu todos os junk foods disponíveis. Chocadas, as crianças e adolescentes fizeram o que mais sabem fazer: manha. Uns gritaram, outros xingaram, outros choraram, outros fizeram drama. E impassível, Jamie segurava a criança pelo braço e dizia: "se você está mesmo com fome, você pelo menos vai tentar comer alguma coisa do que está sendo servido hoje. Se não está com fome, cai fora". De olhos arregalados, a maioria não sabia o que fazer. E o que estava sendo servido: cannelloni, coxas de frango assadas, arroz, salada, espaguete a bolonhesa e yakissoba vegetariano.

No primeiro dia os adolescentes resolveram pegar a comida da cantina, deixar nas mesas e sair sem comer nada, em protesto (porque adolescentes são mesmo um saco em qualquer lugar do mundo). Nos dias que seguiram, aos poucos as crianças começaram a comer o que tinha, por falta de opção. Depois de duas semanas, o volume de alunos comendo a comida da cantina já estava igual a antes. Com a diferença de que eles estavam comendo uma alimentação bem mais saudável e tinham muito mais energia para se concentrar na aula até o final do dia.

Agora Jamie Oliver e a servente da cantina Norma (engraçadíssima e super bacana), estão peregrinando pelo país inteiro para fazer o mesmo. E o que mais tem chamado a atenção deles é que a maioria das serventes são contratadas para enfiar congelados no forno, mais nada. Muitas sequer sabem cortar uma cebola em fatias. O trabalho da equipe de Jamie Oliver tem sido intenso e muitas vezes infrutífero, com pais reclamando na orelha dele que isso tudo é frescura e o Governo achando que tudo é só uma brincadeira de tv.

Mas alguma coisa já começou a mudar. Na semana passada o governo baniu a distribuição de turkey twizzlers nas escolas. E também está discutindo uma provável nova verba para a alimentação dos estudantes. É um começo. Muitos pais também já começaram a se envolver no projeto mais ativamente, exigindo de seus MPs mais atenção sobre o assunto.

E Jamie poderia muito bem ter continuado a tocar seu restaurante Fifteen, escrevendo livros e ganhando rios de dinheiro sem dar a mínima pro que acontece nas escolas públicas, uma vez que suas filhas provavelmente vão para escolas privadas. Mas ele escolheu mudar, escolheu dar as caras pra bater, escolheu fazer alguma coisa. Mesmo que isso tudo logo caia no esquecimento e as serventes voltem a entupir as crianças de processados, pelo menos ele fez o que estava ao seu alcance, pelo menos ele continua tentando com todas as forças. E muito bem.

E eu, pobre espectadora, fico louca da vida de ver as crianças dizendo que a comida que Jamie serve é horrível e nojenta. Meu deus, eu me lembro tão bem da comida da cantina da escola estadual em que estudei. Me lembro das servendes mau-humoradas pegando um dos pacotes de comida em pó do depósito para despejar numa das panelonas cheias de água fervente. Me lembro que no depósito dessa comida em pó, os sacos que ficavam no chão eram todos molhados com xixi de rato e roídos por baratas, ratazanas e afins. Me lembro do cheiro enjoativo da gororoba sendo servida, me lembro do gosto de nada que aquela sopa tinha. Eu era uma felizarda que tinha dinheiro para comprar outra coisa na lanchonete da escola. Mas muitos dos meus colegas tinham que comer aquilo lá mesmo, todos os dias. E eu morria de pena e até vergonha de comprar um sanduíche bem melhor que aquilo. E essas crianças inglesas são presenteadas com frango assado, com cannelloni de espinafre e ricota!! Quão sortudas são elas?? O que a gente não daria para ter isso nas escolas estaduais brasileiras?? Essas crianças daqui e seus respectivos pais precisam de perspectiva. Se não gosta, tudo bem, não come. Mas fazer auê e dizer que tudo é nojento me tira do sério. Humpf.

Go, Jamie, go!

Escrito a mão pela Marcia às 11:57 AM | mais em What's on Telly | Comente este capítulo (31)

março 8, 2005

Eu Queria ter Escrito

Eu estou bitter & un-sweet.

Eu queria fazer um copy-and-paste no post que a Mary queridoca escreveu dias atrás, botar aqui e dizer que fui eu que escrevi, já que estou no momento escrúpulos-foi-dar-uma-volta.

Porque ela disse exatamente o que eu (e pelo jeito, a maioria dos blogueiros) queria dizer a um montão de tempo.

Então, se você quiser, lê lá no Montanha-Russa, o post Eu, Malu Mader.

E já aviso que ninguém fique cheio de minhocas, achando que é pra si mesmo. Se quiser minhocar, minhoque, mas me inclua fora dessa.

A Internet toda pode ser pública e tudo que cair nela pode ser peixe, mas este espaço, até onde me conheço por gente nerd, é pago, o servidor é pago, o domínio é pago e é tudo meu. E apesar dos anos se acumularem em arquivos escritos, isso tudo aqui é apenas uma pequena sinopse da minha vida. Ninguém soube, sabe ou jamais saberá o que é estar sobre meus sapatos. Se você espera democracia incondicional, vai no site da Anistia Internacional, porque aqui não tem não. Se quer julgar preciptadamente, o x fica ali em cima.

Quer comentar, comente, faça piada, discuta, discorde, concorde, opine, sente, sirva-se do chá e do café com leite, pega os cookies, corte uma fatia do bolo. Mas comece a trazer seu tupperware pra levar comida pra casa, que logo a festa acaba.

Então que a futilidade fique pra fora, mesmo que eu escreva o mais fúteis dos posts. E que algumas exageradas formas de tratamento sejam refreadas, até que, então, possa ser considerada digna do relacionamento.

Hold your horses.

Bitter. I know. And don't care.

Escrito a mão pela Marcia às 4:39 PM | Comente este capítulo (12)

Home Again

Voltamos.

Tivemos um final de semana prolongado bem bom em Leicester, com direito a um montão de neve e frio e muita comida deliciosa.

Mr.M ainda está de folga hoje.
E eu também.

Escrito a mão pela Marcia às 4:10 PM | Comente este capítulo (2)

março 4, 2005

Mother's Day in Leicester

Ufff. Passei a manhã toda ocupadíssima fazendo as malas, embrulhando presentes, arrumando a cozinha. Hoje a tarde vamos a Leicestershire, passar uns dias na casa dos pais do Martin e comemorar o dia das mães no domingo. A previsão é de severa frente fria, com temperatura mínima de -10ºC. Numa casa sem aquecimento central, preciso ir bem preparada.

Até a volta.

Escrito a mão pela Marcia às 11:55 AM | mais em M&M Family | Comente este capítulo (11)

março 2, 2005

Em Brasa

Bloody hell.

Não foram um ou dois. Não. Foram quatro dedos da minha mão esquerda queimados. $#%&*$%@#% !!!

Assando pão -- ahem, Pain a L'ancienne -- e fazendo jantar ao mesmo tempo. Tirei a panela com a água borbulhante (que estava fazendo vapor pro pão) para fora do forno e deixei no fogão. Cortei os legumes, fui colocar a cassarola no fogão e a panela com água tava atrapalhando. Não hesitei, agarrei o cabo e na hora senti minha fina pele de dentro da mão fritando. AAAAAAAii...

Fuuuu... fuu...

Update: todos os quatro dedos foram salvos. Não é, obviamente, a primeira vez que queimo minha mão cozinhando. E sempre que acontece, Mr. M me dá o mesmo conselho: deixa sua mão embaixo da água fria corrente até sua mão ficar preta e cair. E ontem, com temperatura por volta de 2ºC, acreditem em mim, a água da torneira estava fria, dear me! E deixei minha mão na água corrente até ficar amortecida. E deu certo. Nenhuma bolha, nem nada. A pele tá meio repuxada, mas deve ser a idade, hoho.

Escrito a mão pela Marcia às 5:07 PM | Comente este capítulo (14)

« fevereiro 2005 | Main | abril 2005 »