« outubro 2007 | Main | dezembro 2007 »

novembro 30, 2007

The eNeMiEs

Há muitas eras atrás, quando tudo isso aqui era mato, a New Music Express era a publicação mais respeitável do cenário musical do planeta. Começou a decair no meio dos anos 90 e hoje não passa de um tablóide decadente e afundado em problemas financeiros.

O editor, arrogante e que posa de politicamente correto e anal retentive, vomita frases feitas e ao mesmo tempo cai na tentação de criar reportagens sensacionalistas onde não há sequer o que reportar. Na mente dele há somente certo/errado. Se um artista dá uma opinião que seja levemente fora dos moldes do "certo" da cabeça dele, então ele o acusa de racista, nazista, terrorista, hooligan, feio, bobo, xixi e cocô. Grow up!

Opinar sobre o problema da imigração não é sinônimo de ser racista. Ser filho de imigrantes não tira o direito desse filho de discutir o problema da imigração do país em que nasceu. Morar fora de seu país natal também não tira o seu direito de ter uma opinião sobre o tal país. E e sentir saudades de como seu país era 40 anos atrás não justifica ser acusado de Conservador.

Se a NME é totalmente dedicada aos ideais de fronteiras abertas e se acredita que a imigração não precisa ter nenhum controle econômico ou social e que tudo vai ficar bem e que seremos todos amiguinhos, então eles poderiam começar o exemplo doando seus lucros para verdadeiras causas que cuidam de imigrantes ilegais e asilados. Ah, não né?

Francamente, Mr. McNicholas, essa foi uma desesperada tentativa de alavancar as vendas de suas encalhadas revistas. Have fun in the High Court.

"Today's newspapers are tomorrow's fish and chip wrappers"

Escrito a mão pela Marcia às 11:08 AM

novembro 20, 2007

Bread and Wine

Ainda tenho a sensação de que acabei de voltar de Taiwan, mesmo já se tendo passados quase três meses desde que deixamos Kaohsiung (três meses, já?!). E uma das minhas maiores alegrias desde o retorno foi ter de volta um forno. Damn, I lead a dull life. Desde então tenho usado o forno quase todos os dias, seja para fazer um jantar ou uma sobremesa. Morando agora no norte, os dias são mais frios e as noites são mais longas e o prazer de ter o forno ligado aquecendo o ambiente e perfumando o ar é um grande prazer. Pra mim. Pros meus vizinhos universitários famintos que só compram baked beans deve ser um suplício. E com o forno, posso voltar também ao meu querido hobby de fazer pães.



Hoje fiz um pão facinho, rápido e bem fofo. É um pão é bastante atraente pela mistura doce do mel, salgada das azeitonas, com o perfume do alecrim. Excelente para acompanhar o Beef Stew in Red Wine que fiz também no forno, por horas e horas.

Rosemary, Olive & Honey Bread
Pão de alecrim, azeitonas e mel

1 1/2 xícaras de farinha de trigo
3/4 de xícara de farinha integral (usei malted brown com sementes)
1/2 colher de chá de sal

1 pacote de 7g de fermento de pão granulado (fast action dry yeast)
1 xícara de leite levemente morno

1/4 de xícara de mel
1/4 de xícara de azeite de oliva
1 colher cheia de alecrim fresco picado
3/4 de xícara de azeitonas picadas

Misture os três primeiros ingredientes numa vasilha grande, abra uma cova no centro.
Misture o fermento com o leite e despeje-os na cova.
Adicione o mel e o azeite.
Combine tudo, vai ficar uma massa pegajosa.
Trabalhe a massa por alguns minutos até formar uma quase-bola (acrescente um pouco mais de farinha se for preciso, eu tive que acrescentar umas duas colheradas).
Cubra a vasilha com uma toalha e deixe descansar por meia hora.
Acrescente as azeitonas e o alecrim, incorpore-os à massa.
Forme uma bola e coloque-a numa forma de pão de 20cmx10cm.
Descanse (a massa, não você) por outra meia hora.
Pincele o topo com ovo batido.
Asse em forno a 180C por 30-45 minutos. Se o topo começar a ficar muito escuro, cubra com papel alumínio até terminar o cozimento. Desenforme e esfrie.
Nham.

Escrito a mão pela Marcia às 6:09 PM | mais em Greedy Cow

novembro 19, 2007

Courgettes Latkes


Adoro abobrinha, zucchini, courgettes, em qualquer nome, em qualquer língua. Dá pra fazer tanta coisa com o legume e sempre fica bom. E um dos pratos que mais agrada a população deste lar são esses bolinhos achatados, que parecem panquecas, parecem hamburguer. Não tem como não gostar. O cheiro invade a casa toda com o delicioso aroma de comida bem feita, cozida sem pressa. A receita original é servida com vodka, mas eu não costumo ter vodka nesta respeitável casa de família. Só vinho. E algumas Ales. Mas vodka não.

mais ou menos 400g de abobrinhas raladas
cenoura ralada
cebola pequena ralada
meia xícara de farinha de trigo
1 ovo grande, levemente batido
sal a gosto
pimenta a gosto

Esprema as abobrinhas raladas para retirar o excesso de líquido. Repita se necessário. Coloque-as numa vasilha grande. Adicione a cenoura e a cebola, junte o ovo, a farinha, sal, pimenta. Misture até combinar tudo.

A partir daí você pode fritar colheradas dessa mistura numa frigideira de ferro com um pouco de óleo, até dourar dos dois lados. Eu fiz no forno pré-aquecido a 200C. Unte levemente uma assadeira anti-aderente com óleo e coloque umas colheradas da mistura, achatando-as com as costas da colher. Coloque a assadeira no forno e esqueça da vida até ficar dourado embaixo. Vire e doure o outro lado.

Note: eu não ralei nada. Coloquei cada legume separado no processador de alimentos e bzzzzzzzz, no modo pulsar. E pronto. Em trinta segundos tudo ralado.

---

Minhas Latkes estão aqui prontinhas. E também estão prontos o arroz, as lentilhas, as couves-flores assadas (é assim o plural?). E Mr.M está preso no trânsito e ainda vai demorar uma meia hora pra chegar. É minha chance de comer todas as latkes e fingir que jamais fiz nenhuma delas.

Escrito a mão pela Marcia às 6:12 PM | mais em Greedy Cow

novembro 7, 2007

One of Those Days

Têm dias, ou semanas, em que nada dá certo, nada se resolve, nada entra nos eixos, nada, absolutamente nada, deixa de ser um problema. Nesses dias, não há sopa que conforte. Só mesmo recém-assados muffins de cacau com pedaços grandes de chocolate amargo para acalentar a humilde alma faminta do meu ser.



A receita é dos Oatmeal Muffins da Ana, na qual troquei a canela pelo cacau Green & Blacks e adicionei pedaços de chocolate 70%, da fairtrade Divine.

Escrito a mão pela Marcia às 2:56 PM | mais em M&M Homeless - Big Issue, Sir?

novembro 1, 2007

Sugar and Spice and Everything Nice

Uma das coisas que me agrada aqui no norte é que ainda é possível encontrar pequenas lojas independentes pelas ruas. Aquelas lojas que não fazem parte de nenhuma cadeia de grandes conglomerados, aquelas pequenas, de uma só porta, aquelas que não tem igual em nenhum outro lugar. Foi numa dessas lojinhas que encontrei esse par de saleiro e pimenteiro cheio de boas intenções.


Houve apenas um porém: não costumo pôr sal à mesa. A não ser que receba visita, mesmo assim sempre esqueço. Mas no dia-a-dia uso pouquísimmo sal e nunca, jamais acrescentamos mais sal no prato. Então os pobres coitados estavam praticamente fadados a virarem objetos inúteis e puramente decorativos.


Foi quando então, olhando para eles, me surgiu a idéia: açúcar e canela! Pro cappuccino, pra banana amassada, pra canjica, pros bolinhos de chuva. E felizes eles ficaram e pularam e se abraçaram. Salvos!



Escrito a mão pela Marcia às 12:20 PM | mais em M&M Homeless - Big Issue, Sir?

« outubro 2007 | Main | dezembro 2007 »