« Pepe is Back | Main | Icy Cold »

The Reason Why Birds Are Not Decorators

Eu tinha umas fotos lindas pra mostrar aqui. Tinha. Não tenho mais porque deletei por engano do memory card e não havia feito cópia para nenhum computador. Uma pena. Eram fotos de um girassol bastante especial que nasceu no jardim. Especial porque não fui eu, não foi Mr.M, nem foi a antiga dona desta casa quem o plantou. Quem acidentalmente semeou a bela flor foi algum passarinho que derrubou uma semente de girassol inteira no solo enquanto se esbaldava na comedouro cheio de sementes variadas. A semente em questão germinou e dela se desenvolveu um girassol lindo, no finalzinho do verão.

Fiquei encantada, levei a câmera e o tripé lá pra fora, tirei as fotos e tal. O tal passarinho que plantou o girassol deve então ter ficado empolgadíssimo e estufadíssimo de orgulho. O digno ser alado resolveu então que sua arte não deveria mais ficar confinada em um tedioso jardinzinho qualquer. That's sooooo last season... E abriu suas asas para alçar vôos mais ousados.

E da sua ousadia e infinita visão expressionista, o tal penoso -- vamos chamá-lo de Vincent -- plantou uma semente de girassol na calha mais alta de nossa singela moradia. Calha esta que sem dúvida deve estar entupida de folhas e outros materiais orgânicos esbanjando fertilidade. Porque desde então, temos no topo de nosso telhado, um girassol gigante, amarelão, extravagante, descabelado, a expressão mais alta da breguice anos 70. E nem os ventos de 80km/h que tivemos na semana passada, que arrancaram todas as plantas trepadeiras da minha parede, abalaram a imponência do pavoroso girassol. O amarelão flower-power continua lá firme e forte e forever.

A gente percebe pela janela da cozinha, que os vizinhos passam e viram o pescoço pra cima e depois continuam a caminhada com a expressão no rosto que diz claramente "What the frigging hell?!". E eu só balanço a cabeça concordando. I know, I know...

Temo a imaginar, porém, que a obra de Vincent não pára por aí. Assim que o girassol secar, suas muitas sementes vão cair calha adentro e logo uns doze ou quinze girassóis estarão dando o ar de sua graça carnavalesca. Oh dear, oh dear, oh dear...

Então, como se já não tivéssemos obras o suficiente acontecendo por aqui, agora também precisamos contratar alguém para vir com andaimes e apetrechos para limpar a calha. Ou então deixamos tudo como está e ganharemos o título The Tackiest House of The Year e teremos paredes cheias de infiltração. Thanks a lot, Vincent orelhudo.




12 Comentários

Hahaha - eu amei :o))) Me fez lembrar direto de um dos meus livros prediletos na infância: UM GIRASSOL NA JANELA, de Ganymédes José
http://literatura.moderna.com.br/catalogo/sinopse/85-16-03488-7.pdf
Você conhece? :o)
Beijos, e bom domingo,
Angie

Hahaha... suspenderam os jardins da Babilônia... :-)

Parece tão proposital!!! Passarinho obstinado esse Vincent ;)

Beijo!

"Ah, é fácil achar a casa da dona Marcinha... segue em frente, primeira rua à direita. é a casa com um girassol no telhado"

:)

HAHAHAHA essa é ótima mesmo... sua casa vai virar ponto de referência. :-)

Aqui em casa são os esquilos que fazem isso. Eles desenterram os bulbos de flores que a Lydia planta no nosso jardim, plantam eles no jardim dos vizinhos, e vice-versa. Você nunca sabe ao certo que flores vão nascer no jardim na primavera.

genial! pena que você vai ter que dessencalhar a calha! o girassol realmente combina com uma brasileira! hehehe, depois ele aparece noutro lugar, não esquenta!

aqui rolou um DIY ontem pra limpar a calha. ô tarefinha desagradável, viu... mas depois de ver isso, fiquei com vontade de deixar entupir na esperança de aparecer um girassol! surpreendentes os seus pássaros jardineiros! :)

Marcia dei altas risadas, provocadas por este impetuoso
Vicent. Gostaria que Vicent ousado como ele o é imigrasse para o Brasil, para ele voar pela Amanônia e semear algumas sementes de andiroba em Brasilia, o óleo desta planta servira para alguns cara de pau que lá se instalaram.

Ai, eu também quero um girassol amarelo e descabelado na calha da minha casa!!! Eu tô penando pra fazer nascer uns no meu canteirinho mas eles ficam mirradinhos, não ficam psicodélicos desse jeito!

Marcia,

Seu blog consta na lista de blogs de uma amiga minha “Dany’s em Angers (França) - http://danybraido.wordpress.com e, como eu adoro tudo o que diz respeito a Inglaterra, me interessei e nos últimos meses fiz uma rápida leitura de seus posts passados até os dias de hoje.

Como eu nunca havia acompanhado um blog, confesso que no início me senti uma intrusa, uma espiã, mas quando me dei conta já estava totalmente envolvida por sua escrita que é uma verdadeira delícia e me cativou de tal forma que, muitas vezes, eu parava para me perguntar se já nos conhecíamos ou éramos amigas de infância... rsrsrs

Vivendo no Brasil, paulistana e rodeada por perigos e invasões em todos os sentidos, no início temi pela sua exposição, mas logo me dei conta da sua resolução em manter a todo o custo contato com os seus amigos, familiares, idioma e pátria amada.

É interessante como a gente não se dá conta da quantidade de pessoas que gostam e curtem as mesmas coisas que a gente, mesmo havendo diferença de idade. Em seu blog eu vibrei com cada citação de suas lembranças musicais porque ainda amo as mesmas bandas, músicas, cantores que marcaram tantos momentos em nossas vidas.

É claro que com vocês eu também viajei, gargalhei, ri, chorei e vibrei (e sem exageros, algumas vezes pude até sentir o cheiro dos pães e delícias preparadas por você).

E por falar em culinária, apesar de eu procurar ser o mais light e natureba possível, me admira muito a sua coragem e desprendimento em experimentar novidades e sabores.

Sua sinceridade, jeito de ser, se expressar e viver demonstra o quão maravilhosa você é, tornando a família M&M essa delícia que você nos mostra (claro que nem tudo é perfeito, principalmente, quando se tem um Vincent como inquilino e decorador de telhados ... rsrsrs).

Não me admira, mas me orgulha muito ser mulher e saber que mesmo você tendo enfrentado as barreiras de idioma, costumes e tantas outras dificuldades, resistiu bravamente a tudo em todos os continentes pelos quais passou.

Sim, ser uma mulher de atitude e determinação faz toda a diferença.

Alivia-me o coração saber que existem pessoas tão conscientes como você e Mr. M, preocupados com o meio-ambiente, a família, os animais e tantas outras coisas importantes para o nosso planeta.

Já que de certa forma “entrei” em sua vida, sinto-me na obrigação de agradecê-la pelas informações, conhecimentos transmitidos e por tudo o que acompanhei até aqui.

Também não posso me esquecer de dizer que não apenas Mr. M, mas todos os Ingleses têm muito a agradecer a essa nipo-anglo-brasileira tão batalhadora e simpática.

Para que você conheça ao menos um “tiquinho” a meu respeito, sou secretária, tenho 45 anos, estou casada há 18 com um marido tão maravilhoso quanto o nosso único filho de quase 15 anos.

Por fim, envio-lhes um abraço que, apesar de virtual, é tão caloroso como todos nós brasileiros.

Miriam,

Gostame leer os teus artículos para perfecionar o idioma e porque te explicas moi ben. Enhoraboa. Un saudiño dende Galicia.

Bom-tarde,

Queria deixar um convite para visitar o blogue http://chocolateparaalma.blogs.sapo.pt, dedicado aos romances femininos publicados pela ASA. Vamos ter vários passatempos para si. Boas leituras!