« 10 Years | Main | Crocs goes with Everything »

A 16-Month-Old

Quando terminei de relatar o progresso de Miss S mês a mês no primeiro ano de vida dela, tinha como intenção voltar escrever posts relacionados a outros assuntos. No entanto, a escassez tempo me faz sabotar meus planos. Quando eu posso sentar com o laptop é porque: 1) Miss S está dormindo b) Mr.M está cuidando de Miss S e III) eu estou sonhando que estou sentada com o laptop. Quando uma das duas primeiras opções acontecem meu tempo simplesmente é preenchido tomando banho, colocando mais roupas pra lavar, fazendo o jantar, dormindo.

Neste momento, Miss S dorme e eu sento aqui com a página branca aberta, tentando escrever algo ordinário. Mas como escrever sobre a crise do Eurozone, as eleições da Grécia, o Jubileu de Diamante, quando Miss S, aos seus 16 meses de idade agora aprendeu a falar "rain-no" (rainbow - arco-iris)? Sod the Euro.

Funny times. Ela nos faz rir todos os dias. É tanta espontaneidade, tanta graça, tanto raciocínio.
As expressões inesperadas são as coisas mais deliciosas de ouvir.

"Aaah dear" ("oh dear" - ó céus) ela aprendeu imitando a Grandma. Miss S fala "ah dear" toda vez que derruba alguma coisa no chão acidentalmente ou não. Quando mais alto e mais longo o "Ahhhh", mais desastrosa foi a estipulia, mais bagunça e sujeira pelo chão. O dia todo eu ouço "AAAAAAHHHH dear, dear..."

"Uh-ooh" também é usado da mesma forma, com a diferença que ela demonstra mais preocupação e espera que a gente resolva o problema em questão. Quando algum brinquedo vai pra baixo do sofá ela nos leva até la, aponta e diz "uh-ooh". A gente resgata o brinquedo, ela joga debaixo do sofá de novo e diz "uh-ooh". *sigh*

"Calgone" ("all gone" - acabou) amplamente usado quando a comida favorita acabou ou quando ela terminou de comer. Quando ela era menorzinha ela sabia a linguagem de sinais para "all gone" e sempre sinalizava quando não queria mais comer. Hoje ela joga o prato no chão e diz "calgone". *sigh*

"Awwwww Mammy/Daddy..." afagando nossos cabelos. I die.

"Bye-bye poo-poo/wee-wee" (tchau cocô/xixi) auto-explicativo.

"Tchhh tchhh" - ela pega o desodorante, levanta um braço, coloca o desodorante embaixo da axila e fala "tchhh tchhh". I die x2.

"Hooray" (êbaaa) balançando os braços pra cima e pra baixo.

Palavras que ela fala perfeitamente na língua da Rainha:

Flower (flor) - a atual obsessão. Adora apontar e falar "Flower" para todas as flores que vê. Outro dia na loja John Lewis ela viu uma orquídea e ficou admirada. Apontava e falava "Flower!!". Mas como os outros consumidores passavam pela orquídea despercebidos ela então achou que era missão dela chamar a atenção para a espécie botânica e ficou gritando "FLOWER! FLOWER! FLOWEEEER!" esperando que o andar todo tomasse consciência.

Water (água) - no mais polido sotaque britânico que eu jamais conseguirei.

Biscuit (biscoito) - aprendeu rapidamente por necessidade e urgência (e gula).

Smell (do verbo cheirar) - Um dia quando ela estava brincando com os potinhos de especiarias Martin teve a brilhante idéia de ensinar ela a cheirar cada uma delas. Cardamon, cravos, canela, star anise, cumin. Depois passou para as ervas: manjericão, orégano, coentro. Agora todos os dias ela abre o armário, pega um potinho e fala "Smell?" e dá uma fungada e manda eu cheirar também. No jardim ela pega folhas de louro e fala "Smell?", cheira e depois diz "pooooo". Arranca um punhadão de tomilho de limão, fala "Smell?" e diz "hummmmm". Não vejo a hora das rosas nascerem.

Ela fala um bom número de palavras corretamente mas essas acima são as mais compridas e que nos surpreende mais.

Palavras que ela ainda não consegue falar direito, mas são adoráveis:

"Piya" (caterpillar - lagarta) do livro favorito The Very Hungry Caterpillar.

"Danshing" (dancing - dançando)

"Cócó" (galo, galinha, pombo)

"Chip, chip" (pintinho, patinho, gansinho)

"Uh-uh-uh" (macaco)

Ela também aprendeu a contar até 10: ummm, two, two, two, TEN!

Eu tenho me esforçado para inventar atividades e brincadeiras para mantê-la entretida. Procuro bastante na Internet por novas idéias e adoro adicioná-las no Pinterest, meu novo melhor amigo pra sempre.

O jardim tem sido um grande aliado, faça chuva ou faça chuva (estamos todos cansados do interminável inverno). Pular em poças d'água, jogar pedras em baldes cheios de água, regar plantas, alimentar Pepe the Blackbird, pôr comida pros hedgehogs e pássaros, procurar joaninhas, correr na grama, colher caramujos e um monte de outras "explorações". Nós compramos um sandpit (areia de brincar) mas ainda não montamos porque continua muito frio e chuvoso.

Temos visitado os parques públicos também para usar o escorregador. Mas os balanços estão, por hora e até segunda ordem, rejeitados. Ela gostava tanto quando ia no baby carrier e balançavamos juntas (eu adoro balanços!), hoje porém, não quer mais, nem juntas nem sozinha.

Dentro de casa as vezes brincamos de colagem, de bolhas de sabão (lá fora venta muito e as bolhas não duram um segundo - já falei que cansei desse inverno interminável? Então.), brincamos com lentilhas vermelhas, com panelas, lemos muitos livros que ela pode apontar e falar as palavras, assistimos Cbeebies, vemos fotos, ouvimos música, comemos bolo. Miss S agora está interessada em brincar de faz-de-conta, adora bolsas, coloca-as no braço e diz "bye bye Mammy". E empurra o mini carrinho de supermercado, atende o celular e fala "Gahma? Yeah. Yeah. Bye-bye Gahma."

Duas coisas que eu não vejo a hora de fazer com ela é cozinhar e plantar. Plantamos girassóis juntas, ela empurrou as sementes na terra, mas não entende, obviamente, do que se trata. Ela me assiste com interesse quando estou cozinhando, gosta de me ver quebrando o ovo, misturando.

Enfim, tem sido cansativo, muitas vezes divertido, algumas vezes frustrante, mas os dias têm sido recheados de amor e abraços. Num dia em que a gengiva dela estava doendo e ela só queria colo, começamos ver fotos das férias no Brasil. Ela via Batian e Ditian e colocava a mãozinha na tela do computador, sorrindo gentilmente, sem falar nada. As vezes palavras são desnecessárias, em qualquer linguagem. A expressão dela, o sorriso, a mãozinha, o dedo apontando, o olhar de volta pra mim dizia mais do que ela poderia falar. Aprender a falar tem sido um grande marco na vida dela, mas não é o único meio dela se comunicar. Quando estamos conectadas, eu a entendo, sem palavras, sem sinais.



Nota: os comentários para este post estão fechados porque recentemente andei recebendo (e deletando) comentários da patrulha militante criticando a forma como me comunico com Miss S. Gente que sequer sei quem são, que sequer sabe quantas línguas falamos aqui em casa, sequer sabe nossas circunstâncias, gente que vem aqui dar palpite não-solicitado na educação que não lhe diz respeito. Como diz minha amiga Lala, pague as minhas contas todas e eu lhe dou o direito de se meter na minha vida por 15 segundos. Caso contrário, cada um com seu cada qual. Miss S é saudável, alegre, inteligente e todos os dias a gente se esforça para mostrá-la que a amamos incondicionalmente. E, para nós, é o que importa.