agosto 23, 2009

Free Again


Desde o dia 21 de Agosto de 2009 Spikey se tornou um porco-espinho livre e selvagem novamente. O processo foi bastante tranquilo. Coloquei a casa dele num canto escondido do jardim, ele acordou por volta das 21:00 e calmamente saiu em busca de seu próprio caminho. Ele voltou algumas vezes para comer, mas preferiu dormiu a céu aberto na noite estrelada do fim de verão.

Um dia antes levei-o para uma rápida visita no veterinário, que ficou muito satisfeito ao ver que Spikey está completamente recuperado, saudável, forte e, nas palavras dele, very handsome.

Spike e eu então nos despedimos um do outro em mútuo e silencioso agradecimento. Ele carrega em si meus mais sinceros desejos e esperanças de uma vida feliz, segura, cheia de filhotes. Eu carrego em mim a lembrança doce e inesquecível dessa convivência tão privilegiada e enriquecedora, que mudou a minha vida mais do que eu poderia imaginar.

E por sua vez, a Natureza ganha de volta uma criatura cuja espécie está em risco de extinção. Uma criatura que tinha poucas chances de sobreviver se Martin não o tivesse encontrado naquele dia frio e chuvoso de Julho. Uma criatura chamada Spikey que hoje tem e merece todas as chances que a vida puder lhe dar.



Have the time of your life, Spikey.

O vídeo tem música de fundo, aumente o volume

Escrito a mão pela Marcia às 3:05 PM | mais em Spikey the Hoglet | Comente este fragmento(30)

agosto 15, 2009

Spikey on t'Internets

Fiz alguns vídeos do Spikey e agora ele está dando o ar de sua graça cômica no YouTube. Ele já está quase no peso ideal para ser solto. Esta semana foi de muitas mudanças pra ele na tentativa de ensiná-lo a viver como animal selvagem. Não tem mais cobertores, brinca nas bandejas de terra com minhocas desidratadas escondidas, foi apresentado a alimentos diferentes e a materiais naturais. O aprendizado foi bem rápido porque ele carrega todos os instintos que precisa dentro dele e sabe exatamente o que fazer.



O primeiro vídeo é dele aprendendo a fazer seu ninho com pedaços de papel:


O segundo vídeo mostra como é uma noite típica na vida dele:


Na semana que vem a casa dele se muda para o jardim e logo ele vai estar livre para seguir seu caminho. E então esses vídeos vão passar a ter um completo e mais precioso significado deste mundo para mim.
Escrito a mão pela Marcia às 10:57 PM | mais em Spikey the Hoglet

agosto 7, 2009

Spikey's Ultimate Home

Para quem não dá a mínima para meus posts gastronômicos e querem mais é saber do Spikey e ver fotos fofas de focinhos irresistíveis, pézinhos minúsculos e olhinhos esbugalhados, informo-lhes que está cada vez mais e mais difícil tirar fotos dele porque ele agora é uma criatura noturna que passa o tempo todo da luz do dia dormindo.

Mas a boa notícia é que ele está saudável, terminou de tomar a sessão de antibióticos, não tosse mais, o apetite triplicou e está bastante forte e ágil. Ele agora pesa mais de 400g e você leitor interessado vai vibrar ao saber que ontem ele fez um cocô que media 7 centímetros de comprimento.

Faz pouco mais de 20 dias que ele está hospedado aqui e durante esse tempo, Spikey foi um sortudo de ter três aconchegantes residências:


O primeiro abrigo provisório que serviu de UTI móvel:
uma caixa de papelão


Por um mero acaso, a ex-moradora desta casa deixou na garagem esta linda e novíssima gaiola de coelhos. Não sei por quê ela tinha essa gaiola e não sei por quê ela deixou para trás, talvez tinha ganhado num bingo, who knows. Estava ainda com as etiquetas e tudo. Limpei-a e logo Spikey pode se mudar para sua segunda moradia.


Open plan, mais arejado e decorado com belas cortinas


Porém, nada pode se igualar ao privilégio de ter uma casa construída de acordo com as necessidades de um porco-espinho selvagem. Nesta semana financiamos e entregamos as chaves da sua mais nova moradia.


Madeira maciça, chão elevado para evitar umidade e gelo,
telhado com proteção impermeável, porta estreita para evitar que animais maiores entrem.



Por dentro a importantíssima parede que impede predadores
como raposas e texugos enfiem seus braços para caçar os moradores



Assim que o coloquei perto da casa ele disparou (Usain Bolt's style)
para dentro e lá ficou por horas



Depois saiu para examinar o exterior da propriedade
e avaliar a vizinhança (location, location, location)



E finalmente se acomodou e fez sua primeira refeição no novo lar.


Não uso o telhado por enquanto porque é mais fácil para limpar. E ao redor da casa coloco a grade da gaiola. Aos 400g, Spikey não é mais um bebê, já virou um adolescente que precisa de seu próprio espaço, sem ser interrompido, sem intrusões.




Como todo adolescente gosta de enfeitar seu quarto com posters,
coloquei uma foto de seu ídolo-mor Usain Bolt


Esta nova casa não foi mero mimo ou uma luxúria supérfula. Ela representa o começo da nossa despedida ao Spikey. Ele cresceu e ficou forte e está quase pronto para voltar à natureza, onde ele pertence. Ele não é meu, ele não é bichinho de estimação. Ele é parte do ecossistema, um animal selvagem saudável que não quer e não deve ser encarcerado injustamente e sem razão. Por mais que eu sinta saudades e sofra de preocupação dos perigos naturais da vida afora, soltá-lo é a coisa mais certa a fazer. Talvez eu ainda não esteja pronta, mas Spikey está e ele merece uma vida feliz, livre e cheia muitos outros de filhotinhos.

Nesta semana ele está se acostumando à nova casa. Na semana que vem a casa dele sem a grade mas com o telhado vai pro conservatory e, em seguida, para o lugar definitivo no jardim para ele se acostumar com o clima, os cheiros, os barulhos. Assim que ela atingir o peso ideal, devo deixar ele seguir seu caminho como animal silvestre livre. E essa casinha dele vai ser sempre o porto seguro, o lugar onde ele vai encontrar abrigo e comida, se precisar. Ou um canto protegido para hibernar no inverno. Mas é mais provável que ele não fique e não volte porque porcos-espinhos são assim, mudam de ninho diversas vezes, andam quase 2 milhas de distância por noite. Seja como for, a casa do Spikey vai continuar no mesmo lugar, talvez não para ele depois que ele se for, mas talvez para outro porco-espinho que precise ou quem sabe para os descendentes dele futuramente. Para nós, vai ser um marco de missão cumprida, uma lembrança doce, espinhuda e fofa. Para o Spikey vai ser a última casa, antes dele se mudar para o seu verdadeiro, imenso e ainda magnífico lar.

"Ships are safe in the harbour, but that's not what they're made for"

Escrito a mão pela Marcia às 12:04 PM | mais em Spikey the Hoglet

julho 27, 2009

More than a Pretty Face

Faz pouco mais de uma semana que Spikey está sob nossos cuidados. Ganhou peso, cresceu, mas o quadro dele continua inspirando cuidados. Desde o sábado ele começou a tossir e no domingo de manhã levamos-o para o serviço de emergência veterinária (por que bichinhos sempre ficam doentes quando veterinários estão fechados??). A tosse pode ser sintoma de lungworm, um verme que ataca o pulmão, comum em porcos-espinhos que tiveram contato com lesmas carregando o parasita. É um diagnóstico sério e que pode ser fatal. Spikey foi medicado e agora está tomando antibióticos uma vez por dia, por 10 dias.

Quando está acordado Spikey é curioso e ativo. Agora ele tem um playroom, que é um quarto vazio onde coloco pedras, galhos e frutas para ele fuçar e se acostumar com os materiais que vai encontrar nos jardins. Mas a atração principal pra esta criatura noturna é morder meu pijama e crocs enquanto estou lá sentada cuidando dele na mais ingrata hora da noite.

Há poucos dias aprendeu a correr e agora dispara feito Usain Bolt de nadadeiras. Está aprendendo a fazer seu próprio ninho com pedaços de jornal e papel higiênico. E também desenvolveu uma técnica exclusiva de fazer xixi esticando as pernas o mais distante possível uma da outra para não molhar seus queridos pés. Não sei pra quê tanto cuidado já que assim que termina, já sai pisando no xixi, no cocô e na comida, não necessariamente nessa mesma ordem.

Enfim, Spikey tem sido um grande lutador até agora e estamos na expectativa que ele vença mais essa etapa e fique completamente saudável, ainda mais ativo e inteligente para combinar com sua charmosa beleza sem esforço. Go Spikey, go Spikey.

Eis algumas fotos recentes. Ele tem medo do barulho das SLRs então tenho que tirar fotos com uma digicam em ISO 1 bilhão.


Spikey em seu playroom



Técnica de fazer xixi sem molhar seus pés
(patente pendente)



Do I smell food?



Cute Pie


Escrito a mão pela Marcia às 10:06 AM | mais em Spikey the Hoglet

julho 20, 2009

Spikey the Hedgehog

No sábado encontramos um filhote muito novo de porco-espinho no nosso jardim. Eram três da tarde e ele estava na área pavimentada onde um fraco sol batia depois de fortes tempestades. O pobre filhote não se movia, só tremia, tremia, tremia em sinal de hipotermia grave. Porcos-espinhos vistos à luz do dia quase sempre estão em sérios problemas.

Trouxemos-o para dentro de casa, colocamos-o numa caixa com bolsa d'agua quente e toalhas. Ele não reagia, mas aos poucos parou de tremer e dormiu assim por mais de uma hora. Demos o nome a ele de Spikey, já que ele é o primeiro porco-espinho que pude cuidar, então ele precisava de um nome clássico.


A primeira foto de Spikey, ainda em choque hipotérmico



Spikey em cima da bolsa de água quente,
ainda imóvel depois de uma hora do resgate

O estado dele era tão sério que pensamos que ele não iria sobreviver mais que algumas horas. Imediatamente ligamos para o British Hedgehog Preservation Society e recebemos a instrução de não soltarmos-o de volta em hipótese alguma porque o estado dele precisa de cuidados intensos. Deveríamos ou cuidar dele nós mesmos ou entregar para voluntários de resgate. O centro perto de nossa casa não está mais aceitando animais porque estão super lotados.

Depois de uma hora e meia Spikey acordou meio zonzo e tentou andar. Cozinhei um pedaço de frango, piquei e misturei com uva passas e minhocas secas. Ele mostrou um certo interesse, cheirou bastante mas não comeu nada e foi dormir outra vez.

Nesse mesmo tempo havia postado uma mensagem no fórum de wildlife que participo há um ano e uma expert em resgate de porcos-espinhos, Natasha, entrou em contato comigo com valiosíssimas informações e direções de como ajudá-lo a se recuperar. Ela também nos passou contatos de vários outros centros de resgate que podem nos ajudar.

Fomos correndo comprar comida para gatos, daquelas úmidas com gelatina, trituramos no mixer e oferecemos às colheradas. Ele sentiu o cheiro e saiu da cama em direção a colher. Devorou tudo, mordendo a colher com vontade. Alimentamos-o assim a cada duas horas, dia e noite, mantendo a água da bolsa d'água sempre quentinha. Oferecemos também água com mel, mas ele não mostrou interesse. Na balança, Spikey só pesava 126g, tadinho. Como ele tem todos os dentes, a Natasha concluiu que ele deve ter quatro semanas de idade apenas. Nessa idade os porcos-espinhos estão quase deixando o ninho, mas deve ter acontecido algo com a mãe do Spikey, que por conseqüência deve ter se saído em busca de comida, se perdido e sofrido com as tempestades.


Aqui dá para ter uma idéia do tamanho do Spikey:
Martin está alimentando-o com uma colher de chá



No dia seguinte, ontem, ele já estava mais animado, andando, organizando a roupa de cama dele, fazendo rios de xixi e muitos cocôs. Comendo bem toda vez que oferecíamos, mas se recusando a beber água. E dormindo a maior parte do tempo.

Fomos à Pets at Home, compramos mais Whiskas de aves (galinha, peru e pato) porque ele não gostou da comida da marca Felix (um gourmet, praticamente). Tenho misturado água na comida dele para mantê-lo hidratado. Compramos um heating pad, que é um disco que deve ser aquecido no microondas para ser colocado embaixo da cama e mantê-lo quentinho por 12 horas. Excelente porque agora não preciso acordar no meio da noite só pra trocar a água quente da bolsa. Fiz também uma almofada bem macia pra ele.

Precisamos pesá-lo todos os dias para acompanhar o desenvolvimento dele. Então ontem a noite o pesamos no mesmo horário do dia anterior e a balança registrou 144g. Em um dia Spikey ganhou 18g. Ele só poderá voltar à natureza quando estiver pesando 500g, geralmente com oito semanas de idade.


Spikey tem um bom apetite e come quase 100g de Whiskas por dia.



Mas ele não tem bons modos à mesa e gosta de enfiar os pés no prato.

Filhotes com hipotermia encontrados à luz do dia podem também ter alguma doença implícita. Por isso e porque ele tem se recusado a beber água, hoje Spike e eu fomos ao veterinário para um check-up geral. O veterinário foi bacaníssima, examinou, pesou, escutou o coração e o pulmão e declarou que Spikey está muito bem e que não precisa de nenhum suplemento ou remédio extra, nem tem nenhum parasita externo.

Disse que é difícil por enquanto saber se ele tem alguma doença implícita, só com o tempo é que saberemos. Mas no momento ele está muito bem, não está desidratado e provavelmente está recebendo todos os fluídos que precisa da própria comida. Pediu para continuarmos com os cuidados que estamos dando e voltarmos ao consultório sempre que precisarmos. E não cobrou a consulta porque veterinários aqui cuidam de animais silvestres de graça. How nice of them.

Então esta é a situação de Spikey no momento. Precisa de comida, cama quentinha e um canto limpo e sossegado. Por mais que eu queira fazer carinho na barriguinha ultra macia dele, evito tocá-lo. Se ele sobreviver para voltar para a natureza ele precisa continuar a temer seres humanos. Se, porém, ele realmente tiver alguma doença implícita que desencadeou a hipotermia, então ao menos demos a ele segurança, calor, barriga cheia. E uma segunda chance.

Get well, little mite.

Cutest thing ever



Escrito a mão pela Marcia às 9:59 AM | mais em Spikey the Hoglet