agosto 21, 2014

A road never travelled

Little Miss S já não é mais tão little. E frequentemente ela me lembra: "I'm not a baby anymore, Mum" (note o "Mum" e não mais "Mummy"). E realmente essa observação é correta e cada vez mais presente ao nosso redor. Não temos mais cadeirão, berço, portões de segurança há muito tempo. Quase não usamos mais o carrinho; o assento do carro está no Grupo 3 usando o cinto de segurança do próprio carro. A privada está sendo usada com adaptador e eu ouço a frase "Mum, I've finisheeeeed" várias vezes por dia.

A cama de Miss S agora é tamanho solteiro. Recentemente ela teve seu primeiro corte de cabelo com um profissional e tomou as últimas doses de vacinas infantis.

E por mais que eu tenha tentado evitar pensar em escolas, este ano foi inevitável. Eu sabia que o dia iria chegar, mas preferia não pensar em excesso. Colocamos o nome dela na lista de espera de uma Nursery e finalmente ela foi aceita e vai começar a frequentar no próximo termo (Set-Jul), três vezes por semana.

No início eu estava apreensiva (a palavra bonitinha que traduz freaking the hell out) com a idéia de Miss S ficar entre estranhos, sozinha pela primeira vez na vida dela. Troquei muitos emails com a diretora da Nursery, explicando o caso de Miss S e a ansiedade excessiva que ela sente ao redor de estranhos. A diretora nos convidou para conversar na escolinha. Fomos nós três e assim que chegamos Miss S entrou, tirou os sapatos (!) e começou a explorar os brinquedos.

Conversamos bastante sobre a timidez e ansiedade de Miss S. Eu perguntei se poderia ficar um pouco com Miss S nos primeiros dias até ela se acostumar com o ambiente. A diretora foi sem dúvida muito atenciosa e compreensiva, explicou sobre as expectativas (dos pais e da criança), traçou um plano de adaptação e disse que sim, claro eu posso ficar com ela no começo.

No entanto, eu sei que no fundo tudo o que a diretora precisava mesmo me dizer era: "Cut the cord, bitch. Cut. The. Damn. Cord." Ela não o fez, óbvio. Ao invés disso, ela perguntou a Miss S se ela queria conhecer os animais da escolinha. Miss S arregalou os olhos, segurou na mão da diretora e foi com ela conhecer o Brian, caracol africano. Depois conheceu os porquinhos da Índia, Nibbles & Squeak. E por fim, para o total deleite dela, foi apresentada a dois peixinhos dourados. Tudo isso enquanto eu fiquei na sala preenchendo a papelada. Miss S voltou na sala, eu achei que ela já estava sentindo a minha falta, mas só queria mesmo os sapatos de volta pra ir ao jardim do lado de fora.

Desde essa visita Miss S não fala em outra coisa a não ser que quer ir pra escola. Ela tem repetido várias vezes que da próxima vez ela vai dizer "bye bye to Mummy". Eu continuo com o pé atrás dessa declaração. Amanhã é o dia em que começamos a adaptação, uma hora por dia até começar o ano letivo propriamente. Apesar do combinado, eu vou aproveitar essa oportunidade e realmente tentar dar um beijo, dizer bye-bye e cut the cord. Vamos ver.

É um caminho nunca antes percorrido para nós. E é o caminho dela, sem mim, sem o Daddy.

My little big girl, espero e torço para que você encontre dentro de si a confiança que precisa para desbravar o mundo com suas próprias pernas. Porque há caracóis africanos e porquinhos da Índia para conhecer. E amiguinhos e professores. E lanches e brincadeiras e day trips. É o começo de algo grande, my little miss. Go, sweetheart.

You have brains in your head.
You have feet in your shoes
You can steer yourself
any direction you choose.
You're on your own. And you know what you know.
And YOU are the guy who'll decide where to go.

Oh, the Places you'll go -- Dr. Seuss









Update: E o grande dia chegou. Caminhamos devagar juntas até a escola. Entramos na sala, havia umas cinco crianças já fazendo atividades. A 'tia' dela, Miss D, foi um amor desde o primeiro segundo. Mas Miss S segurou firme na minha mão e apontou pra porta. A 'tia' Miss D tentou distraí-la, mas Miss S continuou apontando para a porta. Achei que ela fosse chorar, que queria ir embora. A 'tia' perguntou se por acaso ela queria que a Mummy fosse embora. Eu ri, né, imagina, que absurdo, claro que não. E pra minha consternação, Miss S agarrou meu pescoço e disse "Bye Bye Mummy". E eu fotografei na memória o momento em que ela largou da minha mão e pegou a mão da tia Miss D e as duas foram fazer algo divertido num outro canto da sala. Eu saí da sala rapidamente, deixei-a na escola, sem lágrimas (dela!). Entrei num café, sentei com uma xícara de chá e contei pro pai dela que se esforçou pra não chorar no escritório. Quando voltei para buscá-la eu vi pela janela Miss S sentada com as outras crianças na mesa, comendo fougasse de alho. Ela estava sorridente, falante, contando pra tia Miss D que ela vai voltar no dia seguinte e no outro e no outro e no outro.

We came a long way, my darling, well done. I couldn't be prouder.


Escrito a mão pela Marcia às 7:27 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(18)

maio 20, 2014

Secret Kingdom

No final de Abril passamos uns dias em Northumberland e acredito que encontramos um pedaço de um reino secreto aqui do Norte, propositadamente pouco divulgada, numa região categorizada como Outstanding Natural Beauty (Proeminente Beleza Natural). Estou tentando evitar hipérboles para descrevê-la, mas as hipérboles abundam.

Afinal, não é em qualquer parte do mundo que você pode ter um castelo do século VI na beira de uma praia limpíssima, com focas selvagens nadando no mar e belíssimos rock pools (piscinas naturais?) surgindo na maré baixa, revelando um mundo magnífico de criaturas aquáticas. Eu avisei, hipérboles.

Fomos à Northumberland exatamente pelas suas rock pools, algo que tínhamos certeza que nós três iríamos adorar. Passamos horas e horas fuçando pedras, algas e conchas. Encontrar hermit crabs foi nossa atração favorita (seguido de um good old fish & chips).

Miss S já esteve em outras praias bem sem graça (Whitby e Maryport) mas desta vez foi a primeira vez que ela realmente teve o gosto de brincar na praia propriamente. Fez castelos de areia, correu das ondas, catou conchinhas, caminhou um bocado, escalou rochas, comprou sorvetes de todos os sabores possíveis.

O tempo ainda estava incerto, nublado, foggy. A temperatura máxima não passou dos 9ºC. Mas não fez a menor diferença. Ir à praia completamente vestidos é algo natural e normal na costa britânica, algo que muito me agrada.

Era possível pegar um barco para ir a uma remota ilha cheia de pássaros Puffins (cartão postal de Northumberland) e focas. Mas deixamos para uma próxima vez, quando Miss S vai aproveitar melhor.




















*Hermit Crabs foram devidamente devolvidos aos seus habitats














Escrito a mão pela Marcia às 9:49 AM | mais em M&M Family | mais em That British Kingdom | Comente este fragmento(1)

abril 27, 2014

A Dozen Years



Happy 12th Anniversary, my dear dear dearest Martin.

Words cannot describe how happy this picture makes me.






Escrito a mão pela Marcia às 6:03 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(5)

abril 5, 2014

Bad oranges and recycled candles

No final de semana anterior a esse que passou foi o aniversário de Mr.M e também Dia das Mães. Meu pai e a minha sogra passaram por cirurgias naquela mesma semana e, apesar de tudo ter corrido bem com dois, não fizemos nenhuma celebração por aqui. Já estávamos satisfeitos que ambas as cirurgias foram bem-sucedidas.

Eu ganhei um cartãozinho desenhado pelas próprias mãos de Miss S. Pedi para ela explicar o desenho e ela esclareceu:

"This is Daddy. He's sad because he ate a bad orange and a bad banana."
("Este é o Daddy. Ele está triste porque comeu uma laranja podre e uma banana passada.")





Oh dear! Então compramos um bolo de chocolate, laranjas e bananas frescas. Não tínhamos velas, mas Miss S resolveu o problema e colocou as velas dos seus poucos aniversários anteriores no bolo.





Apesar de Mr.M ter feito 10 anos mais do que as velas do bolo mostravam, ninguém notou a diferença. Happy Birthday, dear Martin.





No jardim, duas novas convidadas chegaram. Amelanchier Grandiflora Robin Hill, que chegou já medindo 2 metros. Ela dá flores rosadas na primavera, frutos comestíveis (parecidos com blueberries) no verão e folhas vermelhas no outono. Too good to be true. Como ela veio do sul, já está toda bela e florida, enquanto que as árvores de toda região continuam peladas.





A outra é mais uma árvore frutífera, Greengage Oullins Gage, uma fruta tradicional do outono aqui, que só recentemente comecei a apreciar. Bem parecida com a ameixa, mas as frutas são verdes, levemente amareladas quando maduras, bem docinhas. Nossa árvore é "minarette", bem pequena para ser cultivada em vaso. Não sei quanto tempo vai levar para dar frutos, já que essa espécie Oullins Gage é meio lenta.





Mas quando derem vão ser assim:





Espero que ambas decidam ficar por aqui.

Escrito a mão pela Marcia às 3:40 PM | mais em M&M Family | mais em Tales of the Garden | Comente este fragmento(6)

fevereiro 3, 2014

The things I've heard

Miss S: Mummy are you a boy or a girl? (Mummy, você é menina ou menino?)
Me: What do you think Mummy is? (O que você acha que a Mummy é?)
Miss S: You are a girl. (Você é menina)
Me: What about Daddy, is he a boy or a girl? (E o Daddy, ele é menino ou menina?)
Miss S: Daddy is a boy. (Daddy é menino)
Me: How do you know he's a boy? (Como você sabe que ele é menino?)
Miss S: Daddy is a boy because he looks like Bob the Builder. (Daddy é menino porque ele parece com Bob the Builder)





Miss S pulando no sofá, apesar dos meus pedidos para parar porque ela vai cair do braço do sofá.
Miss S: Mum, Mummy, Mummy, Mum!!! Want to watch me jump??? (Mum, Mummy, Mummy, Mum!!! Quer me ver pular?
Me: No!!! (Não!!!)
Miss S: I’ll take that as a yes (Vou considerar isso como um sim.)

Eu na cozinha fazendo o jantar, cuidando de duas panelas, Miss S sozinha na sala de estar.
Miss S: Mummy, come here! Mummy!!! Mummy come quick, Mummyyyy!!!! (Mummy, vem aqui! Mummy!!! Mummy vem aqui rápido, Mummyyyy!!!!
Me (desligando o fogão, correndo pra sala): What? What’s happening? (o que foi? o que aconteceu?)
Miss S: I’ve lost my bogie... (eu perdi a meleca do meu nariz...)

Miss S termina de usar o penico, limpa e puxa a calça pra cima. E conclui:
Miss S: Another excellent job! (Mais um excelente trabalho!)


Escrito a mão pela Marcia às 1:58 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(9)

dezembro 30, 2013

Magical Beautiful 3

Minha doce menininha de 3 anos,

O seu dia especial finalmente chegou. O tão esperado dia dois e cinco.
Você acordou e perguntou pro seu Daddy que dia era. Quando ele disse você deu um pulo e exclamou surpresa: "It's my birthday!!!" E ganhou beijos e abraços e amor.

Havia balões cor-de-rosa pendurados na porta do quarto. Havia uma trilha de mini-bombons em cada degrau da escada. Quando finalmente chegamos na sala de estar, Grandma e Grandpa já estavam lá nos esperando. Você viu os presentes na árvore de Natal mas o olhar grandão e brilhante foi direto ao pratinho que havíamos deixado para Father Christmas e as renas, na noite anterior. E ficou espantada com as migalhas e as raspas de cenoura, contando para todos nós: "Look, he ate the mince pie and drank the juice! Look at the carrot, it's gone! Look, the reindeer ate it! But they didn't take the ribbon..." (Olha, ele comeu o mince pie e bebeu o suco! Olha a cenoura! A rena comeu tudo! Mas eles não levaram o laço...)

Father Christmas trouxe exatamente o presente que você esperava e ainda lhe deu algo bem especial para você continuar acreditando na magia do Natal: um dos sinos das renas, igualzinho ao do filme Polar Express. Seu sorriso nem cabia em seu rosto feliz!

Comemos panettone e café e você distribuiu pequenos presentes. Quando os outros convidados chegaram preparamos sua festa. Abrimos e estendemos nossa mesa, decoramos com toalha nova, vasos com rosas e vários itens de picnic, que é a sua refeição mais preferida de todos os tempos. Até o sol apareceu e encheu a mesa de uma luz alaranjada maravilhosa enquanto lanchamos. Se eu pudesse ter um pedido de Natal atrasado, seria recuperar todas as minhas fotos desse dia que perdemos quando o cartão da câmera se corrompeu.

Estouramos champagne Moet (porque como li por aí, brunch sem bebida alcoólica é apenas um triste e atrasado café da manhã) e brindamos à sua saúde. Depois cantamos parabéns com seu bolo colorido que fizemos juntas no dia anterior. Você bateu palmas e cantou dançando, soprou as velas, vibrou hooray!

Você ficou comigo em casa enquanto os outros saíram para caminhar no vento inclemente da nossa região. E quando todos estavam de volta começamos a preparar o jantar de Natal.

O peru, que nunca foi nosso preferido, ficou excelente, feito inteirinho pelo seu Daddy. A grande diferença este ano foi ter separado as coxas e sobrecoxas do peitão. Assim as pernas foram cozidas em confit de canard e o peito assado separado para não ressecar. Fizemos gravy (molho do peru), pigs in blanklets (mini-linguiças enroladas em bacon), stuffing (recheio do peru feito de carne linguiça misturada com pão, ervas, damasco, cranberries e castanhas - geralmente colocado dentro do peru, mas nós preferimos fazer separado pra ficar crocante), couves de bruxelas, couve vermelha, batatas, Yorkshire pudding, molho de cranberries. Minha melhor lembrança do jantar não foi da refeição em si, mas de nós três, Daddy, Grandma e eu, cozinhando juntos e você dando gargalhadas brincando com Auntie J e Grandpa na sala.

E como era de se esperar, depois do jantar você já estava exausta, hiper estimulada e chorosa. Mas todo mundo entendeu, afinal era o seu grande dia, o seu tão esperado dia e você não queria que terminasse. Você dormiu quando era quase meia-noite, aproveitou bastante cada segundo, seja se encantando com a tradição, seja abrindo presentes, brincando conosco, dançando, celebrando mais um aniversário.

Este ano foi um ano de tirar o fôlego. Um ano que você nos fez rir tantas vezes com seus comentários tão extraordinários. Um ano que Daddy passou vários dias viajando a trabalho e nós duas tivemos nossos próprios desafios. Um ano que você declarou sua independência da fase de bebê, em todos os sentidos. Um ano em que você nos ensinou de uma vez por todas que você vai alcançar os estágios de desenvolvimento quando chegar a hora. Nem cedo, nem tarde. No começo deste ano nós achávamos que você nunca seria capaz de dormir a noite inteira. Que você nunca ia deixar de mamar. Que você nunca ia parar de ter tantrums. Que você nunca ia deixar a fralda. E eis que quando cada hora chegou você fez tudo isso sozinha. Ao contrário do que muitos livros nos fazem acreditar, você não precisou de nenhuma "estratégia" ou nenhum "incentivo". Você precisou simplesmente crescer.

Nós nos orgulhamos tanto de você, Miss S, do jeitinho que você é. Doce e rebelde, inteligente e com pouco senso-comum, divertida e tímida, ativa e geek, dona do sorriso mais ensolarado e brilhante do mundo.

We love you so very much, dear Sophie. Happy 3rd magical birthday, sweetie.






































Escrito a mão pela Marcia às 1:37 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(15)

dezembro 20, 2013

Counting the Days






































Este mês tem sido um grande teste para a pouca paciência de uma criança de dois anos e onze meses. Parece que o mundo inteiro está contando os dias pro aniversário dela. E o dia nunca chega. Ela pergunta assim que acorda: "Hoje é dia dois e cinco?" Quando eu digo que não, ela solta um "aaaawwnn" em frustração e protesto.

Enquanto o grande dia não chega, nós:

- Decoramos nossa prateleira, já que não temos mantlepiece.

- Fizemos planos elaborados para Father Christmas entrar em nossa casa, que não tem chaminé.

- Visitamos uma Feira Victoriana Natalina com renas de verdade num estábulo. Eu e Mr.M ficamos admirando, mas Miss S deu uma olhada nelas por alguns segundos e em seguida perguntou: "can we go back to the cupcake stall now?" ("podemos voltar pra banca de cupcakes?")

- Estivemos na loja de departamentos John Lewis e lá havia uma caixa de correios especial para mandar cartas para Father Christmas. Miss S, que geralmente é tímida demais, foi sozinha direto pra mesinha, puxou a cadeira, sentou, pegou papel e me chamou para escrever a carta. Eu perguntei o que a gente deveria pôr na carta. Ela deu um sorriso tímido e envergonhado e falou bem, bem baixinho: "please bring a present" ("por favor traga um presente"). Escrevemos, colocamos nosso endereço e ela colocou a carta na caixa do correio com um sorrisão. Em poucos dias chegou uma carta no nome dela, com um carimbo oficial do escritório de Mr. Christmas.

- Encomendamos um peru KellyBronze (as peruas de Essex são famosas pelos peitões, ha!) para o jantar de Natal, que vai ser aqui em casa.

- Assistimos a The Polar Express várias vezes comendo pipoca e pink milk (e indian chai pra mim).

- Aprendemos a cantar Jingle Bells em linguagem de sinais.

- Lemos livros de histórias que falam sobre generosidade e gratidão.

- Comemos biscoitos de Natal, mince pies, yule log (rocambole de chocolate em formato de tronco de árvore).

- Nos divertimos com a volta de Daddy em casa depois de uma temporada na Russia.

Assim como Miss S, eu também não vejo a hora do grande dia chegar. Da família celebrando Miss S em nossas vidas. De preparar a casa para a chegada de Father Christmas e suas renas, de deixar mince pie e uma cenoura pra eles. De esperar Miss S dormir para colocar os presentes embaixo da árvore. De deixar trilhas e pegadas pelo chão. Não vejo a hora de ver a carinha dela pela manhã, o sorriso, o olhar grandão e brilhante.

Falta pouco agora, my dear, falta pouco.

Escrito a mão pela Marcia às 12:07 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(6)

novembro 20, 2013

Ikea Instructions - The Basic Rule

Estava eu lendo tentando entender as instruções de como montar uma peça da Ikea. Nada muito elaborado, apenas uma estante Trofast. E enquanto eu decifrava a mensagem, que não usa palavras, apenas ilustrações, Miss S pulava animada ao meu lado:

"Are you going to build that?"
("Você vai montar isso?")
"Can I help"
("Posso ajudar?")
"What is it?"
("O que é?")
"Can I help?"
("Posso ajudar?")

E eu expliquei pra ela que eu estava tentando ler as instruções primeiro.
Daí ela veio do meu lado e ficou olhando, olhando, olhando o seguinte quadro das instruções:





E declarou:

"Look Mummy, you can't be sad o'wise you break it! You need to be happy"
("Olha aqui, Mummy, você não pode ser triste caso contrário você quebra! Você tem que ser feliz")

E durante toda a montagem e muitos momentos em que eu gostaria de enviar uns desaforos pra Ikea, eu lembrava das instruções de Miss S, respirava fundo e tentava de novo.

Nada quebrou.

Escrito a mão pela Marcia às 11:08 AM | mais em M&M Family

agosto 27, 2013

The Princess and The Pea

A colheita de ervilhas é tarefa exclusiva de Little Miss S. Uma vez tentei colher eu mesma sozinha. Vamos apenas dizer aqui que não farei novamente. Ever.

Miss S avalia o tamanho das ervilhas todos os dias. E arranca-as da planta quando estão no ponto (muitas vezes quebra a planta no processo). E os dedinhos abrem com cuidado a casca para descobrir as jóias super doces dentro. E come todas as ervilhas lá do lado do pé mesmo, com as cascas caindo aos pés.

As mesmas ervilhas que se eu cozinhar e colocar no prato são ignoradas solenemente. Mas assim, abertas segundos depois de colher, vão pra boca em mãos cheias.

Só por isso, por esse delicioso momento, valeu a pena termos construído a horta.












Escrito a mão pela Marcia às 6:10 PM | mais em M&M Family | mais em Tales of the Garden

junho 3, 2013

Back to The City

Mr.M voltou do México numa quarta-feira e na quinta, fomos eu, criança de dois anos e cinco meses e marido jet-lagged de novo para Londres. Chegamos às duas da tarde e fomos direto pro Regent's Park com a intenção de levar Miss S no London Zoo. Mas durante a caminhada deliciosa por dentro do parque perguntamos várias vezes se ela queria ver os animais. Quer ir ver o leão? "Não." Quer ir ver os macacos? "Não." Quer ir ver a girafa? "Não." Quer ir ver as lontras? "Não." Que ir ver as borboletas? "Não, eu vi a borboleta ontem."

Então mudamos de planos. Atravessamos a ponte e caminhamos pela área tranquila e agradável do Regent's Canal em direção à Little Venice. Miss S andou bastante pela margem do rio, viu patos com filhotes e as embarcações charmosas.







Voltamos pro Regent's Park em direção ao hotel, com Miss S ainda andando pra todo lado. Paramos para soprar sementes de dandelions e Miss S achou a coisa mais engraçada do universo! Ano que vem todo o parque vai estar coberto de dandelions, you're welcome Your Majesty.






Encontramos um café que estava vazio e entramos para descansar tomando chá e comendo bolo de chocolate que faz tudo ficar melhor.






Fizemos check-in no hotel, adoramos o quarto, bem equipado, com geladeira vazia para as comidinhas de Miss S (e nosso vinho). Pedimos sushi e tempura no restaurante japonês vizinho e Miss S comeu yakisoba e um pedaço de baguette meia-boca do supermercado. E dormiu o sono dos justos, sem se mover a noite inteira.

No dia seguinte nos separamos: eu fui caminhando por meia hora até o Consulado; Mr.M e Miss S foram passear no Boating Lake e Queen Mary's Park. Eu adorei essa caminhada bem de manhãzinha, sozinha pela primeira vez. No Consulado tudo correu bem, fui extremamente bem atendida e já estou de posse de um novíssimo passaporte azul-marinho biométrico e com chip, que ficou pronto em cinco minutos.

Já que estava em Oxford St aproveitei para ir a Selfridges pronta para comprar macarons de Pierre Herme. Mas sendo uma yorkshire lass assim que vi o preço 7 por £17 eu exclamei "HOW MUCH?!?!" e não comprei. Fui para a patisserie Paul e comprei uma baguette de respeito para Miss S e croissant de amêndoas para nós. Caminhei pela Baker Street até chegar ao parque e encontrar com Mr.M e Miss S que estavam sentados na sombra. Quando ela me viu, Miss S veio correndo ao meu encontro me abraçar. Aww. Ela quis saber o que tinha nas sacolas e logo quis sentar e comer a baguette. Mr.M perguntou se estava bom e ela levantou o polegar. My girl.






Almoçamos e voltamos pro hotel para Miss S dormir. Eu fiquei com ela e Mr.M saiu para vasculhar as lojas de Tottenham Court Road. Quando Miss S acordou fomos andar pela região e entramos no British Museum para mostrar a ela a magnífica entrada. Ela ficou admirada, quem não fica, em qualquer idade? Essa deve ter sido nossa quinta visita ao museu e a arquitetura ainda arranca suspiros. De volta pra rua, passamos em frente a um restaurante Wagamama e Miss S reconheceu e apontou e disse que queria comer pasta. Tentamos virar o carrinho mas ela entrou em pânico, pediu pra voltar e entrar. Valeu a pena porque desta vez Miss S comeu tudo que veio no yakissoba: frango, milho, legumes, ovos e todo o noodles. Geralmente ela só come os noodles e deixa todo o resto. Só por isso já ficamos satisfeitos.

Mesmo sabendo que o lugar estaria o inferno na terra resolvemos ir a Covent Garden mostrar os artistas de rua pra Miss S. Fazia anos que não visitávamos o local e pelo que me lembrava tinha uma loja do Peter Rabbit, M&S, algumas de decoração, além do mercado tradicional. Agora tem Chanel, Laduree, Apple Store... how time changes.

Assistimos a um dos artistas de rua, mas Miss S não estava nem um pouco impressionada. Eu fiquei bem na vitrine da Laduree, suspirando ainda sobre os macarons não-comprados de Pierre Herme. Mr.M insistiu para que eu comprasse os Laduree já que "if mama ain't happy, ain't nobody happy". Fui lá, esperei uma eternidade na fila porque, ao contrário de mim, ninguém na fila tinha uma toddler lá fora lhe esperando impaciente, então cada um demorou várias vidas para escolher seus míseros sabores. Chegou a minha vez e pedi rapidamente dois-chocolates-dois-vanilas-dois-amoras-dois-chocolates-de-ghana-please. E comprei uma caixa de 8 por £13. Assim que saí com a minha sacolinha, Miss S mudou a expressão, abriu um sorrisão, pegou a sacola e bradou bem alto: "I'm having a good time!!!" ("eu estou me divertindo!!!") My girl.






No dia seguinte tínhamos pouco tempo além de tomar café da manhã, mas Mr.M e eu seguimos firmes em nosso plano de experimentar os top 10 melhores cafés artesanais de Londres. Já fomos ao Monmouth e nossa idéia era ir ao Tap do lado do hotel. Mas no sábado abria só as 10h, então caminhamos mais um pouco até a Kaffeine. Tomamos flat white que estava muito bom. Havia grãos de café de Minas Gerais a venda. O grande destaque porém ficou para a focaccia com ovos, salame e queijo. Miss S roubou vários pedaços do meu pão.





Voltamos aliviados porque tudo deu certo na minha documentação e porque por tabela nos divertimos bastante. Desta vez a viagem mostrou que precisamos ser ultra-flexíveis com nossos planos e ter sempre uma alternativa para não nos frustrarmos. Foi bom também levar Miss S em lugares que antes evitaríamos por ser muito lotado, sem lugar pro carrinho, sem atração pra ela. Foi bom perceber que é possível.

Escrito a mão pela Marcia às 4:43 PM | mais em M&M Family | mais em On the Road Again | mais em That British Kingdom | Comente este fragmento(8)

abril 9, 2013

First Trip to the City

Mr.M teve que ir a uma embaixada em Londres para tirar um visto e sugeriu que eu e Miss S fossemos juntos. A princípio pensei em recusar, pelo trabalho de chegar lá (1 hora de carro + 2 horas de trem), de se locomover no meio da multidão de turistas com uma toddler num domingo, de alimentar a mesma toddler cuja dieta ainda é meio restrita e tantas outras razões só para passar uma única noite na capital. Mas depois pensei bem e achei que evitar esse trabalho todo não fazia sentido, uma vez que a diversão e a aventura pra Miss S seriam maiores que o cansaço.

E assim partimos, carregando pouco mais do que escova de dentes, fraldas e o carrinho. E Miss S pôs seus pés pela primeira vez na velha capital.

Mr.M e eu estávamos morrendo de saudades de Londres, mas estávamos preparados para ter uma experiência completamente diferente desta vez. Nos surpreendemos como Miss S se distraiu no trem, brincando, conversando, comendo, cantando.





Fomos direto a Southbank de taxi e assim que ela viu o London Eye ficou toda animada. Mostramos a ela o Parliament House e o Big Ben e o Tâmisa, mas ela ficou mais impressionada com as bóias no rio (?!).





Levamos Miss S para o London Sea Life Centre e enfrentamos uma fila horrorosa para entrar. Mas ela foi paciente, comeu bastante uvas enquanto esperava. Uma vez dentro da atração Miss S se esbaldou de empolgação, os preferidos dela continuam sendo as Manta Rays (arraias), mas desta vez, além das criaturas que ela já havia visto em Birmingham, ela viu enormes tartarugas marinhas, penguins e um polvo gigante. Para Mr.M e eu esta foi nossa segunda visita e nos impressionamos da mesma forma que Miss S. A estrutura do aquarium é muito bem desenhada, a mesma magnífica área de tubarões dá pra ser vista de vários andares. E os corais e anemonas são espetáculos a parte que passam despercebidos pra muita gente. A atração estava lotada (como qualquer lugar em Londres num domingo), mas com um pouco (muita!) de paciência deu pra ver tudo.







Saímos do Sea Life Centre e a área de Southbank já estava intransitável com vários artistas de rua atraindo multidões. Miss S olhava a tudo perplexa, como se fosse uma grande festa de rua, tanta música, tanto barulho, tanta gente diferente. Paramos para lanchar e Sophie comeu macarrão ao pesto que eu havia levado de casa. Começamos a caminhar em direção ao hotel que ficava em Mayfair. Foi aí que o carrinho foi um grande aliado, já que Miss S estava cansada e de barriga cheia e foi bacana para Mr.M e eu perambularmos pelas ruas como fazíamos antes.

Chegamos no hotel exaustos, mas Miss S, que não dormiu durante todo o percurso, agora estava toda cheia de energia e achou o quarto do hotel a coisa mais fantástica do mundo! A gente paga um dinheirão num quarto de hotel e esse povo de dois anos vindo do interior quer é pular na cama, jogar as almofadas no chão, comer pão e deixar migalhas por todos os móveis, colocar todas as roupas e sapatos dentro do criado-mudo! Miss S não parou um minuto de vasculhar todo o quarto. Pegou o telefone e ligou para Captain Barnacles (do Octonauts), ligou a TV, tomou banho de banheira, usou todas as toalhas, fez valer cada centavo da hospedagem.






Para jantar faltou organização da nossa parte. Estávamos cansados e esquecemos que, como quase em toda a Inglaterra, tudo fecha antes das cinco da tarde no domingo. Eu não estava com fome e Miss S sem ter dormido já estava dando sinais de iminente crise, então evitamos ir a um restaurante em plena Mayfair. Andamos bastante até encontrar um lugar pra comprar sanduíches e frutas. Passamos na frente do Ritz, sem saber que a história estava sendo escrita lá no exato momento (r.i.p Mrs Thatcher). Miss S continuou vasculhando o quarto do hotel enquanto comia uma maçã. E finalmente todos dormimos.

Na manhã seguinte Mr.M resolveu o visto na embaixada rapidinho e de lá tomamos café da manhã (Miss S não quis comer nada) e caminhamos até o Regent Park e o Queen Mary's Park. Foi a melhor escolha. Sophie ficou encantada de ver os lagos com Herons e patos diferentes.







O mais engraçado é que agora se ela encontra algum lixo num parque ela fica apontando com o dedo e falando alto: "OH NO! Uh-oh, look: rubbish" ("Ah não! Olha aqui: lixo") E faz cara de brava, fica lá parada ainda com o dedo em riste: "Rubbish, more rubbish!" ("Lixo, mais lixo") E a gente tenta acalmá-la dizendo que depois a gente manda um email pra Rainha avisando. Daí ela repete: "we tell Queen later" ("a gente conta pra Rainha depois") e volta a caminhar.

E mal sabe a Rainha que depois de um tempo a pequena súdita queria mesmo era pular a cerca com intenção de vandalizar a Vossa cascada real.





Logo a fome chegou e Miss S quase teve uma crise. Entramos num café, pedimos água quente e esquentamos mais macarrão com pesto que eu havia deixado no frigobar do hotel. Passado furacão da fome fomos andar pelo jardim de rosas (que ainda não estão em flor, mas quando estiverem vai ser um espetáculo) e logo ela perguntou se a gente podia voltar pra casa. O que foi ótimo porque já estava na hora de pegarmos o trem de volta. Caminhamos bastante com Miss S no carrinho até a estação, o que nos economizou um taxi. Miss S brincou um pouco no trem, depois dormiu a viagem toda. Pegamos nosso carro, mais uma hora de estrada e chegamos em casa com Miss S dizendo: "Yay! Back home, yay!!"

Valeu a pena. Na próxima vez precisamos de um pouco mais de planejamento com as refeições, mas de resto tudo deu certo, sem nenhuma crise de choro pra nenhum de nós. Foi sem dúvida uma visita diferente desta vez. Mr.M e eu curtimos Londres agora com um outro membro no time dividindo as nossas experiências.

Hoje Miss S está usando o verbo "remember" pela primeira vez. Tem falado várias vezes: "remember we go on the train?" (sic) ("lembra que fomos no trem?"), "remember we saw the turtle?" (lembra que vimos a tartaruga?"), "remember we saw seahorse?" ("lembra que vimos o cavalo-marinho?"), "remember Sophie in hotel?" ("lembra da Sophie no hotel?). Criando suas próprias e únicas lembranças. Sim, minha querida, eu me lembro também. :)

Escrito a mão pela Marcia às 10:22 AM | mais em M&M Family

abril 4, 2013

Flappity Flippers and All That

Havia contado aqui anteriormente que Miss S adora criaturas marinhas. Agora que o vocabulário dela está maior que o meu ela não apenas reconhece a espécie, mas também o tipo. Então nas conversas que trocamas não é apenas "baleia" mas é preciso especificar "baleia humpback" ou "baleia orca" ou "baleia beluga". E não apenas "tubarão", mas "tubarão hammerhead", "tubarão branco", "tubarão-baleia" (pra complicar ainda mais meus neurônios meia-idade). E nem vou mencionar os inúmeros nomes de peixes, como o hawaiano "humuhumunukunukuapua'a", que eu preciso saber senão não dá pra brincar.

E Miss S aprende tudo isso graças a magnífica animação britânica (inspirada no livro original da dupla americo-canadense Meomi) chamada Octonauts. Se você não conhece, a animação mistura aventura e dados oceanógrafos e biólogos reais. Os personagens são fofinhos, o ambiente é verossímil e tudo é adaptado para crianças em idade pré-escolar, não há personagens malvados ou vilões, todos têm sua função no oceano. Mais ou menos Hello Kitty meets David Attenborough.

Aqui em UK Octonauts passa diariamente no canal CBeebies e é extremamente popular. Miss S ama e já coleciona um certo arsenal de livros, revistas e brinquedos escolhidos a dedo da série. E eu também adoro assistir e adoro mais ainda ver uma criancinha de dois anos e três meses falando: "N is for Narwhal". Cute.

No feriado de Páscoa pesquisamos algum aquarium para levar Miss S pela primeira vez. E qual não foi nossa grata surpresa de saber que o Birmingham Sea Life Centre estava promovendo um evento especial com Octonauts!


Nos organizamos, reservamos os tickets, mas não falamos nada pra Miss S, caso o plano falhasse por qualquer razão (leia-se: nevasca). Uns dias antes do evento visitamos os pais de Mr.M, que deram a Miss S um dos personagens dos Octonauts. E também um balão a hélio dos Octonauts e, balão a hélio na cotação das crianças de dois anos é equivalente a uma Ferrari. Ela havia levado uns outros personagens que ela já tinha e a festa ficou completa, explicando incansavelmente os nomes de todo o time pros avós: "Não, Grandpa, esse é Captain Barnacles!!", "Não, Grandma, esse é Kwazii no Gup-B, não no Octopod!!!"

E enfim chegou o dia da visita ao Sea Life Centre. Já na entrada ela abriu um sorrisão, apontou pra decoração toda em Octonauts e exclamou: "Look that, look THAT!!!" E fez aquela cara de surpresa com a boca escancarada e os olhos brilhantes, sabe qual? Aquela que faz seus olhos encherem de lágrimas?

E viu tudo com muito interesse e admiração, adorou mesmo as Manta Rays e Stingrays (tipos de arraias), ficou fascinada e fala delas até hoje. Antes da visita ela adorava tubarões e estávamos ansiosos para mostra-la. Ela viu alguns pequenos logo na entrada e ficou meio receosa. No tunel envidraçado pudemos ver enormes hammerheads e guitarsharks e eles passavam bem, bem perto do vidro e Miss S ficou com medo e disse que não gosta de tubarões.

Ficamos admirados como o evento estava mesmo bem organizado, todas as placas de informações e fatos sobre as espécies eram dos Octonauts, tudo muito bem produzido em alta qualidade. Miss S parava pra ver todos os banners, posters, placas e sinais que tinham os personagens, mais do que parava para ver as criaturas marinhas. E ficou feliz da vida de tirar a foto do lado do personagem favorito, o penguim Peso:


Logo depois da área da Amazônia, Miss S perguntou: "Shall we have lunch now?" ("Podemos ir almoçar agora?") Que é o código para dizer: estou cansada, com fome e se demorar muito, vou chorar". Então apressamos nosso passo e ainda demos uma enrolada na lojinha para esperar a aparição de um dos personagens. Nós não sabíamos o que esperar, se o personagem iria cantar, dançar ou o quê. No fim Kwazii apareceu só pra posar para fotos mesmo. Miss S ficou desconfiada, não quis chegar perto, muito menos tirar foto com ele. Ganhou adesivo, compramos um copo Octonauts e saímos para almoçar no Wagamama.

De volta pra casa Miss S conversou sobre o que viu, acrescentando: "I saw a hammerhead shark. It's big and a bit scary". (Eu vi o tubarão hammerhead, é grande e um pouco assustador). E é por exatamente essa razão que a visita vale a pena. Para criarmos nossas próprias percepções do que antes era só imaginação. Tubarões são mesmos assustadores, minha menininha. Shiver me whiskers!


Escrito a mão pela Marcia às 1:18 PM | mais em M&M Family

fevereiro 26, 2013

On Parenthood Challenges

(Não leia este post durante a sua refeição, chá da tarde ou se for sensível a detalhes erm... indigestos)

.
.
.

Poucos momentos testam mais a sua auto-confiança maternal/paternal do que o momento em que a sua criança fica doente. Sentimentos de impotência e insegurança são tão constantes e onipresentes que não há um instante de descanço, de sono, de tranquilidade. Diferente de quando acomete qualquer outra pessoa que você ame. Porque você, na condição de pai/mãe, é diretamente responsável pelo bem-estar daquela criaturinha adoecida.

Agora que Miss S está bem, brincando, pulando e falando sem parar de novo posso respirar novamente e relatar aqui para futura referência como foi difícil vê-la sofrer com um vírus miserável (provavelmente norovirus).

Na terça-feira passada ela começou a vomitar logo de manhã. No período de 24 horas ela vomitou 12 vezes. No dia seguinte apenas 5 vezes. No entanto o que nos alarmou foi que ela ficou letárgica e sonolenta. Nós não conseguíamos mantê-la acordada nem por 1 hora. Ela acordava, bebia água, vomitava, dormia de novo. Numas das vezes vomitou deitada e nem tinha energia de levantar. E então ninguém mais dormiu enquanto ela dormia. E para piorar o quadro ela começou a ter diarréias terríveis, chorava de dor, de medo, de surpresa, de angústia. Num corpinho que já havia sofrido por dois dias inteiros.

No dia seguinte levei-a no médico, que percebeu que ela estava cheirando a ketosis, que é sinal que o corpo está queimando gordura (já era o terceiro dia que ela não comia), mas que também poderia ser sinal de diabetes. O médico achou melhor encaminha-la ao hospital para exames e observação. Como o hospital é relativamente perto, ele chamou uma ambulância. Os paramédicos da ambulância fizeram os exames iniciais e Miss S estava tão sem energia que deixou eles colocarem eletrodos, sensor de pressão, termômetro, até tirar sangue do calcanhar, tudo sem chorar, sem escândalo, bastante raro pra ela que detesta estranhos.

No hospital ela dormiu, dormiu, dormiu. Mr.M nos encontrou lá. O pediatra examinou, disse que todos os exames dos paramédicos deram normais, sem sinal de diabetes. Nos acalmou dizendo que era provavelmente um vírus e que ele nem iria causar mais stress nela tentando colocar soro intravenoso porque ela estava só um pouco desidratada e era mais fácil tentar com solução rehidratante oral primeiro. A enfermeira trouxe um sachê, misturou na garrafinha de suco da Miss S, que já estava acordada e viu tudo. Assim que a enfermeira deu a garrafa, Miss S proclamou: "I don't like that one, I don't want that one, I want MY juice!" ("eu não quero esse aí, eu não gosto desse aí, eu quero o MEU suco!")

Foi o começo da melhora. Ainda no hospital ela pediu pra comer banana (deu só uma mordida) e biscoito. Eram os primeiros sólidos em vários dias. Voltamos pra casa aliviados, mas com Miss S ainda debilitada, ainda com diarréia cruel, ainda letárgica. Foram mais dois dias até que ela pudesse se sentir melhor novamente, ficar acordada, pedir pra brincar.

Hoje, uma semana depois dos primeiros sintomas, ela está praticamente normal, o apetite voltou (embora bastante seletivo). Ainda estamos indo com calma, comidas simples, bastante líquido, repouso. Mas Miss S já voltou a ser a menina ativa, engraçada, cheia de energia e sorrisos que sempre foi. Privilegiados e agradecidos somos estes pais que passaram apenas por um mero vírus sazonal, totalmente passageiro, totalmente curável. Temos total consciência disso.

Houve momentos durante essa longa semana que meu coração apertou tão forte, as lágrimas foram escondidas com tanta dificuldade numa tentativa de transmitir uma certa calma pra uma criança que nunca havia passado por isso, que estava assustada, confusa, exausta. Os mais torturantes foram os a seguir:

  • Ela só podia tomar 10ml de líquido por vez para que o estômago absorvesse sem causar o reflexo de vomitar. Mas como ela sentia sede, ela queria mais. Eu expliquei pra ela que se tomasse muito ela iria passar mal. Irritada e com sede ela pegou o copo da minha mão e tomou mais do que devia. Em dois minutos ela vomitou violentamente. Enquanto eu trocava a roupa dela ao mesmo tempo em que colocava toalhas no chão, ela falou baixinho pra mim: "Sorry Mummy..." Mesmo a abraçando e dizendo pra ela que nada daquilo era culpa dela, confortando e dizendo que estava tudo bem, que ela não precisava se desculpar por nada, no fundo eu fiquei tão triste de ver que ela estava se sentindo mal por causa da sujeira, da bagunça, de coisas insignificantes...

  • Durante um dos mais terríveis ataques de diarréia ela chorava agoniada, tremia, segurava em mim gritando : "I don't like it, I don't like it" ("eu não gosto disso") e quando o ataque terminava, entre soluços ela dizia baixinho: "I need to clean bumbum, Mummy" ("eu preciso limpar o bumbum, Mummy")...

  • E o mais significativo momento de toda essa crise (último dos detalhes nojentos, prometo, se é que alguém conseguiu ler até aqui) foi quando ela vomitou muito, muito, muito. Não deu tempo de fazer muita coisa, toda roupa dela estava ensopada. Ela começou a chorar apavorada e pediu: "Uppy Mummy! Hold me, Mummy!!" ("Colo, Mummy, me abraça!!"). E você sabe que se a abraçar sua roupa também vai ficar ensopada, que os bracinhos dela vão ensopar seu cabelo, que você vai estar muito mais exposta ao vírus. E no entanto você não pára pra pensar, você pega a criança chorando e abraça forte e a carrega e diz que está tudo bem. Você beija o rosto e a testa, coloca a cabeça dela no seu ombro e abraça novamente. E assim que ela se acalma você diz: "How about we have a shower together, you and Mummy? And we play with tea set?" ("Que tal um banho juntas, e a gente brinca com o jogo de chá?") E a sua criança diz: "Yes". E você liga o chuveiro, pega o jogo de chá e não pensa em mais nada.


Escrito a mão pela Marcia às 8:32 PM | mais em M&M Family

fevereiro 13, 2013

Conquering the Snow

Boneco de neve? Anjo de neve? Tobogã na neve? Bolas de neve? Andar na neve?!?!? Nada disso trazia o mínimo interesse no coraçãp de Miss S. Ela tinha medo de tocar na neve e dava um escândalo quando abríamos a porta e um mísero floquinho de neve caía do lado de dentro da casa. "Snow is coming inside!!!!!" ela gritava.

Aos poucos fui mostrando a ela que a neve é inofensiva e que dava pra brincar com ela. Trouxe um pouco de neve para dentro de casa numa bandeja. Primeiro fiz castelos, mostrei que a neve era igual a areia e ela só assistiu. Depois peguei canetinhas e comecei a fazer pontos coloridos. Daí ela se interessou mas foram dias e dias que ela pedia que eu fizesse os pontinhos mas não chegava perto.

Até que um dia ela resolveu experimentar por si própria:


Numa semana em que a neve já estava indo embora e parte da grama estava descoberta, Miss S finalmente aceitou ir brincar no jardim. Ainda desconfiada, ela só brincava na borda da neve:


Eu andava na neve, fazendo crunch, crunch, crunch. Ela apontava e dizia: "Look Mummy, footprints!" E eu a incentivei a fazer as próprias pegadas na neve, sem esperanças de que ela fosse aceitar. No entanto:



E finalmente conquistamos a desconfiança dessa coisa gelada, grudenta, branca e fofa. Miss S ainda está longe de brincar e rolar na neve, ainda nem põe a mão. Mas ao menos agora ela sabe que pode ter um certo controle sobre ela, andar nela, fazer pegadas. No próximo inverno ela vai estar com 3 anos e já com 1 ano de experiência prática na neve.


Aqui sozinha, sem precisar segurar na minha mão, com neve quase até o joelho (15 cm):



Go Sophie!


Escrito a mão pela Marcia às 3:27 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(7)

janeiro 4, 2013

A Party for Miss Sophie




















O bolo de chocolate foi da Fiona Cairns for Waitrose, sem decoração. Comprei as miniaturas japonesas Re-ment no eBay (thanks Lolla for your help!) e a "toalha de picnic" era uma amostra grátis de uma cortina da Laura Ashley. E ta-da, tudo o que Miss Sophie mais adora representados no bolo: picnic, bolo, teddy bear e chocolate (e café pra nós).

As garrafinhas são charmosas "school milk bottles", que eram usadas nas escolas, tempos atrás. Elas trouxeram lembranças e histórias engraçadas pra mesa. A irmã do Martin detestava o leite morno que vinha nelas, até hoje ela não gosta de leite morno. Já Martin adorava e sempre tomava todo o leite, mas não sem antes fazer bolhas com o canudinho de papel.

Os pratinhos e descartáveis são da ilustradora britânica Mandy Sutcliffe, criadora do Belle and Boo.

Acho que esta foi última vez em que pude escolher a decoração da festinha. Logo quem vai estar no comando dando ordens de temas e enfeites vai ser my Little Miss Sophie. And I can't wait.



Escrito a mão pela Marcia às 9:50 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(10)

dezembro 25, 2012

Little Miss Sophie is Two

My dear Little Girl,

Happy Birthday, sweetpie.

Dois anos e oh, quantas mudanças em nossas vida! Quando olho para trás, em Janeiro deste mesmo ano você ainda não andava, não falava, tinha uns quatro dentes apenas e pouquinho cabelo. Hoje você anda, corre, escala, fala, canta, tem quase todos os dentes e pouquinho cabelo.

A mais extraordinária mudança tem sido a sua linguagem. Você fala sentenças longas ("I want to watch Charley Bear on Daddy's computer, Mummy gets Daddy's computer downstairs") e muitas vezes gramaticamente corretas ("I want to put socks ON", "I want to turn it OFF"). "I want" tem sido a conjugação verbal que eu mais ouço recentemente...

O que mais nos surpreende é que você entende o sentido das frases, mais do que simplesmente repetir palavras. Outro dia você não queria comer seu almoço, que era de arroz com alguma outra coisa. E o seguinte diálogo se seguiu:

Eu: "You don't want to eat that? How about pasta then?"
("Você não quer comer isso, que tal macarrão então?")

Miss S: "How about pudding, Mummy?"
("Que tal sobremesa, Mummy?")

Cheeky... Seu vocabulário é imenso. Está sempre perguntando: "what's that Mummy?" até aprender uma palavra nova. Também conta de 1 a 10 e sabe que se há algo com 10 unidades é algo bastante numeroso:

"10 choco-laytes, that's a lot of choco-laytes, Mummy"
("10 chocolates, é um monte de chocolate, Mummy")

Adora tudo do mar, fala octopus, jellyfish, seahorse, starfish, shell, eel, shark... (lula, agua viva, cavalo marinho, estrela do mar, concha, moréia, tubarão). Estavamos lendo sobre Blue Whales (Baleia Azul) e como elas são os maiores animais do mundo. Uns tempos mais tarde você viu um adesivo de uma baleia amarela e exclamou:

"Look, Mummy, a yellow Blue Whale!"
("Olha, Mummy, uma Baleia Azul amarela!").

Recentemente Daddy voltou de viagem e trouxe seu primeiro Lego Duplo. Você ficou absolutamente fascinada, brinca de Lego todos os dias. Daddy foi e ainda é um Lego-maníaco e é com o coração dando risadinhas que ele vê você seguindo o mesmo caminho de tijolinhos.

Eu tentei lhe dar uma boneca bebê quando você começou a se interessar num dos Toddlers Group que a gente frequenta. Pesquisei, comprei uma francesa, do tamanho e peso ideal pro seu tamanho. A boneca ainda está na caixa. De vez em quando eu tiro ela da caixa e falo "vamos brincar com a boneca? quer trocar a roupa dela?" o que você me responde sem rodeios:

"I want to put back in box"
("eu quero colocar ela de volta na caixa").

Le sigh...

O que você gosta mesmo é de pular, correr, dançar ("I'm a ballet dancer! Groove moves, Mummy get up!!"). Não existe tempo ruim pra você. Pode estar chovendo horrores lá fora e você quer ir brincar no jardim. Eu tento argumentar que está chovendo e está frio. Daí você traz suas botas e diz:

"I put wonder wellies on, how about wonder wellies, Mummy?"
(eu coloco minhas super botas, que tal minhas super botas, Mummy?) e depois completa:

"I put hat on, Mummy put coat on, let's go, good idea"
("eu coloco meu capuz, Mummy coloca o casaco, vamos, boa idéia").

Quem neste mundo consegue dizer não? Então nós vamos pro jardim, de superbotas, casaco e você brinca, brinca, brinca feliz da vida.

E feliz você tem sido, minha menininha. Estamos encerrando o ano sem ter ido uma única vez no médico. Está com 12Kgs e 80cm, calça sapatinhos número 5G. Continua comendo bem, sua nova paixao é furikake. Batian nos mandou um pacotinho e você amou. Já ama arroz, agora com furikake por cima, você acredita que é a melhor invenção depois do chocolate em formato de pirulito.

Cada vez mais estamos notando suas evoluções físicas e de desenvolvimento. Outro dia assistimos a um videozinho seu em que você dava tchau no estilo "be gone" (xô, xô) com a mãozinha e meu coração apertou porque você não faz mais isso e não há botão Rewind pra voltar e assistir mais uma vez ao vivo. "Oh dear, Mummy" (ó ceus, Mummy) que eu adoro continua sendo usado mas também está com os dias contados porque agora você fala alto "I MADE A MESS, Mummy!!!" ("eu fiz uma bagunça, Mummy!").

E jamais nos esqueçamos da sua recém-adquirida independência. Oh sim, porque toda criança de quase dois anos se considera auto-suficiente e indestrutível e quer subir e descer as escadas sozinha. Quer subir na cadeira sozinha pra daí subir na mesa sozinha. E quer escalar o sofá sozinha para poder brincar com o interruptor de luz so-zi-nha. E quando as pobres mães dessas crianças de quase dois anos tentam intervir, são agraciadas com a instrução:

"No, Mummy, byebye, Mummy go wash hands".
("Não, Mummy, tchau, vai lavar as mãos").

Na pior das hipóteses, quando não é possível negociar, aí sim eles chegam: tantrums. A choradeira frustrada com tudo que tem direito: lágrimas, choro alto, lábio curvado, nariz escorrendo, braços abanando, soluços na barriga, "oh dear..." sendo repetido infinitamente.

Mas em compensação outras coisinhas graciosas também começaram a surgir. As vezes você coloca sua cabeça no meu peito e diz: "I need a kiss, Mama". Awwww. E outro dia você ficou tão empolgada que Daddy havia voltado do trabalho que disse espontaneamente: "I LOVE MY DADDY!!!" Awwww. Perguntada se você tambem ama a Mummy você respondeu: "I LOVE CHOCO-LAAAYTE!!!" Oh well.

E há tantas, tantas outras novidades em sua vida. Você viu um arco-íris pela primeira vez este ano, visitou um zoológico, se apaixonou por meerkats, alimentou as galinhas da sua Auntie Jackie, alimentou Pepe the Blackbird, cheirou muitas flores na primavera e no verão, aprendeu a fazer castelos de areia, colheu batatas que Daddy plantou, viu lagos, viu o mar, viu montanhas.

E agora estamos prestes a celebrar seu segundo aniversário. Sua festinha este vai ser na casa da Grandma e Grandpa. Encomendamos seu bolo (de chocolate), fiz macarons (três vezes, só na quarta que acertei o ponto, mas mesmo assim estão meio disformes, manchados de ganache por fora), embrulhamos seu presente com um laço vermelho, escrevemos seu cartão com amor.

A maior celebração para nós é vê-la do seu jeitinho, sorrindo largo, rindo alto, pulando empolgada por pura diversão, por puro prazer. Feliz do chão que pisa e pula, feliz sem nenhum motivo mas por inúmeras razões. Você nos ensina tanto e nos enriquece tanto com a sua esperteza, seu humor já tão adorável, seus gestos, sua doçura. Feliz aniversário, minha querida. Que você tenha toda saúde, toda alegria e todo amor do mundo. E que você saiba dentro do seu coração o quanto a amamos. Because we love you so very dearly, little girl.

Sophie is 2

Happy birthday Sophie dear

Escrito a mão pela Marcia às 12:08 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(13)

dezembro 9, 2012

Colouring a Rainny Day (or Weeks)

Num prato fundo, coloque leite integral até cobrir o fundo.
Adicione gotas de corante artificial (de preferencia azul, vermelho, amarelo).
Molhe um cotonete com detergente.
Adicione uma criança curiosa.
Toque o leite com o cotonete e veja o que acontece.



Explicações científicas para crianças maiores: Make Science Fun (feche a janela pop-up)


Escrito a mão pela Marcia às 11:12 AM | mais em M&M Family

outubro 23, 2012

The Lakes and the Trooper

Passamos uma semana de férias em Lake District. Foi a primeira vez que Miss S visitou a região onde o Daddy dela nasceu e cresceu. E mesmo com a chuva, Lake District não desapontou, não deixou de nos impressionar com sua beleza natural monumental. Quando visitamos o primeiro lago em Brockhole, Miss S exclamou: "Look at THAT!" que fez valer a viagem toda.

Foi também a primeira vez que estive em Lake District no outono (em breve um post sobre o outono deste ano, stay tuned). A beleza das árvores foi uma surpresa à parte, não me cansava de admirar as folhas vermelhíssimas das Maples trees. Eu e, claro, todos os turistas japoneses que fazem a peregrinação ao museu e à cottage de Beatrix Potter.

Miss S brincou muito nos lagos e riachos, jogou pedras, viu peixes, borboletas, passarinhos, colheu folhas, pulou em todas as poças d'água, viu o oceano Atlântico, visitou um Aquarium, um museu de lápis de cor, um Garden Centre mais completo do Reino (ela adora Garden Centres, mais do que playgrounds), comprou seu primeiro livrinho de Peter Rabbit. Mesmo nos dias em que eu e Mr.M estávamos irritados com o mau tempo, ela corria pra todo lado, rindo e gritando "I need umbrellaaaaa" ("eu preciso de guarda-chuvaaaa"). Teve apetite dobrado: "Mummy I want dinner. I want pasta. Dinnertime Mummy. What's on your plate? I want pasta." ("Mummy eu quero jantar. Eu quero pasta. Hora de jantar Mummy. O que tem no seu prato? Eu quero pasta" -- ela está tagarela assim) e dormiu a noite toda como uma pedra. Sinal de férias bem aproveitadas, não?



























Escrito a mão pela Marcia às 3:50 PM | mais em M&M Family | mais em That British Kingdom

agosto 22, 2012

The things I hear from a 20-month-old

Miss S: "Biscuit! Biscuit time, Mummy. Biscuit. Yes, yes, YES. Biscuit time. Oooh-kay."
Eu, parando o que estou fazendo e sendo puxada para a cozinha. Ofereço biscoito de aveia e passas: This one?

Miss S: "No, no, other one biscuit."

Eu, oferecendo o de chocolate belga: This one?

Miss S: "This one biscuit."

---

Miss S apontando as cores: "Mummy purple jim-jam. Mummy brown hair. Mummy black eyes. Mummy yellow teeth."
Eu: Say whaaat???

---

Miss S na banheira: "wash piggies, wash knees, wash armpip, other armpip".

---

Daddy: "Want something to eat, Sophie?"
Miss S: "Ice cream!!!" Ice cream ooohh-kay"
Daddy: "You want Ice cream??"
Miss S: "Yes, yes, YES!"
Daddy: "Is that three yesses???"
Miss S: "Five yesses."

---





---

Miss S: "Bodybody ready?"
Eu: hein?
Miss S: "Ready? Mummy shoes? Oh here!"
(traz meus sapatos)
Eu: where're you going???
Miss S: "Market. Yes, yes, YES."
Eu: what are you going to buy in the market???
Miss S: "Biscuit. Ready? Bodybody ready?"

---

Me: Mummy is going to have a cup of tea and a sit down now.
Miss S: "Biscuit time!"

Escrito a mão pela Marcia às 3:26 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(13)

agosto 16, 2012

Colour of Gold

The fox said:

"I do not eat bread. Wheat is of no use to me. The wheat fields have nothing to say to me. And that is sad. But you have hair that is the color of gold. Think how wonderful that will be when you have tamed me! The grain, which is also golden, will bring me back the thought of you. And I shall love to listen to the wind in the wheat...”


The Little Prince
, Antoine de Saint-Exupéry





Ou este post poderia ser intitulado: "os genes da Mummy foram comprados na Rua Santa Efigênia".

Escrito a mão pela Marcia às 1:18 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(7)

junho 28, 2012

Toddler Wisdom

Estávamos num restaurante italiano e Miss Sophie estava sentada de frente a este poster:
Ela ficou estudando a imagem por um tempo, pensando, pensando...





Em seguida exclamou toda sorridente:

"High Five!!"

:-)

Mammy's little brainbox.

Escrito a mão pela Marcia às 12:05 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(7)

junho 21, 2012

The House that Grandpa Built


Grandpa comprou a madeira, cortou a madeira,
montou a casa de brincar da Sophie com as próprias mãos.
Grandma pintou todas as paredes, janelas, portas e cercas.




Eu encomendei a plaquinha que diz:
"Casa de brincar da Sophie - feita com amor pelo meu Grandad"




A porta tem fechadura fácil de abrir e fechar 500 vezes por dia




O teto foi recoberto com proteção à prova d'água
e acabamento fofinho




As janelas tem painéis de acrílico e imãs para mantê-las fechadas




Mas o melhor de tudo? Os sorrisos e as risadas que vêm da casinha




One lucky little girl.
Thank you Grandpa and Grandma!




Escrito a mão pela Marcia às 11:24 AM | mais em M&M Family

junho 1, 2012

Crocs goes with Everything







Número "Toddler 4", awww...

Escrito a mão pela Marcia às 9:00 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(5)

maio 16, 2012

A 16-Month-Old

Quando terminei de relatar o progresso de Miss S mês a mês no primeiro ano de vida dela, tinha como intenção voltar escrever posts relacionados a outros assuntos. No entanto, a escassez tempo me faz sabotar meus planos. Quando eu posso sentar com o laptop é porque: 1) Miss S está dormindo b) Mr.M está cuidando de Miss S e III) eu estou sonhando que estou sentada com o laptop. Quando uma das duas primeiras opções acontecem meu tempo simplesmente é preenchido tomando banho, colocando mais roupas pra lavar, fazendo o jantar, dormindo.

Neste momento, Miss S dorme e eu sento aqui com a página branca aberta, tentando escrever algo ordinário. Mas como escrever sobre a crise do Eurozone, as eleições da Grécia, o Jubileu de Diamante, quando Miss S, aos seus 16 meses de idade agora aprendeu a falar "rain-no" (rainbow - arco-iris)? Sod the Euro.

Funny times. Ela nos faz rir todos os dias. É tanta espontaneidade, tanta graça, tanto raciocínio.
As expressões inesperadas são as coisas mais deliciosas de ouvir.

"Aaah dear" ("oh dear" - ó céus) ela aprendeu imitando a Grandma. Miss S fala "ah dear" toda vez que derruba alguma coisa no chão acidentalmente ou não. Quando mais alto e mais longo o "Ahhhh", mais desastrosa foi a estipulia, mais bagunça e sujeira pelo chão. O dia todo eu ouço "AAAAAAHHHH dear, dear..."

"Uh-ooh" também é usado da mesma forma, com a diferença que ela demonstra mais preocupação e espera que a gente resolva o problema em questão. Quando algum brinquedo vai pra baixo do sofá ela nos leva até la, aponta e diz "uh-ooh". A gente resgata o brinquedo, ela joga debaixo do sofá de novo e diz "uh-ooh". *sigh*

"Calgone" ("all gone" - acabou) amplamente usado quando a comida favorita acabou ou quando ela terminou de comer. Quando ela era menorzinha ela sabia a linguagem de sinais para "all gone" e sempre sinalizava quando não queria mais comer. Hoje ela joga o prato no chão e diz "calgone". *sigh*

"Awwwww Mammy/Daddy..." afagando nossos cabelos. I die.

"Bye-bye poo-poo/wee-wee" (tchau cocô/xixi) auto-explicativo.

"Tchhh tchhh" - ela pega o desodorante, levanta um braço, coloca o desodorante embaixo da axila e fala "tchhh tchhh". I die x2.

"Hooray" (êbaaa) balançando os braços pra cima e pra baixo.

Palavras que ela fala perfeitamente na língua da Rainha:

Flower (flor) - a atual obsessão. Adora apontar e falar "Flower" para todas as flores que vê. Outro dia na loja John Lewis ela viu uma orquídea e ficou admirada. Apontava e falava "Flower!!". Mas como os outros consumidores passavam pela orquídea despercebidos ela então achou que era missão dela chamar a atenção para a espécie botânica e ficou gritando "FLOWER! FLOWER! FLOWEEEER!" esperando que o andar todo tomasse consciência.

Water (água) - no mais polido sotaque britânico que eu jamais conseguirei.

Biscuit (biscoito) - aprendeu rapidamente por necessidade e urgência (e gula).

Smell (do verbo cheirar) - Um dia quando ela estava brincando com os potinhos de especiarias Martin teve a brilhante idéia de ensinar ela a cheirar cada uma delas. Cardamon, cravos, canela, star anise, cumin. Depois passou para as ervas: manjericão, orégano, coentro. Agora todos os dias ela abre o armário, pega um potinho e fala "Smell?" e dá uma fungada e manda eu cheirar também. No jardim ela pega folhas de louro e fala "Smell?", cheira e depois diz "pooooo". Arranca um punhadão de tomilho de limão, fala "Smell?" e diz "hummmmm". Não vejo a hora das rosas nascerem.

Ela fala um bom número de palavras corretamente mas essas acima são as mais compridas e que nos surpreende mais.

Palavras que ela ainda não consegue falar direito, mas são adoráveis:

"Piya" (caterpillar - lagarta) do livro favorito The Very Hungry Caterpillar.

"Danshing" (dancing - dançando)

"Cócó" (galo, galinha, pombo)

"Chip, chip" (pintinho, patinho, gansinho)

"Uh-uh-uh" (macaco)

Ela também aprendeu a contar até 10: ummm, two, two, two, TEN!

Eu tenho me esforçado para inventar atividades e brincadeiras para mantê-la entretida. Procuro bastante na Internet por novas idéias e adoro adicioná-las no Pinterest, meu novo melhor amigo pra sempre.

O jardim tem sido um grande aliado, faça chuva ou faça chuva (estamos todos cansados do interminável inverno). Pular em poças d'água, jogar pedras em baldes cheios de água, regar plantas, alimentar Pepe the Blackbird, pôr comida pros hedgehogs e pássaros, procurar joaninhas, correr na grama, colher caramujos e um monte de outras "explorações". Nós compramos um sandpit (areia de brincar) mas ainda não montamos porque continua muito frio e chuvoso.

Temos visitado os parques públicos também para usar o escorregador. Mas os balanços estão, por hora e até segunda ordem, rejeitados. Ela gostava tanto quando ia no baby carrier e balançavamos juntas (eu adoro balanços!), hoje porém, não quer mais, nem juntas nem sozinha.

Dentro de casa as vezes brincamos de colagem, de bolhas de sabão (lá fora venta muito e as bolhas não duram um segundo - já falei que cansei desse inverno interminável? Então.), brincamos com lentilhas vermelhas, com panelas, lemos muitos livros que ela pode apontar e falar as palavras, assistimos Cbeebies, vemos fotos, ouvimos música, comemos bolo. Miss S agora está interessada em brincar de faz-de-conta, adora bolsas, coloca-as no braço e diz "bye bye Mammy". E empurra o mini carrinho de supermercado, atende o celular e fala "Gahma? Yeah. Yeah. Bye-bye Gahma."

Duas coisas que eu não vejo a hora de fazer com ela é cozinhar e plantar. Plantamos girassóis juntas, ela empurrou as sementes na terra, mas não entende, obviamente, do que se trata. Ela me assiste com interesse quando estou cozinhando, gosta de me ver quebrando o ovo, misturando.

Enfim, tem sido cansativo, muitas vezes divertido, algumas vezes frustrante, mas os dias têm sido recheados de amor e abraços. Num dia em que a gengiva dela estava doendo e ela só queria colo, começamos ver fotos das férias no Brasil. Ela via Batian e Ditian e colocava a mãozinha na tela do computador, sorrindo gentilmente, sem falar nada. As vezes palavras são desnecessárias, em qualquer linguagem. A expressão dela, o sorriso, a mãozinha, o dedo apontando, o olhar de volta pra mim dizia mais do que ela poderia falar. Aprender a falar tem sido um grande marco na vida dela, mas não é o único meio dela se comunicar. Quando estamos conectadas, eu a entendo, sem palavras, sem sinais.



Nota: os comentários para este post estão fechados porque recentemente andei recebendo (e deletando) comentários da patrulha militante criticando a forma como me comunico com Miss S. Gente que sequer sei quem são, que sequer sabe quantas línguas falamos aqui em casa, sequer sabe nossas circunstâncias, gente que vem aqui dar palpite não-solicitado na educação que não lhe diz respeito. Como diz minha amiga Lala, pague as minhas contas todas e eu lhe dou o direito de se meter na minha vida por 15 segundos. Caso contrário, cada um com seu cada qual. Miss S é saudável, alegre, inteligente e todos os dias a gente se esforça para mostrá-la que a amamos incondicionalmente. E, para nós, é o que importa.


Escrito a mão pela Marcia às 3:27 PM | mais em M&M Family

abril 27, 2012

10 Years


10 years together in every sense of the word.
I love you, Martin.

Escrito a mão pela Marcia às 2:34 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(10)

abril 4, 2012

Springtime Changes



Semana passada rolávamos na grama





Hoje de manhã





Opção 1: Comer na cama assistindo Cbeebies





Opção 2: Levantar e se fazer útil
(ela aponta para a uva passa no chão caso tenha passado despercebido)



Escrito a mão pela Marcia às 1:33 PM | mais em M&M Family | mais em That British Kingdom | Comente este fragmento(9)

março 16, 2012

A Toddler

Em Fevereiro de 2012 isto aqui aconteceu, quando estávamos hospedados em York:

Depois evolui para isto aqui:

E desde então meu "tempo livre" (HaHaHahahaha *enxuga as lágrimas*) não existe mais.


Escrito a mão pela Marcia às 7:59 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(16)

janeiro 25, 2012

One Year

Um ano, my sweet little girl.

Um ano atrás nós tínhamos uma bebezinha de dois quilos, que mamava, mamava, mamava e dormia, dormia, dormia. Agora temos uma "pre-toddler", uma mini pessoa com suas peculiaridades, vontades próprias (tell me about it...) e graças. E nove quilos.

O dia do seu aniversário foi muito celebrado. Você adorou cantar parabéns! Toda vez que Grandpops perguntava se você queria cantar parabéns você se animava com os olhinhos brilhando e um sorrisão no rosto. E obviamente que ninguém podia resistir e cantamos parabéns várias vezes e você deu gritinhos felizes e bateu palmas. Fizemos a festinha no conservatory, que estava decorado com bandeirinhas de pano que dizia "Happy Birthday Sophie" e também com fotos suas, uma de cada mês. Tivemos muitas comidinhas gostosas e você adorou o bolo de chocolate.















E o meu presente de Natal veio em forma de uma vozinha delicada me chamando de "Mammy" (você já chama Daddy de "Dada" há algum tempo). Você já vinha ensaiando, me chamando de "maman, maman", o que me fez desconfiar que tive uma bebê francesa. Mas agora você olha pra mim, sorri e diz "Mam-my", que faz justificar a minha vida inteira.

E "Mammy" foi só o começo e a comunicação finalmente nasceu entre nós. Por onze meses nós não tínhamos outra escolha a não ser advinhar o que você queria. Agora de repente você começou a nos dar uma leve idéia do que se passa pela sua cabecinha e isso é tão doce e incrível.

As suas primeiras palavras além de "mammy" e "dada" foram "nana" (banana) e "buhhll" (ball). No Natal demos pra você um livro de primeiras palavras e você adora apontar pra banana e pra bola e repetir essas palavras milhares de vezes. "Nana" aliás tem sido a sua atual obsessão. Pede "nana" umas 835 vezes por dia. Me leva pra cozinha, pede colo perto da fruteira, aponta pra banana e grita "NANAAAA". Come a banana inteira, vai na cozinha pede "nana, nana, NANAAAAA", mas pega a clementine. Come a clementine, sossega, procura o livro e aponta pra banana e fala "NANA!!", depois aponta pra maçã e fala "NANA". Eu corrijo e falo "Apple" e você me corrije de volta e diz "NANA, NANA, NANAAAA!!!!". E eu coloco-me no meu lugar.

Outra palavra que ouço bastante é "nami" (yummy). Porque toda vez que eu dou algo para você comer eu falo "hummm, yummy yummy", você associou "yummy" com comida. Então quando você quer comer fala "nami, nami, NAMI!!!" (perceba que você está sempre me dando ordens).

Adora também dizer "bah-bye" (goodbye), que combinado com seu aceno único ("be gone, peasants") não sobra dúvidas de que a pessoa acenada já estendeu a visita demais pro seu gosto.

Sabe dizer "no-no" chacoalhando a cabeça e balançando os braços negativamente. Mesmo que eu discorde de alguns de seus "no-no", não deixo de me impressionar com a imensidade do que isso significa para você. Dizer "no-no" é a expressão da sua vontade, da sua opinião, resposta a uma pergunta, tanta, tanta evolução.

E começou a nos imitar também. Você pega meu pente e fica passando pela sua cabeça, que nem tem muito para pentear ainda. E também pega o telefone, leva ao ouvido e pergunta: "ayah??" Quando eu estou limpando o chão você logo vem, pega um lenço umedecido e começa a esfregar no chão ao meu lado.

Esta quase, quase andando. Já deu um ou dois tímidos passinhos sozinha, mas levou alguns tombos e agora segura nas nossas mãos com força e não larga mais.

E tem novíssimos dois dentões de cima, que combinados com os dois de baixo possibilitam infinitas formas de morder, cortar e arrancar pedaços. Ama torradas com manteiga. Estamos ensinando você a usar a colher.










E a escovar os dentes propriamente também. Você gosta de oferecer tudo o que come pra mim e escovar meus dentes também. Então meus cabelos estão constantemente cheios de arroz, banana, manteiga, clementines e pasta de dente.

Mas tudo compensa porque você também aprendeu a dar beijo grandão no meu rosto, melado, de boca aberta e com direito a "mwaaahh" bem alto. Beijos são exclusividade da Mammy por enquanto.

Um ano, minha querida menininha, e tanto já mudou em nossas vidas. Você tagarela o dia todo, come clementines, espalha brinquedos por todos metros quadrados da casa, dança, dá risadas, fica frustrada e esperneia, pede colo, tira soneca, come, rouba comida dos nossos pratos, come clementines, brinca, assiste Cbeebies, ouve músicas, sai pra passear comigo, vai no Children Centre (lá eles servem torradas com manteiga, hooray!), reclama, pede colo, come clementines, espera Daddy chegar, grita "Dada!!" e pula e dá risadas quando ele chega, toma banho, brinca, morde os livros, pede colo, leite e dorme.

Os dias com você são cheios, são intensos, são únicos. Essa espontaneidade, esse brilho no olhar quando você descobre algo novo é algo mágico de assistir. Ao mesmo tempo você ainda é uma bebezinha em muitos aspectos, que precisa de rotina, de cuidado, de vigilância. As vezes eu não vejo a hora que você possa andar sozinha, brincar de pintar, de cozinhar, de fazer castelos na areia. Mas daí me dou conta que esses preciosos momentos em que estamos vivendo agora não vão voltar mais, então aproveito para ganhar todos os beijos grandões, carregar você, fazer cócegas na sua barriga, estender a minha mão para você se equilibrar.

Porque se esses doces momentos devem mesmo ser passageiros, que passem devagar ao longo de nossas vidas inteiras, minha pequenina.

Happy beautiful First Year, Sophie.



Encantada ao descobrir que no Children Centre
tem torrada com manteiga...





...e NANA!




Escrito a mão pela Marcia às 1:46 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(12)

dezembro 25, 2011

Happy 1st Birhday, Sweetpie!

Minha querida filha,

Feliz primeiro aniversário!
Um ano desde que você chegou trazendo alegrias, encantamentos e uma felicidade única e incomparável em nossas vidas. Um ano desde que você nos transformou em uma família de três. Um ano desde que descobrimos um amor maior que nossas próprias vidas.

Um ano, minha menininha, nossa (ainda) bebezinha tão adorável, tão inteligente, tão engraçadinha, tão saudável e tão, mas oh tão, tão querida.

Estou escrevendo este post um pouquinho antes do mesmo horário que você nasceu (12:08am). Nossa casa está decorada pro seu aniversário, com bandeirinhas de pano e fotografias suas de cada mês. Daddy e eu fizemos um bolo de chocolate e decoramos com flores e flocos de neve. Daddy escreveu seu nome no bolo com todo cuidado e capricho. Há presentes embrulhados numa pilha na sala. Grandma e Grandpops estão aqui e brincaram com você o dia todo. Neste exato momento, você está dormindo em nossa cama, porque a gente ama ter você dormindo conosco, simples assim. Seu sono é tranquilo e enquanto digito no laptop você segura meu braço com uma das mãos. Você está usando pijaminha de Natal, vermelhinho com flocos de neve. E antes de virmos pra cama nós deixamos um mincepie pro Santa Claus e uma cenoura pro Rudolph the Reindeer. Este é também o primeiro Natal que você passa em nossa casa (no ano passado passamos na maternidade).

Mas antes de tudo, acima do Natal, é dia do seu aniversário! Celebraremos seu dia especial com muitos abraços, beijos e uma montanha de alegrias.

Agora são 12:08am -- dei um beijinho na sua cabeça. Um ano.

Feliz primeiro aniversário, filha querida.

We love you dearly, sweetie.

Escrito a mão pela Marcia às 12:08 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(11)

dezembro 16, 2011

11 Meses

My sweetest child,

Você fez sua primeira viagem transatlântica!
E se comportou durante o vôo melhor do que poderíamos sonhar. Eu estava super preocupada que você iria chorar o tempo todo, mas você dormiu praticamente desde a decolagem até a aterrissagem, brincou bastante nos aeroportos e durante as conexões, dando tchauzinho ("be gone") pra estranhos. Na ida fomos nos assentos da frente e os comissários colocaram um bercinho e você foi dormindo deitadinha, com seu travesseirinho que levei de casa e seu cobertor. Nada mal pra quem nem pagou passagem, eh?

E quando chegamos no Brasil, ahhh quanto amor você recebeu! Ditian e Batian nos esperavam ansiosos e fomos cobertos de abraços com saudades e muito carinho. Você chorou um pouco mas se acostumou rápido. E logo estava dando seus doces sorrisinhos para derreter o coração deles.

Como você completou seus 11 meses no Brasil, aproveitamos para fazer duas festinhas de aniversário. Uma com minhas queridas amigas, na casa da Cris, que foi uma delícia. Você chorou com cada convidado que chegava e vinha nos cumprimentar. Depois descobriu que tinha comida na festa e começou a encher a mão de torta de frango e a colocar tudo na boca. O que consequentemente fez minhas amigas acreditarem que seu mal é fome e que eu não dou comida pra você, veja só. Cantamos parabens bem baixinho pra você não se assustar, que foi bem engraçado. E hey presto, durante o ra-tim-bum você sorriu e bateu palmas!

A outra festa foi na casa da Batian e Ditian, mais íntima mas também muito especial. Pela primeira vez em mais de 10 anos, todos nós, pais e irmãos, nos reunimos novamente e foi tão gostoso passar dias com todos eles e celebrar seu primeiro aniversário com a presença deles. Um momento tão precioso para nós, minha pequenina. Nossos tios e primos vieram também para a sua festinha e tudo ficou bem alegre e divertido, do jeitinho que a gente queria pra você.

Os bolos de ambas as festas foram feitos pelas habilidosas mãos da sua tia Debora. E ficaram absolutamente fantásticos (e saborosos!), literalmente de parar a festa. O primeiro foi bem menininha, inspirado na casa da Moranguinho (Strawbery Shortcake), tão delicado e tão perfeito! E como se não bastasse todo o trabalhão de fazer esse bolo, a Tia Dé ainda fez cakepops em formato de cupcakes e biscoitos em formato de pirulito! O segundo bolo foi com os personagens do seu programa favorito, In the Night Garden. Eu tinha pedido para sua tia fazer só o Makka Pakka em cima de um bolo simples. Ela fez um jardim, o Makka Pakka e TODOS os personagens pra você, olha quanto amor.






















Você se acostumou rápido com toda minha família e logo nos primeiros dias já foi no colo da Batian e do Ditian. Aliás, a Batian fez você dormir no colo dela quase todos os dias!! Nunca ninguém conseguiu fazer você dormir antes além de mim. Como disse Daddy, "Batian's magic". Você também brincou com seus primos Bia e Mateus, que foi muito doce de ver.

Passamos a maior parte do tempo só em São Paulo, só com a minha família. Afinal queríamos que eles passassem bastante tempo afofando e mimando você, conhecendo suas graças, seu jeito, suas peculiaridades. E assim foi. Você teve atenção, colo e diversão o tempo todo. Comeu muita fruta fresca com gosto e paixão. Muito pêssego maduro e suculento, suco de laranja lima, bananas docinhas, manga, mamão, pêra, uva descascada pelo Ditian uma a uma. Adorou pãozinho francês fresco da excelente padaria local, comeu pão todos os dias de manhã e esnobou o mingau de aveia que eu trouxe de casa. E também caiu de amores por panetones, affair que continua até agora.

No último final de semana nosso primos Marcelo e Nety gentilmente nos convidaram para irmos para a casa de campo deles. Foi um passeio magnífico, tão gostoso, tão tranquilo. Você viu pé de manga, de lychees, de laranja. Almoçamos churrasco delicioso preparado pelo primo Mauricio, acompanhado de comidinhas sempre ótimas feitas pela Nety e Tia Elza. Você comeu arroz, feijão e frango grelhado e um pêssego de sobremesa. Andamos pelos arredores até uma nascente de água e um lago que tinha peixes e tartarugas. Você engatinhou bastante, tomou banho de bacia e dormiu no caminho de volta a São Paulo.

Durante nossas férias seu desenvolvimento foi marcante. Você começou a ficar de pé facilmente e a engatinhar em alta velocidade. Suas "conversas" ficaram mais complexas e mais longas. E depois do intenso fluxo de pessoas novas, agora você raramente chora em ocasiões sociais. Aprendeu a dançar balançando os braços de lado e a pular sentada quando o entusiasmo é muito grande.

Os dias passaram rápido e logo chegou o dia de partir. E desta vez foi tão tão difícil me despedir da minha família. Ver meus pais se despedindo de você, abraçando com amor e beijando sua cabeça com ternura quebrou meu coração em partículas indivisíveis.

Enfim, sweetpie, essas férias para você significou mais do que eu posso relatar aqui. Você com seu sorrisinho e seu olhar grandão entendeu que tem uma família -- de sangue e de coração -- grande, linda, generosa, querida. Você entendeu que é parte dessa família, que é amiga desses amigos. E que a vida é muito bela.







Foto: Mauricio




Foto: Mauricio




Foto: Mauricio


Escrito a mão pela Marcia às 9:24 AM | mais em M&M Family | mais em M&M in Brazil | Comente este fragmento(17)

novembro 16, 2011

The Other Side of the Pond

Estamos indo para o Brasil.

Miss Sophie vai conhecer pela primeira vez o outro lado da família dela.
E muitos amigos queridos dessa terra que, tenho certeza, ela vai aprender a amar.

Até a volta!

M&M&S

Escrito a mão pela Marcia às 12:24 PM | mais em M&M Family | mais em M&M in Brazil

outubro 25, 2011

Nine Months

Nove meses do lado de fora da minha barriga. E quanta evolução, my little girl.

Na época em que você estava dentro da minha barriga cada ultrassom era tão, tão precioso. Cada vez que víamos seus traços era como encontrar um tesouro raro e de valor incalculável. Ficávamos horas olhando as fotos, imaginando como seriam os seus olhos, seu nariz, sua boca. Enviávamos as fotos via email para seus avós e tios, que pacientemente concordavam conosco que você é mesmo linda.

E eis que você veio pra fora e tem ficado cada vez mais delicioso acompanhar suas mudanças físicas, suas feições faciais, suas inúmeras expressões.

A grandíssima novidade? Você agora tem dentes! Sim, no plural, dois. Na arcada de baixo, dois lindos, afiados dentinhos. Minha banguelinha já é coisa do passado, sooo last season, mas você está tão graciosa que nem consigo ficar nostálgica. Iniciamos também mais uma rotina que é de escovar seus novíssimos dentes. Tentamos com a escova mas você não entendeu nada e não quis. Então limpávamos só com o dedo e um pouquinho de pasta de dentes. Aos poucos comecei a levar você pro banheiro para me assistir escovando os dentes. Eu dava a sua escova nas suas mãos e você me assistia. Depois de muitos dias e o chão do banheiro bem escovado, você finalmente entendeu e começou a me imitar. Ainda não sabe escovar, obviamente, mas coloca a escova na boca e tenta, que é o que importa.

Você também aprendeu a acenar. Mas não é um aceno comum, dando tchauzinho não. Não, não, não. Você acena como se fosse da realeza dizendo "be gone, be gone" (ou "xô, xô") para os serviçais. Outro movimento é de erguer os braços acima da cabeça quando perguntamos "how big Sophie is?" ("qual é o tamanho da Sophie?"), com um sorrisão. E você também "dança" mexendo os braços e a cabeça.

Começou a "engatinhar" com um joelho e um pé. Nosso piso é de madeira e deve ser desconfortável ficar de joelhos. Mas você se movimenta rapidamente para todos os lados. Quase completando 10 meses você finalmente começou a engatinhar propriamente. E com esse novo horizonte, você descobriu que nossa casa é um grande playground! Tanta coisa para mexer, tão pouco tempo! Tomadas e cabos foram os primeiros alvos.

Tem sido mais difícil colocar você para dormir porque toda hora é hora de praticar engatinhar. Mesmo morrendo de sono, você senta, engatinha, brinca de Escalar Mama, rola, engatinha, senta, brinca de Escalar Mama, deita, levanta, senta, engatinha... ad nauseam.

Com tanta atividade, percebemos que você está menos rechonchuda. Perdeu as bochechonas, agora o rostinho está mais fininho. E as pernas continuam cheias de dobrinhas, mas estão mais longas.

Sua alimentação continua indo bem, apesar de você continuar testando a força da gravidade do alto do seu cadeirão. Você está expert em tomar água do copo sippy cup sem válvula. Usa com uma mão só, tão esperta. Pelo menos uma vez por semana saímos para lanchar fora e você tem se comportado muito bem. As vezes perde a paciência, que é de se esperar, mas no geral come, brinca com seus brinquedinhos, não faz muito barulho.

Socialmente tem sido complicado. Apesar dos muitos clubes, visitas, cursos e reuniõezinhas com outros bebês e mães, você continua estranhando todo mundo, chora horrores quando alguém tenta lhe carregar. Perguntei várias vezes para a Health Visitor se eu estava fazendo algo de errado. E ela me apoiou dizendo que no final das contas nós temos que respeitar o seu direito de não querer ser carregada por quem você não quer ou interagir com quem você não se sente confortável. E ela aconselhou não tentar forçar porque pode causar ainda mais inseguranças. E eu concordo. E respeito.

Afinal não é e nunca será a minha vontade ou a minha expectativa que importa. O que importa é que você descubra por si mesma o que lhe agrada, no seu próprio tempo, em seus próprios termos. Quando você estiver pronta vai ser porque você encontrou a segurança e a confiança dentro de si mesma.

Guardo comigo sempre uma frase de um poema que li, que diz que o mais valioso legado que alguém pode dar aos seus filhos são raízes e asas. Talvez neste momento seja mais importante para você saber que suas raízes estão aqui para lhe dar segurança, força e acalento. Para saber que você é amada e querida, antes de se aventurar neste nosso mundo tão complexo. Enquanto você quiser só Daddy e Mama, estaremos aqui, meu pudinzinho.

"Just be there when I need you, to tell me it's all right,
To face my fear of falling when I test my wings in flight"
-- Denis Waitley



Escrito a mão pela Marcia às 3:24 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(5)

setembro 25, 2011

Eight Months

(Post atrasado porque estivemos brincando de bolhas de sabão, picnic no jardim e balanços no parque)

Dearest little girl,

Você está grande. Não há duvidas de que sua fase de bebezinha já passou muitos meses atrás. As vezes assisto a você brincar e fico admirando como você cresceu. O tamanho das suas mãos, das suas pernas, do seu dedão, tudo tão maior!

Alguns pequenos detalhes em seu desenvolvimento me fazem rir de tão graciosos. Por exemplo, você agora sabe vestir as mangas. Visto o colar e logo seus braços ficam procurando os buracos das mangas. Coloco suas mãos nos buracos e você estica o braço e veste a manga sozinha. Não esperava que você aprendesse a fazer isso tão cedo.

Você perdeu muitas roupas nos últimos dois meses. E algumas delas eu tinha um carinho especial porque você ficava tão fofinha nelas! Como aquela camiseta azul de carneirinhos. Outro dia tentei vesti-la, estiquei, puxei, tentei passar o colar pela sua cabeça. E sua cabeça ia e vinha, ia e vinha, e nada do colar entrar. Até que você tirou a camiseta das minhas mãos com um "Ggrrrr". E me olhou impaciente como quem dizia: "it doesn't fit anymore woman, get over it!"

Ainda não foi este mês que você começou a engatinhar. Você se movimenta bem de barriga pra baixo, vai nadando pelo chão por todo canto. Não gosta muito dessa posição e logo pede para a gente lhe por de pé. Você também rola com destreza pros dois lados e está cada dia mais complicado trocar sua fralda em paz. Estou sempre perseguindo uma nudista apressada.

Aliás você agora é bem assertiva quando quer ou não quer algo. Principalmente quando tento limpar o seu nariz. Reclama alto, balança a cabeça, empurra minha mão. E da mesma forma, quando quer algo não poupa esforços para agarrar com as duas mãos e a boca.

Seu cabelinho ainda está crescendo bem devagarinho. Estamos curiosos para saber como seu cabelo vai ser. Por enquanto ele é tão fininho e tão fofinho. Adoro sentir seu cabelinho no meu rosto quando lhe abraço e beijo sua cabeça. Adoro afagar seu cabelo na direção do seu redemoinho. Adoro lavar seu cabelo com uma gotinha de shampoo Johnson's e depois ficar sentindo o cheirinho da sua cabeça perfumada.

Ah, e como você adora tomar banho! A gente começa a encher a banheira e você fica toda animada, dando gritinhos e chutando as pernas, querendo entrar logo. E brinca e espalha água por muito tempo. Ainda usamos o baby bath support, que foi uma das melhoras "coisas de bebê" que compramos. Você fica relaxada brincando com algum brinquedo nas mãos e eu fico com as mãos livres pra dar banho, lavar o cabelo, limpar as orelhas, o nariz, as dobrinhas (muitas delas).

Estamos agora numa rotina mais previsível e para manter seu bom humor basta que você tire sua soneca das nove da manhã e da uma da tarde, de preferência com duração de mais de uma hora cada soneca. Nós tomamos café da manhã juntas, almoçamos juntas e só no jantar você come antes de nós. Às sete da noite começamos a sua rotina de ir pra cama: banho, pijama, lullabies e leite.

O verão chegou ao fim e aproveitamos os últimos dias de temperaturas agradáveis caminhando com você no baby carrier, brincando de voar no jardim, comendo ao ar livre, soprando bolhas de sabão, fazendo joaninhas andarem nas nossas mãos. Acredito que você tem gostado disso tudo porque toda vez que levo você pro conservatory você estica os braços em direção à porta que sai pro jardim.

Minha querida bonitinha, está ficando cada vez mais delicioso conviver com você, com seu senso de humor, seu jeitinho de brincar, sua alegria ao nos ver, seu prazer de comer. É claro que temos momentos difíceis também, quando ambas estamos cansadas, quando Daddy viaja, quando o sono foi interrompido várias vezes. Mas há gritinhos histericamente felizes quando Daddy volta, há abraços depois de um longo banho, há sorrisos na manhã bem-dormida. E tudo fica bem, dearest sweetpie.








Escrito a mão pela Marcia às 8:30 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(7)

setembro 6, 2011

Full of Beans



Arroz, feijão, couve e ovo de codorna




Nom, nom, nom, nom...




E eu achei que ia sobrar pro almoço do dia seguinte...



Escrito a mão pela Marcia às 10:07 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(7)

agosto 20, 2011

7 Months

Dearest Giggly Girl,

Você ainda não a conhece pessoalmente, mas você tem uma prima chamada Juliana. Ela é sua prima mais velha, ela tem 17 anos. A Juliana já foi um bebê como você também, e eu tive o prazer de vê-la aprender a engatinhar, andar, falar, brincar. E brinquei muito com ela, inventavámos histórias com a Barbie, líamos revistinhas em quadrinho, desenhávamos, plantávamos feijões, assistíamos desenhos animados. Este mês ela viajou sozinha para a Noruega, onde ela vai estudar por um ano. É um orgulho imenso vê-la dando esses passos enormes no caminho da independência e da busca dos grandes sonhos dela.

E é inevitável para mim pensar nas suas próprias explorações e independências, littlest one, das quais apoiarei com toda felicidade do meu coração. E é inevitável também pensar que este momento em que você ainda nos quer o tempo todo grudadinhos com você está passando rápido, muito rápido.

Entre seus seis e sete meses seu desenvolvimento foi impressionante. Mal aprendeu a sentar e já cansou e quer explorar mais adiante, seguir em frente. Ainda não começou a engatinhar, mas já fica em pé por um bom tempo, segurando só nos meus dedos. E a mais graciosa novidade é que você começou a bater palmas. E fica toda orgulhosa e feliz quando suas palmas fazem clap, clap, clap. Quando a gente pede você sorri e começa a bater palmas; é a primeira vez que você faz algo que pedimos só de ouvir nossas palavras. Tão inteligente.

A sua alimentação também evoluiu bastante. Agora você come sozinha e oferecemos suas comidas em pedaços para você morder e mastigar. Papinhas já fazem parte do seu passado gastronômico. Estamos tentando uma forma de alimentar chamada Baby Led Weaning, em que você tem o controle do que come. Colocamos suas comidas em pedaços na bandeja e você escolhe o que comer, quanto comer. Nós, porém, somos flexíveis e quando não tenho tempo ou disposição, dou comidinhas às colheradas ou saída de algum potinho, que -- annoyingly -- você come com a mesma satisfação.

Demorou um tempo até você se acostumar com pedaços sólidos na boca. Mas finalmente um dia, experimentando omelete, você aprendeu a mastigar antes de engolir e tudo começou a ficar mais fácil. Hoje você fica bem entusiasmada durante as refeições porque agora participa ativamente pegando tudo com as mãos, sentindo texturas, observando cores, levando à boca, mastigando, engolindo, jogando no chão. Em quantidade você está comendo bem mais do que comia em papinhas. Eu também estou curtindo porque agora posso preparar comidinhas mais interessantes ou muitas vezes você simplesmente come o mesmo que estamos comendo, porém sem sal. A bagunça que você faz é fora deste mundo porque nem tudo encontra o caminho da boca. Mas vale a pena só para assistir você comer macarronada, Shepherd's Pie, panquecas (de milho, de abobrinha, de pera, de cenoura), onigiri, Sunday Roast, arroz com feijão, crumpets e tantas outras coisas. Sua fruta mais amada deste verão foi sem dúvida a nectarina. Você destrói uma em poucos minutos e chora e esperneia quando acaba.

Ao mesmo tempo estamos ensinando você a tomar água do copo. Começamos com os sippy cups com válvulas, depois retiramos a válvula e agora você usa o Doidy Cup, recomendado pela Health Visitor. Por enquanto só oferecemos leite e água para beber porque você já tem uma tendência de gostar de tudo que é docinho.

Você agora pesa 8kg e mede 66cm! Subiu mais um degrau na escala de crescimento médio.

Neste verão passeamos bastante. O Children Centre organizou várias atividades, caminhadas e picnics. Além disso, nós também fizemos uma pequena viagem à North York Moors e visitamos a costa de Whitby, onde você pode ver o mar pela primeira vez. O tempo estava chuvoso e você vestiu gorro de lã na praia... never mind. O grupo de Nursery Rhymes da biblioteca tem sido ótimo, é a primeira atividade que você genuinamente se diverte. Presta atenção nas historinhas, depois sorri e pula quando cantamos as musiquinhas. Uma de suas preferidas:

"Five little monkeys jumping on the bed
One fell out and bumped his head
Mama phoned the doctor and the doctor said:
No more monkeys jumping on the bed!!"

E ahhh, agora você começou a falar algumas sílabas e a mais frequente é Da-Da, para total alegria do seu orgulhoso Daddy. Por enquanto, porém, você fala da-da-da-da para tudo. Algumas raras vezes você olha diretamente para o Daddy e diz claramente "Da-da", que provoca um festival de fogos de artifício no coração dele.

As mudanças agora têm sido tão rápidas e tão evidentes. Ainda estamos distantes da independência que a sua prima Juliana está conquistando. Mas sei que o tempo passa inexoravelmente e que tudo se inicia com o primeiro passo. Por hora, seguro nas suas mãozinhas quando você quer ficar de pé. E segurarei-as até quando você estiver pronta para soltá-las, my dearest girl.






Escrito a mão pela Marcia às 3:13 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(10)

julho 7, 2011

6 Months, Half a Year

My dearest fast-growing baby,

É tão tão inacreditável que meio ano já se passou e que eu sou mammy de uma garotinha que senta sozinha, que tem senso de humor, que gosta de algumas comidas e desgosta de outras. Que fala numa linguagem só dela, cheia de ay, ay, ay, ay, que parece uma bebê mexicana. Que se acaba de rir quando a gente brinca de "round and round the garden, like a teddy bear: one step, two steps, tickly under there!!!"

Seu aniversário de seis meses foi muito comemorado. Fizemos uma mini-festinha na casa de Grandma & Granpops, só para iniciar uma tradição de comemorar seus "meio-aniversários" no verão, que cai exatamente no meu aniversário. Assim você vai ter duas festinhas de aniversário por ano: um no verão e o outro, propriamente, no dia de Natal. Fizemos churrasco no jardim e encomendei um bolinho para cantarmos parabéns. Você não entendeu nada, mas curtiu morder os copos descartáveis do Gruffalo.

Fisicamente você está tão diferente! Com a habilidade de sentar veio também um novo horizonte, você agora brinca sozinha e usa as mãos com mais destreza. Compramos novos brinquedos mais adequados para a sua idade e você fica admirada com sua capacidade gerar movimentos e sons. E continua se exercitando no seu Door Bouncer, pulando, pulando, pulando.

No Children Centre começamos com as aulas de Yoga. Assim como nas aulas de Baby Massage você não gosta de ficar deitada de costas, quer ficar de pé, quer pular, pular, pular. Então enquanto todas as mães fazem sessão de alongamento e relaxamento com seus bebês, eu fico carregando um little monkey brincando de ser pulga. Na semana que vem começaremos a frequentar um grupo de Nursery Rhymes na biblioteca do nosso vilarejo. Acho que você vai gostar, você gosta de musiquinhas. Você já tem carteirinha da biblioteca e faz parte do Bookstart Club.

Continuamos experimentando novas comidas, agora com pedacinhos ao invés de purê/papinha. E temos feito mais misturas de sabores e texturas. Milho e abóbora, cenoura e abobrinha, ervilha e batata. Fiz sopa de frango com legumes e espinafre e você avançou no prato e comeu tudo rapidinho. Frutas são bem mais fáceis, você aprova todas. Suas sobremesas preferidas no momento são peras cozidas com uvas passas e também banana cozida com canela. Tentei iogurte Petit Filous de damasco mas você achou detestável, deplorável, intragável, cuspível. E durante meu almoço você ficou de olhão comprido pro meu sanduíche, então dei um pedacinho de pão e você adorou, pediu mais e mais e mais.

Meu pudinzinho doce, você está começando a erguer os braços para pedir colo, o que derrete meu coração de afeto. Ainda a carrego muito, o tempo todo, pra todo lado. Às vezes você acorda da soneca e eu a carrego, seu corpinho ainda morno e sonolento, a cabeça descansando no meu peito, seu cabelinho fofinho no meu rosto. Nessa hora eu tenho vontade de congelar o tempo, de ter para sempre esse momento em que você quer estar nos meus braços e nada mais. Então eu beijo sua cabeça e tento gravar na memória essa sensação de amor mútuo e descomplicado. É um instante tão precioso quanto os sorrisos matinais que você abre para mim. Todas as manhãs. Não sei por quanto tempo ainda terei esses sorrisos tão puros, banguelinhas, irresistíveis. Muitos amigos nos dizem que o melhor ainda está por vir e me sinto privilegiada. Porque o agora está tão delicioso, tão encantador. Eu quase me desfaço em uma poça de coraçõezinhos cor-de-arco-íris toda vez que você ri, sorri, se aninha no meu colo. Seis meses. Até agora minha fase favorita do seu babyhood. Quase sentando, quase falando, quase engatinhando, quase comendo de tudo. Logo o "quase" vai virar passado e eu não quero esquecer como essa fase está sendo gostosa e divertida.

Happy 6 months, my sweet pie.



Festinha de meio aniversário




O copo tá vazio, mas você finge que sabe beber sozinha




E finge que bebeu demais




As aniversariantes cantando parabéns
e planejando comer a vela




Prince William e nós temos algo em comum
além do bom gosto em bolos*




My dearest beautiful little girl




*o bolo foi feito pela mesma confeiteira que fez o bolo do casamento de William & Kate, Fiona Cairns. Mas não é assim algo tão majestoso da nossa parte porque a empresa dela fornece pro supermercado Waitrose e foi lá que encomendamos. O bolo estava muito gostoso. Além do bolo, Prince William faz aniversário no mesmo mês que eu e também se casou no mesmo mês que nós. Copycat.

Escrito a mão pela Marcia às 10:17 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(25)

junho 19, 2011

Happy First Father's Day



To the most loved Daddy in this universe



Escrito a mão pela Marcia às 2:31 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(10)

junho 17, 2011

5 months

Dear little monkey,

Daqui uma semana você completa seis meses (!) e eu ainda não consegui fazer o post dos seus cinco meses. E a razão é a mais natural possível: você está mais ativa, quer atenção o tempo todo, quer agarrar e morder tudo o que vê pela frente, então estou o tempo todo com você, vigiando, alimentando, brincando, cantando, carregando, mordendo, fazendo cócegas e beijando os pés gorduchos.

Você melhorou um pouquinho na interação com "estranhos". Ainda chora se alguém coloca o rosto muito perto do seu ou pega na sua mão de surpresa. Mas é totalmente o seu direito de não gostar. Assim que você se sente mais segura esbanja charme e sorrisos.

A novidade mais fantástica deste mês é que você começou a comer comidinhas sólidas! A amamentação ainda tem sido 98% da sua nutrição, mas agora duas vezes por dia você experimenta novos sabores. Começamos com baby rice, que você amou de paixão eterna. Passamos pela banana, cenoura, batata doce, pêra, abóbora (butternut squash) e maçã. A única careta foi pra maçã (Cox) que estava bem azedinha, mas mesmo assim você comeu bastante. Na semana que vem começaremos com os "verdes", brócolis, ervilhas, abobrinhas, abacates.

Nós temos nos divertido bastante preparando e dando essas comidinhas pra você. Estamos sempre conversando sobre o que oferecer pra você da próxima vez. Espero de todo coração e estômago que você cresça gostando de comer e comendo com prazer e deleite. Tem sido uma experiência deliciosa ter você conosco na mesa, ainda que suas papinhas voem por cada canto da casa e que suas mãos grudentas espalhem marcas pelas paredes, cabelos, roupas e sofás. Porque são esses detalhes que trazem um sorriso enorme em nossos rostos. Da mesma forma que ter que recolher seus brinquedos da banheira antes de poder tomar banho nos faz feliz.

Seu desenvolvimento tem dado vários saltos. Agora você senta (por alguns segundos), rola (quando lhe interessa), fala algumas sílabas, dá gargalhadas. As vezes nem consegue parar de gargalhar, o que nos deixa em leve pânico, heee. Está superforte, outro dia você estava sentada no meu colo, colocou os pés na mesa e empurrou-a lá pra longe. Todos nós que estávamos conversando na mesa ficamos com os olhos arregalados como se você fosse Clark Kent. E forte eu estou ficando também carregando seus 6.8kg por todo lado. É engraçado quando as visitas mal conseguem lhe carregar por 5 minutos e logo me devolvem o chumbinho.

Você tem prestado mais atenção no clube Bumps & Babies que frequentamos e já reconhece algumas pessoas e bebês. E fica bestificada quando algum bebê tira o brinquedo das suas mãos.

Neste final de semana vai ser o primeiro Dia dos Pais do seu queridíssimo Daddy. E tudo o que ele quer é ficar em casa e passar todo o tempo com você. Você adora ficar conosco no jardim. Já conheceu Pepe the Blackbird, que continua vindo comer suas uvas passas. E adora assistir às abelhas Bumblebees e borboletas. Quando chove levo você pro conservatory para ouvir o barulho. Já tivemos tempestade com trovões, chuva de granizo, vendavais. Ou seja, é verão.

Agora preciso encerrar o post porque você acordou e está querendo morder o laptop.

Our cute cheeky monkey.









Escrito a mão pela Marcia às 3:27 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(12)

maio 21, 2011

I'm Too Sexy for My Shirt



I'm too sexy for my shirt,
too sexy for my shirt






I'm too sexy for Milan,
too sexy for Milan, New York and Japan






I'm too sexy for your party,
too sexy for your party




-- I'm too sexy (Right Said Fred)

Escrito a mão pela Marcia às 2:22 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(9)

maio 12, 2011

Four Months

Dear sweet little girl,

Você anda encantada com suas novas habilidades. Agora suas mãos estão obedecendo a tudo o que o seu cérebro comanda e você está admirada com sua novíssima coordenação motora. Você estica, alcança, pega um objeto, traz para a boca, joga no chão, faz tudo isso maravilhada e de olhões bem abertos.

Seus sorrisos agora são mais frequentes e continuam muito preciosos. Os melhores são sempre os você nos dá só de olhar para nós com os olhos brilhando, língua entre as gengivas. Não importa o quanto estejamos cansados, seu sorriso sempre nos renova e nos conforta.

Você começou também a tagarelar quando bem entende, seja no elevador para estranhos, que todo mundo acha engraçadinho, ou na sua cama das duas até as três e meia da madrugada, que ninguém acha lá muito cômico.

E ah, se o seu primeiro sorriso foi pro Daddy, a primeira risadinha foi pra Mummy! Tão delicioso ouvir o seu "hihihihihi". Ainda é raro fazer você rir, mas sempre arrancamos um risinho quando brincamos de rocket-Sophie, stinky feet e bounce-bounce com você.

Porém, de uma hora para outra você começou a chorar se outras pessoas além de nós lhe carregam. Nem Grandma e Grandpops escaparam. A Health Visitor explicou que você está percebendo que há outras pessoas no mundo além dos seus pais e isso traz uma certa ansiedade. Ela disse que deve melhorar por volta dos seis meses e para não nos preocuparmos porque é apenas parte do seu desenvolvimento. Afinal, você é, na maior parte do tempo, muito bem humorada e muito sorridente.

Continuamos frequentando o Children's Centre, terminamos as aulas de Baby Massage e agora estamos inscritas para o Baby Yoga. E continuamos indo ao Bumps & Babies todas as semanas também para nos socializarmos um pouco mais. Você já reconhece algumas mães e bebês e sorri para elas.

Durante o seu aniversário de quatro meses celebramos também a chegada da primavera, o feriado de Páscoa, nosso nono aniversário de casamento e o pomposo casamento do Prince William & Catherine Middleton. Fizemos churrasco, recebemos visitas, visitamos fazendas leiteiras pra comprar sorvete, visitamos o Yorkshire Sculpture Park. Foi um mês de muitos feriados, em que Daddy pode passar bastante tempo com você. Ver vocês dois sorrindo um pro outro é a melhor parte da minha vida.

Temos encontrado uma certa rotina atualmente. Imprimi um timetable com os horários que você geralmente pede para mamar e dormir durante o dia. E quando seguimos esses horários você fica mais contente e dorme bem a noite. Você ainda acorda duas vezes durante a noite para mamar, mas eu não me importo porque você mama e dorme em seguida, não leva muito tempo. Na verdade eu gosto de acordar e saber que você está bem.

Você tomou suas últimas doses de vacinas: na primeira injeção você nem chorou, brave girl. Nas outras duas o choro veio mas logo parou. Você está pesando 6.190kg, tão grande, tão cheia de dobrinhas e bochechas. Está quase rolando, quase sentando sem suporte e sustentando bem o pescoço. As gengivas continuam coçando e você continua babando horrores e mordendo as mãos e todos os brinquedos desesperadamente. Mas nenhum sinal de dentes ainda.

Enfim, minha banguelinha sorridente, estamos felizes de ver você conquistando novas habilidades, descobrindo gostos e desgostos, formando sua personalidade. A cada coisinha nova que você aprende, celebramos, beijamos, tiramos fotos, vibramos, beijamos mais. Apesar do cansaço, do trabalho, das ansiedades, cada dia com você é cheio alegria, admiração, encanto, risadas. E não há como ser diferente.

You're so adorable, little one.





Escrito a mão pela Marcia às 10:22 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(16)

abril 7, 2011

Three Months and a Half

O mais delicioso acontecimento deste terceiro mês é que agora seus sorrisos são largos, de boca aberta, gengivas à mostra e olhos espremidos. E a mais encantadora das novidades é que agora você está "falando". É tão mágico poder ouvir uma terceira voz em nossa casa, que não é minha nem do Daddy. Sua voz é delicada, graciosa e tão preciosa. Em alguns dias você está cheia de "aaah gooos" e "aaah yahhs", que a gente repete e conversa por um longo tempo. Em outros dias você gosta de ficar quietinha, só observando e mastigando as mãos.

Outra grande novidade deste mês é que você começou a ter vida social, veja só. Estamos agora frequentando o Children's Centre, o clube de pais e bebês do nosso vilarejo. Lá participamos do Bumps and Babies Clinic onde encontramos com outras mães e pais com seus bebês, conversamos e trocamos experiências, tomamos chá e comemos bolos. Você adorou o clube desde o primeiro dia, assiste a tudo bem atenta, fica chutando as pernas contente e sorri para quem vem conversar com você. Motivada pelo seu entusiasmo, inscrevi você para participar das aulas de Baby Massage, também no Children Centre. Ontem tivemos a primeira aula, massageando suas pernas e seus pés.

Você recebeu a segunda dose da vacina, desta vez, porém, o choro durou menos de dez segundos e logo você estava bem de novo. Eu gosto do médico GP que dá as vacinas, ele é bem bacana e atencioso, mas você não é muito fã e mostrou pra ele seu temível BIG FAT LIP, reservado para momentos de extremo descontentamento.

Suas mãos agora ganharam um pouco mais de coordenação. Seus dedos tentam segurar objetos e delicadamente tocam nossos rostos. E não tão delicadamente puxam meus cabelos também. E com toda essa destreza você agora é expert em levar a mão na boca. Morde as mãos e os dedos o tempo todo, baba horrores. Perguntei pra Health Visitor se poderia ser seus dentes nascendo e ela explicou que mesmo que os dentes só apareçam daqui uns bons meses, é possível que você já esteja sentindo movimentos e coceiras nas gengivas.

Seu pescoço está bem mais firme e agora você quer ficar "sentada" o tempo todo para poder observar a tudo ao seu redor. Tudo é novidade, tudo exige sua atenção. As vezes me esqueço que muita coisa você está vendo ou experimentando pela primeira vez. Como o vento forte, a luz do sol dançando na parede, a textura da grama nos seus pés.

Começamos a ler quase todos os dias pra você se acostumar com diferentes entonações, expressões, ritmos. Seu livro preferido é The Gruffallo, você sorri para as ilustrações e chuta as pernas entusiasmada enquanto conto a história. E você tem também um DVD preferido, Baby Einstein, que você assiste fascinada sentada no seu Bumbo, feito pequena couch potato.

É tão interessante acompanhar o seu desenvolvimento, perceber pequenas mudanças a cada dia, a cada semana. Adorei cada segundo da sua fase bem recém-nascida, mas agora que você começou a interagir conosco nossa convivência está ainda mais deliciosa. Meu momento preferido é nas primeiras horas da manhã, quando você olha no fundo dos meus olhos por alguns minutos e em seguida abre um sorriso enorme, tão cheio de amor. Eu tento absorver tudo, tudo. Seu olhar, seu sorriso, sua voz, até seu chorinho inconformado, seus resmungos. Porque tudo isso faz parte de você, da sua personalidade. E eu amo cada pedaço do todo.

My precious, precious girl. I'm so grateful to have you in my life.





Escrito a mão pela Marcia às 10:24 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(21)

abril 3, 2011

My Very First Mothers Day



My dearest little girl,

Thank you for making me a Mum.
The happiest one.

love
your Mummy.

Escrito a mão pela Marcia às 2:31 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(16)

março 8, 2011

fevereiro 25, 2011

Two Months

Dois meses, sweet pie!

E este segundo mês foi marcado por muitas "primeiras vezes".

Nós fizemos nossa primeira viagem curta, de duas horas, com você para visitar Grandma e Grandpops. Você dormiu durante todo o percurso. Chegando lá você ganhou muitos colos e muitos presentes. E pela primeira vez você dormiu a noite inteirinha sem acordar (acontecimento que ainda não se repetiu...). Visitamos também sua auntie Jackie, que agora tem três galinhas curiosas morando no jardim deles. Você dormiu durante toda a visita e nem conheceu as penosas.

Este mês também começamos a usar as fraldas reusáveis. Demorei para usa-las porque você ainda era muito miudinha, mas principalmente porque achei que elas iriam aumentar muito minha carga de trabalho. Mas elas têm sido muito, muito fáceis de usar e lavar. Usamo-as como se fossem descartáveis com a diferença de ao invés de jogás-la no lixo, jogo-as num recipiente e no final do dia elas vão para a máquina de lavar. Até agora não tivemos nenhum problema de vazamento ou assadura. E você fica irresistível de bundinha colorida!

E como nem tudo nesta vida é haha-heehee, este mês você tomou suas primeiras doses de vacinas para proteger de seis diferentes doenças. Foram duas injeções, uma em cada coxa. Você gritou até ficar com o rosto púrpura e pela primeira vez chorou com lágrimas gordas rolando pelo rosto. Quebrou meu coração em milhares de pedaços ver você chorar de dor e olhar pra mim segurando firme na minha blusa pedindo ajuda. Eu, você e as migalhas do meu coração fomos para uma outra sala onde pude lhe amamentar e acalmar. No dia seguinte já estava tudo esquecido pra você.

Algo que você tem praticado bastante este mês tem sido chupar o dedo. Ou dedos. Ou a mão toda. Eu tenho oferecido chupetas mas você não gosta delas e cospe-as longe. Agora que você aprendeu a ter mais controle, suas mãos estão sempre na boca. Depois da vacina, em casa, você acordava com dor e logo colocava a mãozinha na boca para encontrar um certo conforto. Morrendo de dó, deixei você chupar a mão o quanto quisesse e precisasse. E para a minha surpresa você então aprendeu a se acalmar e cair no sono sozinha. Antes nós precisávamos amamentar ou embalar no colo para fazê-la dormir. Agora colocamos você na cama, você mastiga a mão por uns minutos e adormece sozinha. Nem sempre é fácil assim, mas nunca lhe recuso leite e colo. Mesmo que não estejamos tentando impor nenhuma rotina, você já mostrou que às 8:30 da noite você não quer mais conversa. Quer cama.

Outra novidade na sua vida extremamente agitada é que começamos a oferecer mamadeira com leite materno. Ainda tem sido um processo meio montanhoso. Já estamos na quarta marca de mamadeira diferente. As vezes você aceita e chora quando o leite acaba. As vezes você recusa veementemente e nos fuzila impiedosamente com o olhar indignado. A amamentação tem ido bem, começou a ficar bem mais fácil este mês, mas acho importante que alguém mais possa lhe alimentar quando eu não puder. Daddy tem adorado essa experiência também.

E a melhor de todas as "primeiras vezes" deixei para o final. Pela primeira vez em sua vida, minha querida menininha, você começou a sorrir para nós. Sorriso com os olhos, com as bochechas e com a boca banguela. Derrete nossos corações, enche nossos olhos de lágrimas e nos eleva para um estado que jamais imaginamos existir. Ainda são raros e por isso mesmo cada um deles são preciosos. Não poupamos esforços para conquistá-los: cócegas, caretas, beijos, blowing raspberries, musiquinhas, brincadeiras, bananeiras e tudo mais e você só nos assiste com sua expessão séria de acadêmica. Mas às vezes você simplesmente abre um sorriso espontâneo pra sua zebra, que não faz nada, nada para merecer, aquela intrometida.

Enfim, meu pudinzinho de Yorkshire, você está deixando para trás seus traços de recém-nascida e nós nos apaixonamos perdidamente por você um pouco mais a cada dia.








Escrito a mão pela Marcia às 11:05 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(27)

fevereiro 21, 2011

Para a Batchan



Netinha embrulhada na manta e no gorrinho tricotados pela querida batchan.


Escrito a mão pela Marcia às 10:56 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(23)

janeiro 31, 2011

Sunday Morning





"There were three in a bed

and the little one said

'roll over, roll over'..."

-- Ten in a Bed, Nursery Rhyme


Escrito a mão pela Marcia às 3:14 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(22)

janeiro 25, 2011

One Month

Dearest Miss S,

Feliz primeiro mês, cute pie!

Um mês e parece que a conheço por toda a minha vida.
Foi um mês encantador, cheio de descobertas para todos nós. Foi um mês de uma alegria inédita e de um amor ininterrupto.

Coming Home

Após o seu nascimento, voltamos do hospital no dia 26 de Dezembro. Já era noite e encontramos nossa casa toda enfeitada de Natal e com a ceia preparada pela família do Daddy já prestes a ser servida. Você dormiu no carseat e todos nós ficamos a sua volta absorvendo sua fofura. Durante a ceia brindamos à sua saúde. Você acordou com fome e eu deixei meu jantar de lado para lhe amamentar, sem saber que essa seria minha rotinha nos dias a seguir.

Colocamos você para dormir no carrycot em nosso quarto, mas você tinha outros planos e mostrou seu descontentamento abertamente. No dia seguinte, Daddy e Grandpops moveram os móveis do nosso quarto e trouxeram seu berço para ficar ao lado da nossa cama. E assim você vem dormindo todas as noites. Confesso, porém, que muitas vezes nós colocamos você em nossa cama, entre nós, só para poder abraça-la e olhar pro seu rostinho dormindo por muitas e muitas horas.

Growing up

Na primeira semana você perdeu 5% do seu peso, caindo para 2,100Kg. Mas assim que o colostro deu lugar para o leite materno, você não só recuperou como ultrapassou o peso do nascimento, alcançando 2,340kg. Na terceira semana seu peso aumentou para 2,540kg e na quarta semana chegamos a 2,960kg. Amamentação tem sido um aprendizado constante para nós duas e, felizmente, apesar de algumas dores e dificuldades, nosso esforço tem sido compensado.

Descobrimos também que o hospital havia medido errado a sua altura (52cm). Só na terceira semana é que você chegou a medir 49.5cm.

E porque você é pequenininha, nós recebemos a visita das midwives todos os dias da primeira semana e a cada dois dias na segunda semana. Além das midwives tivemos também a visita e o suporte da Health Visitor e da Breastfeeding Consultant. E você teve também seu primeiro teste auditivo e tudo está normal. Toda uma equipe dedicada a ver você crescer saudável.

E crescer é o que você tem feito. Já não usa mais fraldas de prematuros, já perdeu as primeiras roupinhas, que eram tamanho "early baby" e "tiny baby". Suas pernas, que antes pareciam dois gravetinhos, agora têm coxas grossas e dobrinhas. Suas bochechas estão mais cheinhas, sua cabeça, mais pesada. Seus movimentos mudaram, antes eram apenas reflexos, agora você quer agarrar, empurrar, levantar a cabeça. E recentemente você descobriu que possui um par de pulmões. Seu chorinho mudou de mero "neeeh" para "WAAAAAAAHHH". Você ainda dorme bastante mas também tem períodos em que fica alerta e atenta por algumas horas, brincando de barriga pra baixo ou discutindo e berrando com a pobre girafa.

Vejo suas fotos recém-nascida já com uma certa nostalgia porque você já não é mais aquele pinguinho de gente frágil e miudinha. E apenas um mês se passou. Slow down, baby of mine, slow down.

Cuteness

Suas caretas são fontes inesgotáveis de risadas para os seus pais. E para a nossa alegria você faz muitas caretas, todas exageradas, todas deliciosas. As nossas preferidas são:

Super Sad Face - Quando algo lhe desagrada, geralmente a fome ou quando tiramos sua roupa, você faz uma carinha super super triste antes de começar a chorar. O lábio inferior curva pra baixo, o beicinho fica enorme e o queixo treme com os soluços pré-choro. Nós somos cruéis e por alguns segundos assistimos à sua Super Sad Face antes de lhe confortar.

I Don't Like Mondays Face - Acordar é um martírio pra você. Ninguém lhe acorda, você não tem compromisso nenhum, nem hora pra chegar em nenhum lugar. Mesmo assim você reclama por horas tentando acordar. Espreguiça milhões de vezes, choraminhga, chuta as cobertas, dá soco no ar. E faz uma carinha hilária, espreme os lábios, torce o nariz, levanta as sobrancelhas ainda com os olhos fechados e franze a testa com muitas rugas. E daí chora.

It Wasn't Me Face - Seus cocôs são explosivos. Literalmente. Eu quase não acredito no barulhão que você faz quando enche a fralda. E você já mostrou esse seu talento para todas as visitas que tivemos até agora. As vezes conseguimos prever quando a explosão está prestes a acontecer porque segundos antes você olha meio que de relance, meio desconfiada e sua boca faz "ooohhh". E depois da explosão você continua olhando de lado, como se estivesse procurando o autor da façanha.

R2D2 - Não é uma careta, mas um barulhinho que você faz quando está sonhando. Você "fala" por alguns momentos numa língua só sua, que parece o robozinho R2D2 em Star Wars.

I'm Drunk as a Skunk Face - Assim que você termina de mamar você se joga pra trás, cabeça rolando sem controle, braços abertos, boca aberta babando leite, num sono dos justos.

New Family

Nossa rotina obviamente mudou completamente desde a sua chegada. Mas honestamente não tem sido muito difícil. Porque você é um doce gostoso de cuidar. Eu adoro carregar você o tempo todo, seja nos meus braços ou no baby carrier, que você gosta. Daddy conversa bastante com você, faz milhões de caretas e brincadeirinhas, ajuda você a fazer seu Tummy Time. Você anda mostrando esboços de um sorriso, mas ainda não nos agraciou com seu primeiro sorriso de gengivas. Curiosamente, você sorri bastante durante seus sonhos, desde quando a vimos no ultrassom 4D.

Nós já saímos para passear com você muitas vezes e nos surpreendemos com o número de pessoas que nos param para comentar sobre você. A primeira vez que saímos empurrando você em seu carrinho pareceu tão surreal, tão incrível. E esta sensação continua especial, continua emocionante.

Enfim, minha querida menininha de um mês, têm sido um absoluto privilégio ter você em nossas vidas. E tem sido um imenso prazer acompanhar seu crescimento e demonstrar nosso infinito amor por você. Com você em nossa família nós sorrimos mais, brincamos mais, rimos mais, amamos mais. Apesar do trabalho, do cansaço, da responsabilidade eterna, ter você conosco é um privilégio. E eu nunca me esqueço disso. É um privilégio.

We love you, sweetie.




Escrito a mão pela Marcia às 7:28 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(23)

janeiro 11, 2011

Daddy's Little Girl





Martin has returned to work after his one-week paternity leave and both me and Sophie miss him immensely around the house. We ♥ you.

Escrito a mão pela Marcia às 11:55 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(12)

janeiro 5, 2011

Our Birth Story and On Things Unplanned

Antes da Sophie nascer eu tinha em mente o que considerava o parto ideal. Calmo, tranqüilo, usando o quarto com piscina do hospital e dando a luz na água quentinha, sem medo, sem drama, aceitando as contrações, aceitando a força do meu corpo e a do bebê. Fiz um curso de hypnobirthing, treinei minha mente por muitos dias e noites, ouvindo o CD de hipnoterapia e lendo o livro.

Sempre estive ciente de que circunstâncias mudam e que é preciso ser flexível quando as mudanças precisam ser feitas pela segurança do bebê e minha também. Então estava calma para aceitar o que viesse, desde que fosse o mais seguro e saudável para todas as partes. E mesmo assim nada me preparou para a intensidade que foi a realidade do parto que tive. Apesar de ter sido o nascimento mais esperado de nossas vidas, foi difícil, foi bem mais difícil do que eu poderia ter imaginado.

Tudo começou quando fui à minha consulta de rotina de 38 semanas com a midwife. Durante o exame ela notou que não houve crescimento da minha barriga. Na consulta anterior, de 36 semanas, o crescimento também não havia sido muito grande. Por segurança, ela achou melhor me encaminhar pro hospital naquele mesmo dia. Fomos ao hospital e monitoramos o batimento cardíaco e os movimentos do bebê por uma hora. Não pudemos fazer o ultrassom no mesmo dia, mas retornamos na quinta-feira, dia 23 de Dezembro, para fazê-lo.

No ultrassom foi detectado que o bebê realmente não havia crescido desde o último ultrassom de 36 semanas e, o mais preocupante, que meu nível de líquido amniótico havia decaído significantemente. Este é um dos principais sintomas de que a placenta não está mais funcionando como deveria. Os médicos então decidiram que seria melhor trazer o bebê pro lado de fora para poder alimentá-lo bem do que correr o risco de sofrer complicações caso a placenta parasse de funcionar.

Fomos então informados que eu estava oficialmente internada e que a indução artificial do parto começaria naquela mesma tarde. Eu receberia 3 doses de hormônios a cada 6 horas para induzir as contrações. Caso não funcionasse eu faria uma cesária. De qualquer forma, o objetivo era trazer o bebê para fora dentre as próximas 48 horas.

Foi um choque para nós, por mais que já estivessemos esperando a chegada do bebê a qualquer momento. Eu nem pude voltar pra casa, nem tinha minha mala comigo, nem nada.

Recebi a primeira dose, que não fez muito efeito, o que é de se esperar com o primeiro parto. Na manhã seguinte recebi a segunda dose e às nove da manhã as primeiras contrações surgiram. Ao meio-dia começaram a ficar mais incômodas e mal pude almoçar (oh noes!). Usei as técnicas de hipnoterapia para relaxar e fui respirando a cada contração, que começaram a ficar mais intensas e próximas uma da outra. Mesmo em trabalho de parto já estabelecido, os médicos decidiram me dar mais uma última dose. O que aconteceu depois dessa dose foi algo nada menos que brutal com meu corpo. Em 50 minutos, meu cervix dilatou de 1cm a 8cm. Meus músculos, ligamentos e tecidos não tiveram tempo para dar conta dessa dilatação tão severa em tão pouco tempo.

O resultado foi um espetáculo de lágrimas, sangue e coágulos por todo quarto, cenário digno de Hitchcock. E diamorfina de emergência sendo injetada. E de uma cadeira de rodas me levando às pressas para a delivery suite. E do ambiente se encher com obstetras, enfermeiras-parteiras, enfermeiras padrão e whatnot. Os batimentos cardíacos do bebê começaram a decair e todo aquele amontoado de gente me pressionando para fazer força. Eu estava preocupada, com medo, insandecida de dores e drogada de ópios, tão distante do meu plano de um parto calmo e natural...

Depois de algumas tentativas a obstetra segurou meu rosto e deixou bem claro que a próxima contração seria minha última chance de ter um parto sem intervenção. Na próxima ela teria que usar ventouse para ajudar o bebê. Todo o equipamento de ventouse foi instalado ao meu lado. No pressure then. Recebi episiotomia. E gás entonox. Olhei pro relógio na parede, 5 minutos pra meia-noite, véspera do Natal. E a próxima contração veio e tentei ignorar toda aquela gente e só queria ouvir a voz do Martin. E foi quando ele me disse que podia ver a cabeça do bebê que reestabeleci um tanto a mais de força e nosso bebê nasceu, tão pequenina mas chorando alto e forte já nos primeiros segundos de vida. Choramos abraçados, Martin e eu, soluçando, aliviados, felizes. Toda a atmosfera da sala mudou, toda a pressão se evaporou, recebemos parabéns e sorrisos. E a midwife perguntou se queríamos descobrir o sexo nós mesmos e abriu as pernas do bebê. Foi quando pudemos exaltar um para o outro com orgulho: "we've got a daughter!!!", num momento tão mágico que fez valer a pena todos os meses de curiosidade.

Martin cortou o cordão umbilical e em segundos a placenta nasceu também. Segurei a Sophie pela primeira vez por poucos minutos, absorvendo aqueles olhos atentos olhando os meus, o calor daquele corpinho miúdo e perfeito nos meus braços. Viva, atenta, nos meus braços, eu sequer vou tentar descrever a sensação. Logo ela foi passada pros braços do Martin para que a midwife pudesse fazer as suturas das lacerações que tive durante a dilatação e o parto. Depois tomei banho de banheira com Martin me ajudando. Sophie estava sendo examinada e vestida com as primeiras roupinhas. Voltei a deitar na cama e a midwife nos trouxe chá e torradas com manteiga, que pareceu a melhor refeição do mundo em muito tempo, e nos deixou a sós para curtimos nossa nova família. Martin carregou a Sophie durante o tempo todo, sorrindo ridiculamente feliz e orgulhoso. Eu não conseguia ficar acordada/alerta por muito tempo por causa da morfina e por isso não pude carregá-la, mas sabia que ela estava sendo muito amada nos braços do daddy mais querido.

Fomos transferidos para o postnatal ward. Martin, assim como qualquer acompanhante, infelizmente não pôde ficar e teve que voltar pra casa. Ainda por causa da morfina, as enfermeiras-parteiras se encarregaram de cuidar da Sophie trocando a fralda, monitorando a temperatura e trazendo-a pro meu peito para amamentar. Naquela noite Sophie dormiu ao meu lado, na incubadora, que a manteve quentinha até a sua temperatura se regularizar.

Na manhã de Natal fomos acordadas com as midwives nos trazendo presentes porque Sophie havia sido a primeira bebê a nascer no Dia de Natal naquele hospital. O efeito da morfina já havia passado e só então me dei conta de quanta dor me encontrava, dor que me acompanharia por muitos dias ainda. Mas finalmente pude carregar a Sophie e fiquei grudada a ela todo o tempo, recuperando os momentos perdidos da noite anterior.

Martin chegou cedinho para ficar conosco e uma das primeiras coisas que ele me disse foi: "you've done really well yesterday, I'm very proud of you". Que encheu meus olhos de lágrimas porque sei quando ele está sendo sincero e não meramente tentando me agradar. Mas na verdade eu não estava nem um pouco orgulhosa do parto. Desapontada por não ter sido como desejava, desapontada por não ter dado conta da dor, humilhada em muitas situações indignas. Mas foi bom contar tudo isso pro Martin e trocarmos diferentes pontos de vista, o que me ajudou a ter perspectiva. No final das contas, o que eu queria mesmo sempre foi o nascimento de nosso bebê vivo, saudável, sem precisar ir para NICU. E eu tive tudo isso. Eu tenho tudo isso.

Os meios para se conquistar isso talvez não tenham sido desejáveis, mas o resultado final foi o melhor possível e me sinto privilegiada. Sophie nasceu tranquila, indiferente do drama que passei, felizmente.

Planos afinal são meros planos. Acontecimentos não planejados acontecem, sem necessariamente serem ruins. Demorei dias, entre algumas lágrimas de babyblues, para finalmente aceitar como foi o nosso parto. Aos poucos tenho me dado conta de que não faz a menor diferença como a Sophie veio ao mundo. Ela enche os nossos dias e nossas vidas de uma alegria tão serena e intensa, que nem parece possível. E é só o que importa.

Escrito a mão pela Marcia às 11:26 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(31)

dezembro 31, 2010

An Extraordinary Year

O ano de 2010 que se iniciou com tantas incertezas, que prosseguiu por meses de alegrias e preocupações em iguais medidas, agora se encerra em puro encantamento do que a vida ainda nos reserva daqui pra frente.

Foi um ano em que uma nova vida se iniciou entre nós dois. Um ano de experiências únicas e inesquecíveis. Da geração de um blastocisto, da implantação, do inacreditável momento em que o coração começa a bater. Dos primeiros movimentos sutis aos pés se espreguiçando quase que para fora da minha barriga. De ultrassons emocionantes, de um desenvolvimento excelente. E de um nascimento especial, tão esperado, tão querido, tão comovente. Bem nas primeiras horas de um dia tão festivo.

Hoje somos três. Esposa e mummy. Marido e daddy. E uma filha. Nossa filha, a minha filha. My little girl. Pra sempre.

2010 será para sempre um ano muito especial e gratificante para a nossa família.

A todos vocês que também fizeram parte deste ano em nossas vidas, nossos doces agradecimentos pelo carinho sempre abundante. Desejamos a todos e a cada um toda felicidade nesta nova década que se inicia. Este blog estará comemorando 10 anos de muita coisa escrita desta minha vida ordinária. E é com grande alegria que encerro o último post de 2010 celebrando um ano absolutamente extraordinário.

See you in 2011.

M&M&S

Escrito a mão pela Marcia às 7:54 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(10)

dezembro 27, 2010

Our Sweetest Christmas Pudding

Dear friends from the computer,

Nossa pequena filhota Sophie nasceu às 12:08am do dia 25 de Dezembro de 2010. Fez jus ao apelido Littlest One pesando apenas 2.260kg. Pequenina mas imensamente linda.

Estamos todos passando bem depois de um parto induzido e bastante intenso.

Mais detalhes quando nos recuperarmos melhor. Por enquanto, estamos todos em delicioso e infinito babymoon.






Que vocês todos tenham tido um excelente Natal.

Marcia & Martin & little Sophie

Escrito a mão pela Marcia às 2:13 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(89)

dezembro 11, 2010

Precious

Meus pais já mandaram muitos presentinhos para Littlest One, inclusive aquele fofo snowsuit de ursinho. E quando a minha mãe, Dona Wal, me perguntou se estávamos precisando de mais alguma coisa contei pra ela que gostaria de ter algo que jamais poderia ser comprado em nenhuma loja. Algo feito por ela, pelas mãos dela, com a dedicação e carinho que só uma obatchan pode ter. E assim ela fez, caprichando nos pontos, nas laçadas, nos arremates. E eis que a manta e os gorrinhos mais preciosos deste mundo atravessaram o grande lago e chegaram aqui no quarto de Littlest One. E vão ser sempre como um abraço toda vez que usarmos até que o abraço em pessoa se realize. Obrigada, mãe. ♥



Feitos pela querida batchan
(exceto pelas meias que foram compradas)



Escrito a mão pela Marcia às 12:05 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(13)

novembro 27, 2010

The Nursery in the Little House

Nossa casa, para quem não sabe, é pequena. Todos os cômodos são pequenos. E, consequentemente, o quarto de Littlest One não poderia deixar de ser pequeno também. Não temos espaço para colocar um monte de móveis, trocadores, cadeiras de balanço, estantes de brinquedo e o que mais existe neste mundo para se pôr num quarto de criança.

Nós temos espaço apenas para um berço (cotbed de 1.40m que depois vira uma cama infantil), uma cama de solteiro (para eu cochilar enquanto o bebê cochila durante o dia) e uma estante. Além do armário embutido. Só isso.

Eu não me incomodo, não reclamo. Nunca quis também fazer quartos temáticos, de personagens, não é do meu gosto. Prefiro quarto com cara de quarto pra dormir, um canto sossegado, decorado mas sem muitos estímulos visuais.

Há quem se preocupe em saber o sexo do bebê antes do nascimento para poder decorar tudo com as cores "certas". Cada um com seu cada qual. Sinceramente, para nós, a importância disso no contexto de nossa jornada é... zero. Dificilmente faria um quarto todo rosa ou todo azul. Talvez mais tarde, atendendo a pedidos do(a) dono(a) do quarto, mas por enquanto as paredes são da mesma cor de todos os outros quartos. E a decoração são nada mais que umas e outras coisas que nos agradam, que nos faz sorrir em vê-las.

Às vezes entro neste quarto e fico olhando para tudo por muito tempo.

Enfim, eis o pequeno, porém monumental para nós, quarto de Littlest One:



Um lugar para dormir





O adesivo da parede veio de um casal designer da França





Os quadrinhos vieram de uma ilustradora encontrada na Etsy





Hedgehog? Check.





Cortina com animais selvagens





Luminária com animais não-selvagens





Primeiros livros





Há cores além de branco e bege






Snowsuit com patas de urso? Check.



Escrito a mão pela Marcia às 3:49 PM | mais em Little House Around the Corner | mais em M&M Family

novembro 16, 2010

Maternity Picture for Posterity II

Outra razão pela qual não tenho tirado muitas fotos "glamorosas" da gravidez (eu estava sendo irônica a respeito da foto classuda, que eu vire cinzas antes de querer fazer uma foto daquelas) é que eu não tenho roupas que me sirvam. Not a stitch to wear.

Para minha surpresa, assim que entrei na 8ª semana minhas calças já não me serviam mais. Nem tinha barriga, mas a bacia começou a alargar cedo e precisei comprar calças de maternidade com uma certa urgência. Por sorte, aqui na Inglaterra temos excelentes opções de calças de maternidade. Vários modelos, são discretas, modernas, com milhões de ajustes na cintura para cada fase da gravidez. Uma calça dessas dura do início ao fim da gravidez, um bom investimento. Comprei um jeans e uma básica preta. Confortáveis ao extremo, nunca mais vou usar nada além das minhas calças de maternidade pro resto da minha vida.

Porém o mesmo é difícil dizer sobre as blusas, camisas e camisetas disponíveis no mercado inglês. Eu não gosto de túnicas porque sou petite e a proporção fica esquisita, parece que me faltam pernas. A maioria das blusas básicas são de jersey para esticar com o crescimento e eu não sou muito fã desse tecido, que parece embrulho de bombom. Há obviamente umas roupas fantásticas, porém muito caras para ser algo de uso temporário (assim espero!). Passei, portanto, a maior parte da gravidez até agora me virando com minhas camisas e blusas normais ou algumas básicas num número maior.

Mas chega uma hora, como agora, que não dá mais. Nada me serve. Comprei então duas blusinhas de maternidade que estavam em liquidação. Uma foi essa de alcinha cor-de-rosa (totalmente adequada pro inverno - NOT) da foto do post anterior que me faz parecer um Sonho de Valsa, mas hey, paguei £5! A outra era azul de manga comprida mas veio esburacada e tive que devolver. Meh.

De forma que agora me encontro no dilema de comprar ou não mais roupas de maternidade, já que falta tão pouco para o nascimento de Littlest One. Acredito que sim, já que a barriga ainda vai continuar grande por alguns meses até meus órgãos voltarem pro lugar original. Mas por hora nada me serve. Nada que eu vista cobre a barriga completamente, sempre fica uma parte dela pra fora. E, consequentemente, todas minhas fotos agora trazem uma vaga similaridade com o personagem Barney Gumble, em The Simpsons:



Barney Gumble





Mrs Gumble com novo mumsy haircut



Essa camiseta azul é a mesma que eu estava usando em Edinburgh quando tirei a foto ao lado da bóia da Rainha. Enorme diferença em tão pouco tempo. Nem o casaco vermelho eu consigo fechar mais. Oh dear.


"I would go out tonight
But I haven't got a stitch to wear...
The man said: 'it's gruesome
That someone so handsome should care'..."

--This Charming Man, The Smiths

Escrito a mão pela Marcia às 11:22 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(17)

novembro 11, 2010

Maternity Pictures for Posterity

Então estou naquela fase da vida em que qualquer foto minha precisa ser carregada de filtros e efeitos photoshópicos para ser publicada sem assustar pobres desavisados. Não me sinto bem em nenhuma foto atualmente. Adoro minha barriga, mas desgosto de todas as fotos que tiro de mim mesma. Urgh. Fotos mês a mês do crescimento da barriga não aconteceu, sorry 'bout that. Minha barriga só começou a crescer depois da 17ª semana e mesmo assim ainda parecia que eu só tinha comido sobremesas demais. E depois de ver magníficas séries de maternidade como esta aqui e esta outra, todo o resto fica meio que sem graça. Tenho algumas fotos, claro, mas nada que o bom senso me permita publicar.

O que eu realmente queria era uma sessão de fotos fina e classuda assim (god bless america, eh?):


photo: awkwardfamilyphotos.com



Fundo etéreo cheio de brumas, anjos, unicórnios, trombetas e borboletas. Mas por alguma razão Mr.M se recusa a oxigenar os cabelos, tatuar um polvo no ombro e tirar a camisa para fotografar algo para toda a posteridade. Tipos, totalmente injusto.

Então tive que providenciar minha própria produção fotográfica -- sans husband -- com o guarda-roupas de fundo e cabelo sem pentear há uma semana (se bem que o da moça também parece que não vê uma escova há meses, piolhenta). Pelo menos acrescentei um filtro embaçado na foto para dar o ar etéreo e inocente (ou pra disfarçar as manchas e rugas, more likely) e fiz a indispensável pose "oh meu cérebro está tão leve". Tô quase lá na mesma categoria:





:o) [/irony mode off ]

Escrito a mão pela Marcia às 11:26 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(21)

outubro 28, 2010

Let There Be Changes

Comecei vários posts com muitos parágrafos e apaguei-os todos sem publicar. Nada que escrevo me parece muito natural ou fiel ao momento. Talvez este seja mais um deles. Talvez não. Ando, ao meu ver, muito mais introspectiva com a gravidez. Há muito pouco que sinto vontade de publicar ou divulgar. Talvez eu seja minha mais severa crítica. Ou talvez não haja mesmo muito o que escrever. Afinal gravidez é old news, seja lá o que eu relate aqui alguém: a) já teve igual; b) teve 10.000 vezes pior; c) vai me dizer que vou piorar ou d) vai se lembrar de alguma história horripilante para me contar e me encher de preocupações. Então ao invés de tentar preencher a tela branca, eu e minha barriga ficamos olhando pela janela as folhas douradas das árvores, os passarinhos vindo comer, o vento e a chuva, por muitas horas por dia.

Temos mais dois meses pela frente, os dois últimos meses do último trimestre.

Muita, muita gente nos diz para "aproveitarmos enquanto pudermos", referindo-se basicamente sobre dormir a noite toda, passarmos tempo a sós, fazer o que nos der na telha. "Porque depois que o bebê nascer sua vida vai mudar completamente e vocês nunca mais terão sossego", dizem elas. É claro que a vida vai mudar. É claro que vão existir momentos difíceis. É claro que vai haver exaustão e descabelamento. Não passamos por toda a jornada esperando manter nossas vidas exatamente como sempre foi. Nós queremos tudo o que envolve. Não sinto que estaremos perdendo nada. Não estou, em hipótese alguma, descartando ou ignorando complicações sérias como prematuridade, doenças, deficiências, depressão pós-parto e tantos outros inesperados acontecimentos que a realidade traz e que obviamente mudam sua vida de forma que ninguém pode se preparar. Também não estou dizendo que vamos tirar tudo de letra porque sei que não vai ser assim. O que me incomoda, porém, é que esse tipo de conselho sempre soa negativo (and patronising), mesmo que real e honesto, no frágil momento em que estamos nos permitindo a ficar animados (pela primeira vez em anos) e nos afeiçoando ao novo membro da família.

Durante os momentos em que acordo à noite, lá pelas 2:30 e a outra vez lá pelas 4:30, fico olhando pro teto ou pra cortina, imaginando que seria um milhão de vezes melhor se eu estivesse acordada alimentando alguém, trocando uma fralda molhada, cobrindo alguém que chutou a coberta, lidando com choro, cólicas, vômitos ou cocôs explosivos. Porque tudo isso é exatamento o que sempre desejamos, o pacote completo, the good, the bad, the ugly. Tropeçar em Legos, tirar massa de modelar do meu cabelo, segurar uma mãozinha pequena para atravessar a rua, esperar a febre passar assistindo Cbeebies, assoprar joelho ralado, limpar xixi de todos os degraus da escada porque não deu tempo de segurar até chegar ao banheiro, cair na cama exausta sem tomar banho outra vez.

Nós "aproveitamos enquanto pudermos" por 37 anos. Estamos prontos e ansiosos pelas mudanças. Há um quarto ao lado do nosso que está pronto com um berço, com roupas nas gavetas que não são minhas nem do Martin. Com livros que não são meus, com presentes que não são nossos. Dentro de mim há alguém que gosta de colocar as mãos e os pés na boca, segundo o mais recente ultrassom. Que tem soluços, que gosta de chutar durante à tarde, mas aprecia de uma certa quietude à noite. Há alguém entre nós dois. Com outras experiências, outros pontos de vistas, outras vontades, outros encantamentos com detalhes do mundo que não serão meus nem do Martin. Temos uma pequena família de três quando um dia achamos que seríamos apenas dois. E não há razão neste mundo para desejar que a vida continue a mesma. Changes are all we want.



Littlest One mastigando a mãozinha



Escrito a mão pela Marcia às 12:08 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(33)

setembro 9, 2010

The Journey So Far

Este post não vai ser aberto a comentários. O fato é que eu não quero ler opiniões opostas às nossas escolhas ou ter que justificar nossos motivos. Não pretendo saber o que desconhecidos fariam em nosso lugar. Porque afinal os únicos por aqui que somos nós, somos nós. Este post tem como única intenção documentar nossa jornada. Para que apenas Martin e eu jamais nos esqueçamos.


2004
Concepção natural e perda de Little M no primeiro trimestre.


2006
Testes com Endocrinologista de Reprodução em clínica particular.
Chances de conceber naturalmente: <1%

- Ciclo-teste com Clomid
Resultado: negativo

- IVF-ICSI-AH (Fertilização in vitro com injeção intra-citoplasmática e eclosão assistida).
Protocolo: Longo

Complicação: Síndrome de Hiperestimulação Ovariana (OHSS) - Internação de emergência, anestesia geral, 20 óvulos recolhidos. Drenagem abdominal de 1.5L de fluídos acumulados. Ciclo cancelado.

Resultado:
10 óvulos fertilizados. Após 5 dias de cultivo, 6 embriões desenvolvidos e criopreservados (congelados em nitrogênio).

- FET 1 - Transferência de embriões congelados com indução de ovulação
3 embriões descongelados
3 transferidos
0 implantados
Resultado: negativo (Beta: 3.6)

- FET 2 - com indução de ovulação
3 embriões descongelados, 2 não sobreviveram ao processo
1 transferido
0 implantado
Resultado: negativo (Beta: 3.2)


2008
Mudança para Sheffield. Nova clínica, agora via NHS (sistema público de saúde nacional).
Consulta com diretor do centro reprodutivo, que trabalhou como coordenador sênior do departamento de IVF com Professor Lord Robert Winston (que produz a série Child of Our Time para a BBC).

Mais exames, investigações e testes karyotype.
Resultados bem melhores que os anteriores.
4 ciclos oferecidos pelo NHS (3 IUI e 1 IVF).


2009
- IUI 1 - Inseminação artificial com indução de ovulação
Complicação: hiperestimulação ovariana.
Resultado: Ciclo cancelado.

- IUI 2 - Com indução
Transferência.
Resultado: negativo.

- IUI 3 - Com indução
Complicação: hiperestimulação ovariana e cisto detectado.
Resultado: ciclo cancelado para remoção do cisto.


2010
Consulta de acompanhamento e aconselhamento.

- IVF 2
Protocolo: Antagonista

Resultado:
21 óvulos recolhidos
14 fertilizados
Após 5 dias de cultura, 4 blastocistos desenvolvidos
1 blastocisto transferido, 3 criopreservados
1 implantado
Beta 1: 66
Beta 2: >1000
Ultrassom de 6 semanas: Embrião e batimentos cardíacos detectados
Ultrassom de 9 semanas: Desenvolvimento de acordo com o esperado
Graduados da clínica de concepção assistida com abraços, presentes e lágrimas.
Transferidos para os cuidados da equipe de enfermeiras-parteiras.

---

Seis anos de espera, algumas frustrações e muito esforço. Durante todos esses tratamentos estivemos entre dois países de continentes bem distantes, mudamos de casa, de estado, de estilo de vida. Trabalhamos na renovação da casa, cuidamos de hedgehogs, vendemos um imóvel à distância, nos preocupamos com familiares, viajamos, começamos projetos. Jamais considerei essa jornada como um sacrifício. Jamais deixamos de viver nossas vidas, de manter nosso senso de humor, de falar de outros assuntos. Apesar de todas as complicações e do trauma de sofrer OHSS, nunca perdemos a perspectiva de que há casais que passam por jornadas muito piores e bem mais longas, sem o resultado esperado no final.

Ao mesmo tempo não considero que tivemos "sorte". Não acredito em sorte, merecimento, destino, intervenção divina, hora certa, alinhamento planetário ou estrelar. Acredito em dedicação, determinação e trabalho. Acredito nas reais porcentagens de sucesso (30%) e de derrota (70%) em reprodução assistida. Acredito que mesmo com as melhores das intenções e com os maiores dos esforços, absolutamente nada garante o resultado desejado. Acredito que estivemos muito perto de nunca termos o que temos hoje.

Ainda não chegamos ao fim da jornada, obviamente. Ainda há riscos e medos. Como tudo na vida. Como em qualquer momento de nossa existência. Talvez eu não saiba ainda, mas espero que um dia, distante no futuro, eu leia este post e relembre dessa jornada e me orgulhe de termos escolhido este caminho, de termos caminhado lado a lado. De termos nos apoiado um ao outro quando caímos, de termos nos reerguido e continuado. Talvez eu ainda não saiba, apesar de já acreditar, que ter dado o primeiro passo nessa jornada foi uma das mais importantes e doces decisões que fizemos em nossas vidas.

Dentro de mim, alguém me chuta. I know, baby.

Escrito a mão pela Marcia às 10:36 AM | mais em M&M Family

agosto 21, 2010

Dear Friends from the Computer

HHeart.JPG

Muito, muito obrigada a todos que nos enviaram recadinhos, emails e mensagens cheias de muita doçura e carinho e torcida. Aos nossos velhos amigos queridos, aos leitores de uma década atrás, aos leitores que nunca antes tinham me enviado um comentário, aos amigos child-free que estão genuinamente felizes por termos aumentado a população terrestre, aos que passaram pela mesma perda, aos que continuam batalhando a infertilidade, aos que jamais poderão passar pelo mesmo, a todos, todos vocês que tiveram a imensa dignidade de colocar suas outras razões de lado por um minuto e nos enviar uma mensagem de felicitações, nosso mais sinceros e heartfelt agradecimentos. Many thanks everyone.

M&M

Escrito a mão pela Marcia às 3:42 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(19)

agosto 14, 2010

Dearest Littlest One

This is the first letter I write to you. I don't know why it took me so long.

Well, actually I do. I was scared.

Terrified that you'd leave us. Scared to allow happiness to enter our lives and see that be taken away from us once again.

But days and weeks has passed and you're still here with us. With me.

We listen to your heartbeat, we feel your kicks, we cry happy tears when we see you waving your arms on the ultrasound scan.

The fear is still hidden inside somewhere. But somehow the hope and joy has been taking most of the space in our lives now. So it's time to tell happiness to wipe its feet and come in with all its luggage. And stay.

Because you, Littlest One, deserve our celebration. You deserve to know how much love we have for you. How much respect, pride and wonderment we have for each of your fetal milestones.

We have loved you for so long, dearest one, long before you were here and much more than I can put in words in this first letter. I hope you can feel this.

Today we are 20 weeks.

Love,
Your mummy and daddy.



Littlest One sucking his/her thumb:




Querido Littlest One,

Esta é a primeira carta que escrevo a você. Não sei por quê demorei tanto para escrevê-la.

Bem, na verdade, eu sei. Eu estava com medo.

Amedrontada de que você nos deixasse. Com medo de deixar a felicidade entrar em nossas vidas e vê-la ser tirada de nós mais uma vez.

Mas dias e semanas se passaram e você continua conosco. Comigo.

Nós escutamos seu coração batendo, sentimos seus chutes, choramos lágrimas felizes ao ver você acenando com os bracinhos nas imagens do ultrassom.

O medo continua escondido em algum lugar aqui dentro. Mas de alguma forma a esperança e a alegria tem preenchido grande parte de nossas vidas agora. Então chegou a hora de dizer para a felicidade limpar os pés no tapete e entrar casa adentro, com todas as suas bagagens. E ficar.

Porque você, Littlest One, merece a nossa celebração. Merece saber o quanto de amor temos por você. O quanto de respeito, orgulho e admiração temos por cada um dos marcos do seu desenvolvimento fetal.

Nós amamos você por tanto tempo, dearest one, muito antes de você estar aqui conosco e muito mais do que eu jamais poderia colocar em palavras nesta primeira carta. Espero que você consiga sentir isso.

Hoje completamos 20 semanas.

Love,
Your mummy and daddy.

Escrito a mão pela Marcia às 11:14 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(87)

abril 27, 2010

M&M's 8th Anniversary




Comemoramos hoje oito anos (!) de casados. Não tem bolo, não tem jantar especial, nem sequer tem Mr.M no país (ele volta hoje, yay). Mas temos muito a celebrar. Muito, muito a celebrar. Sou mais feliz hoje do que 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1 anos atrás. As vezes quando estamos rindo de alguma bobeira eu falo pra ele "I wish I've met you many many years ago". Porque viver com ele é tão fácil, tão simples e tão gratificante.

Happy Anniversary, honeybun. ♥

Escrito a mão pela Marcia às 10:23 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(25)

março 29, 2010

The Hallé Orchestra

Para celebrar o aniversário de Mr.M que é hoje, decidimos de última hora ir assistir a orquestra sinfônica The Hallé, no Sheffield City Hall, no sábado. Essa orquestra é a mais antiga do Reino Unido (e a quarta mais antiga do mundo), fundada em 1858 por Charles Hallé.

O programa da noite incluiu:

Wagner Lohengrin Preludes to Acts I and III
Mozart Oboe Concerto
Tchaikovsky Symphony No.4

Romance melancólico (Wagner), entusiasmo bucólico com ovelhas saltitantes (Mozart) e drama oh-my-god-drama, mais drama, heart-attack-drama (Tchaikovsky).

Nossos assentos não eram dos melhores, na verdade eram um dos últimos lugares para a noite de lotação esgotada: bem na frente do palco, atrás do maestro, o bonitão Nikolaj Znaider:





Estávamos tão próximos do palco que se o maestro caísse para trás cairia no meu colo. Porém não temam, já que tal queda acidental não aconteceu (no such luck).

E para nossa surpresa, adoramos a experiência de estarmos tão, tão próximos da orquestra. A acústica estava excelente, mas mais que isso, pudemos vivenciar o intenso esforço físico de cada músico, a expressão no rosto, a concentração nos olhos ora na partitura, ora no regente. A respiração, os movimentos do corpo, a postura impecável. E a coreografia precisa dos dedos, dos arcos, do ar sendo soprado, dos tambores retumbando.

Pra mim, um dos pontos mais interessantes de estar com o nariz no palco foi ter visto os fios dos arcos dos violinos e dos cellos arrebentando-se durante os frenéticos movimentos, que não faltam quando se trata de Mozart e Tchaikovsky. A concertmaster teve dois fios do arco arrebentados e o primeiro violinista teve quatro! Você está ali assistindo ao violinista e de repente pling!!! O arco ganha um fio longo dançando no ar, junto com o movimento. Na primeira oportunidade o violinista discretamente arranca o fio metido a celebridade e continua tocando.

Porém, fio metido nenhum tira o espetáculo do maestro. Nikolaj Znaider é considerado um dos maiores violinistas da atualidade que recentemente se transformou num aclamado maestro. Cheio de carisma, ele sorri para cada um dos músicos, olha nos olhos de cada um que rege e demonstra toda emoção possível em seus gestos, trazendo toda a orquestra numa certa harmonia que mesmo completos leigos como eu conseguem perceber que se trata de um grande maestro.

No final os aplausos foram infinitos, o maestro voltou para agradecê-los por três vezes!

Enfim foi uma noite memorável. Não era a primeira vez que havia assistido a uma orquestra, amo Mozart e já havia assistido a outros concertos e algumas óperas. Toda vez que estou ali na platéia em meio a toda aquela profusão magnífica de sons sinto-me privilegiada de ainda ter audição suficiente para me encantar com esses momentos tão preciosos.

O melhor de tudo foi ver Mr.M feliz da vida, adorando cada minuto e depois comentando detalhes por dias e dias.

Happy Birthday, my love. ♥

Escrito a mão pela Marcia às 4:20 PM | mais em M&M Family | mais em That British Kingdom | Comente este fragmento(13)

março 24, 2010

Heartwarming

Estava eu esperando a entrega do supermercado quando a campainha toca e eu me arrasto pra porta. E para minha surpresa quem batia era o carteiro carregando uma caixa amarela da cor de gema de ovo! Yay! Presente-surpresa mandado pela minha mãe, Dona Wal!!! Muito carinho e amor dentro da caixa, muitas coisinhas fofas e enviadas de coração:




Ovo de Páscoa Ferrero Rocher, alguém tem idéia do tesouro? Acho que é o meu primeiro ovo de Páscoa na Inglaterra. A maioria dos ovos aqui são vendidos em caixas, totalmente sem graça. E a variedade nos supermercados é mínima: ou é da Cadbury que eu detesto, ou é da Lindt que é caro. Estava com saudades dos ovos cheios de celofane, de papel brilhante, de laçarotes enormes! Agora eu tenho o meu! Yay! Martin sempre comenta que achava engraçado aquele monte de ovos de chocolate pendurados no supermercado "Bretas" em Timóteo/MG onde ele morava, mas concorda que realmente era mais divertido.

E o pijaminha, coisa mais doce, da marca que eu usava no Brasil, Any Any. Minha mãe ainda se lembra, vejam só. Adorei, o tecido é uma delícia e eu estava mesmo precisando de um pijama pro verão.

E vieram muito mais coisinhas na caixa amarela. Panos de pratos pintados, amei esse de figos. Livro com regras da nova ortografia, CD de música brasileira, fotos do casamento do Mauricio e da Nete (em que fomos um dos padrinhos) e outras coisinhas.

Obrigada, mãe! Adoramos tudo e a caixa amarela encheu nossa casa de alegrias.

Beijos
M&M

Escrito a mão pela Marcia às 11:02 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(5)

dezembro 18, 2009

Welcome, little Thayla

Eu sou tia novamente, yay!

Ontem nasceu a querida Thayla, lindíssima filhinha do meu irmão Claudinei e da minha cunhada Érica. Espertíssima, minha nova sobrinha que estava planejada para nascer em Janeiro, se apressou e veio pro mundão antes para aproveitar o Natal.

Bem-vinda, little one.

Escrito a mão pela Marcia às 8:09 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(4)

setembro 7, 2009

He's Home and So Am I



Depois de passar um mês trabalhando na China, Mr.M está finalmente de volta pra casa. Foi o período mais longo que passamos distantes um do outro desde que casamos. Foram quatro semanas que por um lado passaram rápido, por outro se arrastaram. Nesse tempo meu pai voltou a ser internado, os pais do Martin receberam a notícia que precisam sair da casa em que estão morando há 15 anos, nossos dois cartões de crédito foram clonados e usados indevidamente e a pequena Tiggy morreu. Nada que eu não pudesse dar conta sozinha, mas ao receber o abraço dele novamente percebi que tudo parece tão mais fácil agora.

Welcome home, Martin.

Escrito a mão pela Marcia às 11:51 AM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(12)

junho 30, 2009

With Thanks




À vocês que enviaram mensagens de apoio aos meus pais e também àqueles que lembraram do meu aniversário, meus agradecimentos cheios de ternura. Meu pai foi operado na segunda-feira e agora se inicia a fase da recuperação dele, que pode levar meses, senão anos. Minha mãe também continua em processo de reestabelecer sua saúde. Ambos estão em nossos pensamentos constantemente e atualmente há pouco espaço para qualquer outro assunto.

PS: as rosas são do nosso jardim, singelas em suas imperfeições.

Escrito a mão pela Marcia às 3:36 PM | mais em M&M Family | Comente este fragmento(9)

junho 15, 2009

Para os meus Pais





Meu pai, Seu Jorge, sofreu um acidente e está agora internado, esperando para passar por uma cirurgia na perna. O incedente aconteceu pouco depois da minha mãe, Dona Wal, se recuperar de uma crise severa de polimialgia reumática.

Então todos nossos pensamentos e torcidas estão lá com eles dois, na espera de uma recuperação total, embora lenta e cuidadosa.

Pai e Mãe, que o nosso abraço cheio de carinho e conforto chegue até vocês de alguma forma, de alguma maneira, com a certeza de que estaremos sempre com vocês em cada passo dessa recuperação. Muitos beijos.

da Marcia e do Martin.

Escrito a mão pela Marcia às 9:46 AM | mais em M&M Family

abril 27, 2008

The Rescue of Charly the Donkey

Charly era um pobre burrinho de pelúcia que morava numa loja de presentes há alguns metros do nosso apartamento. Todos os dias passávamos pela vitrine da loja e suspirávamos de pena e compaixão pelo pobre Charly. Porque Charly, em seu destino cruel, estava ali na vitrine sentadinho, quietinho, porém com um dos raquíticos bracinhos esticado sobre um bloco, bracinho este que estava sendo pisado cruelmente por uma boneca grande, balofa e mal-vestida. Todos os dias lamentávamos por Charly. O bracinho ali preso embaixo do pézão da boneca vilã que nunca se movia, nem se comovia com a dor alheia. Há umas semanas atrás, o vitrinista sádico resolveu colocar sapatos na tal boneca, aumentando ainda mais a miséria do pobre indefeso burrinho, que agora tinha um pezão ensapatado em cima de seu frágil bracinho. E Charly ali na vitrine ficava, por semanas a fio, sem esperanças no olhar, sem acalento no coração e sem circulação sanguínea no braço pisoteado.

No entanto, na celebração do nosso sexto aniversário de casamento, Mr.M aparece no apartamento todo serelepe, sem parar de rir pra si mesmo, dizendo que tinha um presente para nós. Pediu que eu fechasse os olhos enquanto ele foi buscar o tal presente no carro. Voltou correndo e rindo. Abri os olhos e vi uma sacola com o nome da loja acima citada e de imediato comecei a rir também, sabendo o que esperar.

O que eu não esperava, porém, é que Mr.M havia enfaixado o bracinho do pobre Charly antes de mandar embrulhá-lo para presente, com tipóia (alça de fratura) e tudo para apoiar o bracinho fraturado. Awww. Eu chorei e ri, chorei e ri muitas vezes. Não apenas de alívio de ter Charly resgatado, mas de uma imensa felicidade de perceber como Mr.M me conhece tão bem, como é capaz de me comover com gestos tão simples, como seu bom-humor é sempre inesgotável e ilimitado, como nós dois somos capazes de rir e de nos divertir com essas pequenas e pitorescas histórias que acontecem ao nosso redor. It's a dull life indeed.

Welcome home, dear Charly.



Happy 6th Anniversary, Martin.

"I got flowers in the spring
I got you to wear my ring
And when I'm sad, you're a clown
And if I get scared, you're always around

I got you to hold my hand
I got you to understand
I got you to walk with me
I got you to talk with me
I got you to kiss goodnight
I got you to hold me tight
I got you, I won't let go
I got you to love me so"


Escrito a mão pela Marcia às 3:28 PM | mais em M&M Family

fevereiro 9, 2006

The Day I Became British

De todos os capítulos que escrevi aqui sobre minha saga à esta terra britânica, este certamente é um dos mais importantes e marcantes. Porque a partir de hoje eu sou uma cidadã britânica.

O processo de naturalização demorou 4 meses e 2 semanas, entre formulários, documentos, investigações inúmeras. Porém, não precisei fazer o tal teste Life in UK, que agora é obrigatório. E meus conhecimentos de inglês passaram com notas máximas, para minha total felicidade. Depois de quatro longos e agonizantes meses sem nenhum documento em meu poder, sem poder ir ou vir ou sair da linha, finalmente o Home Office deu seu parecer concedendo a naturalização.

Hoje foi a cerimônia formal que finaliza todo o processo de todo o grupo que recebeu a cidadania no mês de Janeiro, com a presença do prefeito da nossa cidade e dos tabeliões. Foi uma cerimônia bem formal, cantamos o hino nacional e o hino patriótico ("Land of Hope and Glory...") and I got all tearful. O prefeito fez seu discurso em nome da Rainha Elizabeth the Second e as representantes do Town Hall nos extenderam as boas-vindas em nome de toda a nação.

Ambos discursos foram bastante tocantes, dizendo o quanto nós recém-naturalizados somos importantes para criar uma sociedade tolerante às diversas culturas, religiões e conhecimentos. E então chegou o momento em que fiz meu juramento, nestas palavras:

"Eu, Marcia, solenemente, sinceramente e verdadeiramente declaro e afirmo que ao me tornar uma cidadã Britânica, serei fiel e cumprirei com minha fidelidade à Sua Majestade a Rainha Elizabeth the Second, seus herdeiros e sucessores, de acordo com a lei.

(a segunda parte para mim foi a mais importante e as lágrimas aqui se fizeram presente, embargando minha voz)

Eu dou minha lealdade ao Reino Unido e respeitarei seus direitos e liberdades. Eu defenderei seus valores democráticos. Eu estarei atenta às suas leis fielmente e cumprirei minhas obrigações e responsabilidades como uma cidadã Britânica."

E então o prefeito entregou meu certificado de naturalização, trocamos apertos de mão, recebi parabéns, thankyouverymuchindeed, tiramos fotos e fui declarada oficialmente a British!

Mas mais do que ter um certificado, mais do que poder usar um passaporte britânico, para mim o dia de hoje marca um enorme passo desde minha mudança há quatro anos. Esta terra é onde minha pequena família querida vive, é onde eu vivo, é o chão que piso, é o teto que me acolhe. E a partir de agora, mais que nunca, faço parte de uma sociedade que está longe de ser perfeita, mas que preza a liberdade de expressão, de crenças e de culturas. Que tem suas peculiaridades, suas belezas, seu humor único. Aqui é a terra que escolhi viver, é a terra na qual agora tenho direitos, deveres e esperanças.

226_2657.jpg

226_2661.jpg

226_2662.jpg

Celebramos com pints de British Ale e jantamos Indian Food da Bombay Brasserie! E eu ganhei da família do Martin uma Jack Union Flag, oh joy! You can't get Britisher than that!!

Escrito a mão pela Marcia às 5:23 PM | mais em M&M Family

setembro 13, 2005

We're back in town

Então voltamos de Leicestershire.

Dias deliciosos na companhia da família de Mr.M, no meio do nada entre fazendas enormes e muitas vacas e ovelhas. As fazendas estão todas na época de pré-plantio e no ar sente-se o característico cheiro de esterco por todo lado. Oh, the joy of the countryside.

O casamento foi maravilhoso, tudo saiu conforme os noivos haviam planejado e todos estavam sorridentes e contentes. Recebi muitos elogios, que me deixaram cor de laranja escura, já que me desacostumei a recebê-los assim tão efusivamente. Tá certo que metade dos convidados já haviam ingerido gigantescas quantidades de bebidas etílicas, mas mesmo assim meu ego virou balão a hélio maior que o Bournemouth Eye.

Eu havia feito, assado e levado duas fornadas de french macaroons, assim não faltaram os bem-casados para celebrar. Todo mundo adorou e acabaram com todas as migalhinhas. Dica: nunca sirva o suficiente de modo que os convidados se empanturrem e comecem a encontrar os defeitos, ha.

Depois de todas as festanças passamos os dias caminhando na área mais rural das Midlands, contornando pastos, lagos, matas, pastos, pastos e mais pastos. Algumas trilhas foram interceptadas por bois que nos ameaçaram com um olhar determinado. Outras foram desviadas porque eu já não agüentava mais pular cocôs de ovelha feito campo minado. Mas em todos os caminhos encontramos cisnes, patos, esquilos, gansos, coelhos e pôneis, todos muito legais de se ver.

Os pais de Mr.M nos levaram ao farmer's market, ao centro comercial de Leicester, aos pubs locais que eles freqüentam, às cidades vizinhas cheias de lojas para chefs e cozinheiros de meia tigela. Martin instalou o velho computador que estava parado na casa deles e eu dei aulas básicas de mouse e Internet, que me lembraram das aulas que dei pra Dona Wal minha mãe, que hoje usa tudo com muita naturalidade, como se tivesse nascido internauta.

Passamos quase todos os fins de tardes no jardim deles, cutucando lesmas, assistindo às aranhas, procurando sapinhos, procurando no livro os pássaros que visitam a casa. Foram dias muito bons.

Agora já estamos de volta ao nosso querido lar sem jardim nem vaca, nem ovelha. Nem laptop porque o touchpad não funciona mais e eu odeio sentar na frente do PC. Temos broadband e Sky TV aqui mas eu sinto falta mesmo é de cutucar as lesmas, procurar taturana embaixo dos repolhos, caminhar com a grama nas canelas e dar tchau pras ovelhas que sempre me encaram com um olhar confuso (Mr.M diz que elas pensam: "japonesa? japonesa!!").

Mas é assim mesmo. Por isso que férias são férias. Agora temos outro casamento pra ir neste final de semana, cuja a festança vai ser a bordo de uma embarcação marítima (quantas redundâncias fiz nesta frase?). E como os convidados são os mesmos do casamento que fomos em Dublin, vou ter que encontrar outras roupas de missa pra vestir.

Pra finalizar meu relato de mini-férias, vou postar aqui a foto de nós dois, vestidinhos pra missa. Como Mr.M foi o fotógrafo oficial do casório quase não temos nenhuma foto juntos. Esta foi uma das únicas e gosto muito. Sim, a cabeleira é minha mesmo. My hubby and me:

M&Mjackieswed.JPG

Escrito a mão pela Marcia às 4:45 PM | mais em M&M Family

agosto 26, 2005

Full House

ab25450.jpg



Dez dias longe, dez dias em fuso horário incompatível.
Dez dias de saudades e dez dias de espera por este dia.


"And how can I stand here with you
And not be moved but you?
Would you tell me how could it be
Any better than this...?"


Welcome home, my love.

champis2.gif

Nós vamos passar o feriado de Bank Holiday grudados, sticky-chewing-gum like, e depois partiremos para Leicestershire onde vai acontecer o casamento da Jackie, minha cunhada bacaníssima, que está planejando uma pré-festança antes do casamento, depois casório com todo mundo caindo de bêbado e mais uma outra festança com comilança e ainda mais booze. Festa de casamento melhor não há. Em seguida teremos mais uma semana nas Midlands em merecidas mini-férias. Então eu volto quando voltar, ok? A chave tá embaixo do tapete, alguém recolha o jornal e ágüe as pranta e abra as janelas vez em quando, sim? Ta-da.

:o*

Escrito a mão pela Marcia às 8:32 PM | mais em M&M Family

junho 12, 2005

O Namorado

Lembrei da data logo pela manhã, quando mudei o dia no calendário de bloquinhos. Lembrei também do nosso primeiro Dia dos Namorados quando eu estava no Brasil, ainda trabalhando e tentando to meet the ends e Martin estava aqui na Inglaterra, nós dois separados por um oceano inteiro de distância, sem saber ao certo o que faríamos, para onde iríamos, o que seríamos.

E me lembro que meu dia estava sendo um daqueles que poderiam ser pulados, que meu cansaço já excedia meu pobre corpo. E concentrada em que eu estava fazendo meu trabalho, atendi ao telefone sem muito ânimo e ouvi: "Flores pra você na recepção do prédio". De boca aberta entrei no elevador e desci os doze andares, ainda meio confusa. E de boca aberta fiquei, junto com os olhos arregalados quando vi o tamanho do imenso buquê de flores brancas e rosas e azuis que foi me entregue. Subi de volta com o buquê que mal cabia nos meus braços e abri o bilhetinho ali dentro do elevador. "For my Little Fox, happy Dia dos Namorados. From Martin." Aawwww...

Outras datas vieram e se foram, mas eu nunca me esqueço da emoção daquela supresa completamente inesperada, da sensação de acolhimento, da certeza de que fazíamos tanto sentido juntos.

Meu namorado virou meu noivo, que virou meu marido. E não, não somos eternos namoradinhos que se alimentam de amor e suspiros sugar-free. Somos um casal com suas neuras, suas responsabilidades, suas crises, suas diferenças, suas desigualdades, suas incertezas, suas batalhas, suas esperanças, seus sonhos, sua realidade. E um companheirismo sem tamanho. Um bom-humor mútuo sem parâmetros ou hora para terminar. E um comprometimento intenso por nossa pequena família que só a nós cabe.

A melhor parte do nosso namoro foi decidir fazer o upgrade.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:20 PM | mais em M&M Family

maio 5, 2005

My Family

Arrival.jpg

Família reunida outra vez. Mr.M acabou de entrar em nosso lar, cheio de saudades, de malas e de chocolates! Depois de um dia inteiro atravessando o mundo de leste à oeste, ele está visivelmente exausto, mas sorri de orelha a orelha e me abraça o tempo todo. Aaahhh, quanta falta senti dele...

E eu estou TÃO feliz, feliz, feliz!! Hooray! Hooray!

Welcome home, my love!

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:46 AM | mais em M&M Family

maio 1, 2005

May Day, May Day

O feriadão mais sem-graça dos últimos tempos.

Muito sol e calor nesta cidade praiana e muita gente embriagada na areia e nas ruas. E eu não acho mais a menoooor graça em nada. Já fiz tudo o que eu queria fazer sozinha, cuidei da pele e do cabelo, fiz a limpeza de primavera no apartamento, arrumei o guarda-roupas, reguei as plantas, comi tudo o que eu queria, li um bocado.

Agora tô de saco cheíssimo de ficar sozinha.

Mr.M poderia ter voado de volta pra casa ontem e chegado hoje aqui. Mas os clientes resolveram fazer birra na última hora e agora ele vai ter que ficar mais uma semana.

E eu tô de saco cheio.

Não tem graça sair sozinha, não tem graça cozinhar só pra mim, nem tem graça assistir TV sem poder comentar, não tem graça ir dormir na cama grande e fria. A minha exclusiva companhia a mim mesma já anda me irritando.

Porque, afinal, tô de saco cheio, já falei? Pois.

Então fui comprar jornal e o único The Times in the village estava todo amassado, sujo e rasgado. Isso me enche, essa vizinhança que só compra Daily Mail. Comprei o The Observer, que não é mal, já que o Times as vezes me enche.

E eu que conseguia fazer palavras cruzadas nível "difícil" no Brasil não consigo fazer nenhuma linha nem nenhuma coluna das crosswords do jornal. Tsc, que saco.

Enfim, me enchi.

Escrito a mão pela Marcia às 4:49 PM | mais em M&M Family

abril 27, 2005

Our Wedding Anniversary

3rdWed.jpg

Comemoramos hoje, Martin e eu, nosso terceiro aniversário do dia em que dissemos um para outro "quero ficar só com você". Este ano não estamos fisicamente juntos para celebrar a data, mas estamos mais próximos que nunca em nossa cumplicidade, respeito e true love.

Happy wedding anniversary, Martin my love.

"And you know
you know I love you so
you know I love you so...
Look at the stars
Look how they shine for you..."

Escrito a mão pela Marcia às 1:28 PM | mais em M&M Family

abril 25, 2005

Little M's Rememberance Day

LittleAngel.jpg


Hoje faz exatamente um ano. Parece décadas, parece uma eternidade. Mesmo assim ainda lembro de absolutamente tudo. O cheiro do hospital, a escuridão da sala de ultrassom, nossas mãos entrelaçadas, nossos olhos arregalados na tela, esperando um bracinho acenando pra gente ou algo parecido. O médico desligando o monitor, os olhos atrás das lentes dos óculos dele. Sua mão fria sobre a minha. "I'm sorry, the baby is no longer alive". O buraco se abrindo levando um mundo inteiro embora. O silêncio. Martin chorando. Soluços, abraços e um conforto que nunca veio.

Hoje faz um ano.

"(...) And I can’t stand the pain
And I can’t make it go away
No I can’t stand the pain

How could this happen to me
I've made my mistakes
I’ve got no where to run
The night goes on
As I’m fading away
I’m sick of this life
I just want to scream
How could this happen to me (...)"

WhiteFlower.jpg

We're thinking of you, little one.

Escrito a mão pela Marcia às 12:09 AM | mais em M&M Family

abril 23, 2005

Sobrevivendo mais um dia

Fui ao centro da cidade hoje de manhã para dar uma passeadinha. Tava tão cheio de gente, mal dava para andar. Mas fiquei andando pra cima e pra baixo, olhando as lojas e dando uma conferida no farmers market que estava tendo por lá. Tive a brilhante idéia de comprar o The Times para ir ler no jardim. De todos os lugares que vendem jornais, fui logo onde? Na Borders.

Como sou uma pessoa centrada e controlada, sabia que podia passear tranqüilamente entre as vastíssimas gôndolas de livros da Borders, em plena época de lançamentos e promoções "3 por 2". Pois então. Entrei e fui logo indo lá pro fundo da loja. E isso acabou sendo o primeiro erro, já que os jornais ficam bem na entrada e os caixas também, então eu poderia ter pego o jornal, ter pago e ter saído. Mas não, fui lá pro fundão e comecei a rodear a livraria desde o início. Um mar de lançamentos fantásticos, capas-duras, best-sellers, tanta coisa!

Dei uma folheadinha num do Ray Mears, que nesta semana começou a apresentar sua nova série do programa Bushcraft, na BBC2. Vi que lançaram dois livros bem bacanas que são programas de TV também, Little Angels e Supernany. Folheei também.

Depois vi as revistas. Adoro as revistas, mas sabia que não ia me interessar por nenhuma. Fiquei fuçando algumas e de repente vejo na capa de uma delas uma foto com os macaroons franceses. A revista? Donna Hay, uma espécie de Martha Stewart na cozinha, que é aquela cujos dotes editoriais tem como objetivo fazer você se sentir a pior das donas-de-casa do mundo porque você não mantém suas roupas em cabides revestidos de espuma e seda com ramos de lavanda. Ou então porque você deixa o detergente dentro da própria garrafa plástica ao invés de decantá-lo numa garrafinha de louça. Num tem mesmo que colocar na cadeia essas mulheres insanas?

Mas enfim, voltando aos macaroons da capa de Donna Hay. Peguei a revista de imediato porque sei o quanto é difícil fazer macaroons, como envolve um milhão de truques para sair direitinho, como a atenção aos detalhes é importante para criar o "domme" e os "feet" de cada macaroon. E qual não foi minha surpresa ao ver que a receita das doçuras francesas estava entre as muitas de uma matéria sobre como fazer sua festinha "Bem-vindo, Bebê".

Ou seja, você acabou de dar a luz, com o resto da barriga ainda pendurada, pontos doloridos, partes sangrando, peitos estourando, privada de sono, de comida e de sossego, vai chamar toda a família, os amigos e vizinhos para uma festinha de boas-vindas ao seu pedaço de felicidade. E vai servir o que? Um bolo, canapés de massa folhada, sanduíches coloridos e french macaroons, claro!!! Tudo feito em casa, já que titia Donna Hay ensina como fazer, é só seguir a receita da revista. MULHER LOUCA! A não ser que o pai da criança responda pelo nome de Pierre Hermé e tenha a melhor patisserrie de Paris, não se deve em nenhuma hipótese submeter uma mulher recém-parida a fazer macarrons, pelo bem de sua sanidade, de sua auto-estima e da segurança dos próprios convidados da festa. Algo me diz que ambas, Donna Hay e Martha Stewart, são as acionistas majoritárias do laboratório que produz Lexotan. You don't fool me, I know your secret!

Rindo eu saí da seção de revistas, confiante de que saíria da Bordes só com meu jornalzinho mesmo embaixo do braço como se eu fosse uma simples mulher atualizada e bem-informada, como se eu comprasse meu jornalzinho lá todo dia, não uma vez por mês, alternados.

No entanto, maldito seja. Infeliz, danado, desgraçado Tony Parsons. Maldito, maldito, maldito. Eu já estava quase saindo quando vi seu livro. Todos seus livros têm o mesmo layout de capa, mudam os títulos e as cores, por isso reconheci de longe, uma vez que tenho o Man and Boy e Man and Wife. E eu vi lá na seção "3 por 2" seu novíssimo lançamento The Family Way. Maldito seja. Sabia que não sairia mais dali imune.

Tony Parsons não é nenhum escritor de novelas arrepiantes ou de estudos super intrigantes ou de teorias absurdamente interessantes. Não. Parsons escreve ficções sobre comportamento humano familiar neste século 21. Com leveza, bom-humor inglês e muitos "F words". Mas é um autor que eu gosto de ler porque nada me atrai mais a atenção do que entender o comportamento humano num relacionamento, seja qual for. Leio porque gosto de rir e me reconhecer em seus personagens. Porque eu simplesmente gosto de ler para me divertir, muitas vezes. No entanto, sempre no final de seus livros, há muito mais o que refletir do que se espera.

Enfim, paguei os sete dinheiros necessários e trouxe o livro pra casa, junto com o jornal. Espero que Tony Parsons esteja feliz agora. Espero que ele vá numa Borders perto da casa dele e compre um exemplar de Donna Hay. E tente fazer macaroons pra impressionar seu editor quando este for jantar em sua casa. E tudo vire um chicletão. Rá. Maldito...

Depois dessa exaustiva saga, fui ao Marks & Spencer comprar frutas e verduras. Quatro bananas, três maçãs, umas clementinas. Uma cebola só, um pimentão vermelho só. Um pacote de salada, um macinho pequeno de cebolinha. Um pãozinho só. E oito mini-muffins de duplo chocolate. A caixa me olhou e pensou: "o marido dessazinha aí deve di tá viajando..."

Oh dear.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 7:42 PM | mais em M&M Family

abril 21, 2005

Tudo bem no Front

Até que por enquanto tudo está bem aqui na fortaleza dos M's. Quando, num passado nem tão distante, Mr.M tinha que se ausentar para muito longe e eu tinha que ficar sozinha aqui, eu morria de medo e me tornava a Drama Queen de todos os tempos. Imaginava que TUDO poderia acontecer. Nem conseguia dormir direito porque ficava sobressaltada achando que alguém iria invadir nosso apartamento, me matar (ou pior, roubar meu laptop!) e meu corpo só seria encontrado depois de duas semanas, de pijama e pantufa de coelhos.

Ando meio espantada com meu desligamento desta vez. Tenho dormido muito bem, aliás. Não fico entediada, nem nada. Tenho estudado só um pouquinho e lido um muitão de outros livros. Comecei a dar uma geralzona na casa, limpei os dois banheiros, passei o aspirador em todos os carpetes e todos os pisos de madeira, tirei o pó, limpei o fogão, lavei as toalhas. E, vejam só, a casa continua limpa e as coisas continuam nos devidos lugares! Não é um espanto?!

Mas sinto falta de Mr.M e sua personalidade expansiva dentro deste apartamento. Parece que ele enche cada canto deste lugar ao mesmo tempo, impressionante. Não só de alegria e bom-humor, mas de revistas, copos, migalhas, meias, ferramentas, lentes, memory cards, controles remotos, uma infinidade de coisas que ele gosta de ter ao seu redor ao mesmo tempo, mas que faz deste lar a cara de nós dois.

Ontem ele ligou para dizer que chegou bem em Far Far Away Land, estamos com a diferença de oito horas. Hoje já deve ter começado a trabalhar. Liguei pra irmã dele e ficamos hooooras batendo papo. Ela que foi a grande incentivadora para que eu começasse a fazer pão e hoje trocamos muitas experiências de sucesso e fracasso que saem dos nossos fornos. Ela é um docinho de pessoa, gosto muito dela.

No mais, fiz a esperada torta de frango (com milho, ervilha, cenoura e cebola), congelei metade e estou me alimentando com a outra metade, acompanhada de muita salada de rúcula e tomate. Nhaaam.

Eu até tinha pensado numa foto para postar aqui, quando lembrei que estou sem câmera! Mr.M levou nossa querida câmera com ele! Então vocês apenas imaginem um pratinho verde com uns pedacinhos de torta cortada em cubinhos, um copo de suco de laranja do lado e meio que no canto da foto, já sem foco, um livro de capa vermelha, com os olhos de Monalisa e o título em dourado que diz "O Código DaVinci". Este é o meu momento mais esperado do dia, quando sento para ler mais um pouco do livro que meu querido primo Maurício me deu de presente. Estou adorando, mas economizando as páginas para durar mais, porque ser pobre e culta é realmente uma tristeza.

Sinto saudades de Mr.M, mas estou bem aqui e ele está bem lá também. Logo chega o final de semana e aí vai faltar pouco para dar boas vindas e abraça-lo bem forte.

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:27 AM | mais em M&M Family

abril 19, 2005

Mr.M in Far Far Away Land

Hoje Martin vai viajar a trabalho para um país bem distante. Vai ficar lá por duas semanas e eu vou ficar aqui cuidando da nosssa fortaleza. Já estou morrendo de saudades, passamos o final de semana inteiro feito chicletes derretidos na sola do sapato, bem grudados. Este ano vamos passar o nosso aniversário de casamento separados, mas quando ele voltar celebraremos juntos!

Sei que ele vai estar bem, Mr. MonkeyMan (lembram dele?) vai estar com ele também, então sei que tudo vai correr bem.

Quanto a mim, tenho bastante coisa pra estudar, vou aproveitar para fazer as coisas que gosto sem ter pressa, o apartamento precisa de um Spring Clean urgente e também vou comer torta de frango em todas as refeições do dia.

Have a safe journey, my love. I'll miss you. See you in two weeks.

So lately, you're wondering
When we'll be there to take my place
When I'm gone, you'll need love
To light the shadows on your face
If the rain will wish I'd fall
I'd fall upon a star
And between the sand and stone
Could you make it on your own

If I could, then I would
I'll go wherever you will go
Way up high or down low
I'll go wherever you will go

Wherever you will go - The Calling

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:21 AM | mais em M&M Family

março 29, 2005

Happy Birthday, Meu Amor!!

Hoje é aniversário do Martin!

Estamos comemorando os novíssimos trinta e dois anos dele desde o início do feriado. Ele já abriu e usou os presentes, teve bolo recheado com direito a velinhas para apagar, fomos pedalar em Ringwood Forest, almoçamos num restaurante que gostamos.

E hoje ainda temos mais jantarzinho especial aqui em casa, mais abraços, mais beijos e mais desejos de muita felicidade no coração maior que o mundo que ele tem.


Bolinho, velas e muitos parabéns para Mr.M, com Ted, Pickles e Picleszinho
Buffday.jpg


Esta foto era pra mostrar que o bolo era pão-de-ló com recheio de ganache de chocolate, mas Ted colocou seu cabeção na frente, tsc.

Buffday2.jpg


Eu em Ringwood, de lente, cansada, com a magrela que é muito grande pra mim

Buffday3.jpg


The Birthday Boy em sua querida e inseparável Cannondale azul

Buffday4.jpg


Happy Birthday, my love. I wish you all the love, joy and happiness in the whole world because that's what I feel when you're around.

"For he's a jolly good fellow
For he's a jolly good fellow
For he's a jolly good fellow
And so say all of us
And so say all of us
And so say all of us!"

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 1:58 PM | mais em M&M Family

março 4, 2005

Mother's Day in Leicester

Ufff. Passei a manhã toda ocupadíssima fazendo as malas, embrulhando presentes, arrumando a cozinha. Hoje a tarde vamos a Leicestershire, passar uns dias na casa dos pais do Martin e comemorar o dia das mães no domingo. A previsão é de severa frente fria, com temperatura mínima de -10ºC. Numa casa sem aquecimento central, preciso ir bem preparada.

Até a volta.

Escrito a mão pela Marcia às 11:55 AM | mais em M&M Family

fevereiro 26, 2005

We are on (extemely) Budget

Estamos, mais que nunca, em extrema situação periclitante de falta de dinheiro. Nada muito preocupante, na verdade, já que não temos nenhuma divida no cartão de crédito, a conta no banco não está nem vermelha nem rosa. Porém, nosso dinheirinho anda bem contadinho pras necessidades básicas.

E mais do que ficar se descabelando com isso, a gente resolveu adotar o bom-humor. Às vezes por simples descuido ou falta de planejamento a gente acaba gastando mais do que deveria por semana e então desde o mês passado resolvemos prestar mais atenção e anotar absolutamente tudo o que compramos, pagamos ou poupamos. Tudo, tudo. E apesar da gente achar que tinha consciência de tudo, ficamos surpresos ao perceber que algumas pequenas bobagens acabam fazendo um rombo enorme no orçamento.

Daí que nessas últimas semanas andamos cortando tudo o que a gente realmente não precisa e ainda comprando "genéricos" daquilo que a gente precisa. E tem sido muito muito engraçado fazer compras com o Martin. Toda vez que ele vê algo que a gente normalmente iria comprar ele diz: "vamos comprar isso, oh nooooo we're on budget, o que eu tô falando??" e eu morro de rir toda hora.

E hoje de manhã nós fomos ao "supermercado" Lidl. Quem mora ou morou na Inglaterra sabe bem a que ponto chegamos, hohoho. Lidl é um supermercado alemão só com genéricos. Apesar de já ter ido no Aldi uma vez, foi a primeira vez que entramos no Lidl, que ao invés de ter gôndolas, tem caixas de papelão. Mas encontramos boas barganhas e brincamos de nós mesmos: "Há um novo e inexplorado novo mundo lá fora!!" hohohohoho...

Bye bye Waitrose, welcome Lidl...

Vou ali ler Jane Austen e Louisa May Alcott, duas novelistas incríveis que sempre retrataram os mais humildes e necessitados como os mais caridosos, honestos e felizes seres do planeta... *sigh*

Escrito a mão pela Marcia às 3:16 PM | mais em M&M Family

fevereiro 14, 2005

My Sweet Valentine

AA023910.jpg

Happy Valentine's Day to the one who've found me
and who changed my life forever
and whom I love so much.
Happy Valentine's, Martin.

xxxx

Escrito a mão pela Marcia às 5:30 PM | mais em M&M Family

janeiro 17, 2005

Bilingual Hubby

Faz tempo que eu não publico aqui os recadinhos em português que Mr.M me envia. Então aqui vai um bonitinho, que ele me mandou de manhã:

Oi ma,
Tudo bom? Eu cansado hoje. Eu nao domir bom ontem a noite.
Are you making bread today?

Luv ya
Martin.

Escrito a mão pela Marcia às 11:06 AM | mais em M&M Family

dezembro 21, 2004

A Letter to Little M

Bottle.jpg

Today is the day that maybe, and just maybe, you would be born.
And we would find out if you were a little guy or a little princess.
We would hold you in our arms, look at your eyes and kiss your forehead.
We would be a family of three, we would be your parents, we would be complete.
But life took a u-turn and you're not here with us anymore.
And there is not a single day that has passed when we didn't miss you.

Today is a special day, a day we want to remember you more than ever and celebrate what would be your birthday.
Today we flew up very near to the sky and I saw one single star and I wondered if that was you. No matter where you are, know that we love you and always will.

Baby, thank you for touching us. Thank you for choosing us to be your parents, thank you for your quick but lovable existence with us in this planet.
Our arms are empty but we carry you in our hearts and we always will.
Our love for you is still all around us in case you decide to come back one day.
We love you. I know you know that. Happy birthday, Little M.

your mummy and daddy,
Marcia & Martin.

Toy.jpg

Hoje é o dia que talvez, e apenas talvez, você nasceria.
E nós finalmente iríamos descobrir se você era um menininho ou uma princesinha.
Nós iríamos carregar você nos braços, olhar em seus olhos pequenininhos e dar um beijo na sua testa.
Nós seríamos uma família de três, seríamos seus pais, seríamos completos.
Mas a vida tomou outro rumo e você não está mais aqui conosco.
E não há um único dia que tem passado sem que não tenhamos sentido a sua falta.

Hoje é um dia especial, o dia em que queremos lembrar de você mais do que qualquer coisa e comemorar o que seria o seu aniversário.
Hoje voamos bem alto no céu e eu vi uma única estrela no céu e me perguntei se era você. Nós amamos você e sempre amaremos.

Baby, obrigada por ter nos tocado. Obrigada por ter nos escolhido a ser seus pais, obrigada pela sua rápida mas adoravél existência conosco neste planeta.
Nossos braços estão vazios mas carregamos você em nossos corações e pra sempre será assim.
Nosso amor por você ainda nos envolve completamente em caso de você decidir voltat um dia.
Nós amamos você. Eu sei que você sabe. Happy birthday, Little M.

your mummy and daddy,
Marcia & Martin.

Gift.jpg


Escrito a mão pela Marcia às 11:06 AM | mais em M&M Family

dezembro 2, 2004

My Little Fox, my Little Prince

LittleFox.jpg

Meu querido husband trouxe de Lyon essa fofíssima Little Fox para mim, presente delicadíssimo e cheio de carinho da parte dele. Para quem não sabe, quando ainda éramos namorados românticos e apaixonados, ele me chamava de Little Fox e eu o chamava de Little Prince. Hoje ele me chama de cabbage head, mas enfim, aqueles eram outros tempos. E os nossos apelidinhos queridos se deram não por causa daquela famosa frase de "tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas", que já virou chavão, mas sim por aquela passagem tão singela que a raposa dizia ao Pequeno Príncipe: "se você vier às quatro da tarde, eu começarei a ser feliz às três." E era nesse horário que a gente se encontrava para bater papo, eu no Brasil e ele na África do Sul.

Eu gosto de olhar para trás e relembrar esses momentos cheios de glucose, olhar para a cabeça de Mr.M que lembra os campos de centeio e sorrir porque para mim ele é único, assim como a raposa se tornou a única entre todas as raposas e a rosa se tornou única, em todo universo.

*ai, ai*

Escrito a mão pela Marcia às 11:24 AM | mais em M&M Family

novembro 23, 2004

Carta da Juliana

JuliLetter.jpg

Hoje recebi uma grata surpresa que me encheu os olhos de lágrimas de felicidades! Minha querida sobrinha Juliana nos mandou uma cartinha cheia de carinho, muitos coraçõezinhos desenhados e uma letrinha caprichada, toda escrita em inglês, vejam só!

Adoramos, lemos várias e várias vezes e agora ela enfeita nossa geladeira, junto com o desenho do Snoopy que ela nos deu de presente no nosso casamento.

E coincidentemente, hoje é o aniversário dessa minha amiguinha Juliana, essa menina doce e inteligentíssima, divertida e companheira desde sempre! Dona da fox paulistinha mais sortuda do mundo, a Linda, que deve estar louca de felicidade de ter sido adotada por alguém tão especial como ela. Hoje a Juliana faz 11 anos de pura esperteza!

Feliz Aniversário, querida Juliana!! Que você seja sempre sempre muito FELIZ e que tenha sempre muitos motivos para manter sempre no seu rosto esse seu sorriso que faz nossa família inteira se derreter de alegria.

Beijos, querida Juli, já já te envio a resposta, viu?

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:24 AM | mais em M&M Family

outubro 4, 2004

Loved and Never Forgotten

Broken.jpg

Hoje recebemos uma carta da capela do hospital nos convidando para participar da cerimônia que vai acontecer no final deste mês para relembrar de todos os bebês que foram para o céu neste ano corrente.

Vai ser celebrada uma missa, os nomes de todos os bebês serão lidos pelo reverendo em voz alta e uma vela para cada um deles será acesa. Toda a equipe de médicos, enfermeiras e midwives da Early Pregnancy Unit que cuidou de nós vai estar presente. É o momento que a gente pode reencontrá-los e também entrar em contato com pais que passaram pela mesma dor.

Apesar de sermos agnósticos, quero muito fazer parte da missa, para acender uma vela na capela e sorrir quando o nome 'Little M' for lido. Mas relembrar, isso não vai ser preciso. Porque não há um dia sequer em que eu não lembre do nosso bebê e não deixe de pensar em como nossas vidas poderiam estar completamente diferentes agora. A cada simples dia é um dia em que eu penso, lembro e amo.

We'll never forget you, little M.

Escrito a mão pela Marcia às 6:05 PM | mais em M&M Family

setembro 14, 2004

Versão Brasileira

Ainda falando de Mr.M.

Eu as vezes me espanto com o desenvolvimento de Mr.M e suas aulas de português. Eu ensino muito pouco, na verdade. Ele é que vai juntando uma palavra daqui e ali e sai falando português. Daí eu só corrijo algum verbo (principalmente os irregulares "eu vou", "eu fui", "eu estive", que são mais complicados). Mas o vocabulário dele está cada vez melhor e mais amplo.

Com meu pai ele aprendeu a falar "Nossa Senhora!" e agora é a expressão preferida dele, tudo é "Noooossa!" ou "Nossa Senhora!". E também ama usar aumentativos. "Cabeção", "barrigão" e "bundão" são os mais usados por ele. E pra minha barriga em especial ele sabe falar "barrigãozão grandão". icon_eek.gif

Tem vezes que a gente fica brincando de falar português e ele sustenta a conversa por vááárias horas. Além de achar graça, eu me orgulho bastante deste meu anglo-brasileiro!

Este é o e-mail que ele me enviou esta tarde:

"Oi ma,
Tudo bom? Hoje para comida eu tenho salade de atum, com alface, tomate, pimento, e nao batata fritas! Eu muiiiitttooo com forme :D
Te amo,
Martin."

Hohoho, pelo jeito vou ter que fazer alguma coisa mais substanciosa pro jantar. icon_mrgreen.gif

smilies-thumbsup.gifMuito legal, Martin!

Escrito a mão pela Marcia às 4:38 PM | mais em M&M Family

setembro 13, 2004

Best Hubby in the World

sweep.gif Ontem Mr.M se empolgou e de uma só vez lavou o carro, organizou o arquivo de contas e recibos, jogou fora um monte de coisas velhas, afiou as facas, limpou o fogão e até o vidro do forno (que eu nunca consigo limpar)!

Ainda me levou pra almoçar no Yellow River! E nem reclamou quando eu enchi minhas duas mãos de chocolates da Thornstons. kiss10.gif

Thanks, sweetie.

Escrito a mão pela Marcia às 4:11 PM | mais em M&M Family

setembro 7, 2004

M&M

Para os meus três leitores que estavam com saudades de nós. Esta foi uma das últimas fotos que tiramos no Kruger Park, ainda vestidos de bush clothes e sujos de areia.

Kruger40.jpg

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:31 AM | mais em M&M Family

maio 14, 2004

A Próxima Página

NewBeginning.jpg

Desde que parei a leitura com aquele marcador de página, tanta coisa aconteceu em nossas vidas. Tanto já mudou, tanto foi mexido. Talvez então seja a hora de reler tudo o que passamos nesses últimos dias, talvez seja a hora de sentar e escrever. E ler.

Mas antes de começar preciso aqui registrar meu agradecimento a todos os recados deixados aqui, lemos um por um, Martin pedia para eu traduzir cada um deles, me emocionei com muitos, amei todos. Muito obrigada. Aos meus amigos e familiares que nos enviaram e-mails, que perguntaram por nós, que nos ligaram, que compartilharam conosco experiências próprias, que estiveram bem presentes esse tempo todo também quero agradecer intensamente, com todo nosso coração. Muito Obrigada, em nome de nós dois.

Os primeiros dias logo após a perda do nosso bebê -- e que fique estabelecido aqui em minhas páginas que perdemos um bebê, nossa primeira criança. Não perdi uma "gravidez" simplesmente, não "sofri um aborto" simplesmente. Engravide, ame, perca e saiba do que estou falando -- enfim, os primeiros dias foram de choque, de torpor, de tristeza, de dor física e de lágrimas incessantes, incrédulas, impotentes, intermitentes, inconsoláveis.

Era olhar minha barriga e chorar, era tropeçar na banheirinha do bebê e chorar, era lembrar da sala escura do ultrassom e chorar, era pensar nas conversas com o bebê e chorar, era ver o Martin chorando com as mãos sobre o rosto e chorar. E chorar, e se indignar e sentir pena de nós e sentir saudades do bebê. Nossos sonhos despedaçados, nossa alegria esmigalhada, nossas vidas esburacadas. Tudo em pedaços pelo chão, tudo sem salvação, tudo sem volta.

Para completar, meu nível de hormônio de gravidez estava alto apesar da perda, e então ainda pairava em nossas cabeças a possibilidade de ter uma gravidez (outra) ectópica que precisaria ser detectada e removida o mais rápido possível para não colocar minha vida em risco, em caso de uma ruptura da trompa. Foram dias de muitos exames de sangue e controle rigoroso dos meus níveis de hormônio hCG. E de descontrole de nossas lágrimas. Nada foi encontrado. E meus níveis de hCG começaram a cair dia após dia. Era uma boa notícia para os médicos, que estavam animados com os resultados e tranqüilos de constatar que não havia mais o risco de gravidez ectópica e que meu corpo estava fazendo tudo naturalmente. Ao contrário de nós, que sabíamos que era daquela forma que aos poucos nosso bebê estava partindo para não mais voltar.

Porém, a equipe médica foi fantástica o tempo todo conosco e nos ofereceram o suporte valiosíssimo de uma entidade inglesa que dá apoio aos casais que sofreram a perda de um bebê. E então entraram em cena a equipe da Miscarriage Associantion , que nos ouviu, nos acolheu, nos entendeu, nos confortou.

Fomos inundados de informação que precisávamos, com as palavras certas, com a compreensão que queríamos naquele momento. Com eles aprendemos a não julgar nossos sentimentos, com eles aprendemos que perder um bebê no começo da gravidez é sim motivo para sentir profundamente, é sim motivo para ficarmos devastados e tristes tanto quanto for preciso, pelo tempo que for preciso, sem precisar ser "forte", sem precisar se "conformar". E principalmente aprendemos que a perda de um bebê não se "supera" como muita gente espera de nós. Ninguém "supera" a morte de um filho ou de uma filha. Apenas se aprende a conviver.

A partir de então, nossas vidas tomaram outro rumo. Deixamos nossas emoções virem de todas as formas: raiva, cansaço, irritação, tristeza, depressão, isolamento e uma imensa sensação de luto. Todas essas emoções vieram, algumas ainda estão por aqui, outras foram embora. Foi um momento importantíssimo para nós dois (porque muita gente esquece que o Martin é parte disso tudo também), fomos fiéis aos nossos sentimentos, nos demos o direito ao luto, à dor, aos soluços.

Seguindo o conselho dos terapeutas, fizemos aqui em casa um pequeno altarzinho. Com flores coloridas, velas brancas, mini-muffins de chocolate, um chocalho em formato de ursinho, um livrinho de estórias chamado "Mr. Bear Says Goodnight" e todos os testes positivos de gravidez. Foi nosso funeral simbólico, nossa singela homenagem para Little M. E foi tão bom poder fazer algo bonitinho e colorido no meio de tanta dor.

Logo o hospital também entrou em contato e nos deram um formulário para preencher com os dados do bebê e também para escrever um pequeno texto ao mesmo. Fizemos nossa mensagem e enviamos à capela do hospital. Agora os dados e a mensagem vão ficar gravados no Book of Remembrance e em outubro vai ser celebrada uma missa a todos os bebês que foram para o céu no ano de 2004 até então.

Aos poucos a idéia da perda começou a ficar mais leve e menos dolorida. Aos poucos começamos a sorrir outra vez.

Num dos finais de semana passado Martin reservou um quarto de hotel de frente para o mar em St. Austell, em Cornwall, um lugar de uma beleza incrível, com praia de encostas enormes. Passamos dois dias longe de tudo, visitamos o Projeto Eden (curiosamente, o nome do começo), caminhando de mãos dadas pelo mar cristalino, vendo as ondas quebrando nas rochas pontiagudas. Na praia, escrevi "Little M" na areia e pensei naquela pequena alma indo aos céus tão suavemente quanto as ondas que apagavam o nome na areia. E acho que lá em Cornwall marcamos o fim e o começo de uma nova era em nossas vidas.

Pro resto de nossas vidas jamais esqueceremos de tudo o que aconteceu. E em nenhum momento vamos deixar de amar Little M. Mas precisamos continuar no caminho de nossas vidas.

Outro dia Martin abriu uma garrafa de vinho, colocou em duas taças e propôs um brinde. Eu olhei pra ele meio confusa e perguntei a quê estaríamos brindando. E ele respondeu: "to the future". E pelo futuro brindamos.

Porque ainda acreditamos num futuro. Hoje temos esta história em nossas vidas que ninguém há de apagar. E temos um anjo nos céus. Sinto que nos tornamos um casal milhões de vezes mais maduro, mais especial. Sinto que ainda teremos outros excelentes motivos para sermos felizes. Correção: mais felizes. Sinto que em algum lugar existe um futuro que merece ser brindado e recebido com muito amor.

E diante de tantas surpresas inesperadas na vida, hoje vejam só como nos encontramos: estamos preparando nossas malas, arrumando nossa bagagem. Estamos de mudança temporária para a África do Sul, onde Martin vai trabalhar por uns dois ou três meses. Não sei exatamente o que esperar dessa mudança, mas há algum tempo deixei de esperar ansiosamente pelo o que ainda não veio. Nossas vidas não caminham mais rápido nem mais devagar só porque a gente quer, apenas um dia de cada vez.

Daqui uma semana estaremos em outro país, outro continente, outra cultura. Talvez sem Internet, talvez sem o conforto do nosso lar. Mas juntos. Juntos. Para recomeçar.

Cornwall-LittleM.JPG

Para viver.

Escrito a mão pela Marcia às 8:55 AM | mais em M&M Family

abril 27, 2004

Marcador de Páginas

Angel.jpg

Hoje estaríamos comemorando nosso segundo aniversário de casamento. Apesar da imensa gratidão que temos um pelo outro por sermos parte de um relacionamento tão precioso em nossas vidas, hoje não estamos celebrando.

Porque hoje, pela terceira vez nesta semana volto do hospital. E não há nada mais a fazer a não ser aceitar a perda do nosso primeiro bebê.

A dor, o desolamento, a imensa tristeza têm devastado nossos dias, nossos planos, nossos sonhos. A cada instante, a cada gota de sangue, a cada contração, perdemos alguém que há algumas semanas já havíamos acostumado a amar.

Não há muitas palavras que nos tragam muito conforto, não há sequer uma intenção minha de procurar compaixão aqui. Por isso peço, encarecidamente, que nos poupem de comentários sobre adoção, que ainda somos novos, que o feto era muito novo, que isso acontece, que ainda era muito cedo, porque não, não é isso que queremos ouvir neste momento, nem é isso que vai nos fazer sentir melhor.

Se hoje escrevo aqui algo tão íntimo e delicado e pessoal, é porque é simplesmente impossível deixar de pensar, lamentar e viver o que estamos passando.

Estamos vivenciando nosso luto e não sabemos quando ou se um dia essa dor vai mudar. No entanto, no dia do aniversário do nosso casamento, podemos ter a certeza de que atravessamos uma fronteira em nosso relacionamento. E quem passa por essa fronteira nunca mais é o mesmo. Estamos mais unidos que nunca, estamos mais forte individualmente apesar da imensa perda que despedaçou nossos corações. Mas estamos juntos, repartimos agora essa mesma perda, em iguais pesares, em nossa vida em comum.

Por muito tempo escrevi aqui como a vida vinha se apresentando, com bons e maus momentos, com relevos e planícies, com sorrisos e lágrimas. Como em todo livro, como em toda estória, há sempre um conflito, um drama que enriquece a trama, o ápice da crise.

E neste momento, alcanço esta fase da minha vida escrita aqui. E em como todo bom livro (porque, afinal, eu espero que minha vida tenha sido uma boa leitura até aqui) há sempre aquele momento em que a gente precisa descansar o livro, colocar um marcador na página e refletir em tudo o que foi lido. Meu momento de fazer isso chegou nesta página.

Aqui coloco meu marcador. Não sei quando volto a escrever aqui. Não sei quantas páginas mais serei capaz de escrever depois do conflito. Mas agora tudo o que posso pensar é em respeitar nosso momento de luto, de desilusão e já de tantas saudades.

Que o nosso pequeno, a quem chamávamos de Little M, vá voando feliz para o céu, de onde irá acompanhar nossas vidas aqui na Terra.

Vá Little M e seja feliz com o amor tivemos e que sempre teremos por você. Já sentimos muitas saudades e nunca, jamais esqueceremos de ti.

"Would you know my name
If I saw you in Heaven?
Would it be the same
If I saw you in Heaven?

I must be strong
And carry on,
'Cause I know I don't belong
Here in Heaven.

Would you hold my hand
If I saw you in Heaven?
Would you help me stand
If I saw you in Heaven...?

I'll find my way
Through night and day,
'Cause I know I just can't stay
Here in Heaven.

Time can bring you down,
Time can bend your knees.
Time can break your heart,
Have you begging please,
Begging please...

Beyond the door
There's peace I'm sure,
And I know there'll be no more
Tears in Heaven..."

Escrito a mão pela Marcia às 3:37 PM | mais em M&M Family

março 11, 2004

Pubs e Farofa

Outro dia Mr.M e eu estávamos conversando e tal, daí ele se lembra de contar algo. Disse que o colega dele e a esposa tiveram uma idéia ótima e que todo final de semana eles pegavam um trem para ir a um pub na cidade vizinha.

E eu fiquei com minha cara de folha verde, sem saber onde é que estava a boa idéia nisso.

Eu: ....so? (e...? que que tem isso?)

Mr.M: So, isn't it nice?! (num é legal??)

Eu: .... (cara de folha verde)

Mr.M emburrado: Ah, you don't like pubs... (Ah, cê não gosta de pubs...)

Eu: it's not that i don't like it i just can't see a point (não que eu não goste, só não sei qualé a graça...)

Mr.M: it's nice to go out and have a pint in a pub!!! (é legal sair e tomar 500ml de cerveja num pub)

Eu irônica, ainda com cara de folha verde: ...w-o-w! (u-a-u!)

Mr.M sem paciência: Ah, you don't like pubs...

Eu: and you don't like farofa (e tu não gosta de farofa)

Mr.M: ...so? (e...?)

Eu: so i don't like pubs, you don't like farofa, it's a cultural matter (então cê não gosta de farofa nem eu de pubs, é um problema cultural)

Mr.M: but you always put farofa on my plate... (mas você sempre põe farofa no meu prato...)

Eu: ...true, hahahahaha (...verdade, quaquaquaqua...)

Por que que eu tô falando disso...? Ah, deve ser porque tô cozinhando feijão e com a menor vontade de fazer nada além disso. Preguiça de fazer arroz e outra mistura. Hoje a noite deve ser pizza e feijão. E farofa. Sem pub.

Escrito a mão pela Marcia às 4:43 PM | mais em M&M Family

fevereiro 16, 2004

Our Sweet Little Valentine's Day

Não houve presentes, apenas cartões cheios de carinho, uma caminhada juntos, um jantar feito por nós dois e um par de Petit Gateau produzido, fotografado e deliciado sem demora.


PetitGateaux.JPG



You're still a mystery

PetitGateaux2.JPGPetitGateaux3.JPG



But there's something so easy...

PetitGateaux4.JPG



In how you're sweet to me...

PetitGateaux5.JPGPetitGateaux6.JPG



I feel completed

PetitGateaux7.JPGPetitGateaux8.JPG



Like it's something I needed...

PetitGateaux9.JPGPetitGateaux11.JPG



For this heart of mine..."

PetitGateaux12.JPG

:o)

Escrito a mão pela Marcia às 12:16 PM | mais em M&M Family

fevereiro 14, 2004

Happy Valentine's Day

toasty.gif
Escrito a mão pela Marcia às 12:15 PM | mais em M&M Family

dezembro 1, 2003

M&M 2004 versão Beta

Mr.M resolveu, depois das nossas queridas férias, que deveríamos mudar nossa atitude, ser um casal diferente, mais up-to-date. M&M 2004 vBeta. Então, desde que voltamos, faça chuva ou faça chuva (sol não é uma opção), devemos sair em todos os dias dos finais de semana, começando na sexta-feira.

Como eu não estou mais indo na academia, já que estou sofrendo de semvergonhicis absurdus, achei que era mesmo uma boa idéia.

Pois bem, este foi o segundo final de semana consecutivo que nos ensopamos embaixo de chuva forte. Estamos saíndo nem que seja para um pub, um cinema, um restaurante ou uma caminhada de uma hora na praia. Embaixo de chuva, claro. Mas muita chuva. De pingos gelados e ventro frio. A gente chega em casa e tem que colocar calças, casacos e meias na máquina de lavar.

Temos nos divertido mais, é verdade. Mais notícias nos próximos boletins médicos. Atchooo!

Escrito a mão pela Marcia às 2:57 PM | mais em M&M Family

outubro 13, 2003

Satisfação

Estou com o corpo todo dolorido, costas, pernas, braços, dedos cheios de cortes. Mas muito satisfeita. Ontem passamos o dia inteiro fazendo mudanças no apartamento. Nosso objetivo era limpar completamente nosso studio, que estava ainda cheio caixas, ferramentas e outros junkies. Mas para limpar o studio era preciso terminar o piso no loft (sótão) e construir prateleiras em um dos armários do hall, que também estava lotado de caixas.

O dia todo para mim foi de carregar caixas para um lado, abri-las, esvaziá-las, levá-las para o sótão e finalmente enchê-las novamente porque a escadinha do loft é muito estreita e as caixas, muito pesadas. Para Mr.M, o dia foi de medir, serrar madeira, parafusar, organizar as ferramentas e limpar tudo.

Foi trabalho pesado, mas hoje, olhando para o studio que está completamente vazio a não ser pela mesa do computador e as bicicletas, a sensação é de que ganhamos um novo quarto! Sem contar com a dispensa maravilhosa que Mr.M construiu no armário do hall, excelente para guardar tudo o que estava amontoado na cozinha. Tudo arrumadinho e organizadinho, do jeito que eu gosto. Valeu a pena!! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 11:00 AM | mais em M&M Family

setembro 28, 2003

M&M no Oi Londres

Para quem tiver curiosidade, o website Oi Londres apresenta nesta semana uma matéria sobre casais anglo-brasileiros que deram certo! Mr.M e sua digníssima esposa -- eu -- demos nossa contribuição.

A reportagem é da Paula Góes. A foto é de John Haworth, durante nosso casamento. Paula, muito obrigada, a matéria ficou ótima!

Eis o link: A Hora do Yes

O próximo passo deve ser a Broadway, tô sentindo! :o)

Escrito a mão pela Marcia às 10:55 AM | mais em M&M Family

setembro 11, 2003

Não é um amor?

Ele está cada vez melhor. Este é Mr.M escrevendo em português, no e-mail de ontem:

"Hello ma,

tudo bom? mutio nublado e chuvinho hoje. o quer voce fazendo hoje? voce quer ir ao Asda hoje a noite? nos comprar leite, frango, cerveza, pao!

te amo,
mr. m (brazilero)"

I'm so proud of you, Mr.M!! Well done, you're fab! Luv ya too. :o)

Escrito a mão pela Marcia às 9:49 AM | mais em M&M Family

julho 27, 2003

Dois Anos!

BlogCake.JPG

Hoje é aniversário deste blog!

Dois anos que escrevo aqui um pouco dos capítulos que vivi.
Dois anos em que releio minha própria vida e reflito sobre meu próprio crescimento.
Dois anos que conto com a maravilhosa, saudável e enriquecedora participação dos meus leitores.
Dois anos em que tive a honra de conhecer pessoas formidáveis, que hoje tenho a satisfação de chamar de amigos.

Dois anos em que minha vida mudou intensamente. Dois anos em que o blog me acompanha em cada um desses passos.

Escrito a mão pela Marcia às 11:18 AM | mais em M&M Family

abril 25, 2003

April 27, 2003

One Year of Love...

"Just one year of love
Is better than a lifetime alone,
One sentimental moment in your arms
Is like a shooting star right through my heart..."

- Just One Year of Love, Queen

Oneyear.JPG

HAPPY ANNIVERSARY, MY LITTLE PRINCE!

Escrito a mão pela Marcia às 12:32 PM | mais em M&M Family