« novembro 2007 | Main | janeiro 2008 »

dezembro 21, 2007

Silent Night

Último post do ano e sem tempo para escrever nada muito elaborado.

Meus sogros estão aqui no apartamento de Sheffield pela primeira vez. Amanhã de manhã temos um brunch programado, com pão siciliano feito em casa, mini-quiches de tomates secos feitos em casa, chá e café feitos em casa, além de iogurte de maracujá, geléia de blueberries, manteiga, queijo holandês, feitos fora de minha casa. E logo em seguida partimos todos para Lake District onde passaremos o Natal e mais alguns dias caminhando, caminhando e congelando os traseiros.

O ano está acabando e olhar para trás não é lá muito fácil. Foi um ano terrivelmente difícil para nós, cheios de dificuldades, frustrações e desapontamentos. Mas também foi o ano em que duas grandes amigas, Adriana e Fal, passaram por perdas imensas, que nos dão a perspectiva de que nossos problemas são pequenos, insignificantes e completamente suportáveis.

Foi o ano também em que muitas mudanças aconteceram, o que nos ajudou a caminhar pra frente ao invés de em círculos. E as mudanças continuam pelo próximo ano, assim como a lista de coisas dando erradas que continuam firmemente agarradas em mim.

Mas no final das contas, todo ano é assim mesmo, uns mais difíceis que outros. Vida mole só da gelatina mesmo. Enfim, quero desejar a todos um Natal cheio de risadas sinceras, abraços apertados, comidinha bem feita, etílicos gelados e tudo mais que você desejar. Obrigada por mais um ano de companhia, lendo meus rabiscos quase ilegíveis.

Feliz Natal e um 2008 mais simples. Porque simples é bom.

Escrito a mão pela Marcia às 8:24 PM | mais em M&M Homeless - Big Issue, Sir?

dezembro 7, 2007

Troubles Abound

Outubro e Novembro foram meses deploráveis, onde absolutamente tudo o que começamos deu errado e bem errado. E em todos os casos os problemas aconteceram porque alguém não prestou atenção ao seu trabalho. Pura falta de cuidado que nos custou dias de dores de cabeça e noites insones, sem contar que também nos custou tempo e dinheiro para resolver o descuido alheio. Finalmente em Dezembro estamos terminando de resolver os últimos problemas e escrevendo as últimas cartas de reclamação formal.

No final de semana passado fomos mais uma vez a Bournemouth para resolver um dos mais irritantes deles, que já vinha se arrastando desde que chegamos de Taiwan. Enquanto estávamos fora do país, a síndica resolveu trocar o sistema de segurança do nosso prédio. E para isso precisou trocar também os handsets de cada apartamento, menos o nosso porque, well, nós não estávamos lá para abrir a porta. E nesse tempo também foi trocada a empresa que cuidava da manutenção dos prédios. Então vivemos um inferno de empurra-empurra porque nenhuma das empresas de manutenção (nem a antiga e nem a nova) queriam fazer o maldito serviço. Finalmente conseguimos uma solução e resolvemos o problema com um eletricista.

Aproveitamos a visita a Bournemouth para dar os últimos retoques no apartamento, já que da última vez não tivemos muito tempo. Limpamos tudo, guardamos as caixas com a nossa mudança em armários, arejamos os quartos. Vender o apartamento é o último problema da lista, que não chega a ser um problema, apenas mais uma tarefa a ser feita. Nesta época do ano quase ninguém compra imóvel. Natal, Ano Novo e tal. Em todo caso o apartamento está lá, prontinho para ser passado para outras mãos.

Numa rápida visita ao centro da cidade, fomos dar tchau ao mar da costa de Dorset. O mar e eu não gostamos de despedidas longas, então foi um curto adeus, passar bem. Agora a gente espera só voltar para Bournemouth quando tivermos que organizar a grande mudança dos móveis.

Voltamos com o carro carregadíssimo mais uma vez. Entre as prioridades, vieram minhas cassarolas LeCreuset, o computador, livros de culinária e nossa pesadíssima TV. Carregá-la três andares escadaria abaixo em Bournemouth foi uma tarefa árdua e quase hércula. A TV é daquelas de tubo de raios catódicos, pesada, grande, disforme. Mas conseguimos. E agora estamos satisfeitos pelo esforço e pela Sky box que veio junto também. Porque antes de ter nossa TV aqui em Sheffield, nossa única diversão era fazer carinhas em conchas de pistachios:



A dull life, indeed.

E como problemas nunca são demais, agora nosso carro resolveu que quer morrer de múltipla falência de órgãos. A cada dia ele nos apresenta um problema e pede para ser aposentado dignamente. Carros hipocondríacos são insanamente cansativos. Tsc...

Escrito a mão pela Marcia às 8:49 AM | mais em M&M Homeless - Big Issue, Sir?

« novembro 2007 | Main | janeiro 2008 »