« Dear Friends from the Computer | Main | Officially Disabled »

The Journey So Far

Este post não vai ser aberto a comentários. O fato é que eu não quero ler opiniões opostas às nossas escolhas ou ter que justificar nossos motivos. Não pretendo saber o que desconhecidos fariam em nosso lugar. Porque afinal os únicos por aqui que somos nós, somos nós. Este post tem como única intenção documentar nossa jornada. Para que apenas Martin e eu jamais nos esqueçamos.


2004
Concepção natural e perda de Little M no primeiro trimestre.


2006
Testes com Endocrinologista de Reprodução em clínica particular.
Chances de conceber naturalmente: <1%

- Ciclo-teste com Clomid
Resultado: negativo

- IVF-ICSI-AH (Fertilização in vitro com injeção intra-citoplasmática e eclosão assistida).
Protocolo: Longo

Complicação: Síndrome de Hiperestimulação Ovariana (OHSS) - Internação de emergência, anestesia geral, 20 óvulos recolhidos. Drenagem abdominal de 1.5L de fluídos acumulados. Ciclo cancelado.

Resultado:
10 óvulos fertilizados. Após 5 dias de cultivo, 6 embriões desenvolvidos e criopreservados (congelados em nitrogênio).

- FET 1 - Transferência de embriões congelados com indução de ovulação
3 embriões descongelados
3 transferidos
0 implantados
Resultado: negativo (Beta: 3.6)

- FET 2 - com indução de ovulação
3 embriões descongelados, 2 não sobreviveram ao processo
1 transferido
0 implantado
Resultado: negativo (Beta: 3.2)


2008
Mudança para Sheffield. Nova clínica, agora via NHS (sistema público de saúde nacional).
Consulta com diretor do centro reprodutivo, que trabalhou como coordenador sênior do departamento de IVF com Professor Lord Robert Winston (que produz a série Child of Our Time para a BBC).

Mais exames, investigações e testes karyotype.
Resultados bem melhores que os anteriores.
4 ciclos oferecidos pelo NHS (3 IUI e 1 IVF).


2009
- IUI 1 - Inseminação artificial com indução de ovulação
Complicação: hiperestimulação ovariana.
Resultado: Ciclo cancelado.

- IUI 2 - Com indução
Transferência.
Resultado: negativo.

- IUI 3 - Com indução
Complicação: hiperestimulação ovariana e cisto detectado.
Resultado: ciclo cancelado para remoção do cisto.


2010
Consulta de acompanhamento e aconselhamento.

- IVF 2
Protocolo: Antagonista

Resultado:
21 óvulos recolhidos
14 fertilizados
Após 5 dias de cultura, 4 blastocistos desenvolvidos
1 blastocisto transferido, 3 criopreservados
1 implantado
Beta 1: 66
Beta 2: >1000
Ultrassom de 6 semanas: Embrião e batimentos cardíacos detectados
Ultrassom de 9 semanas: Desenvolvimento de acordo com o esperado
Graduados da clínica de concepção assistida com abraços, presentes e lágrimas.
Transferidos para os cuidados da equipe de enfermeiras-parteiras.

---

Seis anos de espera, algumas frustrações e muito esforço. Durante todos esses tratamentos estivemos entre dois países de continentes bem distantes, mudamos de casa, de estado, de estilo de vida. Trabalhamos na renovação da casa, cuidamos de hedgehogs, vendemos um imóvel à distância, nos preocupamos com familiares, viajamos, começamos projetos. Jamais considerei essa jornada como um sacrifício. Jamais deixamos de viver nossas vidas, de manter nosso senso de humor, de falar de outros assuntos. Apesar de todas as complicações e do trauma de sofrer OHSS, nunca perdemos a perspectiva de que há casais que passam por jornadas muito piores e bem mais longas, sem o resultado esperado no final.

Ao mesmo tempo não considero que tivemos "sorte". Não acredito em sorte, merecimento, destino, intervenção divina, hora certa, alinhamento planetário ou estrelar. Acredito em dedicação, determinação e trabalho. Acredito nas reais porcentagens de sucesso (30%) e de derrota (70%) em reprodução assistida. Acredito que mesmo com as melhores das intenções e com os maiores dos esforços, absolutamente nada garante o resultado desejado. Acredito que estivemos muito perto de nunca termos o que temos hoje.

Ainda não chegamos ao fim da jornada, obviamente. Ainda há riscos e medos. Como tudo na vida. Como em qualquer momento de nossa existência. Talvez eu não saiba ainda, mas espero que um dia, distante no futuro, eu leia este post e relembre dessa jornada e me orgulhe de termos escolhido este caminho, de termos caminhado lado a lado. De termos nos apoiado um ao outro quando caímos, de termos nos reerguido e continuado. Talvez eu ainda não saiba, apesar de já acreditar, que ter dado o primeiro passo nessa jornada foi uma das mais importantes e doces decisões que fizemos em nossas vidas.

Dentro de mim, alguém me chuta. I know, baby.